Friday, November 02, 2007

DICIONÁRIO DE INFORMÁTICA


PARA PROCURAR ESTE BLOG ESCREVA:

http://informaticaverifiquesesabe.blogspot.com/

POR ORDEM ALFABÉTICA

●A → AAAAA ●●●●●● ANSIansi ●●●●●●● ALTERARalterar ●B → BBBBB ●●●●●● BAIXARbaixar ●●●●●● BANCObanco ●C → CCCCC ●D → DDDDD ●●●●●● DIMdim ●●●●●● DISQUETEdisquete ●E → EEEEE ●●●●●● ●F → FFFFF ●G → GGGGG ●H → HHHHH HARDWAREhardware ●I → IIIII ●●●●●● INTERFACEinterface ●J → JJJJJ ●K → KKKKK ●L → LLLLL ●M→ MMMMM ●N → ●● NNNNN ● O → OOOOO ●P → PPPPP ●●●●●● PÍXELpíxel ●Q → QQQQQ ●R → RRRRR ●●●●● RESOLVERresolver ●●●●●● RESOLUÇÃOresolução ●S → SSSSS ●●●●●● SISsis ●T → TTTTT ●●●●●● TAGtag ●●●●●● TERABYTEterabyte ●U → UUUUU ●V → VVVVV ●W → WWWWW ●X → XXXXX ●Y → YYYYY ●Z → ZZZZZ

... ...

FIGURAS - CLICAR PARA AUMENTAR

... ...

AAAAA

GUIA DO WINDOWS



ACTIVARactivar
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ACTIVAR PROGRAMAS ATRAVÉS DO MENU EXECUTAR
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● O Windows é extremamente flexível no que se refere à forma de activar um programa. Caso haja trabalhado anteriormente com o antigo sistema operativo MS-DOS , poderá preferir o método que descreveremos nesta secção, o de activar uma aplicação através da caixa de diálogo Executar .

1. Fornecer o atalho Linha de Comandos – Este método requer o conhecimento da localização do ficheiro de programa, bem como do nome correcto deste ficheiro. Deverá também saber com qual sintaxe o atalho, de uma linha de comandos foi fornecido. Como pode perceber, este é um método para utilizadores do Windows.
Façamos um exercício só para praticar. Active o comando Executar do menu Iniciar para abrir a caixa de diálogo homónima. Na caixa de texto Abrir digite o nome do ficheiro com o atalho do programa. No nosso exemplo, ilustrado na fig. 3.6, o Paint é iniciado e o nome do ficheiro de programa é MSPAINT.EXE. A sintaxe para ele é:
Letra da unidade:\atalho\nome do ficheiro
A seguir prima a tecla Enter ou efectue clique em OK .



2. Seleccionar ficheiro de programa – Caso receba um comunicado de erro, significa que o atalho ou nome de ficheiro fornecido não existe. Efectue clique, então, sobre o botão de comando Procurar … e tente localizar a pasta através da caixa de diálogo Procurar. Para tal, efectue cliques sucessivos na estrutura de pastas do disco rígido. Caso haja encontrado o ficheiro desejado, seleccuione-o e efectue clique sobre o botão de comando Abrir. O atalho aparecerá no campo Abrir da caixa de diálogo Procurar. Confirme OK para activar a aplicação.



Para activar os programas do Windows basta que forneça o nome do ficheiro. No nosso exemplo: MSPAINT. O Windows localiza automaticamente o ficheiro.
http://otorto.wordpress.com/2007/02/17/comandos-do-executar-do-xp/

●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ACTIVAR PROGRAMAS ATRAVÉS DO EXPLORADOR DO WINDOWS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● O Explorador do Windows serve, numa primeira instância, à organização profissional e à gestão de pastas e ficheiros. Somente no Explorador poderão ser representadas estruturas ramificadas de pastas de maneira clara. É claro que o utilizador poderá utilizar o Explorador para outras tarefas e não só para visualizar estruturas de conteúdos de pastas.
Active inicialmente o Explorador. No menu Iniciar encontrará o registo Explorador do Windows na pasta Programas/Acessórios. A alternativa mais rápida consiste, entretanto, na activação do menu de atalho do botão de comando Iniciar da barra de tarefas. Prima lá o botão direito do rato e efectue clique sobre o comando Explorar do menu de atalho.

Para iniciar um programa no Explorador deverá conhecer o nome e a localização do ficheiro de programa ou um atalho. Aponte e efectue um clique sobre o sinal positivo

que precede o ícone da unidade e desloque-se, desta maneira, para a pasta desejada. Para aceder ao conteúdo de uma pasta, efectue clique sobre o nome da pasta em questão.
1. Clique duplo - Para dar início ao programa, basta um clique duplo sobre o ficheiro de programa que é mostrado na parte direita da janela. Poderá activar, por exemplo, a Calculadora através do ficheiro Calc na pasta C:\ Windows\Menu iniciar\Programas.
Uma alternativa ao clique duplo para a activação de um objecto de programa consiste em seleccionar este objecto e, posteriormente, activá-lo através do comando Abrir do menu de atalho ou do menu Ficheiro.
2. Estrutura do Menu Iniciar - O utilizador poderá visualizar a estrutura do menu Iniciar no Explorador. Para tal, efectue cliques à esquerda sobre o sinal positivo iniciar um programa no Explorador deverá conhecer o nome e a localização do ficheiro de programa ou um atalho. Aponte e efectue um clique sobre o sinal positivo

da pasta Windows e Menu Iniciar. A estrutura das subpastas corresponde exactamente ao menu Iniciar. Mas atenção: Os objectos mostrados na parte direita da janela do Explorador são unicamente atalhos que indicam a localização real dos ficheiros de programas.

A SEGUIR: ACTIVAR PROGRAMAS ATRAVÉS DO COMANDO EXECUTAR


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ACTIVAR PROGRAMAS ATRAVÉS DO MENU “Iniciar“
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● O menu Iniciar é a central de activação do Windows e poderá ser activado através de um clique sobre o botão de comando Iniciar à esquerda da barra de tarefas.

Neste menu encontrará tudo de que necessita no Windows
Todas as aplicações do Windows poderão ser activadas através do menu Iniciar e do comando Programas , bem como dos seus submenus. Para dar início a um programa, aponte para o registo Programas do menu Iniciar .
O menu sobreposto será aberto automaticamente.

No primeiro nível do menu encontram-se, por exemplo, os programas Internet Explorer e o Windows Media Player prontos para serem accionados.

Outros programas poderão ser encontrados no grupo de programas Acessórios como, por exemplo, a Calculadora , o programa de edição de textos do Windows , o WordPad , bem como o programa de desenho Paint .

Se apontar para um grupo de programas, o submenu será automaticamente aberto. Para iniciar um programa, efectue um clique sobre o registo desejado. Se necessita, por exemplo, de um programa de edição de textos, deverá efectuar clique sobre o WordPad ,

Após a activação de cada programa, o menu Iniciar será automaticamente fechado. O utilizador já poderá entender porque nos referimos a este caminho, como sendo o mais longo de todos. Experimente activar o programa Ferramentas do sistema através de Iniciar Programas/Acessórios/Ferramentas do sistema .


MUNDOmundo

O número de programas disponíveis no menu Iniciar encontra-se na dependência dos componentes do sistema escolhidos durante a instalação do Windows e também naturalmente do número de aplicações instaladas adicionalmente.

1. Por ordem alfabética – O menu Programas encontra-se organizado por ordem alfabética. De cima para baixo estão listados inicialmente os grupos de programas ordenados por nome, abaixo, aparecem os programas de programa. Os grupos de programas são pastas específicas, nas quais os ficheiros de programa não se encontram gravados. São os denominados atalhos que contém apenas uma indicação para a localização do ficheiro. Os grupos de programas servem para ordenação temática de diversas aplicações. Os grupos de programas podem sofrer alteração de nome, podem ser eliminados ou criados e podem também ser modificados através da adição de comandos de programa.


Durante a instalação de um programa do Windows será criado automaticamente um registo no menu Iniciar . A maioria das aplicações cria um novo grupo de programas, em cujo menu sobreposto são depositados os comandos destes programas. Caso um programa instalado posteriormente não dê origem a um símbolo no menu Iniciar , o utilizador poderá executar este passo manualmente. A seguir trataremos mais detalhadamente desta questão.

O Windows oferece vários métodos para iniciar uma aplicação. Apresentaremos inicialmente o procedimento através de O meu computador



do Windows .

O meu computador .é uma pasta especial do Windows , onde todas as unidades disponíveis de um computador estão representadas através de ícones. Em O meu computador encontra-se também disponível o ícone do Painel de controle .

A SEGUIR:
ACCIONAR PROGRAMAS ATRAVÉS DA PASTA DE SISTEMA O meu computador


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
AJUDA DO WINDOWS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● A AJUDA DO WINDOWS

Neste capítulo tomará conhecimento de como o Windows poderá apoiar o seu trabalho diário, com proposição de resolução de problemas e acções. Detalharemos a função geral de ajuda do Windows localizada no menu Iniciar. Este sistema aparece com um número extenso de programas de iniciação. O utilizador poderá obter também ajuda através de uma janela de conteúdo ou do índice remissivo. E graças à integração da Internet no Windows, poderá aceder de maneira simples a suportes on-line do Microsoft e a forums de utilizadores
VER A SEGUIR: Activar Ajuda e Suporte

AACaac
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
AAC
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (Ing. : Advanced Audio Coding ) AAC é uma codificação de som estandardizado pela ISO. Comparado ao MP3 (1), o AAC proporciona uma qualidade de reprodução musical superior para os débitos mais fracos e pode receber até 48 canais de som. Este formato foi concebido na óptica da difusão em linha (streaming). É, assim, o formato concebido para codificar a música de Tunes Music Store, de preferência ao formato MP3 (1) Por exemplo - Não obstante as suas qualidades intrínsecas, está ainda longe de igualar a omnipresença do MP3.


ACENTOSacentos
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ACENTOS E TERCEIRO CARACTER
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ACENTOS E TERCEIRO CARACTERE

Para escrever os acentos (´, `, ^) bem como todo e qualquer caractere que se encontre desenhado numa tecla que possua um dois ou três caracteres:

1. Se o caractere se encontra na base da tecla (em baixo), pressione-o e em seguida pressione a letra em que quer colocá-lo. A Letra surge com o acento.
Ex: á, é, ã... (Fig 1).

2.
Se o caractere se encontra na parte superior da tecla tem de pressionar o Shift inerte) e, em seguida, sem largar, o acento que pretende. Larga então e em seguida escreve a letra pretendida que surge acentuada como pretende (Fig 2).
3.
Se o caractere for um terceiro caractere, para além dos mencionados que normalmente se encontram na base à direita, como o trema, por exemplo (¨), a £ ou o §, pressiona primeiro a tecla AltGr (Fig 5) e, sem largar, pressiona a tecla que contém o terceiro
caractere. Larga então e escreve em seguida a letra de que esse caractere serve de acento (por exemplo ä). Se não for acento, o caractere surge logo a seguir sem ser
necessário escrever qualquer letra, naturalmente: @, €, £, ... (Fig 3).
Por vezes acontece encontrarem-se só dois caracteres, mas o segundo a ocupar o mesmo lugar do caractere da tecla que contém o 3º. caractere. Nese caso procede do mesmo modo como para o caractere da tecla com 3º. caractere. Ex: o € (Fig 4)


ACROBATacrobat
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ACROBAT
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (software) - Uma solução proposta pela Adobe Systems (www.adobe.com) que consiste em criar os arquivos em formato PDF, para que possam ser vistos impressos em várias plataformas (Windows, Macintosh, OS/Z, Unix). É comum encontrar arquivos PDF na Internet. Para conseguir visualizá-los, precisará ter o visualizador do Adobe Acrobat Reader. Visite www.adobe.com para obter uma cópia gratuita.


ACTIVARactivar
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ACTIVAR A AJUDA PARA ELEMENTOS DO WINDOWS

●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● O Windows dispõe ainda de outras formas de ajuda adicionais. Em quase todas as caixas de diálogo, e também em várias aplicações, poderá activar um tipo especial de ajuda



que fornece informões sobre elementos desconhecidos do ecrã na forma de sugestões do ecrã.

1. Abrir a caixa de diálogo – Antes que possa testar esta forma de ajuda directa, abra inicialmente uma caixa de diálogo. Para tal, active, por exemplo, o Wordl Pad (Iniciar/Programas/Acessórios) e seleccione Ficheiro/Imprimir… Na caixa de diálogo Imprimir poderá visualizar o botão de comando


na barra de título, ao lado do botão de comando Fechar.

2.


- Clique uma vez sobre o botão de comando



(Ajuda) e movimente o cursor do rato no interior da caixa de diálogo. Ao cursor do rato será adicionado um ponto de interrogação. Com o cursor modificado, efectue um clique sobre um sítio da caixa de diálogo, para o qual necessita de ajuda.

3. Sugestão de ecrã – Caso disponha de um texto de ajuda sobre este item, o Windows activa uma sugestão de ecrã com um texto explicativo sobre a função ou o elemento seleccionado. Caso não disponha de qualquer informação, o cursor com o ponto de interrogação desaparece. Reinicie então a activação da ajuda directa num outro sítio da caixa de diálogo. Uma sugestão de ecrã pode ser desactivada através de um clique.



4. O que é isto? – Um outro modo de receber ajuda para um elemento desconhecido do ecrã é através de um clique com o botão direito do rato, no elemento para o qual deseja ajuda. No menu de atalho efectue clique sobre o comando o que é isto?.

Poderá também activar esta forma de ajuda directa através da combinação de teclas


Neste caso receberá informações sobre o elemento da janela que possui o foco, ou seja, que se encontra activado. No caso de campos de texto, poderá identificar o foco pelo cursor ou através do texto seleccionado e realçado por uma sombra. O foco botões de comando, de caixas de verificação e outros elementos poderá ser identificado através da moldura sombreada. Para focalizar um destes elementos sem o activar, efectue clique sobre ele e mantenha o botão do rato premido enquanto arrasta o cursor do rato para um sítio livre.

A SEGUIR:

ACTIVAR E UTILIZAR A AJUDA PARA AS APLICAÇÕES DO WINDOWS


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ACTIVAR A LINHA DE COMANDOS DO MS-DOS NO WINDOWS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Ao contrário do que ocorria nas versões anteriores do Windowa 98, as versões modernas do WINDOWS não necessitam que o sistema operativo seja iniciado no modo do MS-DOS. Uma excepção é o arranque através da denominada disquete de arranque, que poderá ser criada através do Painel de Controle/Adicionar/r…Programas e do separador Disquete de arranque. A maior parte das operações para as quais o utilizador necessita do MS-DOS, poderão também ser executadas na superfície do Windows. Iniciar Programa A aplicação responsável por este facto é denominada Linha de Comandos do MS-DOS. Para iniciar o programa abra o menu Iniciar do Windows e aponte para o comando Programas. No menu sobreposto Acessório, clique sobre o registro Linha de Comandos do MS-DOS. O que se passará a seguir encontra-se na dependência da configuração do sistema. Linha De comandos A janela da Linha de comandos do MS-DOS poderá aparecer no canto superior esquerdo do Ambiente de Trabalho ou o ecrã poderá escurecer e mostrar apenas alguns símbolos Modo De Janela Em ambos os casos, a Linha de Comandos do MS-DOS será iniciada, no primeiro caso no modo de janela (veja fig. ), no segundo caso no modo de ecrã inteiro. As diferentes formas de apresentação não alteram contudo as sãs funções primordiais. A Linha de Comandos do MS-DOS assume as características do sistema Operativo MS-DOS (Microsoft Disk Operation System). Acima à esquerda será mostrado o número da versão. Abaixo, atrás do propulsor, do sistema C:WINDOWS>, o cursor está a piscar. Através da Linha de Comandos do MS-DOS dirija-se ao directório da sua aplicação DOS e inicie o programa através do comando específico. Para se deslocar do modo de ecrã inteiro da Linha de Comandos do MS-DOS para o modo de janela ou vice-versa, prima as teclas Alt+Enter. Para abandonar a Linha de Comandos, digite o comando Exit e confirme através de Enter, antes de fechar a anela.


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ACTIVAR AJUDA E SUPORTE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Está a necessitar de ajuda para a execução de tarefas específicas durante o seu trabalho com o Windows? É claro que encontrará também as instruções para as tarefas mais importantes no Windows. Porém o sistema operativo não o deixará sozinho a trabalhar com as suas funções.

1. Ajuda do Windows

Nesta secção, tomará conhecimento de como activar a acessória interna do Windows, a Ajuda do Windows. Mais adiante trataremos do manuscrito das funções específicas de Ajuda.
O primeiro passo será o de esclarecer como poderá receber a ajuda do Windows no seu ecrã. Provavelmente já deverá estar a pensar que conta, também neste caso, com um número variado de possibilidades.

2. Iniciar/Ajuda

Iniciaremos pelo caminho convencional, qual seja o caminho através do menu Iniciar. Para tal, abra o menu Iniciar e efectue clique sobre o registo Ajuda. Logo em seguida abre-se a janela Ajuda e suporte, onde poderá activar todos os serviços de ajuda.

3. Tecla de atalho

A janela Ajuda e suporte, ou seja a ajuda do Windows, poderá também ser activada através de uma tecla de atalho. Para tal, prima simplesmente a tecla F1 dentro da superfície gráfica do Windows, por exemplo, em pastas, no Explorador do Windows ou no ambient4e de trabalho.
A caixa de diálogo Ajuda e suporte será activada com um layout típico da web, contendo um número elevado de hiperligações









Atenção: no caso de activação da ajuda a partir da tecla F1, nenhuma janela de aplicação deve estar aberta, caso contrário será activada a ajuda para esta aplicação. Trataremos deste tema no final deste capítulo. Se o programa foi minimizado e se se encontra, portanto, na forma de botão da barra de tarefas e uma pasta está aberta, inicie a Ajuda do Windows através da tecla F1

4. Menu ajuda – A caixa de diálogo da Ajuda do Windows poderá também ser activada através do comando Tópicos de Ajuda do menu Ajuda que se encontra sempre disponível nas pastas e no Explorador do Windows.


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ACTIVAR E UTILIZAR A AJUDA PARA AS APLICAÇÕES DO WINDOWS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Dada a diversidade de aplicações para o Windows, torna-se difícil, até mesmo para os especialistas, ter uma visão de todas as funções do Windows. As estatísticas comprovam que, a maioria dos utilizadores emprega apenas 10 por cento das possibilidades de um programa. Este quadro pode ser alterado, uma vez que cada aplicação do Windows dispõe de uma ajuda interna de programa.
1. Ajuda Online - Na era da multimédia em que nos encontramos, muitos fabricantes de programas abrem mão de manuais e buscam informações sobre os programas e suas funções na ajuda online. Nesta secção, trataremos de como poderá receber ajuda para aplicações no Windows.
2. Iniciar programas – Antes que possa receber ajuda para um programa, este programa deverá ser primeiramente iniciado. Para tal, inicie o menu Iniciar e aponte para Programas. Em seguida, efectue clique sobre o programa desejado, para abri-lo e, posteriormente, sobre o comando do programa. Exemplificaremos este procedimento através do programa de edição de textos do Windows. No caso de programas minimizados, a tecla







3. Janela activa de programa – Mas atenção: a janela do programa deverá estar activada. Se a janela activa é uma janela de pasta no ambiente de trabalho, receberá a ajuda do Windows. No caso de programas minimizados, a tecla






não iniciará a ajuda específica para a aplicação.
4. Menu ajuda – Esta problemática com a tecla de atalho poderá, contudo, ser facilmente contornada. Ao invés de utilizar esta tecla, utilize o menu Ajuda. No menu Ajuda encontra-se sempre disponível o comando Tópicos da ajuda.
5. Ajuda ao programa – Este comando activa uma janela de ajuda interna do programa, cujo conteúdo está relacionado ao programa activado. A configuração das janelas de ajuda da maior parte dos programas seguem um modelo, a ser descrito a seguir, apresentando algumas diferenças no que se refere à existência ou não de um ou mais separadores.



A SEGUIR: O SEPARADOR DO ÍNDICE


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ACTIVAR OS MENUS ATRAVÉS DO RATO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Para abrir um menu, aponte para o nome do menu com o cursor do rato e efectue clique sobre ele. O menu abrir – se – á e mostrará vários registos dispostos verticalmente, um abaixo do outro. Uma vez aberto um menu, necessitará apenas apontar para um outro nome do menu vizinho para abri – lo.
1. Menus sobrepostos - Caso se encontrem disponíveis para comandos de menu, menus sobrepostos, será suficiente que aponte para o comando desejado para abrir o sub - menu. Os menus sobrepostos estarão sempre disponíveis quando um pequeno triângulo preto (►) é mostrado.
2. Seleccionar Comando - Para seleccionar um dos comandos contidos no menu, efectue clique sobre o registo desejado. O comando será directamente executado, ou o WINDOWS ou um programa irá abrir outro elemento de controle para a configuração do comando, um processo eu poderá ser verificado através das convenções do menu.
3. Campo do menu do sistema - As janelas de documentos e aplicações dispõem adicionalmente de um menu de sistema. Este MENU DE SISTEMA poderá ser abeto através de um clique sobre o campo de menu de sistema, na parte superior esquerda da barra de título. Será representado através do ícone de aplicação ou de pasta ou como um grupo de programas.
4. Alteração do Tamanho - Os seis comandos do menu de sistema são idênticos e servem Exclusivamente a alterações de tamanho ou deslocamento de janelas de documentos e de programas.
5. Comando Fechar - Através do comando FECHAR, uma janela do documento será fechada ou uma aplicação será encerrada. Um menu aberto por descuido poderá ser fechado novamente através de um clique sobre o nome do menu. Comandos executados por descuido poderão ser anulados quase sempre, através do EDITAR / ANULAR.

ACTIVAR PROGRAMAS ATRAVÉS DO MENU “Iniciar“

O menu Iniciar é a central de activação do Windows e poderá ser activado através de um clique sobre o botão de comando Iniciar à esquerda da barra de tarefas.
Neste menu encontrará tudo de que necessita no Windows
Todas as aplicações do Windows poderão ser activadas através do menu Iniciar e do comando Programas , bem como dos seus submenus. Para dar início a um programa, aponte para o registo Programas do menu Iniciar .
O menu sobreposto será aberto automaticamente.
No primeiro nível do menu encontram-se, por exemplo, os programas Internet Explorer e o Windows Media Player prontos para serem accionados.
Outros programas poderão ser encontrados no grupo de programas Acessórios como, por exemplo, a Calculadora , o programa de edição de textos do Windows , o WordPad , bem como o programa de desenho Paint .
Se apontar para um grupo de programas, o submenu será automaticamente aberto. Para iniciar um programa, efectue um clique sobre o registo desejado. Se necessita, por exemplo, de um programa de edição de textos, deverá efectuar clique sobre o WordPad ,
Após a activação de cada programa, o menu Iniciar será automaticamente fechado. O utilizador já poderá entender porque nos referimos a este caminho, como sendo o mais longo de todos. Experimente activar o programa Ferramentas do sistema através de Iniciar Programas/Acessórios/Ferramentas do sistema .


MUNDOmundo
O número de programas disponíveis no menu Iniciar encontra-se na dependência dos componentes do sistema escolhidos durante a instalação do Windows e também naturalmente do número de aplicações instaladas adicionalmente.
1. Por ordem alfabética – O menu Programas encontra-se organizado por ordem alfabética. De cima para baixo estão listados inicialmente os grupos de programas ordenados por nome, abaixo, aparecem os programas de programa. Os grupos de programas são pastas específicas, nas quais os ficheiros de programa não se encontram gravados. São os denominados atalhos que contém apenas uma indicação para a localização do ficheiro. Os grupos de programas servem para ordenação temática de diversas aplicações. Os grupos de programas podem sofrer alteração de nome, podem ser eliminados ou criados e podem também ser modificados através da adição de comandos de programa.
Durante a instalação de um programa do Windows será criado automaticamente um registo no menu Iniciar . A maioria das aplicações cria um novo grupo de programas, em cujo menu sobreposto são depositados os comandos destes programas. Caso um programa instalado posteriormente não dê origem a um símbolo no menu Iniciar , o utilizador poderá executar este passo manualmente. A seguir trataremos mais detalhadamente desta questão.
O Windows oferece vários métodos para iniciar uma aplicação. Apresentaremos inicialmente o procedimento através de O meu computador



do Windows
.
O meu computador .é uma pasta especial do Windows , onde todas as unidades disponíveis de um computador estão representadas através de ícones. Em O meu computador .encontra-se também disponível o ícone do Painel de controle .

A SEGUIR:
ACCIONAR PROGRAMAS ATRAVÉS DA PASTA DE SISTEMA O meu computador


ACTIVEXactivex
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ACTIVEX
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (software) - Algumas pessoas gostam de colocar evfeitos visuais diferentes ou outras funções adicionais nas suas páginas Web utilizando a norma “ActiveX” da Microsoft. Visite uma dessas páginas e poderá descarregar um “ActiveX Control”, um programa que é executado no sistema e que efectua a função que o criador do site Web pretende. Se quiser obter mais informações e amostras de componentes, visite www.active-x.com.


ADAPADORadaptador
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ADAPTADOR DE TERMINAL
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (software) - Um dispositivo utilizado para ligar um computador a uma linha ISDN (o equivalente a um modem ISDN, essencialmente).


ADOBEadobe
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ADOBE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
Editor de software. Criador da linguagem descritiva da página PostScript. Editor de softwares Illustrator, PageMaker, Photoshop, Première etc.


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ADOBE CREATIVE PREMIUM
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Solução completa para criar e manter websites, aplicações, interfaces de utilizador, apresentações, conteúdos para dispostivos móveis conduzindo com perfeição a um produto final.


ADRESSadress
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ADRESS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Endereço (gíria) - Na linguagem da Internet, um identificador único de uma pessoa ou recurso existente na Internet.


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ADRESS BOOK
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● ADRESS BOOK – Livro de endereços - Depois de enviar e receber correios electrónicos (e-mails) durante algum tempo, notará a quantidade de endereços de que precisará lembrar-se. Todos os bons programas de correio electrónico possuem um livro de endereços onde pode registar e organizar esses endereços. Muitas vezes, é até possível agrupá-los em listas, o que facilita o envio de uma mensagem para um grupo específico de amigos ou colegas.


ADSLadsl
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ADSL
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (tecnologia) - A ADSL (Asymmetric Digital Subscriber Line) é uma tecnologia desenvolvida para proporcionar velocidade de ligações à Internet extremamente elevadas (a partir de 128Kbps) através de uma linha telefónica normal (utilizando um modem, uma placa de rede e um splitter para separar dados e voz).


ADWAREadware
●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ADWARE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (Ing Advertising supported software) Freeware financiado pela publicidade, incluído no seu interface ou shareware, com publicidade na mira da venda dos produtos anunciados.


AFAIKfaik
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
AFAIK
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (conversação) - Abreviatura comum de “As far as I know”, que significa “tanto quanto sei” e que é utilizada no correio electrónico e na conversação na Internet.


AJUDAajuda
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
AJUDA
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Atalho do teclado Para abrir a Ajuda, prima F1.


AJUDAajuda
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
AJUDA
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (técnica) - Está aflito? Não se preocupe, a Internet tem muitas fontes de informação e apoio. Um dos primeiros locais a visitar quando estiver com problemas é o arquivo de ajuda do próprio Windows ou do programa com o qual está tendo problemas.


AJUSTARajustar
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
AJUSTAR O TAMANHO DE UMA JANELA
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● ver ALTERAR O TAMANHO DE UMA JANELA

AGENDADORagendador ●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
●●●●●●●●●●●●●●●●●●
AGENDADOR DE GRUPO – v. SCHEDULER 1)
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●● ●

ALBUMalbum
●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ALBUM DIGITAL
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Internet - Serviços gratuitos Álbum digital de imagens É uma área que pode ser utilizada para armazenar, organizar e divulgar as imagens, que podem ser fotografias, desenhos, ilustrações ou pinturas. Também se destina a divulgar essas imagens para pessoas (colegas de trabalho, familiares, amigos, clientes, pessoas que trabalham na mesma área), em qualquer lugar do mundo onde se possa acessar a Internet. Existem sites que permitem que as imagens podem ser disponibilizadas apenas para algumas pessoas ou podem ser colocadas em uma "Exposição On Line", que permite visitação sem restrições. De um modo geral, um álbum digital permite: - Exibir suas melhores fotografias/imagens para todos que tenham acesso à Internet. - Mostrar as fotos de sua viagem de férias, mesmo antes de sua volta. - Divulgar as imagens de sua festa de aniversário, reuniões de família e grupos de amigos, casamento, nascimentos etc. - Exibir portfólio de trabalhos profissionais e artísticos.

ALIMENTAÇÃOalimentação
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ALIMENTAÇÃO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
Parte do computador encarregada de transformar a corrente alterna de 220 V do sector em corrente contínua afim de a fornecer aos outros componentes do computador. A potência disponível situa-se geralmente entre os 200 e os 400 W. Ver tb FONTE DE ALIMENTAÇÃO



ALTalt
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ALT
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (Anglais : alternate key - solução alternativa)
A tecla Alt do teclado.


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
Alt Gr
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● A tecla AltGr está no lado direito em alguns teclados . A AltGr equivale às teclas Ctrl+Alt combinadas e poderá usá-la com outras teclas para inserir caracteres adicionais. O Microsoft Word pode diferenciar entre as teclas ALT esquerda e direita para que possa usar as combinações de teclas CTRL+ALT e AltGr.

Exemplo: para digita @ pressiona-se a tecla AltGre, ao mesmo tempo a tecla que tem @(na base, lado direito - 3º. caracter).


ALTAalta
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ALTA VISTA
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● ALTA VISTA (organização) - Um motor de pesquisa inicialmente desenvolvido para apresentar o rápido equipamento informático da Digital Equipment Corporation; o AltaVista depressa ganhou vida própria.


ARROBAarroba
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ARROBA (@)
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Ver 'TERCEIRO CARACTER'


BACKBONEbackbone
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
BACKBONE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (hardware) - Na Internet circulam constantemente muitas informações e as vias mais importantes e que transportam a maior parte do tráfico (que oferecem o desempenho mais elevado) são designadas por “backbone” (espinha dorsal).
Método de codificação de arquivos binários para transmissão na Internet.


ALTERARalterar
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ALTERAR A POSIÇÃO DE JANELAS E ORDENÁ-LAS NO AMBIENTE DE TRABALHO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● O Windows possibilita que várias janelas possam permanecer abertas simultaneamente. Nesse caso estas jnelas encontram-se sobrepostas em diversos níveis.
Mover Uma Janela
A necessidade de deslocamento de uma janela no Ambiente de Trabalho tem sempre a mesma razão: no Windows o ecrã nunca é suficientemente grande. O utilizador deslocará janelas para que possa visualizar janelas que se encontrem abaixo ou para receber uma vista mais clara de diversas aplicações ou informações numa janela. Para deslocar uma janela específica sobre o Ambiente de Trabalho aponte com o cursor do rato para a barra de título. Com o botão do rato premido poderá deslocar a janela. A nova posição será mostrada através de um contorno pontilhado. Ao largar o botão do rato, a janela será arrastada para a nova posição.
Menu De Sistema
Também o menu de sistema, que pode ser accionado através de um clique sobre o campo de menu de sistema à esquerda da barra de título permite o deslocamento de uma janela. Para tal, efectue clique sobre o comando Mover e altere a posição da janela através das teclas □, □, □, □_. O comando Mover não se encontrará disponível em janelas maximizadas.
Dispor Automaticamente
O Windows poderá também executar a tarefa de deslocar janelas como forma de promover um layout mais claro. Para dispor automaticamente todas as janelas do ambiente de trabalho, aponte para um sítio livre da barra de ferramentas e prima o lado direito do rato. No menu de atalho que aparece, seleccione um dos comandos Janelas em cascata, Janelas em mosaico horizontalmente ou Janelas em movimento verticalmente para dispor tods as janelas da forma desejada.


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ALTERAR O TAMANHO DE UMA JANELA
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● - - Para redimensionar uma janela (torná-la maior ou mais pequena), aponte para qualquer limite ou canto da janela. Quando o ponteiro do rato mudar para uma seta de duas pontas (consulte a imagem abaixo), arraste o limite ou canto para encolher ou aumentar a janela.



Arraste o limite ou canto de uma janela para a redimensionar














Não é possível redimensionar uma janela maximizada. Tem de restaurar primeiro o tamanho anterior.


ALTERNARalternar
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ALTERNAR ENTRE JANELAS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
Arraste o limite ou canto de uma janela para a redimensionar Arraste o limite ou canto de uma janela para a redimensionar
● Se abrir mais de um programa ou documento, o ambiente de trabalho pode ficar rapidamente cheio de janelas. Nem sempre é fácil controlar as janelas abertas, visto que algumas podem tapar parcial ou totalmente outras. Utilizar a barra de tarefas A barra de tarefas permite organizar todas as janelas. Cada janela tem um botão correspondente na barra de tarefas. Para mudar para outra janela, basta clicar no respectivo botão na barra de tarefas. A janela é apresentada em frente de todas as outras janelas, passando a ser a janela activa (aquela em que está actualmente a trabalhar). Clicar no botão Calculadora na barra de tarefas coloca a respectiva janela em primeiro plano. Para identificar facilmente uma janela, aponte para o respectivo botão na barra de tarefas. É apresentada uma pequena imagem, chamada miniatura, que mostra uma versão miniaturizada da janela. Esta pré-visualização é especialmente útil se não conseguir identificar uma janela apenas pelo respectivo título. Clicar no botão Calculadora na barra de tarefas coloca a respectiva janela em primeiro plano Aponte para um botão na barra de tarefas para ver uma pré-visualização da janela. Se a barra de tarefas ficar demasiado ocupada com botões, os botões relativos ao mesmo programa serão agrupados num só botão, conforme ilustrado na imagem abaixo. Clique no botão para ver um menu dos itens existentes no grupo e, em seguida, seleccione um item para o tornar a janela activa. Para obter mais informações sobre os botões da barra de tarefas, consulte A barra de tarefas (descrição geral). Três janelas do Paint agrupadas num botão da barra de tarefas Utilizar ALT+TAB Pode passar para a janela anterior premindo ALT+TAB ou percorrer todas as janelas abertas e o ambiente de trabalho mantendo premida a tecla ALT e premindo repetidamente a tecla TAB. Liberte a tecla ALT para mostrar a janela seleccionada. Alternar entre janelas com ALT+TAB Utilizar o Windows Flip 3D. O Windows Flip 3D dispõe as janelas numa pilha tridimensional que pode percorrer rapidamente. Para utilizar o Flip 3D: 1. Mantenha premida a tecla de logótipo do Windows e prima a tecla TAB para abrir o Flip 3D. 2. Mantendo premida a tecla de logótipo do Windows, prima a tecla TAB repetidamente ou utilize a roda do rato para percorrer as janelas abertas. Também pode premir as teclas de SETA PARA A DIREITA ou SETA PARA BAIXO para avançar uma janela ou premir as teclas de SETA PARA A ESQUERDA ou SETA PARA CIMA para recuar uma janela. 3. Liberte a tecla de logótipo do Windows para visualizar a janela que estiver em cima da pilha. Alternativamente, clique em qualquer parte de qualquer janela na pilha para visualizar essa janela. Alternar entre janelas com o Flip 3D Nota - As pré-visualizações do Flip 3D e da janela da barra de tarefas não funcionarão, a menos que o seu computador esteja a executar o Windows Aero, a experiência visual avançada do Windows Vista. O Aero não está disponível no Windows Vista Starter nem no Windows Vista Home Basic. Para mais informações, consulte Como obter o Windows Aero?. Também pode abrir o Flip 3D clicando no botão Alternar entre janelas na barra de tarefas. Em seguida, clique numa janela da pilha para a visualizar, ou clique fora da pilha para fechar o Flip 3D sem alternar entre janelas. Dispor janelas automaticamente Agora que sabe como mover e redimensionar janelas, pode dispô-las como pretender no ambiente de trabalho. Também pode fazer com que o Windows as disponha automaticamente num de três modos: em cascata, em pilha vertical ou lado a lado. Janelas dispostas em cascata (à esquerda), em pilha vertical (ao centro) ou num padrão lado a lado (à direita) Para seleccionar uma destas opções, clique com o botão direito do rato numa área vazia da barra de tarefas e, em seguida, clique em Janelas em Cascata, Mostrar Janelas Empilhadas ou Mostrar Janelas Lado a Lado.
● ●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
ANEXARanexar
●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ANEXAR
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Como enviar um tema ou imagem através de mensagem a qualquer pessoa que tenha e – mail? … É claro que já sabe como enviar uma mensagem. Depois de abrir o correio clica em novo ou nova mensagem e depois de escrever o endereço, isto é o e-mail onde diz para vai depois tratar do anexo: 1 – Clique em anexar (normalmente existe um a figura simbólica que costuma ser um clipe). Depois clica no armazém onde tem o arquivo (arquivo, imagens, etc.). 2 – A caixa de diálogo diz em baixo, à direita, ABRIR. Vai sempre clicando aqui (ABRIR) até chegar ao arquivo pretendendo. Chegado a este clica e o mecanismo de afixar o arquivo ao e – mail começa. Depois de estar pronto para anexar clica em OK ou ANEXAR fica tudo pronto para clicar em ENVIAR ou ENVIAR MENSAGEM segundo a legenda que for. Se a mensagem estiver no formato HTML ou texto sem formatação, os anexos aparecerão na caixa de anexo, sob a linha Assunto. Se a mensagem estiver no formato Rich Text, os anexos aparecerão no corpo da mensagem. Embora o arquivo pareça estar incorporado à mensagem, ele na verdade ainda é um anexo separado. O formato no qual uma mensagem é composta é indicado na barra de título no alto da mensagem Anexar Um Arquivo A Uma Mensagem No menu Arquivo, clique em Novo e depois em Email. Na guia Mensagem, no grupo Incluir, clique em Anexar Arquivo. Na caixa de diálogo Inserir Arquivo, navegue até e selecione o arquivo que você deseja anexar e, em seguida, clique em Inserir. Se não vir o arquivo desejado na pasta apropriada, verifique se a opção Todos os arquivos (*.*) está selecionada na caixa Arquivos do tipo e se o Windows Explorer está configurado para mostrar extensões de nome de arquivo. Dica Também é possível anexar arquivo na guia Inserir da nova mensagem. Importante Por padrão, o Outlook bloqueia anexos possivelmente perigosos (como arquivos .bat, .exe, .vbs e .js) que possam conter vírus. Se você anexar um arquivo como esse a um email, receberá uma pergunta sobre se deseja enviar um anexo possivelmente perigoso. Se você responder Sim, o Outlook enviará o anexo. Se responder Não, você poderá então remover o anexo possivelmente perigoso. Dica Você pode anexar vários arquivos simultaneamente, selecionando-os e arrastando-os de uma pasta no seu computador para uma mensagem aberta no Outlook. Limitações De Tamanho De Anexos O Outlook não impõe qualquer limite de tamanho para os anexos. No entanto, a maioria dos administradores de servidores de email e dos provedores de acesso à Internet (ISPs) estabelecem limites para o tamanho da mensagem geral, que é a soma de todos os anexos com o conteúdo da própria mensagem. Em geral, os serviços de nível premium oferecem mais espaço de armazenamento de arquivos de email e permitem mensagens maiores do que os serviços de nível padrão. Para obter mais informações sobre o tamanho máximo permitido de mensagem, entre em contato com seu provedor de acesso à Internet ou com o administrador do servidor de email de sua organização. Para anexar um arquivo muito grande, você deve comprimi-lo antes usando um programa de compactação. Arquivos do Outlook salvos nos Formatos XML Abertos padrão com as seguintes extensões são automaticamente compactados: .docx, .dotx, .xlsx, .xltx, .pptx, .potx e .ppsx. Problemas Com Arquivos .Zip Quando seus arquivos anexados são compactados e você não espera que sejam, verifique se um utilitário de compactação foi instalado no Outlook como um suplemento de COM. Você pode desativar esse tipo de suplemento executando o seguinte procedimento: No menu Ferramentas, clique em Central de Confiabilidade e, em seguida, clique em Suplementos. Na lista Gerenciar, clique em Suplementos de COM e em seguida clique em Ir. Na caixa de diálogo Suplementos de COM, desmarque a caixa de seleção ao lado do nome do suplemento e clique em OK. Anexar Um Item A Uma Mensagem Você pode anexar itens (item: um item é o elemento básico que contém informações no Outlook (semelhante a um arquivo em outros programas). Os itens incluem mensagens de email, compromissos, contatos, tarefas, entradas de diário, anotações, documentos e itens postados.) e outras mensagens em uma nova mensagem: 1. No menu Arquivo, clique em Novo e depois em Email. 2. Na guia Mensagem, no grupo Incluir, clique em Anexar Item. Na lista Examinar, clique na pasta que contém o item que você deseja anexar. Clique no item desejado e, em seguida, clique em OK. Dica Também é possível anexar um item na guia Inserir da nova mensagem.


ANEXOanexo
●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ANEXO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● [Ing Attachement, [Fr : Annexe, [Esp : Adjunto;]Al Anhang] - é um ficheiro binário convertido ao formato UUU ou NIME e que acompanha um e-mail. É conveniente não abrir os ficheiros anexos a um e-mail quando se desconhece a proveniência. De facto, o mail é actualmente o melhor meio de propagação de virus na internet.


ANSIansi
●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ANSI
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● American National Standards Institute American National Standards Institute ("Instituto Nacional Americano de Padronização"), também conhecido por sua sigla ANSI, é uma organização particular estado-unidense sem fins lucrativos que tem por objetivo facilitar a padronização dos trabalhos de seus membros. Segundo a própria organização, o objetivo é melhorar a qualidade de vida e dos negócios nos Estados Unidos. São conhecidos por terem inúmeros padrões, entre eles o ANSI C que serve como guia na escrita de compiladores e de programas nesta linguagem de programação. Por ser uma entidade padrão de uma economia forte , outras entidades semelhantes no mundo seguem alguns do padrões adotados pela ANSI. Seu equivalente no Brasil seria a ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas.
● ●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
ANTIVÍRUSantivirus
●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ANTIVÍRUS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● O software antivírus é um programa que vem instalado no computador ou que você adquire e instala. Ajuda a proteger seu computador contra a maioria dos vírus, worms, cavalos de Tróia e outros invasores indesejados que possam deixar seu computador "doente".

APAGARapagar
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
APAGAR UM CARÁCTER À ESQUERDA E À DIREITA DO CURSOR ●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Caracteres são símbolos incluindo as letras do alfabeto, números, sinais de pontuação e símbolos matemáticos. Se carregar na tecla Backspace (espaço à retaguarda), apagará o carácter situado à esquerda do cursor.A tecla BACKSPACE (espaço à retaguarda), é uma tecla existente, normalmente, imediatamente paralela aos Fs (F10, F11...) e que tem uma pequena seta orientada para trás. Se carregar na tecla DELETE (apagar) apagará o carácter situado à direita do cursor.O cursor é aquele tracinho vertical que pisca constantemente.

APCapc
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
APC
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Fundada em 1981 por três engenheiros electrotécnicos provenientes do MIT, a APC (American Power Conversion) foi criada para oferecer soluções para protecção de sistemas eléctricos dos perigosos picos de tensão.
ver PROTECÇÃO DO PC DA CORRENTE ELÉCTRICA


APRENDERaprender
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
APRENDER A TRABALAHR COM O RATO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
http://windowshelp.microsoft.com/Windows/pt-PT/Help/cb8832d2-3cb8-44a5-9636-eef74a92a3c02070.mspx

● ARMAZENAMENTOarmazenamento
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
ARMAZENAMENTO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● De forma geral, armazenamento é o ato ou efeito de armazenar, guardar, juntar qualquer coisa em algum lugar de forma que seja possível resgatá-la, consultá-la, usá-la ou consumi-la posteriormente. Pode-se armazenar diversos produtos, desde sólidos, líquidos ou gases. Na informática chamamos de armazenamento o acto de armazenar informações em algum dispositivo físico. Um dispositivo de armazenamento é um hardware capaz de armazenar informação. -


ARQUIVOarquivo
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ARQUIVO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (gíria) - Um documento de texto, de imagem ou de outro tipo de dados.


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ARQUIVO SIG
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (gíria) - Abreviatura de “Signature file”, que significa arquivo de assinatura.


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ARQUIVO DE ASSINATURA
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
●(conversação) - Um pequeno arquivo em formato de texto simples que pode ser acrescentado no fim de todas as suas mensagens de correio electrónico e de notícias. Estes arquivos devem ser pequenos! Se o seu arquivo tiver mais do que cerca de cinco linhas, é provável que irrite as pessoas, sobretudo se passar muito tempo mandando mensagens para grupos de notícias.


ATALHOatalho
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ATALHO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (Ing hortcut) 1. (de computador) - Ficheiro que contém apenas a localização de outro ficheiro no computador. 2. (de teclado) – Combinação de teclas que permite melhor acesso a um comando ou operação.
● ●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
ARRANQUEarranque
●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ARRANQUE, PROBLEMAS DE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
●ver RESOLVER PROBLEMAS DE ARRANQUE

AUMENTARaumentar
●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
AUMENTAR OU DIMINUIR AS JANELAS DO WINDOWS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● O WINDOWS diferencia os diversos tipos de janelas. As mais importantes são as JANEAS DE PROGRAMAS, nas quais os programas de aplicação são executados. Os programas que trabalham com documentos dispõem adicionalmente de uma JANELA DE DOCUMENTOS. Para que possa alterar o tamanho de uma JANELA DE DOCUMENTO ou de uma JANELA DE PROGRAMA, várias possibilidades se encontram disponíveis. Nesta secção trataremos da alteração de tamanho através dos botões de comando da barra de título (Fig. 32). Antes que possa personalizar o tamanho da janela, deverá certificar – se se a janela em questão se encontra activa. No WINDOWS só uma janela poderá estar activa. Todos os registos e comandos irão incidir sobre esta janela. Para ter mais que uma janela simultaneamente activa, terá de diminuir o tamanho de cada uma delas. Activar Janelas De Documentos E Programas Para que possa activar uma JANELA DE DOCUMENTO ou uma JANELA DE PROGRAMA deverá efectuar clique sobre um sítio livre dentro da janela ou sobre a sua barra de título. Esta será então realçada por meio de uma coloração. Caso a barra de título não se encontre visível, deverá efectuar clique sobre o botão de comando da janela na barra de tarefas, que se encontra na porção inferior do ecrã. Botões Para Alteração Do Tamanho 1. Botão Fechar – As caixas de diálogo ou comunicados de confirmação não dispõem de um botão de comando para a alteração de tamanho. Estes botões seriam totalmente supérfluos para este tipo de janela. O botão de comando FECHAR (sinal x dentro deu um quadradinho ao cimo do lado direito da barra de título – fig 33), estará contudo disponível para todo o tipo de janela. Através dele qualquer janela poderá ser fechada. 2. - Botão Maximizar – Do lado esquerdo encontra – se o botão de comando Maximizar (Fig. 34). Através dele a janela activa será aumentada e ocupará todo o ecrã. 3. Botão Restaurar – Nas janelas já maximizadas, o botão de comando MAXIMIZAR será substituído pelo botão RESTAURAR. Através dele as janelas maximizadas poderão readquirir o seu tamanho anterior. 5. - Botão Minimizar – Através do botão de comando MINIMIZAR (Fig. 36) uma janela aberta será colocada na barra de tarefas, na parte inferior do ecrã, sob a forma de um botão de comando. A janela desaparece mas o programa não é encerrado. As janelas minimizadas escondem – se num plano secundário. Se fizer clique sobre o botão de comando na barra de tarefas, a janela retomará o seu tamanho anterior. Alteração Do Tamanho De Janelas Através Da Moldura Para proceder a alterações no tamanho da janela de UMA JANELA DE DOCUMENTO ou de uma JANELA DE PROGRAMA contará com várias possibilidades. Nesta secção, trataremos de alterações de tamanho através da moldura e dos cantos das janelas. 1. Moldura E Cantos – As JANELAS DE DOCUMENTOS e as JANELAS DE PROGRAMAS encontram – se sempre delimitadas por uma moldura de janela. Através dos cantos da moldura e dos cantos das janelas poderá alterar a largura e a altura da janela através do rato. Para tal, aponte com o cursor do rato para um lado vertical de uma janela. A forma do cursor do rato altera – se para uma seta dupla ↔ (Fig. 37) 2. – Tocar Moldura Da Janela Deverá apontar para um lado da moldura da janela para “tocá – la” e, com o botão do rato premido, aumentar ou diminuir a largura. Para tal, deverá apenas deslocar o rato para a direita ou para a esquerda. Já no momento da alteração de tamanho, o novo tamanho da janela será mostrado. Para determinar a nova largura da janela, basta que largue o botão do rato. (Fig. 37) 3. – Alteração Da Altura Para proceder a uma alteração da altura de uma janela, aponte com o cursor do rato para um lado horizontal da moldura da janela em questão. A forma do cursor do rato modifica – se para uma SETA DUPLA vertical ↕. Através desta forma de cursor, poderá “agarrar” um lado da moldura da janela e, com o botão do rato premido, alterar a sua altura. (Fig. 38) 4. - Alterar Altura e largura Se deseja alterar simultaneamente a largura e a altura de uma janela, utilize um dos cantos da janela. O cursor do rato adquire a forma de uma seta dupla diagonal. Com o botão do rato premido poderá alterar simultaneamente a altura e a largura de uma janela. O novo tamanho da janela será mostrado imediatamente e permanecerá quando largar o botão do rato (Fig. 39) A alteração do tamanho de uma janela através da sua moldura ou dos seus cantos não será obviamente possível no caso de janelas maximizadas. As janelas maximizadas poderão ser diminuídas através do botão de comando MINIMIZAR

BBBBB


BACKBONEbackbone
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
BACKBONE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● BACKBONE (hardware)



Na Internet circulam constantemente muitas informações e as vias mais importantes e que transportam a maior parte do tráfico (que oferecem o desempenho mais elevado) são designadas por “backbone” (espinha dorsl).


BAIXARbaixar
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●● ●●●●●● ●●●●●●

BAIXAR
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (Ing. download). Acto de transferir cópias de um arquivo ou programa de um site ou de uma página da Web do servidor para o computador do usuário. Cf. Upload.Upload


BANNERbanner
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
BANNER
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (norma/formato) - Uma tira estreita com mensagens de texto e imagens, muitas vezes animada, visualizam em sites, funcionam como um anúncio a outro site ou a um produto que está à venda.
É pois um típico aviso rectangular colocado num site da Web, por cima, por baixo ou dos lados do conteùdo principal do site ligado (linked) ao anunciante no site. No início da Internet, os banners constuía ajuda com texto e gráfico. Hoje com a tecnologia como Flash, p. e., os banners tornaram-se muito mais complexos e podem ser constituídos por texto, gráficos de animação e som. A maior parte dos anunciantes comerciais usam banners.


BANCObanco
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
BANCO DE MEMÓRIA RAM
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● - Ranhura onde encaixa a memória: Suporte físico dos circuitos de memória que são inseridos no interior do computador. Pode ser de diferentes formatos: SIPP, SIMM, DIMM, etc.


BARRAbarra
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
BARRA DE TAREFAS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
UTILIZANDO A BARRA DE TAREFAS A barra de tarefas é a barra localizada na parte inferior da tela e que contém alguns ícones que tornam a utilização do seu sistema mais fácil. Na barra de tarefas localiza-se também o botão i que contém atalhos para todas suas aplicações. Os applet encontrados na barra permitem que você realize tarefas específicas ou monitore seus sistema ou serviços quando estiverem minimizados ou em segundo plano. Na área da notificação (localizada ao lado do relógio) localizam -se ícones de alertas de modo que você possa rapidamente tomar conhecimento das mensagens críticas. Usando O Botão i Pode clicar sobre o botão i para que apareça um menu permitindo que você abra as aplicações em seu sistema. Neste menu, você pode iniciar a maioria das aplicações incluídas no Insigne GNU/Linux. Observe que, além das aplicações do menu principal, você pode também abrir aplicações adicionais dentro de cada sub-menu. Estes sub-menus lhe dará acesso a diversas aplicações de seu sistema. Do botão i, você também pode sair do sistema, abrir aplicações e arquivos de comando, localizar arquivos, e travar sua tela (que funciona como uma proteção de tela protegida por uma senha). Usando Applets Os applets são as aplicações pequenas que funcionam na barra de tarefas. Os applet nos permite monitorar vários aspectos do sistema. Alguns applets executam tarefas úteis enquanto outros são para entretenimento. Alternador de Desktop O alternador de desktop possibilita utilizar espaços de trabalho múltiplos assim você não tem que ter todas suas aplicações em apenas um desktop evitando assim que as aplicações se aglomerem no desktop. O Alternador de Desktop é representado em quadrados pequenos e mostra as aplicações que funcionam nelas onde cada quadrado é um desktop (ambiente de trabalho). Clique sobre um dos quadrados com seu mouse para mover-se para esse desktop. Você pode também usar o atalho do teclado [Crtl]+[Alt]+[seta esquerda] ou [Crtl]+[Alt]+[seta direita] ou [Crtl]+[Alt]+[seta para cima] ou [Crtl]+[Alt]+[seta para baixo]. Lista De aplicativos Ao lado do alternador de tarefas está a lista de aplicativos. A lista de aplicativos é um applet que mostra a você os títulos das aplicações que estão abertas, minimizadas ou em segundo plano. Isto é muito útil se você decidir minimizar uma aplicação porque dará a impressão de ter desaparecido do desktop. Uma vez que desaparece, você pode trazê-lo para frente clicando em seu título na lista de aplicativos. Utilizando A Área De Notificação A área de notificação, nesta área da barra de tarefas encontraremos pequenos ícones referente a avisos do sistema ou rápidos acessos a aplicativos que trabalham em plano de fundo. Ferramenta Controle De Volume Ícone de Autenticação O ícone de uma chave que às vezes aparece na área de notificação, indica que está sendo realizada uma função que exige autenticação ou seja apenas pode ser realizada pelo usuário root (tal como funcionar uma ferramenta gráfica de configuração de sistema). Esse ícone irá desaparecer quando cessarem as funções que exigem autenticação do super-usuário(root). Ícone de Notificação Da Impressora O ícone de notificação da impressora permite que você controle seus trabalhos de impressão, clique sobre o ícone para ver os trabalhos que estão na fila de impressão, para cancelar os trabalhos clique com o botão direito no trabalho e selecione cancelar. Se você não puder ver alguns dos ícones de notificação, sua área de notificação foi removida do painel desktop. Para adicioná-la clique com o botão direito na barra de tarefas e selecione adicionar ao painel => utilitário => área da notificação. Adicionando Ícones E Applets Ao Painel Para personalizar a barra de tarefas, você pode adicionar mais applet e ícones. Para adicionar um applet a barra de tarefas, clique com o botão direito do mouse em uma área não utilizada na barra de tarefas, selecione adicionar ao painel, e escolha dos vários tipos de applets. Quando você selecionar um applet, aparecerá em seu painel. Na Figura 2-8, o applet relatório meteorológico foi adicionado para mostrar o tempo e a temperatura . Figura 2-8. O applet do relatório meteorológico Para adicionar um ícone na barra de tarefas, clique com o botão direito do mouse em uma área não utilizada na barra de tarefas e selecione adicionar ao painel => lançador.... Isto lançará uma caixa de diálogo, este diálogo permitirá que você entre com o nome da aplicação, da posição e do nome do comando que inicia a aplicação (tal como /usr/bin/foo), e escolha um ícone para a aplicação. Com o clique em Ok o novo ícone aparecerá no painel. Dica Uma outra maneira rápida e fácil de adicionar um ícone á barra de tarefas é, cilcando com o botão direito em uma área não utilizada da barra de tarefas e escolher adicionar ao painel => lançador a partir do menu. Selecione então uma aplicação que apareça no menu. Isto adicionará automaticamente um ícone na barra de trabalho. Configurando A Barra De Tarefas Você pode esconder a barra de tarefas automaticamente ou manualmente, colocá-la em toda a borda de seu desktop, mudar seu tamanho e cor, e mudar a maneira que se comporta. Para alterar o padrão da barra de tarefas, clique com o botão direito em uma área não utilizada da barra de tarefas e selecione propriedades. Você pode ajustar o tamanho da barra de tarefas, sua posição no desktop, e se você quiser a barra de tarefas pode ser escondida automaticamente quando não estiver em uso. Se você escolher que ela se esconda a barra de tarefas, não aparecerá no desktop até que você mova seu ponteiro do mouse sobre a área da barra de tarefas parando sobre o local onde ela se encontrava. Usando O Nautilus O desktop gráfico inclui um gerente de arquivos chamado Nautilus. O Nautilus dá uma exposição gráfica de seus sistema e arquivos pessoais e ainda permite que você configure seu desktop, configure seu sistema Insigne GNU/Linux, manuseie sua coleção de foto, busca recursos da rede, e mais. Trabalhar no Nautilus é fácil e fornece uma alternativa para procurar os vários sub-menus do botão i ou usar um prompt do shell para navegar no sistema de arquivos. As seguintes seções explicam como utilizar o Nautilus e realçar a sua experiência no desktop. Para abrir o Nautilus como um gerente de arquivo, dê um clique duplo no ícone pasta pessoal do root: FIGURAaqui Uma vez que o Nautilus aparece, você pode navegar em seu diretório home ou nos outros arquivos do sistema. Para retornar a seu diretório home, clique no botão home. A janela do nautilus contém os diretórios e os arquivos que você pode arrastar com seu mouse para movê-los ou copiá-los para novas posições. Você pode abrir uma nova janela do Nautilus selecionando arquivo => nova janela. Uma vez que você tem uma outra janela do Nautilus, você pode arrastar e soltar arquivos e diretórios em diretórios diferentes. Por padrão, arrastar um arquivo de um diretório a outro move o arquivo. Para copiar um arquivo a um outro diretório, pressione [Ctrl] ao arrastar e soltar o arquivo. Por padrão, os arquivos de imagem em seu diretório home serão vistos como pequenas imagens. Para arquivos de texto, será visto o texto em pequenos ícones isto significa que você vê uma parcela do texto real no ícone. Para imagens, você vê uma versão minimizada (imagem em tamanho reduzido) da imagem. Para desativar este recurso, selecione editar => preferências. Selecione a aba Pré -Visualização, a seguir selecione nunca nos campos exibir miniaturas de imagens e exibir texto nos ícones. Desativando estes recursos aumentara a velocidade do Nautilus. Começe Aqui Através do Comece aqui você tem acesso a todas as ferramentas e aplicações que você necessita abrir ao usar seu sistema. De suas aplicações favoritas às ferramentas do sistema e de configuração, a janela comece aqui fornece uma posição central usando e personalizando seu sistema. Você pode abrir comece aqui com um clique duplo no ícone comece aqui localizado no desktop. O comece aqui inclui os ícones que permitem que você abra suas aplicações favoritas, preferências do desktop, artigos do botão i, ferramentas de configuração do usuário, e ajustes do sistema. Personalizando O Desktop No comece aqui, você pode selecionar o ícone preferências para configurar seu desktop, que o apresenta com uma grande seleção de opções de configuração. As seguir veremos algumas das opções e das ferramentas em cada área Fundo Você pode configurar seu fundo com cores novas ou uma imagem nova. Para aprender mais sobre a configuração de seu fundo de desktop, consulte à Seção 2.4.1.1 Mudando o Fundo do Seu Desktop ( logo abaixo) . Som Nesta seção você pode configurar os sons do sistema associados com as várias funções. Para o exemplo, você pode configurar o som que toca quando você loga no seu desktop. Atalhos do Teclado Você pode configurar os atalhos pressionando uma combinação de teclas no teclado para executar ações dentro de uma aplicação ou em seu desktop. Para o exemplo, você pode configurar um atalho para mover-se de seu espaço de trabalho atual para o espaço de trabalho 2 pressionando [Crtl]+[Tab]. MUDANDO O FUNDO DO SEU DESKPOT Para personalizar o seu desktop alterando o fundo de tela, Plano de Fundo. Você pode escolher uma das diversas imagens de fundo incluídas Insigne GNU/Linux no diretório de /usr/share/backgrounds/, ou você pode usar sua própria imagem. Para iniciar a ferramenta Plano de Fundo, clique com o botão direito do mouse no desktop e selecione Alterar Fundo de Tela. Você pode também dar um clique duplo no ícone Comece Aqui abrir a opção Preferências e selecionar Plano de Fundo . Figura 2-10. Plano De Fundo A ferramenta Plano de Fundo permite que você substitua o plano de fundo por outra imagem a sua escolha, a Insigne GNU/Linux disponibilizou algumas imagens no diretório(/usr/share/backgrounds/images/). Você pode também escolher qualquer outra imagem, como por exemplo uma imagem do seu próprio diretório de imagem. Há diversas opções adicionais para indicar sua imagem de fundo. A opção Papel de Parede multiplica a sua imagem até preencher todo o desktop, este recurso é útil se você usar uma imagem pequena. A opção centralizado coloca sua imagem no centro do desktop, preenchendo todo o espaço restante do desktop com a cor padrão de fundo. Para preencher o desktop com uma única imagem , utilize as opções dimensionado ou estendidos. Figura 2-11 mostra uma imagem de fundo, nela foi utilizado o recurso estendidos para encher o desktop inteiro. Figura 2-11. O Desktop Com um Novo Fundo Se você quiser criar um fundo com suas próprias cores sem nenhuma imagem, escolha a opção Sem Figura, e ajuste suas cores usando as opções cor superior e cor inferior também é possível definir a ordem das cores em gradiente. Clique em Fechar para que salve as modificações e saia da ferramenta Plano de Fundo. 2.4.2. Personalizando Seu Sistema O comece aqui contém as ferramentas adicionais de configuração que lhe ajudam com seu sistema Insigne GNU/Linux e as aplicações do usuário incluídas. O ícone Configurações do Sistema inclui as ferramentas que lhe ajudam a ajustar seu sistema para o uso diário pessoal. A seguir algumas das ferramentas incluídas Configurações do Sistema e o que você pode fazer com elas. Data & Hora Esta ferramenta permite que você ajuste a data e a hora de sua máquina. Você poderá ajustar também sua informação de zona e tempo. Consulte o Capítulo 3 Configurando a Data e a Hora para detalhes de como usar esta ferramenta. Detecção De Placas de Som A ferramenta Detecção de Placas de Som sonda sua máquina para localizar dispositivos de som disponíveis. Consulte à Seção 9.3 Pesquisando Padrões de sua Placa de Som para mais detalhes. Usuários & Grupos A ferramenta Usuários e Grupos permite que você adicione e remova usuários de seu sistema. Consulte à Seção 1.6 Criando um Cliente do Usuário para mais detalhes. Impressora A ferramenta de configuração da impressora permite que você adicione uma impressora nova a seu sistema. A impressora pode ser conectada a sua máquina ou disponível em uma rede. Consulte ao Capítulo 8 Configuração da Impressora para maiores detalhes. Você também pode encontrar ferramentas de configuração do usuário em comece aqui, dependendo do que foi instalado e o tipo que você especificou durante a instalação. Estas ferramentas ajudam-lhe a configurar serviços e aplicações que você está utilizando na máquina local para servir a outras máquinas. As ferramentas de configuração do usuário são encontradas clicando no ícone configuração do sistema e então no ícone ajustes do usuário. Alguns exemplos das ferramentas encontradas nesta área são ferramenta da configuração do HTTP e ferramenta da configuração do ligamento. Você deve ter aquelas aplicações do usuário instaladas antes que estas ferramentas apareçam nesta seção.


BARREIRAbarreira
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
BARREIRA DE PROTECÇÃO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (técnica) - Uma barreira de protecção (Firewell) é um sistema combinado de hardware e software colocado entre a rede local (ou um computador existente numa casa equipada com ADSL) e a Internet, destinado a impedir o acesso não autorizado de intrusos da Internet.


BASEbase
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
BASE64
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● BASE64 (norma/formato) - Um método de codificação de arquivos binários para transmissão na Internet.


BATCHbatch
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
BATCH
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Método que consiste em seleccionar vários ficheiros para os transferir em conjunto numa única palavra passe.


BAUDbaud
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
BAUD
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (gíria) - A definição técnica de velocidade de transmissão em baud é “o número de mudanças de estado que podem ser enviados através de um circuito de comunicações por segundo” e é geralmente utilizada com “bits por segundo” como uma unidade de medida da velocidade dos modems. Como exemplo, divida a velocidade de transmissão em baud por 10 para calcular a velocidade em bytes por segundo.


BBCbbc
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
BBC
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
●(organização) - A British Broadcasting Corporation tem uma grande variedade de sites e serviços que cobrem a amplitude dos seus programas de televisão e campanhas. Consulte www.beeb.com para obter informações sobre o entretenimento em geral e www.bbc.co.uk para obter uma listagem completa e as últimas notícias.


BFNbfn
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
BFN
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
●(conversação) - Abreviatura de “Bye For Now”, o equivalente ao nosso “Até à próxima”.


BIGbig
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
BIGFOOT
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (organização) - Um dos grandes sites verdadeiramente grandes que apareceram para ajudar as pessoas a localizar endereços de correio electrónico e outros endereços da Internet (www.bigfoot.com). Bastante voltado para os Estados Unidos, como seria de esperar, mas ainda assim, muitas vezes útil.


BINARIESbinaries ●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
BINARIES
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (gíria) - Um termo comum utilizado para designar grupos de notícias (newgroups) que têm uma grande quantidade de imagens associadas a mensagens (sendo uma imagem um arquivo binário). De modo geral esta palavra é utilizada para designar um arquivo binário, por exemplo, um programa executável.


BITbit
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
BIT
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Cada 1 ou 0 que é processado e armazenado chama-se bit, contra cão de binary digit ou “dígito binário”. Um bit é a mais pequena unidade de informação que um computador pode tratar.

●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
BIT TIME
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● O tempo bit (Ing Bit time - Al Bitzeit - http://www.dict.cc/german-english/Bitzeit.html) é o intervalo de tempo que um bit demora a percorrer a distância entre o emissor e o receptor. Corresponde ao intevalo interbit, da distância entre dois bits ou seja o tempo de percurso entre dois bits. - http://de.wikipedia.org/wiki/Bitzeit


BITMATbitmat
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
BITMAP
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (Alemão : Punktegrafik) As imagens formato bitmap são constituídas por um sem número de pontos (pixels). Permitem obter muito bons detalhes ao nível do grafismo mas aceitam mal ampliação (ao contrário das imagens vectoriais) e são muito gulosos ao nível do tamanho...

BLOCObloco
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
BLOCO NOTAS 1
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (Ing Note Pad) É um simples editor de texto que tem sido incluído em todas as versões Microsoft Windows desde a versão 1.0 em 1985. O Bloco de notas é um editor de textos básico que pode ser utilizado para criar documentos simples. O uso mais comum do Bloco de notas é exibir ou editar arquivos de texto (.txt), mas muitos usuários o consideram uma ferramenta simples para criar páginas da Web. Como o Bloco de notas oferece suporte apenas a uma formatação muito básica, não é possível salvar acidentalmente uma formatação especial em documentos que devem permanecer como texto puro. Isso é especialmente útil ao criar documentos HTML para uma página da Web, uma vez que os caracteres especiais ou outra formatação não podem aparecer na página da Web publicada, pois podem até causar erros. Pode salvar os arquivos do Bloco de notas como Unicode, ANSI (ver), UTF-8 ou Unicode big endian. Esses formatos oferecem maior flexibilidade quando você trabalha com documentos que utilizam diferentes conjuntos de caracteres.
● ●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
BLOCO NOTAS 2
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● ver BLOCO NOTAS MYNOTE
● ●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
BLOCO NOTAS MYNOTE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● O MYNOTE Premium é um periférico, uma placa digital ou tablet ligeiramente maior do que o bloco A4, onde pode escrever notas, apontamentos ou até gráficos e desenhos tal como num bloco vulgar A4, com uma caneta igual a uma esferográfica passando depois, tal como está no papel, para o computador. Coloca-se na placa o bloco de papel onde se escreve e desenha-se com a caneta que faz parte do conjunto. Fica tudo armazenado em formato digital na memória do MYNOTE de 32 megas, equivalente a cem páginas, mas expansíveis com cartões SD. Liga-se ao PC pela porta USB e os ficheiros são transferidos para um documento Word, TXT, PDF ou email. Possui software de reconhecimento para 13 idiomas incluindo o Português, Francês, Inglês, Espanhol, Alemão, Italiano, Chinês e Japonês. Tem autonomia para 12 horas e precisa pilhas.


BUSbus
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
BUS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (Abrev de : omnibus) Corresponde à linha seguida pelos autocarros para fugir aos
engarrafamentos de trânsito: Supporte de transferência de informação entre os diferentes conjuntos de um computador Da sua amplitde em bits e da sua frequência depende a sua rapidez. Há bus de dados internos na placa-mãe e bus d'extensões ISA, PCI, AGP ou VLB..
Uma colecção de fios através da qual a informação (data) é transmitida, de um computador para outro.
Podemos imaginar o bus como uma auto-estrada, uma via através da qual o data se desloca dentro de um computador.
Quando referido ao computador pessoal, o termo bus refere-se ao bus interno. Liga todos os componentes internos do computador ao CPU e à memória principal.
Há também um bus de expansão que possibilita placas de expansão para aceder ao CPU e à memória.
Todo o bus consiste num bus de endereço e num bus de informação (data) O data bus transfere o data actual e o bus de endereço transfere informação (data) em todo o seu itinerário, isto é, para todo e qualquer destino para que se dirija.
O tamanho de um bus, identificado pela sua largura, é importante já que determina a quantidade de data que pode ser transmitida ao mesmo tempo. Por exemplo, um bus de 16 bits está apto a transferir 16 bits de data, enquanto que um bus de 32 bits pode transmitir 32 bits.
Todo o bus tem uma velocidade relativa, velocidade de relógio ( Ing clock speed), medida em MHz. Um bus rápido permite que o data seja transferido mais depressa, donde reseulta uma maior celeridade das aplicações. Nos PCs, o velho bus ISA está a ser substituído por buses mais rápidos tais como o PCI.
Por exemplo o bus PCI trabalha a uma velocidade de relógio de 33 MHz e um bus de 32 bits, chegando a taxas de transferência de 132 mbps (megabytes por segundo), enquanto o bus AGP o faz na mesma velocidade que a placa base: 66 MHz ou 100 MHz, mantendo o bus de 32 bits.
Quase todos os PCs incluem hoje um bus local para o data que exige velocidades de transferência especialmente rápidas, tais como os data de vídeo. O bus local é um atalho de alta velocidade ligado directamente ao processador. O Apple Macintosh, por exemplo, usa vários tipos diferentes nos seus computadores.
(2) Numa rede, um bus é um cabo central.


BYTEbyte
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
BYTE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● - Um conjunto de oito bits forma um byte





●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
BYTE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Para medir o tamanho de um livro as pessoas usualmente referem-se a páginas: um livro de 230 páginas, outro livro de 540 páginas. Para textos mais curtos, pode-se usar:
várias “unidades”: parágrafos, palavras ou letras. Um telegrama por exemplo, é cobrado por
palavra (ou letra). Ás vezes, algum questionário ou resumo (em conferências, por exemplo)
tem de ser preenchidos de tal forma que o texto não pode ultrapassar um certo número de palavras.
No computador, a unidade mais comum para medir o tamanho de um arquivo é o
“byte”. Apesar de ter uma definição técnica, o byte é mais bem compreendido através da comparação entre diversos dispositivos e arquivos:
No Windows, para saber o tamanho de um arquivo ou pasta:
· abra o Windows Explorer (ou “Meus Documentos”),
· selecione a pasta onde está o arquivo ou pasta,
1. Se for um arquivo: o programa usualmente exibe o tamanho do arquivo. Caso isto
não aconteça, na barra de ferramentas, na opção “Exibir”, selecione o item
“Detalhes”.
2. Se for uma pasta: clique com o botão direito do mouse sobre a pasta, na janela de
diálogo escolha o último item “Propriedades”. O tamanho da pasta será exibido.

Dispositivo Capacidade
(ordem de grandeza)

Valor típico:
. Disco Rígido Gigabyte, Gb 20Gb (ano 2005)
. Memória RAM Megabyte, Mb 128Mb (ano 2005)
. CD Megabyte, Mb 650Mb
. Disquete Megabyte, MB 1,4Mb
. Arquivo Word

(apenas texto, uma página)

Kilobyte, Kb 20Kb
Prefixo Potência de dez Alternativa
Giga 10 9 Bilhão
Mega 10 6 Milhão
Kilo 10 3 Mil


BYTESbytes
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
BYTES
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
Os bytes são utilizados como unidade de medida para a quantidade de informação que um determinado suporte pode armazenar.


CCCCC



CACHEcache
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●
CACHE (software)
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Espaço de memória onde são registados temporariamente os dados.
A “cache” é uma área de espaço em disco atribuída pelo browser (navegador), que é utilizada para guardar páginas Web, imagens etc., a partir das páginas que visitou. Quando consultar a página novamente, o browser verifica junto ao servidor remoto se a página foi utilizada desde a sua última visita. Em caso afirmativo, os novos arquivos serão descarregados a partir do servidor. Em caso negativo, os antigos arquivos são apresentados a partir da cache, o que aumenta consideravelmente a velocidade com que podem ser apresentados. Para que a cache não cresça indefinidamente, os browsers permitem a definição de um limite para o tamanho máximo dos arquivos da cache. No IE (Internet Explorer), poderá encontrar estes controles em Ferramentas > Opções Internet > Geral, na caixa “Arquivos Temporários da Internet”. Os usurários do Netscape (organização) Comunicater devem seleccionar Editar > Preferência > Avançado > Cache.


CHATchat
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CHAT
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Conversa em linha (ing online) em tempo real (Ing real time) em salas virtuais ((Ing chat rooms).
Os programas de chat permitem um intercâmbio directo com outros utilizadores da Internet.


CAIXAcaixa
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CAIXA DE DIÁLOGO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Uma caixa de diálogo é um tipo especial de janela que lhe coloca uma pergunta, permite seleccionar opções para efectuar uma tarefa ou fornece informações. Irá ver caixas de diálogo frequentemente quando um programa ou o Windows necessitar de uma resposta sua para continuar.. Fig. Caixa de diálogo Fig. Caixa de diálogo Contrariamente às janelas regulares, não é possível maximizar, minimizar ou redimensionar a maior parte das caixas de diálogo. No entanto, estas podem ser movidas.


CÂMARAcâmara
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CÂMARA
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●





((Espanhol : cámara web)






● Webcam - Câmara que fornece imagens em directo para um site (sítio) da Web: chamamos-lhe também Livecam ou Netcam.





CANETAcaneta
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CANETA RATO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Ver Lght Pen

● CANNEDcanned
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CANNED SOFTWARE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Será um programa ou série de programas para usar sem terem de ser alterados. Muitos destes programas incluem instruções codificadas para prevenir cópias (copyng) , portanto alterações são extremamente difíceis de executar, senão impossíveis
Portanto, vai a uma casa de artigos de informática e compra software empacopatado (pré-fabricado) contrário daquele software que alguém (o criador do produto Ing Developer - v.)poria à sua dispoíção para as suas necessidades e não para a generalidade dos usurários.


CAACTEREcaractere
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CAACTERE
●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Qualquer número, símbolo, letra do alfabeto, sinal de pontuação etc. que se possa fazer aparecer na tela do computador usando seu teclado (denominação genérica) (é, originalmente, a palavra caráter-caracteres degradada por suposta especialização).


CARREGADORcarregador
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CARREGADOR
●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● v. WILDCHARGE


CASSETTEcassette
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CASSETES
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● ver CONVERSÃO DE DISCOS E CASSETES EM CDs


CAVALOcavalo
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CAVALO DE TROIA
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
Identificar trojans e desinfectar o computador Já lhe aconteceu estar a navegar na Internet e ver abrir-se inadvertidamente uma nova janela de publicidade ou conteúdo pouco recomendável? Provavelmente o seu computador foi invadido por um trojan («cavalo de tróia»), que se alojou numa qualquer pasta do Windows e está a intrometer-se insistentemente no seu percurso pela web. Pois bem: para resolver este problema será necessário seguir os seguintes passos: 1—Instalar o Ad-Aware 6 da Lavasoft Sweden (gratuito); 2—Fazer correr o programa para executar um exame ao sistema; 3—Apagar os spywares encontrados; 4—Identificar o nome e o caminho do trojan (geralmente, trata-se de um ficheiro do tipo EXE que fica armazenado na pasta O meu computador/Windows/system32; 5—Verificar a data do ficheiro (certifique-se de que se trata, realmente, do ficheiro identificado pelo Ad-Aware) e removê-lo definitivamente.


CcCc
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
Cco(hardware)
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Por ex: "Não use o campo "Cc:" (com cópia), use sempre o campo "Cco:" (com cópia oculta)".

(Fr : Copie Conforme - cópia exacta)
(Ing: Courtesy Copy ou Carbone Copy - cópia de cortesia ou cópia de carbono).
Ao enviar uma mensagem pode definir vários outros destinatários em cópia (o carbono é uma imagem metafórica referente ao chamado papel-carbono ou papel químico utilizado para tirar uma ou várias cópias dum documento escrito à máquina de escrever).
Ver tb. Cco


CCDccd
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CCD
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (hardware) Sigla de “charge-coupled device” (dispositivo de acoplamento de carga). Trata-se de um componente electrónico que converte a luz em informações digitais. É utilizado em Webcams, bem como em outros dispositivos de imagens digital (scanners, câmaras digitais, etc.).


CcoCcc
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
Cco(hardware)
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Por ex: "Não use o campo "Cc:" (com cópia), use sempre o campo "Cco:" (com cópia oculta)".
Ing Bcc (blind carbon copy ou blind courtesy copy )- refere-se à prática de envio de uma mensagem para vários destinatários de modo que o que eles recebem não contém a lista completa dos destinatários mas sim só aquelas que o remetente quer dar a conhecer.
Ver tb. Cc


CICLOciclo
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CICLO DE RELÓGIO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (Ing clock tick) A mais pequena unidade de tempo reconhecida pelo CPU (ver).


CDcd
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CD
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
●Compact disc


- - Um meio de armazenamento óptico inventado pela Philips e pela Sony. Utilizado primeiro no domínio da alta-fidelidade (hi-fi) nos anos 80, (CD-Áudio), apareceu a pouco e pouco na informática (CD-ROM, CD-RW, CD-ROM MultiRead…), tendo-se tornado imprescindível.


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CD E DWD
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Linguagem digital * CD – só dados - Só áudio - Só imagem (sem movimento) - Áudio + imagens virtuais (vulgo, jogos) * CD-R – só aceita uma gravação * CD – ROM – hardware (leitor de CD) é um d r i v e.


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CD-RW
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● regravável – alternativa à disquete - Grava; pode ser apagado e regravado ● ●●●●● ●


●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CD-R + ou – RW tipo ou modo de gravação
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● alternativa à disquete


CELLOcello
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CELLO (software)
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Um dos primeiros browsers a aparecer, mesmo antes do Mosaic. Inovador no seu tempo, mas que actualmente não tem qualquer utilidade.


CERNcern
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CERN
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (organização) - O CERNE (Centre Européen pour la Recherche Nucléaire) é o Laboratório Europeu de Física Nuclear, situado junto à fronteira franco-suiça. No fim dos anos oitenta, este laboratório desenvolveu um sistema para a apresentação e ligação de documentos na Internet, com o intuito de melhorar a comunicação e facilitar o trabalho de seus investigadores. Após a conclusão do projecto, o servidor e as respectivas normas tornaram-se públicos e foi assim que nasceu a Web. Poderá encontrar o CERN na Internet em www.cern.ch.


CERTIFICADOcertificado
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CERTIFICADO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (norma/formato) - Um certificado é um arquivo utilizado em ligações de segurança para autenticar um servidor para um cliente. Isto significa que pode ligar-se ao seu banco, efectuar transacções financeiras e ter a certeza (tanto quanto possível) de que mais ninguém irá interceptar as informações.


CGIcgi
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CCGI
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (norma/formato) - O CGI (Common Gateway Interface) é um meio padrão de ligar páginas Web a outros programas ou bases de dados num servidor Web. Os programas CGI podem ser desenvolvidos em qualquer linguagem que o servidor compreenda e são normalmente utilizados para executar tarefas, como produzir um contador para páginas Web ou estabelecer ligação com um motor de pesquisa.


CHILDchild
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CHILD PROGRAM
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Programa secundário ou subprograma pesquisado ou descarregado na memória pelo programa principal. ver PRIMÁRIO-SECUNDÁRIO


CIScis
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CIS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (organização) - Sigla de CompuServe Information Services


CLICARclicar
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CLICAR
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Premir o botão do rato sobre um elemento surgido no ecrã.


CLIQUEclique
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CLIQUE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (gíria) - Significa pressionar o botão esquerdo ou direito do mouse sobre um objecto na tela.


CLICKTHROUGHclickthrough
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CLICKTHROUGH
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (gíria)
É, principalmente, um termo do domínio publicitário utilizado para reportar o número de vezes que os visitantes fazem clique num banner ou numa ligação para irem para outras páginas ou sites da Web.


CLIENTEcliente
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CLIENTE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (hardware)
Na Internet fala-se muito em “cliente/servidor”, o que faz com que tudo soe muito mais complicado do que realmente é. Um servidor é um computador que fornece serviços e o cliente é o computador que os pede. Assim, quando entra em www.yahoo.com, você está entrando em contacto com o servidor Yahoo e o seu PC é o cliente.


CLOCKclock
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CLOCK TICK
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (ciclo de relógio)
A mais pequena unidade de tempo reconhecida pelo CPU (ver).



●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
√ VELOCIDADE RELÓGIO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (Ing clock speed) É a velocidade a que um microprocessador executa instruções. Todo o computador contém um relógio interno que regula a relação a que as instruções são executadas, e sincroniza todos os computadores componentes. O CPU (Unidade de Processamento Central) requer um número fixo ciclos de relógio (Ing clock ticks ou clock cycles) afim de executar as instruções. Quanto maior for a velocidade do relógio, tanto maior número de instruções podem ser executadas, por segundo, pelo CPU.
As velocidades relógio são expressas em megahertz (MHz) ou gigahertz (GHz).
A arquitectura interna de um CPU tem a ver com a performance do CPU, tal como a velocidade do relógio; assim, dois CPUs com a mesma velocidade de relógio, não executam necessariamente igual.
Enquanto um microprocessador Intel 80286 necessita 20 ciclos para multiplicar dois números, um Intel 80486 pode executar os mesmos cálculos num simples tique de relógio. (1) (note-se que tique de relógio (Ing clock tick)se refere aqui ao sistema de rógio cujo desempenho é de 66 MH para todos os PCs). Estes novos processadores seriam no entanto 20 vezes mais rápidos que os antigos, mesmo se as suas velocidades de relógio fossem as mesmas. Para além disso, alguns microprocessadores são
superscalar, o que significa que podem executar mais do que uma instrução por ciclo de relógio.
Tal como as expansões dos buses, a velocidade relógio do CPU e a velocidade relógio do bus não se diferenciariam, já que nenhum dos componentes torna o outro mais lento. Na práticaq, a velocidade relógio do bus é muitas vezes menor do que a velocidade relógio do CPU que cria um gargalo de garrafa (ing bottleneck - http://www.webopedia.com/TERM/b/bottleneck.html). É por isso que os novos buses locais, tais como o AGP, se desenvolveram


CLUSTERcluster
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CLUSTER
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Um conjunto de sectores do HD que são endereçados pelo sistema operacional como uma única unidade lógica. Em outras palavras, um cluster é a menor parcela do HD que pode ser acessada pelo sistema operacional. Cada cluster tem um endereço único, um arquivo grande é dividido em vários clusters, mas um cluster não pode conter mais de um arquivo, por menor que seja. O tamanho de cada cluster varia de acordo com o sistema de arquivos escolhido na formatação do HD. Usando FAT 16 cada cluster tem até 32 KB, usando FAT 32 cada cluster possui apenas 4 KB. Usando NTFS (o sistema de arquivos utilizado pelo Windows NT e 2000) cada cluster possui entre 512 bytes e 4 KB, dependendo do tamanho da partição. Quanto menores forem os clusters, menor será a quantidade de espaço desperdiçada no HD, sobretudo ao gravar vários arquivos pequenos, já que mesmo com apenas 1 byte de tamanho, qualquer arquivo ocupará um cluster inteiro. Leia mais em Sistema de Arquivos


COASTERcoaster
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
COASTER
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Ver Porta-Vasos


COMÉRCIOcomércio
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
COMÉRCIO ELECTRÓNICO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (gíria)
Termo comunmente utilizado para designar qualquer tipo de actividade comercial na Internet.


COMPONENTEScomponentes
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
COMPONENTES DE UM COMPUTADOR
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
http://windowshelp.microsoft.com/Windows/pt-PT/Help/b7bf360d-67e7-4bad-976d-7623e6deb6dd2070.mspx


COMPONENTEScomponentes
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
COMPONENTES DE UMA JANELA típica
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Apesar do conteúdo de cada janela ser diferente, todas as janelas partilham alguns aspectos em comum. Para começar, as janelas são sempre apresentadas no ambiente de trabalho, a área de trabalho principal do ecrã. Para além disso, a maior parte das janelas partilham os mesmos componentes básicos: • Barra de título. Apresenta o nome do documento e programa (ou o nome da pasta, se estiver a trabalhar numa pasta). • Botões Minimizar, Maximizar e Fechar. Estes botões ocultam a janela, aumentam-na de modo a preencher o ecrã completo ou fecham-na, respectivamente (poderá obter mais detalhes sobre estes botões em seguida). • Barra de menus. Contém itens nos quais pode clicar para seleccionar opções num programa. Consulte Utilizar menus, botões, barras e caixas. • Barra de deslocamento. Permite-lhe deslocar o conteúdo da janela para visualizar informações que estão actualmente fora do alcance visual. • Limites e cantos. Pode arrastar estes itens com o ponteiro do rato para alterar o tamanho da janela. Outras janelas poderão ter botões, caixas ou barras adicionais. No entanto, estas janelas também terão estes componentes básicos.


COMPRESSÃOcompressão
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
COMPRESSÃO DE DADOS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (gíria) - O termo significa a compactação de arquivos ou dados.


COMPUTADORcomputador
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
COMPUTADOR
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●

É uma máquina de tratar dados, ou seja, aparelho electrónico que processa dados em função de um conjunto de instruções previamente fornecidas.
Podemos dizer de outro modo: Um computador (PC – computador pessoal) é uma máquina constituída por vários elementos físicos e por um conjunto de programas, que vão permitir um funcionamento harmónico destes componentes.
No passado, o termo já foi aplicado a pessoas responsáveis por algum cálculo. Em geral, entende-se por computador um sistema físico que realiza algum tipo de computação. Existe ainda o conceito matemático rigoroso, utilizado na teoria da computação No sentido mais amplo, um computador é qualquer equipamento ou dispositivo capaz de armazenar e manipular, lógica e matematicamente, quantidades numéricas representadas fisicamente. Exemplos de computadores: ábaco, calculadora, computador analógico, computador digital. Computadores podem ser utilizados para a digitação de textos, armazenamento de informações, processamento de dados, comunicação escrita ou falada ou para entretenimento. Enfim, é ilimitado o número de tarefas que ele pode desempenhar. São ferramentas que a cada dia conseguem ser aplicadas em tarefas mais diversas, e se vão tornando cada vez mais indispensáveis. De uso quotidiano, um computador é um equipamento electrónico, já quase considerado um electrodoméstico, geralmente associado a um monitor, a um teclado e a um rato. Também se está tornando cada vez mais desejável pelos usuários de computadores possuir alguma forma de conexão à Internet. COMPUTADOR de secretária – Computador concebido para funcionar sobre um plano de trabalho ao contrário do computador portátil. ver tb PC (Computador Pessoal)


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
COMPUTADOR, COMPONENTES DE UM
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
http://windowshelp.microsoft.com/Windows/pt-PT/Help/b7bf360d-67e7-4bad-976d-7623e6deb6dd2070.mspx



●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
COMPUTADOR de CANETA (pen computer)
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Um computador que utiliza uma caneta electrónica (stylus) em vez de teclado para introdução de dados (imput). Os computadores de caneta requerem geralmente sistemas operativos especiais que suportam o reconhecimento da escrita à mão de modo que os utilizadores podem escrever no ecrã ou numa placa em lugar de utilizar o teclado. A maior parte dos computadores de caneta são dispositivos de mão, demasiado pequenos para um teclado completo.


COMPUTADORES
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
COMPUTADORES, INTRODUÇÃO AOS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
http://windowshelp.microsoft.com/Windows/pt-PT/Help/ef0ebe45-7b6d-42bf-a40d-6e83359c11442070.mspx


COMUNICAÇÃOcomunicação
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
COMUNICAÇÃO COM O MUNDO EXTERIOR
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Os periféricos têm como função fazer a ligação do computador com o exterior. Dentro deste grande grupo podemos definir os periféricosde entrada, de saída e de armazenamento de dados: - Os periféricos de entrada vão permitir ao utilizador comunicar com a máquina, isto é, fornecer as instruções necessárias para a execução de determinada tarefa. (Ex: Rato, Teclado, Joystick, Scanner, Câmara Digital, Drive de CD-Rom, Drive de DVD - Rom) – Os periféricos de saída vão permitir a transferência de informação que foi processada pelo computador para o exterior. (Ex. Monitor, Impressora, Colunas de Som) – Os periféricos de de dados são aqueles que podem ser usados como entrada ou saída, isto é, podem ser usados para ir buscar ou guardar informação (Ex. drive de disquetes, drive de CD, Drive, DVD – RW, Modem))

CONFIGURARconfigurar
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CONFIGURAR A LINHA DE COMANDOS E O DIRECTÓRIO DE TRABALHO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
Combinação De Teclas Para proceder a configurações gerais na Linha de Comandos do MS-DOS mude para o modo de janela, se esta já não for o caso, através das teclas Alt + Enter e efectue clique sobre o botão de comando Propriedades da barra de ferramentas. Linha De Comandos No separador Programas poderá reconhecer a Linha de Comandos e o Directório de Trabalho do intérprete da linha de comandos. No campo Tecla de Atalho poderá definir uma combinação de teclas para activar a Linha de Comandos do MS-DOS. Representação Através do campo de lista Executar, defina a representação da Linha de Comandos do MS-DOS durante o arranque. Aqui se encontram disponíveis os registos Janela Normal, Minimizada ou Maximizada (ecrã inteira). Aconselhamos o modo de Maximizada para análises de performance ou para programas. Ficheiro De Comando Caso seja necessário um Ficheiro de Comando para se activar o programa do DOS, digite o nome do ficheiro do comando de texto homónimo. Active a caixa de verificação Fechar ao Sair caso deseje que a janela do DOS seja automaticamente fechada após o encerramento duma aplicação do DOS. OBSERVAÇÕES Descrição geral do MS-DOS O MS-DOS, acrónimo de Microsoft Disk Operating System, é um sistema operativo com uma interface de linha de comandos utilizado em computadores pessoais. Tal como com outros sistemas operativos, como o OS/2, converte introduções no teclado pelo utilizador em operações que o computador pode executar; também supervisiona operações como entradas e saídas do disco, suporte de vídeo, controlo do teclado e muitas funções internas relacionadas com a execução de programas e a manutenção de ficheiros. Os comandos de MS-DOS são introduzidos utilizando uma janela da linha de comandos. Para terminar a sessão de MS-DOS, escreva exit na janela da linha de comandos, no cursor intermitente. O modo MS-DOS é uma shell na qual o ambiente MS-DOS é emulado em sistemas de 32 bits, tais como o Windows. Os programas baseados no MS-DOS podem ser executados com o Windows e poderão criar um ficheiro de informações do programa (PIF) que aparece sob a forma de atalho no ambiente de trabalho. Abra a janela Linha de comandos. Notas • Para abrir uma linha de comandos, clique em Iniciar, aponte para Todos os programas, aponte para Acessórios e, em seguida, clique em Linha de comandos. • A criação de um ficheiro de informações do programa (PIF, Program Information File) para um programa baseado no MS-DOS cria um atalho para o executável do programa. Todas as definições guardadas no ficheiro PIF estão incluídas no atalho.


CONTADORcontador
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CONTADOR WEB (software)
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Um dispositivo que indica quantos visitantes (ou entradas) recebeu uma determinada página da Web.


CONVERSÃOconversão
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CONVERSÃO DE DISCOS E CASSETES EM CDs
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● O Windows possui um Media Player que permite ripar CDs para WAVE e criar Áudio a partir de Wave. O dispositivo CONNECT da Creative, estabelece a ligação entre um computador, através da porta USB, e um sistema hi-fi. Converte os discos e cassetes que estamos a correr no gira-discos ou leitor de cassetes para MP3 e portanto para um CD. Passa o analógico para digital, remove mesmo a sibilação e crepitação, melhorando imenso a qualidade graças ao software incluído e aos conectores analógicos banhado em ouro.

COOKIEScookies
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
COOKIES, eliminar
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● VER EliminarCookies

●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
COOCKIES, HABILITAR
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Ver Habilitar cookies.

COORDENADORcoordenador
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
COORDENADOR DE TAREFAS PARTILHADAS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● V. SCHEDULER 2)

COPIARcopiar
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
COPIAR CONTEÚDOS DA LINHA DE COMANDOS DO MS-DOS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Para assegurar a compatibilidade do programa com as antigas aplicações do MS-DOS, foi integrada a Linha de comandos do MS-DOS no Windows. A Linha de comandos poderá ser apresentada na forma de ecrã inteiro ou no modo de janela. No modo de janela, conteúdos da janela poderão ser seleccionados através do rato e transferidos para outras aplicações através da área de transferência do Windows.

Copiar Textos

Para copiar um texto de uma janela do MS-DOS no Windows, efectue clique sobre o símbolo Marcar
à esquerda da barra de ferramentas da janela da Linha de comandos do MS-DOS.


Selecção

Arraste o ponteiro do rato sobre a selecção de texto que deseja copiar. Efectue clique sobre o botão de comando Copiar
. O texto seleccionado será transportado para a área de transferência e poderá ser adicionado a outros programas através do menu Editar e do comando Colar.

Utilizar teclado

Poderá também utilizar o teclado. Para tal, desloque o cursor para o início do texto através
Em seguida prima a tecla shift e mantenha-a premida. Amplie a selecção através de
para cada símbolo à direita ou através de
para cada linha abaixo.

Mostrar Barra de Ferramentas

Para copiar a selecção, prima simplesmente a tecla Enter. O conteúdo poderá ser colado num sítio desejado no MS-DOS ou numa janela do Windows. Caso a barra de ferramentas da Linha de Comandos do MS-DOS não se encontre activada, seleccione o comando Propriedades no menu de sistema. Dirija-se ao separador Ecrã e marque a caixa de verificação Mostrar barra de ferramentas em Janelas. Encerre a janela de propriedades através de OK.

Activar Edição Rápida

Caso copie frequentemente passagens de texto de uma janela MS-DOS, active a denominada edição rápida, que torna dispensável a necessidade de fazer clique sobre o botão de comando Marcar. Abra a janela Propriedades da Linha de comando do MS-DOS e dirija-se ao separado Diversos. No grupode opções Rato marque a caixa de verificação Edição rápida e encerre a janela de propriedades OK.














O utilizador não poderá adicionar nenhum texto numa janela do MS-DOS se a janela estiver representada na forma de ecrã inteiro. Nem todos os conteúdos de janela de uma janela do DOS serão representados em aplicações do Windows da mesma forma como nas janelas do DOS. Para encerrar uma janela do DOS poderá também efectuar clique sobre de comando Fechar e confirmar o comunicado que aparece com Sim.

Para transportar toda a janela da Linha de comandos do MS-DOS como mapa de bits para a área de transferência, prima Alt+Print Screen.

Para adicionar o conteúdo numa aplicação do Windows utilize o comando Editar/Colar, as teclas Ctrl+V ou o botão do comando Colar.





CORREIOcorreio
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CORREIO ELECTRÓNICO WEB/WEB MAIL
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (técnica) O correio electrónico é um meio mais utilizado hoje em dia para a comunicação através da Internet (e-mail). Segue o mesmo padrão dos correios tradicionais, só que electronicamente.

Os ISPs fornecem normalmente serviços de correio electrónico aos seus membros através de um computador que trabalha com uma norma de correio como o POP3. O correio electrónico é retido pelo fornecedor de serviços da Internet (ISP) neste computador até que este o transfira através do seu programa de correio electrónico preferido (Outlook Express, por exemplo). Este processo, no entanto, levanta alguns problemas – como é que poderá receber a mensagem (e-mail) se não estiver em casa? Poderá entrar no site (provedor) no qual abriu a sua conta de e-mail e acessá-lo através de qualquer computador conectado à Internet.


CRACKERcracker
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CRACKERBYTE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Estúdio LIVRE: http://www.estudiolivre.org/tiki-index.php?page=Se%20Joga%20na%20Rede%20CTO
Joga-se na Rede CTO Cracker é o termo usado para designar quem quebra um sistema de segurança, de forma ilegal ou sem ética. Este termo foi criado em 1985 pelos hackers em defesa contra o uso jornalístico do termo hacker. O uso deste termo reflete a forte revolução contra o roubo e vandalismo praticado pelo cracking. Índice [esconder] 1 Classificação 2 Definições 3 Referências 4 Ver também [editar] Classificação Tipos de Crackers Crackers de sistemas: piratas que invadem computadores ligados em rede. Crackers de programas: piratas que quebram proteções de software cedidos a título de demonstração para usá-los por tempo indeterminado, como se fossem cópias legítimas(warez). Phreakers: piratas especialistas em telefonia móvel ou fixa. Desenvolvedores de vírus, worms e trojans: programadores que criam pequenos softwares que causam danos ao usuário. Piratas de programas: indivíduos que clonam programas, fraudando direitos autorais. Distribuidores de warez: webmasters que disponibilizam em suas páginas, softwares sem autorização dos detentores de direitos autorais. Motivações dos Crackers # Pichadores digitais: agem principalmente com o objetivo de serem reconhecidos. Desejam tornar-se famosos no universo cyberpunk e para tanto alteram páginas da internet, num comportamento muito semelhante aos pichadores de muro, deixando sempre assinado seus pseudônimos. Alguns deixam mensagens de conteúdo político o que não deve ser confundido com o ciberterrorismo. # Revanchista: funcionário ou ex-funcionário de alguma empresa que por qualquer motivo resolve sabotá-la com objetivo claro de vingança. Geralmente trabalharam no setor de informática da empresa o que facilita enormemente seu trabalho já que estão bem informados das vulnerabilidades do sistema. # Vândalos: agem pelo simples prazer de causar danos a vítima. Este dano pode consistir na simples queda do servidor (deixando a máquina momentaneamente desconectada da Internet) ou até mesmo a destruição total dos dados armazenados. # Espiões: agem para adquirirem informações confidenciais armazenados no computador da vítima. Os dados podem ter conteúdo comercial (uma fórmula de um produto químico) ou político (e-mails entre consulados) ou militar (programas militares). # Ciberterroristas: são terroristas digitais. Suas motivações são em geral políticas e suas armas são muitas, desde o furto de informações confidenciais até a queda do sistema telefônico local ou outras ações do gênero. # Ladrões: têm objetivos financeiros claros e em regra atacam bancos com a finalidade de desviar dinheiro para suas contas. # Estelionatários: também com objetivos financeiros, em geral, procuram adquirir números de cartões de créditos armazenados em grandes sites comerciais. Geralmente utilizam uma técnica chamada "Phising Scam", enviando por e-mail um programa que é executado por algum usuário, tendo acesso às suas informações. # Cracking O ato de quebrar a segurança de um sistema, ao contrário do que é esperado, geralmente não é nescessário nenhum brilhantismo hacker para realizar, mas de ficar repetindo uma série de tentativas a explorar (exploitar) as vulnerabilidades conhecidas do sistema alvo. Geralmente a maioria dos crackers sao medíocres hackers. # Cracking O ato de quebrar uma senha ou criptografia através de bruteforce, tecnica de "tentativa e erro", onde todas as possibilidades sao tentadas. # Cracking é o nome dado a ações de modificações no funcionamento de um sistema, de maneira geralmente ilegal, para que determinados usuários ganhem algo com isso. # Cracking remover a protecao contra copia de softwares, com o objetivo de burlar licenças de uso. Crackers difundem, pela Internet, programas para gerar códigos seriais, patches, cracks e outros códigos para a liberação de softwares proprietários. [editar] Definições Hacker: Palavra usada originalmente no MIT na década de 50 para definir pessoas interessadas pela (então iniciante) era da informática. Essa definição diz que um “hacker” é um pessoa que consegue “hackear”, verbo inglês “to hack”. Define que “hack” é o ato de alterar alguma coisa que já está pronta ou em desenvolvimento, deixando-a melhor. Nesse sentido, os hackers seriam as pessoas que criaram a Internet, que criaram o Linux, fizeram do sistema operacional Unix o que ele é hoje, mantém a Usenet, fazem a World Wide Web funcionar, e os especialistas em segurança das grandes empresas. Com o passar dos anos, esses primeiros “hackers” passaram a utilizar o verbo hack para definir não somente as pessoas ligadas a informática, mas sim os especialistas em diversas áreas. O "Hacker How-To" (Como se tornar um Hacker [1]), de Eric S. Raymond define isso da seguinte forma: Existem pessoas que aplicam a atitude hacker a outras coisas, como eletrônica ou música — na verdade, você pode achá-la nos mais altos níveis intelectuais de qualquer ciência ou arte. Os hackers de software reconhecem esse espírito aparentado em outros lugares, e podem chamá-los de hacker também — e alguns dizem que a natureza hacker é de fato independente do meio particular no qual o hacker trabalha. É importante lembrar que existe toda uma cultura por trás desse sentido da palavra hacker. A Cultura Hacker define diversos pontos para estilo e atitude e, por mais que pareça estranho, muitas das pessoas que se tornam os chamados programadores extraordionários possuem esse estilo e atitude naturalmente. Cracker: Quem quebra a seguranca de um sistema. Nome criado pelos hackers em 1985 para se defenderem contra o abuso jornalístico do termo hacker, algumas vezes chamado de dark-side hacker ou black hat, o uso deste termo reflete a forte revolucao contra o roubo e vandalismo praticado pelo cracking. Phreaker: É especializado em telefonia. Faz parte de suas principais atividades as ligações gratuitas (tanto local como interurbano e internacional), reprogramação de centrais telefônicas, instalação de escutas (não aquelas colocadas em postes telefônicos, mas imagine algo no sentido de, a cada vez que seu telefone tocar, o dele também o fará, e ele poderá ouvir sua conversa), etc. O conhecimento de um phreaker é essencial para se buscar informações que seriam muito úteis nas mãos de mal-intencionados. Além de permitir que um possível ataque a um sistema tenha como ponto de partida provedores de acessos em outros países, suas técnicas permitem não somente ficar invisível diante de um provável rastreamento, como também forjar o culpado da ligação fraudulenta, fazendo com que o coitado pague o ato (e a conta). Cyberpunk: Termo utilizado por Willian Gibson, em seu romance Neuromancer, para designar os vândalos de páginas ou sistemas informatizados, ou seja, aqueles que destroem o trabalho alheio sem auferir lucro com o ato em si ou realizam tais artimanhas por vanglória própria. São conhecidos também por "pixadores virtuais" [editar] Referências Fundamentos de Direito Penal Informático. Rio de Janeiro: Forense, 2003. ISBN 8530916190 A Segurança da Informação e Sua Importância Para o Sucesso das Organizações. Rio de Janeiro: Kirios, 2004. ISBN 8590434818 Hackers: um estudo criminológico da subcultura cyberpunk. In CERQUEIRA, Tarcísio Queiroz, IRIARTE, Erick, PINTO, Márcio Morena (Coords.). Informática e Internet: aspectos legais internacionais. Rio de Janeiro: Esplanada, 2001. p.173-190. Jargon file http://www.catb.org/jargon/html/ [editar] Ver também Cracking Hacker Retirado de "http://pt.wikipedia.org/wiki/Cracker" Categorias: Segurança da informação | Crime informático


CPUcpu
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CPU – Central Processing Unit
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
Abreviatura de central processing unit (unidade de processamento central). O CPU é o cérebro do computador. Por vezes chama-se-lhe simplesmente (
processador central
, mas mais vulgarmente conhecido por processador , o CPU é o lugar privilegiado para a maioria dos cálculos. Em tempo de potência informática, o CPU é o mais importante elemento de um sistema de computador.
As características mais importantes são a sua frequência de funcionamento e o número de bits que irradia simultaneamente. Os PENTUM são processadores de 32 bits com a frequência entre 60 MHz e 30 GHz. Estas informações não são suficientes para comparar dois processadores de família diferente. A sua rapidez depende do número de cliclos relógio que cada instrução, e da sua arquitectura CISC, RISC, etc.


CRTcrt
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●● ●●●●●● ●●●●●
CRT
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●

Um ecrã CRT é composto principalmente de um tubo catódico cuja função é a de lhe transmitir a imagem.
(Ing : Cathodic Ray Tube - Tubo de Raios Catódicos)
Os ecrãs catódicos ou CRT foram inventados em 1911.


Um canhão de electrões bombardeia a superfície interna do ecrã, recoberto de uma superfície luminescente. Para o dirigir, dispomos, à sua volta, de placas de desvio. Modulando o potencial destas placas, criamos a trajectória do spot (sigla de Satélite para Observação da Terra – ver spot beam). A tecnologia é fiável e possui uma excelente relação qualidade/preço. Mas um sem número de defeitos torna os ecrãs catódicos menos sedutores, muito principalmente o seu peso e a sensibilidade aos campos magnéticos.


CMSA
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CMSA/CD
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (Ing: Carrier-Sense Multiple Access with Collision Detection) Acesso múltiplo com escuta do mensageiro e detecção de colisões : Controle e acesso ao cabo de uma rede bus Este método permite a uma estação ouvir o suporte físico da legação (cabo ou fibra) para determinar se uma outra estação transmite uma estrutura de dados (determinado nível de luz ou tensão eléctrica). Se não for o caso ela pode por sua vez emitir. Todavia o acesso múltiplo implica que várias estações possam emitir no mesmo momento o que provoca uma colisão (logo uma perda de dados) ; como as estações captam também as colisões, sabem e devem reemitir depois de terem esperado durante um espaço de tempo aleatório.


CRIPTOGRAFIAcriptografia
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CRIPTOGRAFIA
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (norma/formato)
Processo que consiste em converter dados em código secreto. Todas as informações enviadas para um site Web passam através de vários computadores antes de chegar ao destino. Para evitar o uso indevido de senhas e números de cartões de crédito, todos os sites de vendas com alguma reputação utilizam uma página em segurança, onde todos os dados introduzidos são codificados pelo browser antes de saírem do seu PC e só são descodificados pelo site de vendas quando lá chegarem.


CURSORcursor
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
CURSOR
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● [Alem Mauszeiger Esp cursor Ing cursor]1. Objeto gráfico o qual normalmente possui formato de seta, permitindo identificar a posição do mouse.
2. Sinal na forma de uma pequena barra vertical piscante, que indica o local em que caracteres digitados no teclado surgirão na tela.
http://www.google.com.br/search?hl=pt-BR&rls=GGLO,GGLO:2005-46,GGLO:pt-BR&defl=pt&q=define:Cursor&sa=X&oi=glossary_definition&ct=titleDDDDD


DDDDD



DEMOCRACIAdemocracia
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
DEMOCRACIA
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● (gíria) - Não existem normas que regulamentem a Internet no que diz respeito ao seu conteúdo e os ideais subjacentes à Net defendem que qualquer pessoa tem a liberdade de exprimir a sua opinião, sem receio de a ver censurada. No entanto, com a crescente comercialização da Web e o envolvimento por parte dos governos, as coisas estão a começar a mudar.


DESdes
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
DES
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
●(norma/formato) - DES (Data Encrypton standard)é uma forma padrão de codificar dados - faz exactamente aquilo que o seu nome indica.


DHCPdhp
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
DHCP
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● (norma/formato) - DHCP (Dynamic Host Configuration Protocol) é uma norma desenvolvida pela Microsoft juntamente com outras, para atribuir endereços IP a computadores


DNSdns
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
DNS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (gíria) - Abreviatura de Domain Name System


DATAdata
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
DATA
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Qualquer ou a totalidade de unidades de informação: números, letras, símbolos, factos, afirmações – que podem ser processados ou gerados pelo computador;dados, informação;
data bank-
banco de dados;

data base-
base de dados;

data capture-
entrada de dados;

data processing-
tratamento de dados, processamento de dados;

data superhighway-
auto-estrada de informação;

●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
DATA FILE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Definição 1
Geral: Electronic file contendo audio/video digitalizado, gráfico, ou texto informação sob a forma de código (e de um formato file especfico) ditado pelo programa que o criou. Só pode ser lido ou usado pelo mesmo programa (ou compatível) e é distinto de um programa file (que contém código exequível).
Definição 2
Database: Parte de uma database constituída por vários data records. Várias data files constituem uma database

●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
DATA RECORD
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Na estrutura de uma database (base de dados), é a parte que consiste em vários componentes chamados data fields (campos de dados). Vários data records constituem uma data file e várias data files formam uma database (base de dados).


DCEdce
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
DCE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (hardware/gíria) - Sigla de Data Communictions Equipment, refere-se a equipamentos como o seu modem, que são utilizados para transportar dados de e para dispositivos DTE.


DEATHMATCHdethmatch
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
DEATHMATCH
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (gíria) - Um termo utilizado nos jogos da Internet para designar uma competiçao na qual o único objectivo consiste em destruir o adversário. Este termo é normalmente utilizado em jogos de acção do tipo Quake ou Unreal


DEFINIÇÃOdefinição
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
DEFINIÇÃO DA CÂMARADIGITAL
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● A definição da câmera de Digital é medida geralmente pelo pixel mega. 1 pixel Mega (PM) significa que há um milhão pixels ou um milhão pontos minúsculos que podem ser uma das várias cores que críam uma imagem. Hoje, você pode comprar as câmeras digitais que podem gravar imagens digitais de 1 pixel mega 1MP de todas as maneiras até 10MP ou mais. Os pixels mais mega em uma imagem, significam geralmente uma definição de mais alta qualidade. É importante anotar que a maioria das câmeras têm um ajuste onde você pode escolher a quantidade de pixels mega por o retrato. Uma imagem com um número mais elevado de pixels mega requer mais espaço de armazenamento, assim que muitos povos escolhem geralmente uma taxa mega mais baixa do pixel que entregue a definição decent. Além disso, muitas câmeras digitais podem também fazer exame de retratos numa variedade de relações de aspecto. Peripherals de computador (varredores, copiadoras da foto e impressoras do inkjet) Geralmente os peripherals de computador tais como varredores, copiadoras da foto e impressoras têm uma definição medida por DPI (pontos por polegada). Ao procurar uma definição mais elevada, geralmente o número mais elevado dar-lhe-á uma definição mais de alta qualidade. Os varredores podem vir numa definição de 600 por 600 definições de DPI ou alguns varredores vão até e acima de 3200 por 6400 DPI. O mesmo é verdadeiro com copiadoras da foto e impressoras do inkjet.


DEFINIRdefinir
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
DEFINIR O TIPO DE LETRA PARA A LINHA DE COMANDOS MS-DOS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● O operador que deseja trabalhar com operações antigas do DOS no Windows, irá deparar, inevitavelmente, com a Linha de Comandos do MS-DOS. A forma mais cómoda de se trabalhar coma a Linha de Comandos do MS-DOS é através do modo de janela. Nesse caso, o Windows considerará esta janela do MS-DOS quase como outra janela qualquer do Windows. Para muitos utilizadores, entretanto, a letra parece ser pequena demais. O separador Tipo de Letra é directamente responsável pelo tamanho da janela da Linha de Comandos do MS-DOS, uma vez que um sistema operativo orientado para textos e comandos como o MS-DOS representa o conteúdo do ecrã pelo número de linhas e o número de símbolos numa linha. Separador Do Tipo de Letra Active a Linha de Comandos do MS-DOS através de Iniciar / Programas / Acessórios e mude para o modo de representação janela. Para proceder a definições do tipo de letra, terá duas possibilidades: utilizar a lista Tipo de Letra da barra de ferramentas, normalmente definida como Auto ou separador Tipo de Letra da caixa de diálogo Propriedades de Linha de Comandos do MS-DOS que poderá ser activada através do botão de comandos Propriedades Campo De Lista Tipo De Letra Abra o campo de lista Tipo de Letra na barra de ferramentas e efectue clique sobre o tamanho de letra desejada. O Windows altera simultaneamente o tamanho da janela da Linha de Comandos do MS-DOS. No separador Tipo de Letra na janela de propriedades poderá, ao contrário, observar as alterações em dois campos de pré-visualização. À esquerda, abaixo de Pré-visualização do Tipo de Letra, receberá uma amostra com um exemplo de tipo de letra. Dois tipos de letra se encontram disponíveis para escolha. Mapas de bits e True Type As letras vigorosas de mapas de bits e as flexíveis True-Type do Windows. No campo de lista da barra de ferramentas da Linha de Comandos do MS-DOS., poderá identificar o tipo de letra True Type através do símbolo No separador Tipo de Letra da caixa de diálogo Propriedades poderá definir os tipos disponíveis de letra no grupo de opções Tipos Disponíveis através dos botões de comando opcionais Apenas Mapas de Bits, Apenas True Type ou Ambos os Tipos de Letra.

No MS-DOS as informações serão apresentadas no modo texto. Cada símbolo será definido através da sua altura e largura. E são exactamente estes valores que aparecem no campo de lista Tipo de Letra. Se aparece lá, por exemplo o tipo de letra “8 x 14”, isto significa que na Linha de Comandos do MS-DOS.cada símbolo corresponde exactamente a 8 pontos de imagem de altura e 14 pixels de largura. Assim será definido directamente o tamanho da janela do Dos. O tamanho predefinido de letra da Linha de Comandos corresponde a 25linhas a 80 símbolos.

Registo Auto Especialmente prático é o registo Auto, bem acima no campo de lista Tipo de letra. Ele adequa o tipo de letra da janela do DOS ao tamanho actual de janela. Somente através do registo Auto, uma janela do DOS poderá ser aumentada através da moldura janela. A diminuição da janela não representa qualquer problema, mesmo na ausência de uma registo específico. Barras de deslocamento serão activadas para possibilitar a visualização de conteúdos de janela não apresentados.

As alterações do tipo de letra na Linha de Comandos do MS-DOS só serão consideradas para programas do DOS que esteja apto a trabalhar em forma gráfica. Se este não for o caso, o modo de ecrã inteiro será automaticamente activado.

●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
DEFINIR PROPRIEDADES PARA A LINHA DE COMANDOS DO MS-DOS.
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Após o comunicado do Microsoft, todas as aplicações para o MS-DOS podem ser iniciadas directamente no Windows através da Linha de Comandos do MS-DOS. Normalmente, sem problemas. Várias Sessões Do Dos No Windows o utlizador poderá accionar simultaneamente várias sessões do DOS, que poderão ser executadas paralelamente em áreas de memória protegidas. A mera activação da janela do MS-DOS não apresenta qualquer problema. Os problemas só começam a surgir após a activação de um programa de uma aplicação do DOS, mesmo no caso em que apenas uma Linha de comando do MS-DOS haja sido activada. Dificuldades Em Iniciar Caso surjam problemas durante a execução de um programa do MS-DOS, receberá na maior parte dos casos uma mensagem de erro correspondente, onde será alertado para as causas como, por exemplo, que o programa não funciona no Windows ou a insuficiência de espaço de memória, etc. Nestes casos será a possibilidade de configurar a Linha de Comandos do MS-DOS através de Propriedades para a Linha de Comandos do MS-DOS.


DESCOMPRIMIRdescomprimir
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
DESCOMPRIMIR
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (gíria) - Recuperar o formato original de um arquivo comprimido


DESFRAGMENTARdesfragmentar
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
DESFRAGMENTAR O DISCO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● ver LENTO

DEVELOPEReveloper
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
DEVELOPER
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (criador)
Um indivíduo que é responsável pela criação ou funcionamento no desenvolvimento de um produto. Por exemplo, o desenvolvedor de um software pode ser responsável de criar um novo programa de software para armazenar as informações dos clientes de uma companhia.


DICIONÁRIOSdicionários
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
DICIONÁRIOS DE INFORMÁTICA
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Glossário - http://www.sos-informatique.qc.ca/glossaire.htm
- Francês - Caisson de grave - Dictionnaire informatique : DicoFRDictionnaire de l'informatique et d'internet - Termes officiels - http://www.dicofr.com/www.dicofr.com/cgi-bin/n.pl/dicodossier/jo-index/
Le dictionnaire d'informatique, La galerie de photos, Promouvoir l'Infini ... www.infini-fr.com/ - 11k - Em cache - Páginas semelhantes Dictionnaire d'informatiqueDictionnaire d'informatique du site aLaïde. ... dictionnaire de l'informatique et des nouvelles technologies :. En partenariat avec aLaide.com ... www.chezsilvia.pro.br/dictionnaireinformatique.htm - 3k - Em cache - Páginas semelhantes Dictionnaire d'informatique et d'Internet>Les internautes ayant acheté Dictionnaire d'informatique et d'Internet ont aussi acheté :. Dictionnaire Harrap's computers & the Internet (anglais-français ... www.dicoland.com/fr/informatique/dictionnaire-d-informatique-et-d-internet-3253 - 34k - Em cache - Páginas semelhantes Dictionnaire d'informatique anglais-français>Les internautes ayant acheté Dictionnaire d'informatique anglais-français ont aussi acheté :. Dictionnaire des télécommunications de Routledge ... www.dicoland.com/fr/informatique/dictionnaire-d-informatique-anglais-francais-2825 - 33k - Em cache - Páginas semelhantes Le Jargon Français v. 3.4.259Dictionnaire d'informatique francophone. Le Jargon Français a déménagé ! Merci de mettre à jour vos signets vers : jargonf.discu.org. ... www.linux-france.org/prj/jargonf/ - 6k - Em cache - Páginas semelhantes Thot / Le jargon français - Dictionnaire d'informatique ...S'ajoutent une chronologie historique de l'informatique et une multitude de liens pertinents. thot.cursus.edu/rubrique.asp?no=21901 - 65k - Em cache - Páginas semelhantes SOMABECAnthropologie, droit, économie, géographie, histoire, sciences politiques, sociologie, urbanisme - 88 spécialistes - Dictionnaire, 300 articles, ... www.somabec.qc.ca/ - 21k - 1 Mar 2007 - Em cache - Páginas semelhantes Informatique - 10 octobre 1998dicoperso.com - Créez et publiez facilement votre dictionnaire sur Internet. ... Dictionnaire de l'académie française - Septième édition ... www.dicoperso.com/list/3/index.xhtml - 27k - Em cache - Páginas semelhantes - Dicionário do Internetês kill file - Filtro para evitar mensagens com certa origem ou certo tema nos ... Nesses grupos, públicos, qualquer pessoa pode ler artigos e escrever os seus ... MBONLINE - Dicionário - [ Translate this page ] Dicionário, home.gif (277 bytes) Home. A B C D E F G H I J K L M . N O P Q R S T U V W X Y Z ...www.mbonline.com.br/dicionario/dicionario.asp - 7k - Cached - Similar pages estela.patricio@gmail.com My Account Sign out Go to Google Home Web Images VideoNew! News Maps more » BooksFroogleGroupseven more » Advanced Search Preferences Web Results 1 - 10 of about 2,210,000 for DICIONÁRIO DE INFORMÁTICA. (0.05 seconds) Tip: Search for English results only. You can specify your search language in Preferences DicWeb - Dicionário de Informática - [ Translate this page ] www.dicweb.com/ - 2k - Cached - Similar pages MBONLINE - Dicionário - [ Translate this page ] Dicionário, home.gif (277 bytes) Home. A B C D E F G H I J K L M . N O P Q R S T U V W X Y Z ...www.mbonline.com.br/dicionario/dicionario.asp - 7k - Cached - Similar pages ..:: NETPÉDIA.com.br ::.. - Dicionário de Informática - [ Translate this page ] Home >>Dicionário de Informática • Netpédia.com.br - a maior referência em termos de informática do Brasil - Total de 7549 termos ! ...www.netpedia.com.br/ListaDicionario.php - 30k - Cached - Similar pages ..:: NETPÉDIA.com.br ::.. - Enciclopédia de Informática On-line - [ Translate this page ] Você sabe tudo sobre informática ? Tem certeza ? Confira no dicionário da Netpédia, se você conhece realmente o significado dos termos de informática. ...www.netpedia.com.br/ - 45k - 13 Oct 2006 - Cached - Similar pages Eletrônica, informática, telecomunicações e transporte ... - [ Translate this page ] Página web que oferece links para dicionários e glossários de eletrônica, informática, telecomunicações e transporte.www.dicionarios-online.com/eletronica.html - 50k - Cached - Similar pages Derwood - Dicionário de Informática - news, technology, headlines ... - [ Translate this page ] Um site para se testar módulos, temas e novas soluções e tecnologias para sites dinâmicos.www.derwood.eti.br/modules/dicinfo/ - 18k - Cached - Similar pages Rudy's Point - Glossário de Informática, Termos da Internet - [ Translate this page ] Site do START POINT - Web Designers. Web Design. Desenvolvimento e Consultoria para Internet e Intranet.www.startpoint.com.br/glossar.htm - 2k - Cached - Similar pages Dicionário de Informatica Luso-Brazilian Books : Dicionário de Informatica Luso-Brazilian Books : ... Notifications. Notify me of updates to Dicionário de Informatica. Articles. New Articles (0) ...www.lusobraz.com/store/product_info.php?manufacturers_id=656&products_id=6340 - 40k - Cached - Similar pages Priberam Informática - Língua Portuguesa On-Line - [ Translate this page ] Agora o dicionário também pode ser consultado nos telemóveis com WAP. ... 2006 Priberam Informática. Todos os direitos reservados Informação legal ...www.priberam.pt/DLPO/ - 45k - Cached - Similar pages Portal UnB :: Pequeno Dicionário de Informática :: - [ Translate this page ] Pequeno Dicionário de Informática ... são negociadas as ações das empresas de Internet, informática e biotecnologia, que compõem a chamada Nova Economia. ...www.unb.br/sobre/peq_dic.php - 17k - Cached - Similar pages Result Page: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Next Get the search results most relevant to you. Enable Personalized Search. Personalized Search is now enabled. Learn more. Search within results Language Tools Search Tips Dissatisfied? Help us improve Google Home - Advertising Programs - Business Solutions - About Google©2006 Google DIMdim

DIMINUIRdiminuir
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
DIMINUIR AS JANELAS DO WINDOWS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Ver AUMENTAR OU DIMINUIR AS JANELAS DO WINDOWS

DIODOdiodor
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●● ●●●●●● ●●●●●
DIODO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● É um componente eléctrico que conduz a corrente eléctrica apenas numa direcção, funcionando como uma válvula de um único sentido. Tipicamente, os diodos são feitos de cristais semicondutores tais como sílica, germânio, ou selénio e são usados como reguladores de voltagem, rectificadores de sinal, osciladores modeladores/demodeladores de sinal.
Em equipamento de computador, os diodos são comummente usados apenas para emitir luz, passando a corrente através deles como nos diodos emissores de luz (LEDs).
Tipos de diodos.
Escala em centímetros


DISCOdisco
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
DISCO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●

Placa circular delgada com revestimento magnético, destinada ao armazenamento de dados que podem ser lidos por meio de um leitor de discos ligados ao computador.


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
DISCO RÍGIDO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
Disco de material não flexível que tem a possibilidade de armazenar maior número de dados que o disco flexível de dimensões iguais. Disco rígido ou disco duro, popularmente também HD (do inglês Hard Disk; o termo "winchester" há muito já caiu em desuso), é a parte do computador onde são armazenadas as informações, ou seja, é a "memória permanente" propriamente dita (não confundir com "memória RAM"). É caracterizado como memória física, não-volátil, que é aquela na qual as informações não são perdidas quando o computador é desligado. O disco rígido é um sistema lacrado contendo discos de metal recobertos por material magnético onde os dados são gravados através de cabeças, e revestido externamente por uma proteção metálica que é presa ao gabinete do computador por parafusos. É nele que normalmente gravamos dados (informações) e a partir dele lançamos e executamos nossos programas mais usados. Este sistema é necessário porque o conteúdo da memória RAM é apagado quando o computador é desligado. Desta forma, temos um meio de executar novamente programas e carregar arquivos contendo os dados da próxima vez em que o computador for ligado. O disco rígido é também chamado de memória de massa ou ainda de memória secundária. Nos sistemas operativos mais recentes, o disco rígido é também utilizado para expandir a memória RAM, através da gestão de memória virtual. Existem vários tipos de discos rígidos diferentes: IDE/ATA, Serial_ATA, SCSI, Fibre channel, SAS. Como os dados são gravados e lidos Os discos magnéticos de um disco rígido são recobertos por uma camada magnética extremamente fina. Na verdade, quanto mais fina for a camada de gravação, maior será sua sensibilidade, e conseqüentemente maior será a densidade de gravação permitida por ela. Poderemos então armazenar mais dados num disco do mesmo tamanho, criando HDs de maior capacidade. Os primeiros discos rígidos, assim como os discos usados no início da década de 80, utilizavam a mesma tecnologia de mídia magnética utilizada em disquetes, chamada coated media, que além de permitir uma baixa densidade de gravação, não é muito durável. Os discos atuais já utilizam mídia laminada (plated media); uma mídia mais densa, de qualidade muito superior, que permite a enorme capacidade de armazenamento dos discos modernos. A cabeça de leitura e gravação de um disco rígido funciona como um eletroímã semelhante aos que estudamos nas aulas de ciências do primário, sendo composta de uma bobina de fios que envolvem um núcleo de ferro. A diferença é que num disco rígido, este eletroímã é extremamente pequeno e preciso,
a ponto de ser capaz de gravar trilhas medindo menos de um centésimo de milímetro. Quando estão sendo gravados dados no disco, a cabeça utiliza seu campo magnético para organizar as moléculas de óxido de ferro da superfície de gravação, fazendo com que os pólos positivos das moléculas fiquem alinhados com o pólo negativo da cabeça e, conseqüentemente, com que os pólos negativos das moléculas fiquem alinhados com o pólo positivo da cabeça. Usamos neste caso a velha lei “os opostos se atraem”. Como a cabeça de leitura e gravação do HD é um eletroímã, sua polaridade pode ser alternada constantemente. Com o disco girando continuamente, variando a polaridade da cabeça de gravação, variamos também a direção dos pólos positivos e negativos das moléculas da superfície magnética. De acordo com a direção dos pólos, temos um bit 1 ou 0. Para gravar as seqüências de bits 1 e 0 que formam os dados, a polaridade da cabeça magnética é mudada alguns milhões de vezes por segundo, sempre seguindo ciclos bem determinados. Cada bit é formado no disco por uma seqüência de várias moléculas. Quanto maior for a densidade do disco, menos moléculas serão usadas para armazenar cada bit e teremos um sinal magnético mais fraco. Precisamos então de uma cabeça magnética mais precisa. Quando é preciso ler os dados gravados, a cabeça de leitura capta o campo magnético gerado pelas moléculas alinhadas. A variação entre os sinais magnéticos positivos e negativos gera uma pequena corrente elétrica que caminha através dos fios da bobina. Quando o sinal chega na placa lógica do HD, ele é interpretado como uma seqüência de bits 1 e 0. Vendo desta maneira, o processo de armazenamento de dados em discos magnéticos parece ser simples, e realmente era nos primeiros discos rígidos (como o 305 RAMAC da IBM), que eram construídos de maneira praticamente artesanal. Apesar de nos discos modernos terem sido incorporados vários aperfeiçoamentos, o processo básico continua sendo o mesmo. Formatação do disco Para que o sistema operacional seja capaz de gravar e ler dados no disco rígido, é preciso que antes sejam criadas estruturas que permitam gravar os dados de maneira organizada, para que eles possam ser encontrados mais tarde. Este processo é chamado de formatação. Existem dois tipos de formatação, chamados de formatação física e formatação lógica. A formatação física é feita na fábrica ao final do processo de fabricação,que consiste em dividir o disco virgem em trilhas, setores , cilindros e isola os badblocks (danos no HD). Estas marcações funcionam como as faixas de uma estrada, permitindo à cabeça de leitura saber em que parte do disco está, e onde ela deve gravar dados. A formatação física é feita apenas uma vez, e não pode ser desfeita ou refeita através de software. Porém, para que este disco possa ser reconhecido e utilizado pelo sistema operacional, é necessária uma nova formatação, chamada de formatação lógica. Ao contrário da formatação física, a formatação lógica não altera a estrutura física do disco rígido, e pode ser desfeita e refeita quantas vezes for preciso, através do comando FORMAT do DOS por exemplo. O processo de formatação é quase automático, basta executar o programa formatador que é fornecido junto com o sistema operacional. Quando um disco é formatado, ele simplesmente é organizado à maneira do sistema operacional, preparado para receber dados. A esta organização damos o nome de “sistema de arquivos”. Um sistema de arquivos é um conjunto de estruturas lógicas e de rotinas que permitem ao sistema operacional controlar o acesso ao disco rígido. Diferentes sistemas operacionais usam diferentes sistemas de arquivos. O computador, no decorrer de sua utilização tem seu desempenho geral afetado, em decorrência da instalação e remoção de diversos softwares, inclusive alguns que não removem todos os arquivos e informações do seu computador, ocasionando lentidão na sua execução. O software básico (sistema operacional) pode apresentar falhas de funcionamento (travamentos), instabilidade no uso, espera no carregamento de programas e softwares diversos, ou casos extremos de corrompimento do sistema operacional (falhas na execução do próprio) em decorrência de uso ilegal ou ataques de vírus de computador. Uma formatação lógica apague todos os dados do disco rígido, inclusive o sistema operacional. Deve-se fazer isso com conhecimento técnico, para salvar/guardar dados e informações (os backups de arquivos). O processo de formatação é longo, e as informações contidas no disco rígido serão totalmente apagadas. Exemplos de sistema de arquivos Os sistemas de arquivos mais conhecidos são os utilizados pelo Microsoft Windows: NTFS e FAT32 (e FAT ou FAT16). O FAT32, às vezes referenciado apenas como FAT (erradamente, FAT é usado para FAT16), é uma evolução do ainda mais antigo FAT16 introduzida a partir do MS-DOS 4.0, no Windows 95 ORS/2 foi introduzido o FAT32 (uma versão “debugada” do Windows 95, com algumas melhorias, vendida pela Microsoft apenas em conjunto com computadores novos). A partir do Windows NT foi introduzido um novo sistema de arquivos, o NTFS, que é muito superior ao FAT (a nível de segurança, sacrificando alguma performance), sendo a mais notável diferença o recurso de permissões de arquivo (sistemas multi-usuário), inexistente nos sistemas FAT e essencial no ambiente empresarial (e ainda acrescento do metadata). Em resumo, versões antigas, mono-usuário, como Windows 95, 98 e ME, trabalham com FAT32 (mais antigamente, FAT16). Já versões novas, multi-usuário, como Windows XP e 2000 trabalham primordialmente com o NTFS, embora o sistema FAT seja suportado e você possa criar uma partição FAT nessas versões. No mundo Linux existe uma grande variedade de sistemas de arquivos, sendo alguns dos mais comuns o Ext2, Ext3 e o ReiserFS. O FAT também é suportado, e o NTFS também, mas apenas para leitura, sendo o suporte a escrita ainda experimental. No Mundo BSD, o sistema de arquivos é denominado FFS (Fast File System), derivado do antigo UFS (Unix File System), Atualmente, encontramos um novo tipo de sistema de arquivo chamado NFS (Network File System), ao qual possibilita que "HDs Virtuais" sejam utilizadas remotamente, ou seja, um servidor disponibiliza espaço através de suas HDs físicas para que outras pessoas utilizem-nas remotamente como se a mesma estivesse disponível localmente . Um grande exemplo desse sistema encontraremos no Google ou no 4shared, com espaços disponíveis de até 5 GB (contas free). Setor de boot Quando o micro é ligado, o POST (Power-on Self Test), um pequeno programa gravado em um chip de memória ROM na placa-mãe, que tem a função de “dar a partida no micro”, tentará inicializar o sistema operacional. Independentemente de qual sistema de arquivos você esteja usando, o primeiro setor do disco rígido será reservado para armazenar informações sobre a localização do sistema operacional, que permitem ao BIOS “achá-lo” e iniciar seu carregamento. No setor de boot é registrado aonde o sistema operacional está instalado, com qual sistema de arquivos o disco foi formatado e quais arquivos devem ser lidos para inicializar o micro. Um setor é a menor divisão física do disco, e possui 99% das vezes 512 Bytes(nos CD-ROMs e derivados é de 2048 Bytes). Um cluster (também chamado de agrupamento) é a menor parte reconhecida pelo sistema operacional, e pode ser formado por vários setores. Um arquivo com um número de bytes maior que o tamanho do cluster, ao ser gravado no disco, é distribuído em vários clusters. Porém um cluster não pode pertencer a mais de um arquivo. Um único setor de 512 Bytes pode parecer pouco, mas é suficiente para armazenar o registro de boot devido ao seu pequeno tamanho. O setor de boot também é conhecido como “trilha MBR”, “trilha 0”, etc. Como dito, no disco rígido existe um setor chamado Trilha 0, geralmente (só em 99.999% das vezes) está gravado o (MBR) (Master Boot Record), que significa “Registro de Inicialização Mestre”, um estilo de formatação, onde é encontrada informações tipo: como está dividido o disco(no sentido lógico), a ID de cada tabela de partição do disco, qual que dará o boot etc... O MBR é lido pelo BIOS, que interpreta a informação e em seguida ocorre o chamado “bootstrap”, “Levantar-se pelo cadaço”, lê as informações de como funciona o sistema de arquivos e efetua o carregamento do Sistema Operacional. O MBR e a ID da tabela de partição ocupam apenas um setor de uma trilha, o restante dos setores desta trilha não são ocupados, permanecendo vazios, servindo como área de proteção do MBR. É nesta mesma área que alguns vírus (Vírus de Boot) se alojam. Disquetes, Zip-disks e CD-ROMs não possuem MBR, no entanto possuem tabela de partição, no caso do CD-ROMs e seu descendentes(DVD-ROM, HDDVD-ROM, BD-ROM...) possuem tabela própria, podendo ser CDFS(Compact Disc File System) ou UDF (Universal Disc Format) ou, para maior compatibilidade, os dois; já os cartões de Memória Flash e Pen-Drives possuem tabela de partição e podem ter até mesmo MBR, dependendo de como formatados. História do disco rígido Um antigo disco rígido IBMSem dúvida, o disco rígido foi um dos componentes que mais evoluíram na história da computação. O primeiro disco rígido foi construído pela IBM em 1957, e era formado por nada menos que 50 discos de 24 polegadas de diâmetro, com uma capacidade total de 5 megabytes, incrível para a época. Este primeiro disco rígido foi chamado de 305 RAMAC (Random Access Method of Accounting and Control). Em 1973 a IBM lançou o modelo 3340 "Winchester", com dois pratos de 30 megabytes e tempo de acesso de 30 milissegundos. Assim criou-se o termo 30/30 Winchester (uma referência à espingarda Winchester 30/30), termo muito usado ainda hoje para designar HDs de qualquer espécie. Ainda no início da década de 1980, os discos rígidos eram muito caros e modelos de 10 megabytes custavam quase 2.000 dólares americanos, enquanto hoje compramos modelos de 160 gigabytes por menos de 100 dólares. Ainda no começo dos anos 80, a mesma IBM fez uso de uma versão pack de discos de 80 mb, usado no sistemas IBM Virtual Machine. Capacidade do disco rígido A capacidade de um disco rígido atualmente disponível no mercado para uso doméstico/comercial varia de 40 a 500 GB, mas um HD para empresas pode variar até 1 TB. O HD evoluiu muito. O mais antigo possuía 5 MB (aproximadamente 4 disquetes de 3 1/2 HD), sendo aumentada para 30 MB, em seguida para 500 MB (20 anos atrás), e 10 anos mais tarde, HDs de 1 a 3 GB. Em seguida lançou-se um HD de 10 GB e posteriormente um de 15 GB. Posteriormente, foi lançado no mercado um de 20 GB, até os atuais HDs de 40 e 500 GB. As empresas usam maiores ainda: variam de 40 GB até 1 TB, mas a Seagate informou que em 2010 irá lançar um HD de 200 TB (sendo 50 TB por polegada quadrada, contra 70 GB dos atuais HDs). No entanto, as indústrias consideram 1 GB = 1000 * 1000 * 1000 bytes, pois no Sistema Internacional de Unidades(SI), que trabalha com potências de dez, o prefixo giga quer dizer * 10003 ou * 109, enquanto os sistemas operacionais consideram 1 GB = 1024 * 1024 * 1024 bytes, já que os computadores trabalham com potências de dois e 1024 é a potência de dois mais próxima de mil. Isto causa uma certa disparidade entre o tamanho informado na compra do HD e o tamanho considerado pelo Sistema Operacional, conforme mostrado na tabela abaixo.Além disso outro fator que pode deixa a capacidade do disco menor do que o anunciado ,é a formatação de baixo nível (formatação física) que o disco sai de fábrica. Informado na Compra Considerado pelo Sistema 10 GB 9,31 GB 15 GB 13,97 GB 20 GB 18,63 GB 30 GB 27,94 GB 40 GB 37,25 GB 80 GB 74,53 GB 120 GB 111,76 GB 160 GB 149,01 GB 200 GB 186,26 GB 300 GB 279,40 GB 500 GB 465,66 GB 1 TB 931,32 GB Todos os valores acima são aproximações Toda a vez que um HD é formatado, uma certa quantidade de espaço é marcada como utilizada. Características físicas dos discos rígidos Tem como características não serem voláteis, ou seja, trata-se de uma memória que ao ser desligada suas informações não são perdidas. Seus discos lacrados possuem discos de metal magnetizado onde os dados são gravados. Estrutura de um disco rígido Estrutura de um Disco magnético Figura 1: Vista superior e circuito da eletrônica de um HD SV2011H de 20 G Bytes da Samsung LBA 39.179.952 Disco rígido, disco duro, (popularmente também winchester) ou HD (do inglês Hard Disk) é a parte do computador onde são armazenadas as informações, ou seja, é a "memória permanente" propriamente dita (não confundir com "memória RAM"). É caracterizado como memória física, não-volátil, que é aquela na qual as informações não são perdidas quando o computador é desligado. O disco rígido é um sistema lacrado contendo discos de metal recobertos por material magnético onde os dados são gravados através de cabeças, e revestido externamente por uma proteção metálica que é presa ao gabinete do computador por parafusos. É nele que normalmente gravamos dados (informações) e a partir dele lançamos e executamos nossos programas mais usados. Este sistema é necessário porque o conteúdo da memória RAM é apagado quando o computador é desligado. Desta forma, temos um meio de executar novamente programas e carregar arquivos contendo os dados da próxima vez em que o computador for ligado. O disco rígido é também chamado de memória de massa ou ainda de memória secundária. Nos sistemas operativos mais recentes, o disco rígido é também utilizado para expandir a memória RAM, através da gestão de memória virtual. Figura 2: Vista dos conectores e código dos jumpers de um HD Todas as unidades de disco IDE têm um bloco de jumpers localizado entre o conector de 40 pinos e o conector de alimentação. Esses jumpers selecionam as opções de detecção física na unidade de disco rígido. na tabela da esquerda é possível encontrar o significado das configurações. O HD está configurado, na foto, como master. A tabela serve para configurar, também, discos com capacidade maior do que 32 GB. O problema, neste caso é que estes discos não são reconhecidos pelas controladoras mais antigas instaladas nos computadores, nesta situação deve-se empregar apenas a parte inicial de 32 GB do disco, ficando a capacidade acima destes 32 GB inaproveitada. Figura 3: Estrutura de gravação em um disco magnético Um disco rígido possui uma ou várias superfícies de gravação/leitura com uma estrutura de gravação composta por cilindros, trilhas e setores. Cilindro: definido como sendo um conjunto de Trilhas verticalmente alinhadas e com mesmo diâmetro e compostas por Setores que são as unidades físicas de gravação Custo de acesso ao disco Registros que pertencem a um mesmo cilindro não requerem deslocamento do mecanismo de acesso Tempo de busca (seek time): tempo de deslocamento do mecanismo de acesso de uma trilha para outra Latência rotacional: tempo para que o inicio do bloco que contenha o registro a ser lido passe pelo cabeçote de leitura/gravação Tempo de transferência: quantidade de tempo necessário para que um bloco (ou setor) seja transferido para um buffer de memória Os discos magnéticos de um disco rígido são recobertos por uma camada magnética extremamente fina. Na verdade, quanto mais fina for a camada de gravação, maior será sua sensibilidade, e consequentemente maior será a densidade de gravação permitida por ela. Poderemos então armazenar mais dados num disco do mesmo tamanho, criando HDs de maior capacidade. Figura 4:Cabo plano do acionamento do motor do disco e conjunto disco/cabeças de leitura Figura 5:Bobina de acionamento do motor linear do conjunto de braços de leitura e imã dentro do qual a bobina se movimenta Figura 5:Braço das cabeças de leitura, na direita a cabeça de leitura (este HD utiliza apenas uma cabeça e uma superfície do disco) Figura 6: Detalhe da cabeça de leitura/gravação Figura 7: Detalhe da cabeça de leitura/gravação e motor de acionamento do disco












DISPORdispor
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●● ●●●●●● ●●●●●
DISPOR JANELAS AUTOMATICAMENTE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Agora que sabe como mover e redimensionar janelas, pode dispô-las como pretender no ambiente de trabalho. Também pode fazer com que o Windows as disponha automaticamente num de três modos: em cascata, em pilha vertical ou lado a lado.
Janelas dispostas em cascata (à esquerda), em pilha vertical (ao centro) ou num padrão lado a lado (à direita)

Para seleccionar uma destas opções, clique com o botão direito do rato numa área vazia da barra de tarefas e, em seguida, clique em Janelas em Cascata, Mostrar Janelas Empilhadas ou Mostrar Janelas Lado a Lado.


DISQUETEdisquete
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
DISQUETE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (Ing floppy-ydisc) Disquete 90mm (3½ inch)O disquete (ou a disquete) - é um disco removível de armazenamento fixo de dados. O termo equivalente em inglês é floppy-disk, significando disco flexível. Pode ter o tamanho de 3,5 polegadas (1) com capacidade de armazenamento de 720 KB (DD=Double Density) até 2,88 MB (ED=Extra Density), embora o mais comum atualmente seja 1,44 MB (HD=High Density), ou 5,25 polegadas com armazenamento de 160 KB (Single Side = Face Simples) até 1,2 MB (HD). (1) 1 polegada = 2,54 cm

DOMÍNIOdomínio
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
DOMÍNIO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
●(ing. domain)- Conjunto de endereços fazendo parte de uma gestão comum. - *****@seudomínio.*** (*** - com ou pt, p.e.)ou Domínio é um nome que serve para localizar e identificar conjuntos de computadores na Internet. O nome de domínio foi concebido com o objetivo de facilitar a memorização dos endereços de computadores na Internet. Sem ele, teríamos que memorizar uma sequência grande de números.


DOWNLOADdownload
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
DOWNLOAD
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
●( DOWNLOAD – [Ing. down = baixo + load = carregar] (Descarregar). Acto de transferir cópias de um arquivo ou programa de um site ou de uma página da Web do servidor para o computador do usuário. O mesmo que baixar. Cf. Upload. - Port - BAIXAR (ver)


DPIdpi
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
DPI
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (Inglês : Dots Per Inch). Unidade equivalente aos ppp (pontos por polegada) utilizada para medir a resolução das impressoras, dos scanners, das imagens, e por vezes da "sensibilidade" dos ratos.

DRIVEdrive
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
DRIVE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (Ing.Accionador) Unidade periférica eletromagnética, geralmente instalada na CPU, que permite a gravação e leitura de dados em disquetes ou em CDs e CD-ROMs. Para cada um desses suportes de armazenamento de dados há um drive distinto.


DHTMLdtml
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
DHTML
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● (norma/formato) - O termo DHTML (Dynamic HTML)é bastante vago, utilizado normalmente para designar a utilização de funções HTML avançadas para tornar as páginas mais interactivas (menus sofisticados, páginas Web com efeitos especiais, etc.)


DOMdom
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
DOM
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● (gíria) - o DHTML considera que uma página da Web é composta por um grupo de objectos: textos, gráficos, ligações, etc. Cada objecto é definido com exactidão, o que permite que os criadores da página leiam os atributos de um objecto ou o manipulem de determidadas formas. O termo geral utilizado para estas definições é DOM (Document Object Model).
Um dos problemas neste tipo de abordagem reside no facto de os dois browsers principais, o Netscape Comunicator e o Microsoft Internet Esplorer, terem utilizado diferentes DOMs.


DSLdsl
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
DSL
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● Digital Subscriber Line (simplesmente DSL ou ainda xDSL) é uma família de tecnologias que fornecem um meio de transmissão digital de dados, aproveitando a própria rede de telefonia que chega na maioria das residências. As velocidades típicas de download de uma linha DSL variam de 128 kilobits por segundo (kbps) até 24 Mbits/s dependendo da tecnologia implementada e oferecida aos clientes. As velocidades de upload são menores do que as de download para o ADSL e são iguais para o caso do SDSL.


EEEEE



eBAYebay
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
eBAY
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (organização) - Líder em leilões através da Internet (www-ebay.co.uk).


ECRCRÃecrã
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ECRÃ
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● À superfície do monitor sobre a qual se projeta a imagem chamamos tela, ecrã ou écran. (ver monitor)


EFFeff
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
EFF
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● (organização) A fundação EFF (Electronic Frontier Foundation), que pode encontrar em www.eff.org, defende a liberdade de expressão e a privacidade na Internet.


ELIMINAReliminar
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ELIMINAR COOKIES
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Cookies são ficheiros temporários que devem ser eliminados pois que depois da sua fugaz utilização não servem para nada. Cmo eliminar – Aponte a seta do rato para Internet Explorer; Carregue no lado direito do rato; Clique em propriedades; clique em eliminar cookies; clique em eliminar ficheiros.


EMem
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
EM MOVIMENTO
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (gíria) – Na informática, refere-se uma coisa que é produzida de forma dinâmica (on the fly), em vez de estar predefinida. Por exemplo, uma página da Web pode ser gerada de acordo a factores como a hora do dia ou outras preferências previamente estabelecidas no site.


EMOTICONSemotions
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
EMOTICONS
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● (técnica) - Pequenos ícons formados com base na combinação de caracteres incluídos no corpo das mensagens de correio electrónico ou das mensagens de grupos de notícias para exprimir estados emocionais. Eles devem ser vistos de lados e têm este aspecto: ;-) alegre; :-( triste; :-) piscar o olho; :-P pôr a língua de fora; :-! fumar. Existem muitas variações.


ENCERRARencerrar
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ENCERRAR O WINDOWS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Após haver concluído todas as tarefas com o computador no Windows poderá desligar o computador. Tome atenção aos passos seguintes: Já no momento em que inicia a sessão no Windows centenas de ficheiros são carregados. Durante o seu trabalho com programas diversos, o seu computador estará a depositar continuamente informações específicas no disco rígido e na memória principal. Estes dados deverão ser guardados de forma ordenada ou eliminados, caso não necessite mais deles, antes que o computador seja desactivado. Por esse motivo, nunca desligue o seu computador através do botão de energia. Este procedimento poderá ocasionar a perda de dados e danos no sistema operativo. Para encerrar o Windows dirija-se ao canto inferior esquerdo do seu ecrã. Uma vez que o menu Iniciar é o botão central do sistema operativo gráfico, necessitará dele também para encerrar a sua sessão. Efectue clique sobre o botão de comando Iniciar e seleccione o comando Encerrar do menu Iniciar. O que se passará exactamente está a depender se guardou todos os documentos acessados. Se este for o caso, o ecrã escurecerá e receberá a caixa de diálogo Encerrar o Windows. Na caixa de diálogo, active a opção Encerrar e prima o ENTER ou efectue clique sobre o botão de comando OK.


DOCUMENTOS NÃO GRAVADOS Caso haja acessado a documentos de aplicações do Windows que ainda não foram guardados, receberá um comunicado alertando-o para esse facto e ser-lhe-á oferecida a possibilidade de gravá-los. Todavia se não precisar deles deverá efectuar clique sobre a opção Não da caixa de diálogo que aparece. A SESSÃO É ENCERRADA Em seguida, o Windows desactiva automaticamente todas as aplicações e a sessão é encerrada. Posteriormente, o ecrã escurece e no meio do ecrã aparexce a inscrição a vermelho “Pode desligar o computador”. Só neste momento deverá premir o botão de força para desligar o computador. Os computadores modernos desligam automaticamente após alguns segundos, sem que seja necessário desactivar o botão de força.
VER A SEGUIR: Funções do rato no Windows


ENDEREÇOendereço
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ENDEREÇO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● V. adress


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ENDEREÇO IP
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● O endereço IP (Internet Protocol), de forma genérica, pode ser considerado como um conjunto de números que representa o local de um determinado equipamento (normalmente computadores) em uma rede privada ou pública.

Para um melhor uso dos endereços de equipamentos em rede pelas pessoas, utiliza-se a forma de endereços de domínio, tal como "www.wikipedia.org". Cada endereço de domínio é convertido em um endereço IP pelo DNS. Este processo de conversão é conhecido como resolução de nomes de domínio.


ENTRADAentrada
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ENTRADA
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (gíria) Ligação apresentada quando introduz palavras-chave num motor de pesquisa. A maioria dos motores de pesquisa apresenta várias entradas (hits) relacionadas com as palavras-chave. As entradas (hits) correspondem também ao número de usurários que visitaram um determinado site e podem ser registadas utilizando pequenas aplicações de contagem simples.


ESCRITAescrita
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ESCRITA - O PRAZER DA ESCRITA
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● O aparecimento da escrita marcou o início da transmissão correcta do conhecimento através das gerações que até então utilizavam a transmissão oral, com a inevitável falta ou alteração das ideias, dos factos e das descobertas. …… O homem, utilizando a mão, escrevia o que pensava ou desejava deixar aos vindouros. E a escrita manuscrita foi sempre necessária, mesmo com o aparecimento da máquina de escrever e mais tarde com o teclado do computador, como na actualidade. Em certas ocasiões, o prazer e a facilidade da escrita manual é imprescindível. O aparecimento das novas tecnologias criou a necessidade da rapidez de textos prontos para serem lidos, impressos, etc. No entanto, haverá sempre situação em que uma caneta e um papel mão são mais eficientes, cómodos e rápidos, para tomar notas ou escrever pequenos relatórios, receituários, rascunhar ideias, desenhar esboços, esquemas, etc. Depois iremos passar tais elementos para o computador, dar – lhe outra forma menos perecível, em formato digital. Uma solução inovadora reconhece o nosso idioma manuscrito numa folha de papel com uma caneta que até funciona como uma esferográfica normal e transforma a nossa escrita num ficheiro do Word ou num e-mail ou fax que podemos enviar pelo telemóvel. Chama – se Caderno Digital, distribuído pela “In4Tools”. O conjunto é constituído por caderno de folhas A4 (estando para breve outros formatos), uma caneta esferográfica que armazena sem darmos por isso o que tivermos escrito e um software de reconhecimento inteligente de caracteres. Todas as profissões tornem mais fácil uma caneta no bolso e uma caderno de papel formato A4 do que um portátil, médicos, arquitectos, professores e até mesmo jornalistas, ao regressarem junto do computador colocam a caneta numa base especial ligada à porta USB e tudo é transferido de imediato para o PC. Sendo visualizados os dois formatos no monitor é possível fazer alguma correcção. A caneta e o software têm de se adaptar à nossa escrita pessoal e vão fazendo uma aprendizagem da nossa escrita. O conjunto caneta, caderno e software custa 249 Euros, e depois da compra, para evitar a pirataria, fica disponível uma licença por 75 Euros para download do ICR (o software de reconhecimento de caracteres) do site da Infor4Tools www.cadernodigital.pt (Tel. 212946591). Windows Vista Chegou o novo sistema operativo da Microsoft que vem substituir o XP. Tem um número muito maior de capacidades estruturais que foram estudadas para aumentar e aproveitar a capacidade dos computadores. O conselho que podemos dar aios nossos leitores é procurar na Internet saber se o seu computador aceita o Windows Vista. Faça o download do “Windows Vista Upgrade Advisor” e siga as instruções. Gratuito no site da Microsoft. Também podem conhecer melhor o novo S.O. lendo o Guia Prático do Windows Vista da Centro Atlântico escrito pelo jornalista António Eduardo Marques. ajuda@gil.com.pt


ESTABILIZADORestabilizador
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ESTABILIZADOR DE CORRENTE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Um estabilizador de corrente protege o seu computador das variações de corrente, alterações na energia recebida, que podem acontecer, por exemplo, durante tempestades.













EUDORAeudora
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
EUDORA
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● Um programa de correio electrónico da internet que, embora não seja o mais utilizado, também tem muitos adeptos (www.eudora.com)


EUROeuro
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
EURO (€)
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
●(caracter) - Ver 'TERCEIRO CARACTER'


EXCITEexcite
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
EXCITE
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (organização) - Um motor de pesquisa (www.excite.com) que chegou a ser muito popular, mas que agora está muito confuso porque tenta incluir demasiadas funções diferentes na página inicial (o que faz com que outros motores de pesquisa concorrentes, como o Google, pareçam melhores). Em geral, as sugestões de pesquisa que apresenta são, no entanto, relevantes e de boa qualidade, por isso, vale a pena visitá-lo de vezes em quando.


FFFFF



FAQfaq
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
FAQ
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●
● (gíria) - Temos FAQ (Frequencial all Questios) significa as 'dúvidas mais frequentes sobre determinados assuntos. Então, quando entrar nas FAQs de um site, terá ali as dúvidas mais frequentes de usurários, todas elas com suas respectivas respostas.


FAVORITOSfavoritos
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
FAVORITOS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●
● (técnica) - Função do Microsoft Internet Explorer que lhe permite registar e organizar os endereços das páginas Web que gostaria de voltar a visitar.


FECHARfechar
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
FECHAR AS JANELAS DO WINDOWS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● O Windows diferencia tipos diversos de janelas (ver). O utilizador deverá recordar-se, por exemplo, da diferenciação entre janelas de documentos e janelas de aplicações. Numa janela de programa, uma aplicação será executada, como por exemplo, o Word Pad, o Paint ou o Bloco de Notas. Numa janela de documentos são mostradas informações. Pode tratar-se de programas de edição de textos ou de ficheiros e sub-pastas. Cada pasta aberta pertence à janela de documentos como, por exemplo O meu computador e suas janelas de unidades. Efectue duplo clique sobre o ícone O meu computador no Ambiente de trabalho. Fechar Pastas Após ter exercido um pouco a técnica de abrir e fechar pastas, o seu ecrã encontrar-se-á repleto de janelas de documentos. É tempo de fechar então algumas dessas pastas. Fechar Janelas De Documentos No Windows poderá fechar janelas de documentos segundo um dos procedimentos listados abaixo. Utilize para tanto: ∙ o comando fechar do menu Ficheiro. ∙ a combinação de teclas alt + F4. ∙ O comando fechar do menu sistema. ∙ Um duplo clique no campo do menu sistema ∙ O botão Fechar da barra de título X ∙ o comando Fechar do menu de atalho do botão de comando da pasta ou objecto de uma janela minimizada na barra de tarefas. ∙ Todos estes métodos indicados acima provocarão o fechamento de uma janela. Trataremos no terceiro capítulo “Programas e documentos” de como poderá fechar uma janela de programa e desta forma encerrá-lo. Para activar o menu de sistema deverá efectuar um clique sobre o campo do menu de sistema, à esquerda numa barra de título de uma janela de pasta. No caso de pastas, o campo do menu de sistemas será representado por um ícone de pasta aberta. No caso de janelas de aplicação, ele será representado por um ícone de programa.


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
FECHAR UMA JANELA
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Fechar uma janela remove-a do ambiente de trabalho e da barra de tarefas. Quando tiver terminado de utilizar um programa ou documento e não necessitar de o voltar a utilizar brevemente, feche-o. Para fechar uma janela, clique no respectivo botão Fechar Fechar . Nota - Se fechar um documento sem guardar as alterações efectuadas, é apresentada uma mensagem que lhe dá a opção de guardar as alterações.













FERRAMENTAferramenta
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
FERRAMENTA
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Na vida quotidiana, uma ferramenta, é um utensílio mais ou menos imprescindível que nos permite a realização de tarefas.Em informática passa-se o mesmo. Uma ferramenta é denominada de aplicação ou Software e serve para realizar tarefas que de outra forma não poderiam ser executadas ou simplesmente para auxiliar o utilizador na realização dessas tarefas. Paralelamente à vida quotidiana onde podemos encontrar utensílios para tudo, também na informática existe aplicações para realizar todo o tipo de tarefas tais como: Escrever, Calcular, Desenhar, Tratar imagens, Tratar documentos, Ouvir música, Ver vídeo, Enviar e receber faxes, Enviar e receber mensagens, Ver e conversar em tempo real com amigos


FILEfile
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
FILE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● · ficheiro;

· pasta de arquivo;

· classificador;

· ficheiro;


FILTROfiltro
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
FILTRO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (técnica) Participar em grupos de notícias ou comunicar através de mensagens de correio electrónico, pode levá-lo a perder muito tempo, por isso muitos programas incluem "filtros" para o ajudar a fazer uma selecção de acordo com regras específicas previamente definidas por você.


FIOfio
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
FIO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (gíria) Geralmente, chama-se a uma mensagem que é colocada num grupo de notícias um "envio". Quando outras pessoas respondem a este envio e surgem reacções a estas respostas, costuma chamar-se a todas estas mensagens "fio".


FIREWELLfirewell
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
FIREWELL
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
É um componente de software ou de hardware que ajuda a proteger seu PC contra hackers e muitos vírus e worms de computador. Software usado para monitorar e bloquear tráfego de rede que passa pelas portas do PC. Assim, toda requisição feita por um software para acessar um servidor de internet passa por portas do PC e, por consequência, por esse firewall que pode ser configurado de modo a poder escolher quais os programas que podem acessar a internet e quais os que não podem acessar a internet. Por padrão, nenhum programa pode acessar a rede sendo necessária a configuração da permissão dos programas que podem acessar a rede. Com isso ele ajuda a proteger o seu PC de programas que estejam acessando a rede para passar informações como cavalos de tróia e outros programas que não queira que acessem a internet.


FLAMEflame
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
FLAME-UP
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● envio de mensagens insultuosas.


FLOPPYfloppy
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
FLOPPY-DISC
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Ver disquete


FLUXOfluxo
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
FLUXO DE DADOS EM TEMPO REAL
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (tecnologia) Uma das primeiras descobertas que todos fazem na Internet é que fica frequentemente muito lenta. Apesar de ser muito legal procurar arquivos de muita minúcia na Internet, eles demoram muito tempo para serem descarregados no seu computador.
Uma forma de evitar isto consiste em utilizar uma aplicação de fluxo de dados em tempo real, como o RealPlayer. Em vez de ficar à espera que um arquivo seja completamente transferido para depois o ouvir, o RealPlayer, e outros produtos semelhantes, reproduzem o arquivo à medida que o descarregam. É igualmente necessário ter uma ligação rápida e um computador rápido para optimizar o processo, e mesmo assim a qualidade nunca é muito boa. Contudo, à medida que as velocidades de acesso à Internet aumentam, estes tipos e aplicações melhoram consideravelmente a experiência de navegação na Internet.
Para obter informações sobre o RealPlayer, visite http://www.real.com/.
Se já tiver este programa, ou um programa idêntico, consulte http://www.real.com/ para localizar o melhor conteúdo relacionado com o fluxo de dados em tempo real que está disponível online.


FOLHASfolhas
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
FOLHAS DE ESTILO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (normal/formato) As folhas de estilo, também conhecidas por CSS (Cascading Style Sheets), são uma extensão do HTML que permite aplicar opções de tipos de letra, cor e espaçamento (entre outras) a várias páginas HTML ao mesmo tempo. Para obter mais informações, experimente http://www.w3.org/Style/


FONTEfonte
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
FONTE DE ALIMENTAÇÃO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
A fonte de alimentação transforma a corrente alterna da tomada na corrente contínua que o computador pode utilizar. A capacidade de uma fonte de alimentação mede – se em watts. Um computador médio utiliza cerca de 220 watts, enquanto uma lâmpada média gasta 60 watts. Uma ventoinha dentro do computador impede o sobreaquecimento dos componentes. Proteja o seu equipamento. As alterações da corrente podem danificar o equipamento e a informação. Estabilizador de corrente – Um estabilizador de corrente protege o seu computador das variações de corrente, alterações na energia recebida, que podem acontecer, por exemplo, durante tempestades. UPS - Uma UPS (Uninterruptible Power Supply – Fonte de Alimentação Ininterrupta) protege o computador de quebras de corrente. A UPS contém baterias que armazenam energia eléctrica. No caso de falhar a energia, a bateria mantém o computador a funcionar durante um curto período que lhe permite salvar a informação.


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
FONTE DE ALIMENTAÇÃO ININTERRUPTA - UPS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Uma UPS (Uninterruptible Power Supply – Fonte de Alimentação Ininterrupta) protege o

computador de quebras de corrente. A UPS contém baterias que armazenam energia eléctrica. No caso de falhar a energia, a bateria mantém o computador a funcionar durante um curto período que lhe permite salvar a informação.


FORMATOformato
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
FORMATO DE ARQUIVO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (norma/formato) - Cada arquivo tem um formato com suas propriedades, identificado por sua extensão (as três letras que aparecem no fim do nome do arquivo, depois do ponto). Os formatos de arquivo que encontrará mais frequentemente na Internet são formatos comprimidos, como .jpg, .gif, .mp3, .txt e .zip.


FORNECEDORfornecedor
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
FORNECEDOR DE SERVIÇOS ONLINE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (org.) Uma empresa que, além do acesso à Internet, fornece informações e serviços.


FORUMforum
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
FORUNS DE INFORMÁTICA
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● FORUM DO BABOO - Adicionando programas na instalação do windows xp com Nlite


HIJACKTHIS.DE Supportforum- Can you review this log please? - HijackThis.de Support Board - [Traduzir esta página ] Protecus.de Security Forum - Probleme mit "Virus Alert" (link zu spywarequake.com) - Security - Forum - Yahoo! Questions/Réponses - qui peu me dire ques ce qu'un logiciel ... - Yahoo! Respuestas - - Dr.Web anti-virus users forum - MSFN Forums __________________________________________________





FREEWAREfreeware
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
FREEWARE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● freeware, software distribuído gratuitamente.


FTPftp
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
FTP
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (Ing. : File Transfer Protocol - Protoclo de Transferência de Ficheiros). Protocolo TCP/IP com que podemos enviar (upload) ou receber (download) ficheiros entre computadores. A instalação do protocolo FTP data de 1971, data em que um mecanismo de transferência de ficheiros entre os computadores do MIT havia sido aprontado. A falta quase total de segurança do FTP (palavras-passe a circular no ar) faz-lhe preferir hoje o protocolo SSH.


FUNÇÕESfunções
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
FUNÇÕES DO RATO NO WINDOWS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
Caso não haja ainda trabalhado com um sistema operacional gráfico, terá no início certa dificuldade com o manuseamento do rato. Principalmente os iniciantes têm geralmente a impressão de que o rato parece ter vida própria e se locomove como lhe convém e não que ele somente segue os comandos de locomoção ditados pelo utilizador.

1. Conselhos para manuseio

Porém, esta é apenas uma dificuldade inicial que será logo superada. Com um pouco de prática, o utilizador reconhecerá no rato um instrumento valioso a facilitar o seu trabalho no computador. Além de alguns conselhos básicos para o manuseio e locomoção do rato, o utilizador deverá também inteirar – se dos seus comandos mais importantes. Estaremos a descrever acções frequentes que deverão ser executadas através do rato. Esta é geralmente a grande vantagem de uma superfície gráfica, uma vez que quase todas as acções no Windows podem ser executadas por meio do rato. Coloque a sua mão ligeiramente sobre o rato, de forma que a palma da mão toque a sua superfície abaulada. O dedo indicador deverá repousar sobre o botão esquerdo do rato, sem contudo o premir. Para que não haja mal entendidos no futuro, deveremos definir comandos inequívocos para as acções mais importantes do rato.

2. O cursor do rato

Após o início de uma sessão no Windows, verá em algum ponto do ecrã uma pequena seta. É o ponteiro do rato também denominado cursor. Caso ainda não possa ver o cursor do rato, desloque o rato de um lado para o outro sobre o tapete.

3. Seguir o cursor no ecrã



Como poderá perceber, o cursor do rato é uma criatura completamente dependente. Se movimentar o rato, o cursor descreverá exactamente este movimento sobre o ecrã. Ou seja, se deslocar o rato para cima a pequena seta deslocar-se-á também para cima. Se deslocar o rato para a esquerda, o cursor seguirá este movimento e deslocar-se-á para a esquerda Acções do rato: apontar, efectuar clique e arrastar

4. Interpretarão balística

Quanto mais rapidamente movimentar o rato, maior será o rasto que o cursor do rato descreverá sobre o ecrã. Caso movimente o rato lestamente, o cursor seguirá este movimento minuciosamente, descrevendo um breve caminho sobre o ecrã e deixando um pequeno rasto atrás de si. Esta interpretação balística é muito importante. Antes de executar uma acção com o rato, deverá inicialmente posicioná – lo num ponto determinado.

A Ação Do Rato: Apontar






Este processo é denominado Apontar. Experimente agora movimentar o rato, de modo que o cursor aponta para o ícone Reciclagem sobre o ecrã. A mera acção de apontar não provoca qualquer reacção por parte do computador.

A Ação Do Rato: Efectuar Clique







Prima agora uma vez o botão esquerdo do rato e o ícone Reciclagem será seleccionado. O premir curto do botão do rato é denominado Clique. Para a maior parte das acções necessitará do botão esquerdo do rato. O botão direito activa o denominado Menu de atalho. Caso não nos referirmos explicitamente à utilização do botão direito do rato, estaremos a referir – nos ao botão esquerdo.

A Ação Do Rato: Arrastar

Agora, aponte com o cursor do rato para o ícone seleccionado Reciclagem, prima o botão esquerdo do rato e mantenha – o premido. Em seguida movimente o rato para a direita. Esta acção é denominada Arrastar. Como poderá ver, o ícone da Reciclagem “cola” no cursor do rato. Se largar o botão do rato, o ícone será depositado na posição em que o ícone foi largado. A combinação de ambas as acções do rato é denominada Arrastar e largar ou no idioma inglês Drag & Drop. Campos De Texto A acção de arrastar com o rato será também necessária nos campos de texto das caixas de diálogo ou na edição de textos, como por exemplo no WordPad. Através da acção arrastar poderá seleccionar textos ou passagens de textos que deseja formatar, transcrever, eliminar ou copiar. Para tanto deverá posicionar o cursor antes do símbolo a ser seleccionado e arrastá – lo, com o botão do rato premido, até ao último símbolo que deseja seleccionar.

A Acção Do Rato: Duplo Clique

Aponte novamente para o ícone da Reciclagem com o cursor do rato. Para a acção posterior, o utilizador menos experimentado deverá concentrar – se um pouco. Prima o botão esquerdo do rato brevemente duas vezes consecutivas. Esta acção é denominada duplo clique abre pastas e documentos, inicia programas ou abrevia comandos.

Intervalo Muito Longo

Se não apareceu nada, se a pasta da reciclagem não apareceu, é porque o intervalo entre os dois cliques foi longo demais. Vá encurtando o intervalo até conseguir. Para abrir aponte para o menu Ficheiro e efectue clique para abri – lo. Aponte para o comando Fechar e faça clique para fechar a janela. O comando Fechar é um quadradinho que se encontra ao cimo do lado direito.

Funções Do Botão Direito Do Rato
Qual a razão da existência de um segundo botão do rato? Através do botão direito do rato poderá accionar o chamado menu de atalho de todos os elementos ou sítios do ecrã e seus componentes.

Menu De Atalho

Estes pequenos menus no cursor do rato são denominados menus de atalho, uma vez que o conteúdo se refere à posição do cursor do rato.

Botão Direito

Experimente agora a activar alguns desses menus. Se efectuar clique com o botão direito do rato, num sítio desejado e livre do ambiente de trabalho, receberá um menu de atalho contendo comandos para dispor ícones ou para criar novas pastas.

O Caminho Mais Rápido

Serão exactamente os comandos dos quais necessitará quando estiver a trabalhar no ambiente de trabalho. Dado que o ambiente de trabalho não possui uma barra de menus, o menu de atalho se constituirá no caminho mais rápido, em alguns casos no único caminho, para a execução de determinadas tarefas. Um clique sobre o registo com o botão esquerdo do rato executará o comando seleccionado. Através de um clique sobre um sítio livre ou através da tecla ESC poderá desactivar o menu do atalho. Outros menus de atalho poderão ser activados para os ícones do Ambiente de Trabalho, para a barra de tarefas ou para o botão de comando INICIAR.



O WINDOWS possibilita a alteração das propriedades do rato através do PAINEL DE CONTROLE. Caso o utilizador seja esquerdino (canhoto), poderá redefinir a utilização dos botões do rato de destro para esquerdino e os botões do rato serão invertidos. Neste caso deverá premir o botão esquerdo do rato para activar o menu de atalho. Seguiremos contudo considerando o manuseio padrão, ou seja, para o utilizador destro.
VER A SEGUIR: Trabalhar com menus


FURÃOfurão
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
FURÃO
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (gíria) Aquele que fura! Existem (pelo menos) dois pontos de vista distintos sobre o furão (hacker).


FURARfurar
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
FURAR
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (técnica) furar (hack) um sistema significa violar de alguma forma a sua segurança. Pode também ser utilizado o termo para designar o meio de "ludibriar" uma determinada aplicação, por exemplo, para evitar que uma versão de demonstração com prazo limite expire.


GGGGG


GAga
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
GA
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● (conversação) Abreviatura de "Go ahead", o equivalente em português de "Vá em frente"


GDgd
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
GD & R
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● (conversação) Abreviatura de “Grin, duck & run”, uma expressão utilizada em mensagens online para exprimir um comentário mais atrevido ou descarado.


GECKOgecko
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
GECKO
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● (software) Nome de código do motor de esquematização do Netscape G – parte do browser que lê, o código HTML e o processa e desenha a página na tela.


GÉNIOgénio
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
GÉNIO
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● (gíria) Termo às vezes utilizado por alguém que não sabe muito de Internet para se referir a alguém que sabe mais do que ele (da mesma forma que o termo “novato” é aplicado àqueles que sabem menos).

GIFgif
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
GIF
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● (norma/formato) Formato de arquivo de gráficos (Graphics Interchange Format), originalmente desenvolvido pela Compuserve, que permite comprimir até ao mínimo formato possível arquivos de imagens extensos.



●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
GIF TRANSPARENTE
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● (norma/formato) – Uma variação do formato de gráficos de GIF que permite que uma determinada cor de uma imagem se torne transparente; isto é, particularmente útil nas páginas da Web, pois que faz com que o gráfico se integre facilmente num fundo de página colorido ou com determinados padrões.


GIGABYTEgigabyte
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
GIGABYTE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● um conjunto de 1024 Mb forma um Gigabyte


GLOSSÁRIOglossário
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
GLOSSÁRIO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● I-P - http://members.microsoft.com/wincg/pt-br/mtcf_glossary.aspx?s=4&langid=1219

GOOGLEgoogle
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
GOOGLE
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● (organização) Considerado o motor de busca de informações na Internet mais utilizado no mundo e o que possui os melhores recursos para isso.
Vá lá conferir: www.google.com


GOPHERgopher
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
GOPHER
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● (software) Gopher costumava ser um método utilizado para localizar e acessar a arquivos e informações na Internet, mas o desenvolvimento da World Wide Web tornou-o obsoleto


GPSgps
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
GPS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (Ingl : Global Positioning System) Sistema de posicionamento por satéllite funcionando em todo o mundo. Ver tb EMAIL [http://emaildicdeinfcomplementosutilitarioco.blogspot.com/] - NAVEGAR É PRECISO (GPS)


GRAVARgravar
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
GRAVAR SOM
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● 1.Clicar em “Iniciar”; 2. Apontar para todos os programas; 3. Apontar para Microsoft Office e a seguir para Microsoft POWER POINT ou directamente para • Microsoft (Office) Power Point; 4. Na caixa de diálogo rectangular, ao cimo, clicar em ‘inserir’; 5. Aparece outra caixa de diálogo, apontar para “Filmes e sons”; 6. Na caixa de diálogo que aparece clicar em “Gravar som”; 7. Clicar a seguir na bolinha e falar para o alto-falante que terá de estar ligado ao computador. 8. Depois de terminar clicar em ok. 9. Na caixa de diálogo rectangular ao cimo clicar em apresentações. 10. Na caixa de diálogo que surge clicar em 'Transição de Diapositivos' 10. Na caixa de diálogo que surge a seguir poderá ler sucessivamente "Transição Entre Diapositivos"; "Seleccionados"; "Modificar transição"; "Velocidade"; "Som": por baixo de 'som' tem um rectangulozinho (caixa de diálogo)e clica no quadradinho à direita que tem um v. Surge então toda a caixa de diálogo para além do pequeno rectângulo que estava visível e clica em "Som Gravado" • È claro que se quiser executar mais variantes, terá apenas de seguir as instruções das diferentes caixas de diálogo. 11. Clicar depois na cruzinha X branca em fundo vermelho, ao cimo, à direita; 12. Na caixa de diálogo que aparece “Deseja guardar as alterações feitas a Apresentação 1?” clicar em “Sim”; 14. Depois é só uma questão de “anexar” ao ‘Gmail’ no caso de querer enviar para alguém.


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
GRAVAR UM DOCUMENTO PELA PRIMEIRA VEZ:
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● a) Colocar o cursor do RATO do lado direito do documento em cima e clicar na cruzinha (x) e depois na caixa de diálogo que aparece clicar em sim e depois aparecem os arquivos e clica naquele em que quer guardar.


GUARDARguardar
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
GUARDAR NO DISQUETE UM DOCUMENTO PELA PRIMEIRA VEZ
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Colocar o cursor do RATO do lado direito do documento em cima e clicar na cruzinha (x) e depois na caixa de diálogo que aparece clicar em sim e depois os documentos para guardar e clica no v do rectângulo superior do lado esquerdo e clica depois em disquete.


GUERRAguerra
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
GUERRA DE PROVOCAÇÕES (gíria)

●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● (gíria) Termo utilizado para descrever o que acontece quando uma ou mais pessoas num grupo de notícias respondem a uma “provocação” com uma “provocação” ainda maior. Desconcertante para o ofendido, mas divertido para todos os outros que assistem.


HHHHH



H.h.
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
H.
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (número (norma/formato) – mais um conjunto de normas, desta vez começadas por H., normalmente ligadas á área de videoconferências. H.324 é uma norma ITU de comunicação vídeo e áudio através de uma linha telefónica normal utilizando, por exemplo um modem.


HABILITARhabilitar
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
HABILITAR COOKIES
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
●Habilitar os cookies.
Para usar o Windows Live Hotmail, configure o seu navegador para que ele habilite cookies. As seguintes instruções somente permitirão cookies para sites do Windows Live. Caso contrário, você terá o mesmo nível de proteção de privacidade que tinha antes.
Para o Internet Explorer 6 e superior:
• Clique em Opções...a partir do menu Ferramentas.
• Clique na guia Privacidade e, em seguida, no botão Sites.
• Adicione www.live.com no campo Endereço e clique no botão Permitir.
• Clique em OK para confirmar e, em seguida, clique em OK novamente para sair da janela Opções da Internet.
• Agora você será capaz de entrar no Windows Live Hotmail.
Para o Mozilla Firefox 2.0 e superior:
• Clique em Opções da Internet a partir do menu Ferramentas.
• Clique na guia Privacidade e, em seguida, no botão...Exceções.
• Adicione www.live.com no campo Endereço e clique no botão Permitir.
• Clique em Fechar para confirmar e, em seguida, clique novamente em OK para sair de Opções.
• Agora você será capaz de entrar no Windows Live Hotmail.

Ajuda

https://support.live.com/default.aspx?page=global_propertynotsupported&productKey=wlmail&scrx=1


HACKERhacker
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
HACKER (furador)
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● por Renata Marucci Acredite: Hackers, ou Piratas de computador, não são criminosos implacáveis como se pensa. Exemplo disso é a história dos piratas. Um pirata, antes de ser bom ou mau, precisava ter conhecimentos monumentais e profundos nas mais diversas áreas do saber. Enquanto outros olhavam para os céus e viam apenas estrelas, os piratas viam mais. Achavam seu caminho num mapa invisível. Seguindo os ventos da coragem e o prazer da descoberta, esses homens chegaram em muitos lugares onde a língua falada era desconhecida. "O hacker é alguém que estuda a ciência dos computadores com o objetivo de ultrapassar os manuais, ir além dos ensinamentos dos livros e escolas. Assim, ele pretende explorar ao máximo todos os recursos que a informática pode oferecer. Hacker é o constante e insaciável estudante de ciências da computação. No mundo digital, todos os hackers têm um objetivo comum: o de conquistar a liberdade tecnológica. O hacker não tem a vontade capitalista, ou seja, ele não está em busca de dinheiro e sim, de reconhecimento", define Wayne Rocha, autor de dois livros sobre Linux e autor da página HackerMagazine. Hacker é simplesmente alguém que conhece os sistemas operacionais (e os computadores) como a palma de sua mão, e os testa com o consentimento da empresa onde trabalha. Uma vez que para entrar num computador sem autorização são necessários grandes conhecimentos (ainda que não seja necessariamente essa a realidade), rapidamente o termo se difundiu com um novo significado: o de intruso ou violador que acessa o controle de uma máquina na rede sem ter recebido permissão para isso. Confusão O hacker do mal é o cracker. Ao contrário dos hackers, os crackers são aqueles que realmente têm intenções criminosas (fraudes e espionagem). "As semelhanças entre os dois são muitas e é por isso que ocorre muita confusão na hora de utilizar a nomenclatura", diz Wayne. "O cracker é um irresponsável que não mede conseqüências e ataca sem piedade", completa Thiago Zaninotti, consultor em segurança de informações e editor-executivo do portal SecureNet. Na opinião do advogado Amaro Moraes e Silva Neto, o hacker é movido exclusivamente pelo desafio intelectual de romper as defesas de um sistema operacional - e quando consegue, encerra sua batalha. Já o cracker, é aquele que inicia sua batalha exatamente quando consegue romper as defesas do computador, tendo em vista a obtenção de benefícios, sempre prejudicando alguém. Assim, a mesma descoberta que pode levar a salvar vidas, também pode eliminá-las. A constatação de uma falha tecnológica pode ser feita por alguém interessado em solucionar a questão de segurança, como também por alguém com objetivos de espionagem ou de vandalismo. "A grande verdade é que os hackers são muito bons e sabem escrever códigos que realmente funcionam. Conhecem os mecanismos que permitem a invasão de plataformas alheias. Toda grande empresa acaba por contratá-los, mais cedo ou mais tarde, para que coordenem seus sistemas de defesa", opina o advogado. Hackers, ao trabalho É comum que os hackers trabalhem na área de segurança de sistemas, visto que os conhecimentos adquiridos podem ser usados para melhorar e certificar a segurança dos sistemas das empresas. É muito importante aprender a burlar, a encontrar os pontos fracos, para depois proteger. Por isso, se uma organização pretende proteger seus dados contra crackers - e até mesmo contra hackers -, nada mais lógico que contratar um hacker para fazer isso. Wayne Rocha conta que muitos hackers são convidados a trabalhar nas empresas devido ao sucesso que conquistaram com seus atos amadores. O mais comum é que trabalhem como analistas de segurança de sistemas, porém podem vir a trabalhar como "caça-bug" - é um analista que descobre novos bugs em softwares, em sistemas completos ou em novas máquinas, como impressoras, por exemplo. Os hackers podem trabalhar também como programadores de computador ou administradores de rede. A variedade de conhecimento que eles possuem abre grandes oportunidades nos mais diversos setores. Um analista de segurança em início de carreira ganha cerca de 3 mil reais. "O fato de uma pessoa ser hacker deveria ser encarado como uma qualidade, mas infelizmente não é bem visto no mercado", explica Thiago. "Há muito preconceito em relação aos hackers porque o termo já está associado à prática ilegal", diz o delegado Mauro Marcelo de Lima e Silva, chefe do setor de Crimes pela Internet. Segundo o delegado, isso é fruto de alguns casos em que são praticados crimes cujos responsáveis vendem segurança. "Embora eu me considere um hacker, não ando por aí com uma placa dizendo que sou um", comenta Wayne. Leia mais: ComoSerUmHacker O primeiro passo é estar determinado. Os motivos que levam uma pessoa a ser hacker variam muito, mas na maioria das vezes, o motor é a grande paixão pelos computadores, pela rede mundial e o desejo de ser reconhecido pelo grupo do qual faz parte. De qualquer forma, é preciso estudar muito. Isso fica mais fácil nos dias de hoje, porque estamos na Era da Informática, quando a troca de informação acontece de forma inacreditavelmente rápida. Mas o hacker tem que ir além. Ele deve estar à frente da tecnologia. Veja como: Defina se você quer ser um hacker por bons motivos ou se quer se tornar um criminoso virtual. Hackers não atrapalham a vida dos outros nem atuam contra a lei Aprenda uma linguagem de programação, como a linguagem C, C++ e a melhor e mais atual, Java Aprenda um sistema operacional rico. Um bom sistema para ser explorado é o Linux, pois ele foi escrito por hackers de todo mundo e possui o código de fonte aberto para ser explorado ao máximo. É o sistema que mais combina com o perfil hacker porque permite a liberdade tecnológica Faça cursos, faça amizades na rede e troque informações sobre os mais variados assuntos. Esse intercâmbio pode ser uma rica fonte de conhecimento e orientação para seus estudos Aprenda sobre Hardware de computadores Conheça a Internet e leia tudo sobre a vulnerabilidade dela Aprenda tudo sobre protocolos de rede de computadores. Especificamente sobre TCP/ IP Seja autodidata. Leia muitos livros sobre informática Se você tem realmente boas intenções é bom saber que o caminho a ser percorrido é difícil. Ser hacker não é o resultado de uma fórmula e sim, de muita dedicação, consciência, humildade e bondade. É importante saber o que quer, ter responsabilidade nas ações e ser humilde o suficiente para perceber e aceitar que o universo é infinito e que é impossível fazer tudo sozinho. Cultura Hacker invade o mercado corporativo Hernani Dimantas é um hacker. Mais precisamente, um seguidor da cultura Hacker. Um movimento que tem percorrido a história da tecnologia da informação e influenciado gerações. "A Internet é fruto desta ideologia, assim como toda a conectividade que presenciamos hoje", explica Hernani, consultor de marketing, ativista por privacidade na Internet e colunista de diversos sites. O consultor encara o movimento hacker como uma maneira de fazer negócio, com base no relacionamento, na ética, na responsabilidade e no respeito. Para ele, é encontrar uma nova forma de lidar com as ferramentas já existentes. "Todos já estamos meio cansados da maneira com que trabalhamos. Felizmente, surgem movimentos na Internet com o objetivo de ampliar e dividir o conhecimento", conta Dimantas. Na sua opinião, os mercados são fontes de conversação, de uma nova maneira de fazer e de criar oportunidades de negócio. Tudo isso pode ser classificado como um manifesto da nova economia, onde há lugar para o "hacker com causa" e oportunidades para a quebra de todos os paradigmas da Internet. O mercado está baseado em tendências e o marketing, na cultura hacker, fica aberto à opinião do consumidor. "O consumidor consegue se expressar e interagir e isso é muito hacker", exemplifica Hernani. O marketing, por exemplo, passa por uma reestruturação na qual o importante é aproximar-se dos clientes e trazê-los para junto de você. Isto porque os consumidores estão agindo e procurando as melhores oportunidades. Para fazer parte do movimento é importante ter em mente que o dinheiro é uma conseqüência, é fruto de um trabalho bem feito e de reconhecimento. A cultura hacker nada mais é do que a defesa do conhecimento livre, a possibilidade do acesso à todo e qualquer tipo de informação. Um exemplo bastante completo de atitude hacker é a proliferação de comunidades que rompem ramos e barreiras de aprendizado, pois permitem a vivência dos temas debatidos. Viver cada informação é muito importante. O conhecimento adquirido só tem utilidade e razão de ser se for possível vivê-la de forma transparente. Essa forma de agir tem atingido o mundo dos negócios de forma rápida e tem influenciado toda uma cultura . Não há mais espaço para fronteiras e a conversação corre solta entre as pessoas. Sem autoridade, sem hierarquia, uma conversa transparente numa verdadeira aldeia global. Leia mais: Leia mais: Ser ou não ser um Hacker? Eis a questão por Renata Marucci Acredite: Hackers, ou Piratas de computador, não são criminosos implacáveis como se pensa. Exemplo disso é a história dos piratas. Um pirata, antes de ser bom ou mau, precisava ter conhecimentos monumentais e profundos nas mais diversas áreas do saber. Enquanto outros olhavam para os céus e viam apenas estrelas, os piratas viam mais. Achavam seu caminho num mapa invisível. Seguindo os ventos da coragem e o prazer da descoberta, esses homens chegaram em muitos lugares onde a língua falada era desconhecida. "O hacker é alguém que estuda a ciência dos computadores com o objetivo de ultrapassar os manuais, ir além dos ensinamentos dos livros e escolas. Assim, ele pretende explorar ao máximo todos os recursos que a informática pode oferecer. Hacker é o constante e insaciável estudante de ciências da computação. No mundo digital, todos os hackers têm um objetivo comum: o de conquistar a liberdade tecnológica. O hacker não tem a vontade capitalista, ou seja, ele não está em busca de dinheiro e sim, de reconhecimento", define Wayne Rocha, autor de dois livros sobre Linux e autor da página HackerMagazine. Hacker é simplesmente alguém que conhece os sistemas operacionais (e os computadores) como a palma de sua mão, e os testa com o consentimento da empresa onde trabalha. Uma vez que para entrar num computador sem autorização são necessários grandes conhecimentos (ainda que não seja necessariamente essa a realidade), rapidamente o termo se difundiu com um novo significado: o de intruso ou violador que acessa o controle de uma máquina na rede sem ter recebido permissão para isso. Confusão O hacker do mal é o cracker. Ao contrário dos hackers, os crackers são aqueles que realmente têm intenções criminosas (fraudes e espionagem). "As semelhanças entre os dois são muitas e é por isso que ocorre muita confusão na hora de utilizar a nomenclatura", diz Wayne. "O cracker é um irresponsável que não mede conseqüências e ataca sem piedade", completa Thiago Zaninotti, consultor em segurança de informações e editor-executivo do portal SecureNet. Na opinião do advogado Amaro Moraes e Silva Neto, o hacker é movido exclusivamente pelo desafio intelectual de romper as defesas de um sistema operacional - e quando consegue, encerra sua batalha. Já o cracker, é aquele que inicia sua batalha exatamente quando consegue romper as defesas do computador, tendo em vista a obtenção de benefícios, sempre prejudicando alguém. Assim, a mesma descoberta que pode levar a salvar vidas, também pode eliminá-las. A constatação de uma falha tecnológica pode ser feita por alguém interessado em solucionar a questão de segurança, como também por alguém com objetivos de espionagem ou de vandalismo. "A grande verdade é que os hackers são muito bons e sabem escrever códigos que realmente funcionam. Conhecem os mecanismos que permitem a invasão de plataformas alheias. Toda grande empresa acaba por contratá-los, mais cedo ou mais tarde, para que coordenem seus sistemas de defesa", opina o advogado. Hackers, ao trabalho É comum que os hackers trabalhem na área de segurança de sistemas, visto que os conhecimentos adquiridos podem ser usados para melhorar e certificar a segurança dos sistemas das empresas. É muito importante aprender a burlar, a encontrar os pontos fracos, para depois proteger. Por isso, se uma organização pretende proteger seus dados contra crackers - e até mesmo contra hackers -, nada mais lógico que contratar um hacker para fazer isso. Wayne Rocha conta que muitos hackers são convidados a trabalhar nas empresas devido ao sucesso que conquistaram com seus atos amadores. O mais comum é que trabalhem como analistas de segurança de sistemas, porém podem vir a trabalhar como "caça-bug" - é um analista que descobre novos bugs em softwares, em sistemas completos ou em novas máquinas, como impressoras, por exemplo. Os hackers podem trabalhar também como programadores de computador ou administradores de rede. A variedade de conhecimento que eles possuem abre grandes oportunidades nos mais diversos setores. Um analista de segurança em início de carreira ganha cerca de 3 mil reais. "O fato de uma pessoa ser hacker deveria ser encarado como uma qualidade, mas infelizmente não é bem visto no mercado", explica Thiago. "Há muito preconceito em relação aos hackers porque o termo já está associado à prática ilegal", diz o delegado Mauro Marcelo de Lima e Silva, chefe do setor de Crimes pela Internet. Segundo o delegado, isso é fruto de alguns casos em que são praticados crimes cujos responsáveis vendem segurança. "Embora eu me considere um hacker, não ando por aí com uma placa dizendo que sou um", comenta Wayne. Leia mais: Cultura Hacker invade o mercado corporativo Hernani Dimantas é um hacker. Mais precisamente, um seguidor da cultura Hacker. Um movimento que tem percorrido a história da tecnologia da informação e influenciado gerações. "A Internet é fruto desta ideologia, assim como toda a conectividade que presenciamos hoje", explica Hernani, consultor de marketing, ativista por privacidade na Internet e colunista de diversos sites. O consultor encara o movimento hacker como uma maneira de fazer negócio, com base no relacionamento, na ética, na responsabilidade e no respeito. Para ele, é encontrar uma nova forma de lidar com as ferramentas já existentes. "Todos já estamos meio cansados da maneira com que trabalhamos. Felizmente, surgem movimentos na Internet com o objetivo de ampliar e dividir o conhecimento", conta Dimantas. Na sua opinião, os mercados são fontes de conversação, de uma nova maneira de fazer e de criar oportunidades de negócio. Tudo isso pode ser classificado como um manifesto da nova economia, onde há lugar para o "hacker com causa" e oportunidades para a quebra de todos os paradigmas da Internet. O mercado está baseado em tendências e o marketing, na cultura hacker, fica aberto à opinião do consumidor. "O consumidor consegue se expressar e interagir e isso é muito hacker", exemplifica Hernani. O marketing, por exemplo, passa por uma reestruturação na qual o importante é aproximar-se dos clientes e trazê-los para junto de você. Isto porque os consumidores estão agindo e procurando as melhores oportunidades. Para fazer parte do movimento é importante ter em mente que o dinheiro é uma conseqüência, é fruto de um trabalho bem feito e de reconhecimento. A cultura hacker nada mais é do que a defesa do conhecimento livre, a possibilidade do acesso à todo e qualquer tipo de informação. Um exemplo bastante completo de atitude hacker é a proliferação de comunidades que rompem ramos e barreiras de aprendizado, pois permitem a vivência dos temas debatidos. Viver cada informação é muito importante. O conhecimento adquirido só tem utilidade e razão de ser se for possível vivê-la de forma transparente. Essa forma de agir tem atingido o mundo dos negócios de forma rápida e tem influenciado toda uma cultura . Não há mais espaço para fronteiras e a conversação corre solta entre as pessoas. Sem autoridade, sem hierarquia, uma conversa transparente numa verdadeira aldeia global.


HARDWAREhardware
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
HARDWARE e SOFTWARE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● O hardware e o software são dois componentes básicos do computador. Hardware é o componente do sistema que pode ser visto ou tocado. O software é um conjunto de instruções electrónicas que «dizem ao computador» o que fazer. Embora o software não seja visível nem possa ser tocado, já o pacote em que o software é fornecido pode ser visto e tocado. Software do sistema operativo – O software do sistema operativo controla toda a actividade de um computador. Tanto o hardware como o software devem incluir documentação que explique como instalar e utilizar o produto. Muitos pacotes (packages) de software trazem também uma ajuda no próprio software. Encontram - se em muitas livrarias e bibliotecas livros ou manuais com instruções detalhadas do tipo passo - a – passo.


HIPERMEDIAhipermedia
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
HIPERMEDIA
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Hipermedia é a fusão de hipertexto e multimedia. A sinergia dos dois torna o todo maior que a soma das partes. A combinação de multimedia com hipertexto dá lugar a um paradigma para organizar a informação que ainda é mais orgânico para as nossas mentes, porque mimetiza a capacidade da nossa mente para associar e organizar informação multisensorial.
- http://www.univ-ab.pt/~bidarra/hyperscapes/video-grafias-8.htm

- http://www.citi.pt/homepages/espaco/html/hipermedia.html
- http://pt.wikipedia.org/wiki/Hiperm%C3%ADdia

VOC
SINERGIA - associação dinâmica de vários factores ou de várias funções que contribuem para um determinado resultado ou efeito.
SINERGÉTICO - que actua em conjunto para produzir um determinado efeito ou resultado: músculos sinérgicos


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
HIPERMEDIA ADAPTATIVO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● é a área da Informática que estuda o desenvolvimento de sistemas, métodos e técnicas capazes de promover a adaptação de interfaces

1. interface adaptativa - Metodologia para desenvolvimento de um site com interface - http://www.google.pt/search?hl=pt-PT&q=interface+adaptativa+-+Metodologia+para+desenvolvimento+de+um+site+com+interface.&meta=2.

2. Sistemas Adaptativos
3. Informática - Computação Adaptativa - http://ia.ucpel.tche.br/~lpalazzo/Aulas/HA/


HIPERTEXTOhipertexto
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
HIPERTEXTO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● O hipertexto é um sistema de representação de informação, que fornece a uma network semântica não linear múltiplos caminhos, e agora múltiplas experiências da informação. Assim, para implementar o hipertexto, é crucial dispor de um layout navegacional. Relacionado com este está o grau de controle que o autor dá ao leitor sobre a informação, e a integração da informação na Rede como um todo.
- http://www.citi.pt/homepages/espaco/html/hipertexto.html


HOSPEDEIROhospedeiro
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
HOSPEDEIRO
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● – (gíria) – Nome de um computador na Internet, equivalente a um endereço IP.


HOTMAILhotmail
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
OTMAIL.
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (organização) – Sistema de correio electrónico da Microsoft baseado na Web, que lhe permite acessar ao seu correio electrónico a partir de qualquer parte do mundo

HTMLhtml
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
HTML
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (norma/formato) – é um protocolo de transferência de hipertexto que define o método de troca de informações entre clientes http (por exemplo, browsers Web) e servidores Web. Existe uma variante com sistema de segurança, designada por HTPS, que às vezes utiliza (implementada utilizando SSL) para situações em que é necessário trocar dados importantes, como, por exemplo, número de cartões de crédito.


HIPERLIGAÇÃOhiperligação
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
HIPERLIGAÇÃO
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (gíria) – Uma ligação numa página Web que, quando clicada, dá-lhe acesso a uma outra página. As ligações normalmente são apresentadas numa cor diferente ou aparecem sublinhadas.


IIIII



IACiac
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
IAC
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (conversação) – Abreviatura de “in any case”, que significa “em qualquer dos casos.


IAEiae
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
IAE
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (conversação)” – abreviatura de “in any event”, que significa “em qualquer situação”.

ICMP (norma/formato) – O ICMP (Internet Control Message Protocol) é uma parte do protocolo IP no TC/IP e é utilizado para resolver erros e mensagens de controle. Os programas PING utilizam o ICMP.


IEie
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
IE
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (gíria) – As iniciais da Internet Explorer.


IISiis
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
IIS
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (software) - O IIS (Internet Information Service) é um pacote de software da Microsoft que deve ser executado num computador que tenha o Windows NT instalado e que lhe permite funcionar como um servidor Web.


IMAPimap
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
IMAP
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (software) - O IMAP (Internet Message Access Protocol) define um protocolo que permite recuperar correio electrónico.


IMHOimho
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
IMHO
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (conversação) – abreviatura de “in my humble opinion”, “na minha modesta opinião”. Algumas variantes desta expressão são IMCO (“in my considered opinion” – “na minha conceituada opinião”), ou só IMO (“in my opinion” – “na minha opiniã


IMPUTimput
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
INput/output (I/O)
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Um processo de introduzir DATA (dados) num computador (imput) ou tirá – los para fora (output)


ÍNDICEíndice
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ÍNDICE REMISSIVO DO WINDOWS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Nesta secção trataremos do registo alfabético da ajuda do Windows, que é activado através do Índice remissivo na barra de cabeçalhos da janela Ajuda e Suporte

Active primeiramente a ajuda do Windows através de Iniciar/Ajuda e efectue clique sobre o link Índice remissivo. É provável que tenha que aguardar um momento, até que o Windows conclua a elaboração do índice remissivo.

Receberá posteriormente todos os conselhos relevantes na extensa lista vertical

1. Fornecer conceito de procura – A parte esquerda da janela do separador Índice remissivo encontra-se dividida em duas partes: acima um campo de texto para o fornecimento de conceitos de procura e na lista de baixo, todos os registos disponíveis do índice remissivo da ajuda do Windows em ordem alfabética.

2. Fornecer palavra-chave – No primeiro campo de texto digite as primeiras letras da palavra a ser procurada e determine a palavra-chave. Muitas vezes será suficiente apenas o fornecimento da primeira letra alfabética.

3. Fornecer letra – o conceito da lista abaixo será alterado correspondentemente ao conceito de procura fornecido. Se fornecer apenas uma letra alfabética, receberá o primeiro índice remissivo que inicia com esta letra. Forneça, por exemplo, “i” e acompanhe as alterações na parte inferior. Complete um dado e digite “imprimir”

4. Seleccionar registo – O primeiro registo semelhante será mostrado. Na lista do índice remissivo seleccione o registo Imprimir – descrição geral e active o botão de comando Mostrar no canto inferior da janela. Na parte direita da janela serão mostradas as informações acerca de impressão de documentos.

5. Mostrar registo – Na lista do lado esquerdo da janela efectue clique agora sobre o registo imprimir – resolução de problemas de impressão e, posteriormente, sobre o botão Mostrar. Um assistente aparecerá para o ajudar na resolução dos problemas de impressão. A resolução de problema apresentar-lhe à uma série de questões relativas ao tema, que deverão ser seleccionados por meio de um clique. Posteriormente efectue clique sobre Seguinte. Desta forma o problema será, passo a passo, definido e a ajuda do Windows apresentará sugestões para a sua resolução.




ÍNDICESíndices
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ÍNDICESNO WORD
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●

Índices no Word
--------------------------------------------------------------------------------

Índice Analítico
Índice de Figuras/Tabelas/Fórmulas

--------------------------------------------------------------------------------

Índice Analítico

1) Alterando o estilo dos títulos

Para que o Word gere um índice automaticamente, primeiramente, deve-se indicar os títulos, subtítulos e seções existentes no documento.

Considere um documento-exemplo com a seguinte estrutura de títulos:

1. Conceitos Básicos

2. Hardware

2.1 Memórias

2.1.1 Memória Principal

2.1.2 Memória Secundária

3. Software

Em geral, digita-se o documento inteiro no estilo Normal. Então, para que o Word reconheça os títulos deve-se alterar os seus estilos. Os títulos de capítulo deve ser formatados como Título1, os subtítulos como Título 2, as seções como título 3 e assim por diante. Para alterar os estilos, selecione o título e use o botão "estilo" da barra de ferramentas de formatação para alterar o estilo de "Normal" para o Título X ilustrada abaixo:




Desta forma, os títulos do exemplo: Conceitos Básicos, Software e Hardware devem ser formatados como Título1. O título Memórias como Título 2 e, por fim, Memória Principal e Memória Secundária como Título 3.

2) Inserindo a numeração

Para que o Word gere a numeração automaticamente, selecione, por exemplo, o primeiro título (Conceitos Básicos) e vá ao menu Formatar e clique em Marcadores e Numeração. A seguir escolha a opção Vários Níveis e defina o modelo mais adequado, conforme o exemplo abaixo, e clique em OK.







3) Gerando o índice

A seguir posicione o cursor na página onde o índice deve ser gerado. Então, vá ao menu Inserir/Referências e escolha em Índices. Escolha a opção Índice Analítico, conforme as figuras abaixo:







Escolha o formato (Do modelo, Clássico, Elegante,...) e clique no botão OK que o índice será gerado.


--------------------------------------------------------------------------------

Índice de Figuras

Para que o Word gere um índice de figuras/tabelas/fórmulas etc, deve-se criar as legendas desses objetos através do menu Inserir/ Legenda (ver as ilustrações abaixo)




Para inserir uma Legenda em uma Figura, vá ao menu Inserir /Referências e clique em Legenda. Surgirá a janela Legenda, onde você poderá escolher, se deseja inserir a legenda em uma Ilustração,Figura ou Tabela. Caso você não encontre a legenda desejada, você pode criá-la através do botão "Novo nome".






Para gerar o índice Lista de Figuras, posicione o cursor na página onde deve ser gerado o índice e novamente vá ao menu Inserir/Referência/Índices, mas escolha Índices de Figuras.



Para gerar o índice Lista de Tabelas, faça o mesmo, entretanto troque em Nome de Legenda para Tabela e pressione o botão OK.




INFORMÁTICAinformática
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
INFORMÁTICA
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●

A informática é a ciência que estuda o tratamento da informação. A palavra INFORMÁTICA foi criada pela fusão de duas palavras: Informação + Informática. Será pois o conjunto de ciência e técnica que tem por objecto o tratamento de dados relativos à informação por processos racionais e automáticos que implicam utilização de um computador e aparelhos complementares deste.


INICIAÇÕESiniciações
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
Ver INTRODUÇÕES E INICIAÇÕES DA AJUDA DO WINDOWS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●



INICIARiniciar
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
INICIAR
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Para iniciar coloca A SETA do rato no ícone INICIAR do lado esquerdo ao fundo e clica. Nalguns computadores é preciso clicar duas vezes. A seguir procura OS MEUS DOCUMENTOS, O MEU COMPUTADOR... e clica.


●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
INICIAR PROGRAMAS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● – O Windows é bastante flexível e oferece vários caminhos para execução de comandos. Esta gama de opções estará disponível principalmente no que se refere à forma de iniciar programas.
Em seguida lhes apresentaremos o método de activar aplicações através do menu Iniciar do Windows. Este é o caminho preferido pelos utilizadores sem experiência. Após um período de tempo, o utilizador irá perceber contudo ser este também o caminho mais longo para se dar início a um programa.
A SEGUIR: ACTIVAR PROGRAMAS ATRAVÉS DO MENU INICIAR


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
INICIAR O WINDOWS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●




1. Ligar o computador

Para iniciar o Windows necessitará apenas de ligar o seu computador e também o monitor. Após haver ligado o computador ele é submetido a um controle de funções. O BIOS (Basic Imput, Output System) impele computador a verificar todos os componentes disponíveis, tais domo disco/s) rígido (s), unidades de disquetes e CD – ROM, memória principal e placas gráficas, para que ele possa desta forma entrar em operação. Este procedimento poderá ser acompanhado sobre o ecrã da maior parte dos computadores.

2. Processo de carregamento


Ecrã do Windows
após ter sido ligado
o computador

Poucos segundos após estes comunicados, receberá no seu ecrã a superfície gráfica inicial com o logótipo do Windows. Neste momento o seu disco rígido estará a trabalhar arduamente, para carregar centenas de ficheiros de sistema, tipos de letra e dispositivos e iniciará os primeiros programas.


3. Rede no Windows

Numa rede Windows, ou no caso em que a gestão de utilizadores haja sido activada, receberá após um curto período de tempo a caixa de diálogo Introduzir palavra passe de rede.(Fig. 1.2)





Digite o seu nome no campo Nome do utilizador e no campo palavra-passe, a palavra-passe que definiu no momento da instalação. Em seguida prima a tecla ENTER ou efectue clique sobre o botão de comando OK. Concluído este procedimento receberá o ecrã, a sua superfície de trabalho principal enquanto estiver a trabalhar com o Windows.
VER A SEGUIR: Encerrar o Windows


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
INICIAR O WINDOWS NO MODO DE SEGURANÇA
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●

… Em casos raros, podem ocorrer problemas no carregamento automático do modo Normal. Por exemplo, no caso em que dispositivos de hardware hajam sido equivocamente activados e o Windows não encerre um processo de carregamento de forma correcta. Causas De Problemas As causas para problemas deste tipo podem ser encontradas, na maior parte dos casos, em definições equivocadas para rede ou hardware do computador. Às vezes, a transcrição de controladores importantes com versões inválidas podem causar problemas deste tipo, apesar de o Windows dispor de uma gama de novos mecanismos de segurança, para possibilitar a resolução automática da maior parte deste tipo de problema. Modo De Segurança Em todo o caso, o utilizador terá possibilidade de iniciar o Windows no modo de segurança. Neste modo o Windows não se ocupará com o carregamento de todos os dispositivos com problemas e adoptará uma configuração de dispositivos mínima, através da qual o sistema sempre poderá ser carregado. No modo de segurança, o utilizador terá, todavia que prescindir de algumas das funções avançadas do Windows como, a multitasking ou o uso de unidades de CD-ROM ou placas de som. O que não significa que modo de segurança sirva apenas para a resolução de problemas. Menu De Arranque Do Windows 98 Para activar o sistema operativo modo de segurança reinicie o seu computador. Durante o processo de iniciar mantenha a tecla F8 premida para receber o Menu de Arranque do Microsoft Windows Millenium. Em seguida, prima a tecla 3 e confirme com a tecla Enter para activar a opção Modo de Segurança. No modo de segurança o Windows utiliza a resolução predefinida VGA de 640x480 pixel e 16 cores, para evitar o aparecimento de conflitos. Modo De Segurança O Windows abre então automaticamente a janela Ajuda e Suporte com uma função de resolução de problemas, para ajudá-lo a solucionar os problemas no Windows.A activação deste modo operativo será mostrada adicionalmente num canto do Ambiente de Trabalho, através da inscrição Modo de Segurança. Ajuda E Suporte O utilizador procurará tenta solucionar o problema do Windows com a ajuda desta função. Para tal, efectue clique sobre Ajuda e Suporte, responda às perguntas através de uma das opções oferecidas e efectue clique novamente sobre Seguinte. De acordo com o tipo de problema, o conselheiro do computador apresentar-lhe-á sugestões para a resolução do problema. Tecla F5 O modo de segurança pode também ser activado através de uma tecla. Durante o processo de carregamento prima a tecla F5 para contornar o Menu de Arranque do Microsoft Windows e acessar directamente ao modo de segurnça ●●● INICIAR o Word – O WinWord faz parte de um pacote de programas desenvolvidos pela Microsoft, conhecido como Microsoft Office. Para iniciar o Word seleccione do menu INICIAR a opção programa e do sub menu apresentado clique na opção Microsoft Word. Se não encontrar o atalho para Microsoft Word, seleccione a opção Executar do menu Iniciar e escreva WINWORD. O computador irá procurar o ficheiro e no caso de existir irá executá – lo imediatamente, se não envia uma mensagem informando que não é possível localizar o ficheiro ou um dos seus componentes.







●INSULTUOSOinsultuoso
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
INSULTUOSO - envio de emails insultuosos - flame up
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●



INTERFACEinterface
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
INTERFACE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Interactuação ou intercomunicação de dois sistemas independentes . Em tecnologia e Computadores, há vários tipos de interfaces: • user interface (interface do utiizador)– o teclado, rato, menus. O user interface permite ao utilizador comunicar com o sistema operativo • software interface – a linguagem e códigos que as aplicações utilizam para comunicar entre si e com o hardware. • hardware interface – fios, fichas e suportes que os dispositivos de hardware utilizam entre si. ●●● INTERFACE de rede Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Ir para: navegação, pesquisa Interface de rede ou Placa de rede é um dispositivo eletrônico existente em computadores que permite a interligação destes computadores através de cabos de cobre (redes com fio) ou ondas de rádio (redes sem fio). O padrão mais comum encontrado em computadores domésticos é o padrão Ethernet.


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
INTERFACE do utilizador
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● A interface do utilizador é o conjunto de características com que os utilizadores interagem com as máquinas, dispositivos, programas de computador ou alguma outra ferramenta complexa. Ela fornece métodos para: • Entrada, permitindo ao utilizador manipular o sistema • Saída, permitindo ao sistema produzir os efeitos (as respostas) das ações do utilizador


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
INTERFACE gráfica do utilizador (GUI)
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Exemplo de GUI em sistemas LinuxEm informática, interface gráfica do utilizador (no Brasil, interface gráfica do usuário; abreviadamente, a sigla GUI, do inglês Graphical User Interface) é um mecanismo de interação homem-computador. ~Com um mouse ou teclado o usuário é capaz de selecionar esses símbolos e manipulá-los de forma a obter algum resultado prático. Esses signos são designados de widgets e são agrupados em kits. Ambiente Gráfico é um software feito para facilitar e tornar prática a utilização do computador através de representações visuais do Sistema Operacional. Para Windows temos apenas o ambiente gráfico padrão. Para Linux temos vários ambientes gráficos, entre eles, o KDE, Gnome, BlackBox, Xfce, etc. Além de ter a opção de não precisar usar ambientes gráficos . Para prover a funcionalidade do ambiente gráfico existem programas como X.org, XFree86


INTERNETinternet
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
INTERNET
●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Rede mundial de comunicação por computadores em qualquer parte do mundo e que permite o acesso a uma grande quantidade de informações


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
INTERNET 2
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●
● (tecnologia) – Poisé, existe uma outra Internet, “espinha dorsal” (backbone) ainda mais veloz criada pela IBM, que está sendo testada pelas universidades norte-americanas.



●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
INTERNET EXPLORER
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Navegador Internet concebido pela Microsoft. Está actualmente disponível na sua versão 6. Está largamente integrado no sistema de exploração a partir do Windows 98. Abrevia-se frequentemente por IE.

●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
INTERNET EXPLORER 7
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Navegador Internet concebido pela Microsoft em 2006.para substituir o Internet Explorer 6. Para além de uma segurança acrescida, esta nova versão deveria oferecer as inovações seguintes: Navegação por entallhes e função Quick Tabs permitindo visualizar o conteúdo de todos os diferentes entalhes sobre uma única janela. Manuseamento do menu favoritos afim de melhor gerir os marcadores e controlar os fluxos RSS.


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
INTERNET MOVIE DATA BASE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (organização) – a melhor base de dados existente sobre filmes, o Internet Movie Data Base (www.imdb.com) tem tudo aquilo que deseja: notícia sobre filmes, , informação sobre o sucesso de bilheteira do momento, informações sobre novas estreias, etc.


INTERNICinternic
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
INTERNIC
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (organização) O InterNIC (International Network Information Centre), é a entidade da Internet responsável por administrar os nomes de domínio. Visite-os em www.internic.net


INTERROMPERinterromper
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
INTERROMPER O INICIAR AUTOMÁTICO DO WINDOWS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Após haver ligado o seu computador, o sistema operacional de 32 bits Windows será automaticamente iniciado, sem que necessite fornecer qualquer comando. Em alguns casos é, contudo, necessário que o processo de iniciação seja interrompido. Um destes casos refere-se à situação em que o utilizador haja iniciado o Windows no denominado Modo de Segurança, com o intuito de remover problemas na configuração actual do Windows.
1. Interromper sessão no Windows Para que se possa interromper o início automático do Windows, deverá observar atentamente os comunicados que aparecem no seu ecrã, apenas tenha ligado o computador. Após a iniciação doas componentes do sistema, aparecem os primeiros comunicados como, por exemplo, a contagem progressiva da capacidade de memória disponível, os discos rígidos instalados e, em alguns casos, uma linguagem dos componentes de sistema mais importantes.
2. Menu de arranque Imediatamente após o aparecimento destes componentes de sistema, o disco rígido inicia o seu trabalho e o computador prepara-se para iniciar o Windows. Neste momento, mantenha a tecla F8 premida e o Windows não será iniciado e receberá no seu ecrã a imagem ilustrada, o Menu de arranque do Microsoft Windows.
3. Activar opção - Para activar uma das opções apresentadas no Menu de arranque do Microsoft Windows, digite simplesmente o dígito correspondente à opção desejada e continue através da tecla Enter. Se desejar, por exemplo activar o Modo Operativo Normal do Windows, prima a tecla 1 e confirme sua opção com Enter.
4. Modo Normal - A partir de então o Windows ininicia no denominado Modo Normal que é a sua forma operativa pré-definida.

Caso receba um comunicado de erro ou tenha problemas no momento de iniciar o Windows, interrompa o próximo processo de arranque atrvés da tecla F8 e seleccione no Menu de arranque do Windows a opção de arranque 2. Em sessão (\BOOTLOG.TXT).
5. Ficheiro BOOTLOG.TXT - Com isto, o Windows deposita ao nível principal do disco rígido um ficheiro de texto denominado BOOTLOG.TXT, onde cada dispositivo será orientado no sentido de promover um sucesso no carregamento. O ficheiro BOOTLOG.TXT poderá ser copiado numa disquete e ser normalizado por qualquer editor de textos. Os especialistas poderão detectar os programas ou componentes que estão a causar problemas de arranque.


INTRANETintranet
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
INTRANET

●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (gíria) (gíria) Uma rede de computadores que funciona como uma versão em miniatura da Internet, com a diferença de que o acesso é permitido apenas a um conjunto restrito de usurários – por exemplo, os funcionários de uma empresa.


INTRODUÇÃOintrodução
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
INTRODUÇÃO AOS INTRODUÇÃO AOS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
http://windowshelp.microsoft.com/Windows/pt-PT/Help/ef0ebe45-7b6d-42bf-a40d-6e83359c11442070.mspx


INTRODUÇÕESintroduções
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
INTRODUÇÕES E INICIAÇÕES DA AJUDA DO WINDOWS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
●Introduções e iniciações são mini-curso básicos que são mostrados numa janela de introdução separada. Após haver iniciado a ajuda do Windows através de Iniciar/Ajuda, efectue clique sobre o link Introduções e iniciações na barra de cabeçalhos da janela Ajuda e suporte


1. Lista de Introduções Disponíveis – Na parte esquerda da janela serão listadas todas as suas introduções disponíveis. Efectue clique sobre um dos seus registos para activar a janela Introduções & Iniciações da Ajuda Do Windows -



O registo Aprender a utilizar o rato é um programa educativo que poderá ajudar principalmente os iniciantes para que possam controlar o manuseio do rato e do cursor. Efectue clique sobre este registo e e receberá a janela Aprender a utilizar o rato. Nesta janela, clique em Tutorial para iniciar o tutorial do rato. Através de cliques sucessivos sobre o botão de comando Seguinte tomará conhecimento, passo a passo, dos princípios básicos para o manuseio do rato.


2. Introdução ao Windows – A Introdução ao Windows é composta de quatro rúbricas: O que há de novo, Fazer o seu trabalho, Entretenimento e Multimédia e Funcionamento em rede doméstica . Qualquer um destes temas poderá ser activado através de um clique do rato sobre o título correspondente. No canto esquerdo da janela encontram-se subtítulos que, quando activados, também por clique, fornecem informações na parte principal da janela.

Ao efectuar clique sobre uma introdução dentro da janela Ajuda e suporte, deslocará directamente para a posição do texto relevante. Poderá também efectuar clique sobre as rúbricas e títulos na janela Introdução ao Windows.



3. Sair da Introdução – a janela Introdução ao Windows poderá ser encerrada através do linkSair da introdução , no canto inferior direito da janela ou através do botão de comando Fechar



no canto superior direito

NOTA
Um tutorial é um programa ou texto, contendo ou não imagens, que ensina passo a passo, didaticamente, como algo funciona.

A palavra tutorial é derivada da palavra tutor visto que o seu objectivo é ensinar. Tutoriais são muito comuns na informática, onde são usados para ensinar como os programas funcionam, e como podem ser operados por usuários iniciantes.

A SEGUIR:
ACTIVAR A AJUDA PARA ELEMENTOS DO WINDOWS


INTRUJARintrujar
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
INTRUJAR IPs

●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (técnica) Todos os computadores ligados à Internet têm um endereço único que é utilizado para identificar perante outros sistemas. “Intrujar IPs” é uma técnica às vezes utilizada pelos “furões” (hackers) através da qual conseguem falsificar o seu endereço IP para conseguir ter acesso a um sistema informático.


IPip
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
IP
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● (Internet Protocol) - ver Endereço IP


IPXipx
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
IPX
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (norma/formato). – O IPX (Internet packet eXange) é um protocolo em nível de rede que endereça e encaminha pacotes de uma rede para outra.


IRCirc
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
IRC
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (norma/formato) o irc (Internet Relay Chat) é um sistema que permite que grupos de pessoas participem em discussões ao vivo, baseadas em texto da internet.
Para ter acesso a um canal, primeiro tem de arrajar um cliente IRC, como o mIRC (www.mirc.co.uke. O site do mIRC tem igualmente um conjunto de ligações para outros sites relacionados com IRCs, em www.mirc.co.uk/links.html.


IRLirl
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
IRL
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (conversação) – abreviatura de “inreal life”, que significa “na vida real”.


ISAisa
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ISA
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
●(Industry Standard Architecture) Concepção em bus do PC/XT. Permite a adjunção de vários adaptadore ao micro-computador pela introdução de placas de extensão nos conectores de 8 ou 16 bits e que atingem respectivamente velocidades de 6 MHz e 8 MHz. O conceito ISA integra um cartão de memória tampão entre o bus da unidade central e o local de instalação ISA. Esta placa de memória adiciona estados de espera d'E-S pour permitir às undades centrais adaptar - se mais rapidamente às velocidaes do bus ISA.


ISDNisdn
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ISDN
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● – (tecnologia) – O ISDN (Integrated Services Digital Network) permite obter uma ligação mais mais rápida à Internet, através da utilização de uma ligação digital especial, em vez da utilização de uma linha telefónica analógica.


ISPisp
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ISP
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (Ing : Internet Service Provide – Fornecedor de Serviçoa da Internetr).

Organismo que oferece aos clientes a possibilidade de se ligar à internet, ou mais generalizante, a toda e qualquer rede de comunicação.
Será portanto uma empresa que possui um ou vários computadores ligados permanentemente à Internet. Para aceder à Internet o cliente conecta-se aos computadores do seu fornecedor.
O fornecedor de acesso pode também oferecer serviços em linha


JANELAjanela
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
JANELA, AJUSTAR O TAMANHO DE UMA
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● ver ALTERAR O TAMANHO DE UMA JANELA


●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
JANELA, ALTERAR O TAMANHO DE UMA
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●
● ver ALTERAR O TAMANHO DE UMA JANELA


●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
JANELA, componentes de uma
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●● ●●
● ver Componentes de uma janela


●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
JANELA,MINIMIZAR
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●● ●●
● ver OCULTAR UMA JANELA.


●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
JANELA, mover uma
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●● ●●
● ver MOVER UMA JANELA


●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
JANELA,OCULTAR
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●● ●●
● ver OCULTAR UMA JANELA.


●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
JANELAS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●● ●●
● Partes do ecrã do computador, geralmente de forma rectangular, destinadas a mostrar uma aplicação ou ficheiro (Windows) O que são Janelas? Apresentação As estruturas rectangulares que suportam toda a plataforma de trabalho do ambiente Windows deram por si só o nome a este programa. De facto, todos os trabalhos realizados por este sistema operativo, assim como em qualquer outra aplicação que trabalhe com base neste, estão contidos nestas estruturas designadas por Janelas. Esta analogia tem também implícita a faculdade das mesmas poderem estar abertas ou fechadas, assim como de poderem mostrar ou ocultar os conteúdos aos quais dão acesso. Uma das grandes vantagens do Windows é o facto de se poderem utilizar várias aplicações em simultâneo, tendo cada uma delas um espaço próprio no écran permitindo assim individualizar a respectiva informação, sem contudo perder a capacidade de intercâmbio da mesma. A este sistema de trabalho simultâneo e ao mesmo tempo individualizado, dá-se o nome de Multitarefa. Sempre que abrir uma pasta ou unidade de disco o conteúdo das mesmas estará no interior das janelas. Elementos constituintes de uma janela: Área de Título – área que exibe o nome da aplicação ou documento. Barra de Menus – barra que contém os menus e opções para operar com as janelas e seu conteúdo. Área de Trabalho – interior da janela.













●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
JANELAS, ALTERNAR ENTRE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●● ●●
● ver ALTERNAR ENTRE JANELAS


●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
JANELAS, ALTERAR A POSIÇÃO DE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●● ●●
● ver ALTERAR A POSIÇÃO DE JANELAS E ORDENÁ-LAS NO AMBIENTE DE TRABALHO


●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
JANELAS, dispor
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●● ●●
● ver DISPOR JANELAS AUTOMATICAMENTE


●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
JANELAS, fechar
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●● ●●
● ver FECHAR AS JANELAS DO WINDOWS


●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
JANELAS DO WINDOWS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●● ●●
● Ver AUMENTAR OU DIMINUIR AS JANELAS DO WINDOWS


JPEGjpeg
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
JPEG.
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (norma/formato) – O formato JPEG (Joint Photographics Expert Group) é um formato de arquivo de gráficos, que se tornou popular pela sua capacidade de transformar grandes imagens em arquivos em arquivos de dimensão muito reduzida. Ideal para efectuar teransferências de arquivos da Internet, este formato utiliza uma forma de compressão com alguma perda. Os arquivos JPEG têm às vezes sa extensões JPG, JPE, JPEG, JFI ou JFIF.


JVMjvm
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
JVM
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (software) – O JVMé um pacote de software que executa programas Java numa determinada plataforma.




KIBBSkibbs
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
KIBBS
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (gíria)

A velocidade de um modem (e, consequentemente, a velocidade com a qual se tem acesso à Internet). Unidade de medida que corresponde a quilobytes por segundo e que permite medir literalmente a quantidade máxima de informação que pode ser transferida num dado momento. Os modems topo de linha mais recentes funcionam a 56,6 Kbps, o ISDN efectua a ligação a 128 Kbps e os serviços por cabo ou ADSL oferecem um mínimo de 256 Kbps. Consulte a edição nº. 5 e nº. 7 do “Curso Dinâmico de Hardware” desta mesma editora sobre o acesso discado (nº. 5) e o acesso através da Banda larga à Internet (nº. 7).


KYLOBYTEkYlobyte
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
KYLOBYTE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●● ●●
● Cerca de mil bytes de dados. Mais precisamente, um conjunto de 1024 bytes forma um kilobyte ou Kbyte.
Um documento de texto normal mede cerca de 6 ou 7 Kb, enquanto que uma imagem JPEG ronda os 150 Kb, e um arquivo de vídeo ou de áudio pode ter vários megabytes (um megabyte corresponde a um milhão de bytes de dados).


••• KILOBYTE, MEGABYTE... - Existem duas maneiras de representar uma informação: o Analógico e o digital. A música, p. e. é gravada numa fita k7. De forma analógica, codificada na forma de uma grande onda de sinais magnéticos que pode assumir um número ilimitado de frequências. Um som grave seria representadopor um ponto mais baixo da onda, enquanto um som mais alto representaria um som agudo. O Formato Digital, por sua vez, permite armazenar qualquer informação sob a forma de uma sequênciade valores positivos e negativos. Ou seja na forma de 1 e 0. O número 181 pode ser representado digitalmente por 101101101. QualquerTipo de informação, seja texto, imagem, vídeo, programa ou qualquer outro dado será processado e armazenado na forma de uma grande sequência de uns e zeros. Bloquear (break): Quando o computador bloqueia quer dizer que alguma situação inesperada e/ou desconhecida surgiu. Nunca se esqueça que é você que transmite as ordens ao PC, que você é realmente o comandante e ao computador resta apenas a opção de lhe obedecer. É exactamente o uso dos sistema binários que torna os computadores rápidos e fiáveis, utilizando apenas dois valores diferentes; a velocidade de processamento sempre se torna maior, devido à simplicidade dos cálculos e a possibilidade de o valor 1 ser alterado para um valor zero é, de facto, muito pequena.



LLLLL



LARGURAlargura
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
LARGURA DA BANDA
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (gíria) À quantidade de dados que podem ser enviados através de um determinado canal DE COMUNICAÇÕES chama-se “largura de banda” (bandwidt). As novas tecnologias, como a ADSL ou as ligações por satélite, têm uma largura superior à dos modestos modems que a maioria dos usurários adoptam


LAYOUTlayout
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
LAYOUT (=record layout)
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●● ●●
● Formato de um data record que inclui o nome, tipo e tamanho de cada campo no record


LCDlcd
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
LCD
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (Ing : Liquid Cristal Display). Tipo de ecrã que utiliza um líquido cujas moléculas alongadas se combinam em estruturas cristalinas que deixam passar a luz segundo a sua orientação. Todos os computadores portáteis utilizam ecrãs deste tipo. Existem duas espécies de ecrãs LCD: os monitores de matriz passiva que dão imagens duma qualidade bastante medíocre mas que são mais baratos do que os ecrãs de matriz activa que permitem obter imagens duma qualidade muito superior.


LDAPldap
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
LDAPl
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (norma/formato) – OLDAP (Lightweight Directory Acess Protocol permite que os usurários actualizem e procurem directórios através de uma ligação TCP/IP. Em termos práticos, os programas que têm protocolo activado, dispõem de um método comum para procurar endereços de correio na Internet.


LEDled
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
LED
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (Ing : Light Emitting Diode). Díodo Elctro-Luminescente. Díodo (v.)que emite a luz quando passa a corrente.
Abreviatura de díodo emissor de luz, uma aplicação que se acende quando a corrente a atravessa. Os LEDs são normalmente vermelhos. São úteis para projectar imagens porque podem ser relativamente pequenos e não se queimam. Contudo necessitam de maior potência do que os LCDs


LEITORleitor
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
LEITOR DE NOTÍCIAS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (software) – Tempo genérico para um programa utilizado para acessar a grupos de notícias.


LENTOlento
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
LENTO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● O SEU COMPUTADOR ESTÁ A FICAR LENTO: … 1) Desfragmentar o disco. O DESFRAGMENTADOR consolida ficheiros e pastas fragmentados no disco rígido do computador, para que cada ficheiro e pasta ocupe um espaço único e contíguo no volume. Desta forma o sistema pode aceder aos ficheiros e pastas e guardar os novos ficheiros e pastas de uma forma mais eficiente. Quando consolida os ficheiros e pastas, o desfragmentador de disco também consolida o espaço livre do volume, tornando menos provável a fragmentação de novos ficheiros. Também é possível desfragmentar discos a partir de uma linha de comandos utilizando o comando defrag Abra desfragmentador de disco: Para abrir desfragmentador de disco, clique em Iniciar, aponte para Programas, aponte para Acessórios, aponte para Ferramentas do sistema e, em seguida, clique em Desfragmentador de disco, no menu Acção, clique em Ajuda. 2) Se o problema não ficou solucionado pode ainda ir à Internet e procurar TWEAK XP – pro (Se o seu computador for um XP. Se não for procurará em lugar de XP, 95, 98, etc.)). Instale. Poderá, depois de instalado: - Ajustar o hardware - Informar – se acerca dos drives da RAM (Random access memory – memória de acesso aleatório) - Obter informação do disco - Ajustar o disco rígido - Optimizar a memória - Optimizar o cache - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - QUE É EXACTAMENTE DESFRAGMENTAR O DISCO? Diminui a diferença entre o tamanho dos arquivos e o seu tamanho em disco. Por exemplo, acesse as propriedades de qualquer arquivo ou pasta: haverá dois tamanhos, o 'Tamanho' e o 'Tamanho em disco'. A diferença de tamanho em disco menos o tamanho é um espaço que está sendo desperdiçado em seu computador, a desfragmentação reorganiza os seus arquivos no hd de forma a caber mais coisa. Isso acontece porque toda a informação é guardada em pequenos blocos de alguns kilobytes, portanto, mesmo que um arquivo tenha apenas 340 bytes, o seu tamanho em disco irá usar um bloco inteiro com esses kilobytes, pois um único bloco não pode ser ocupado por dois arquivos. Na desfragmentação o sistema busca arquivos que tenham vários blocos incompletos e tenta colocar tudo completamente e em blocos. Assim há menos blocos ocupados e mais espaço em disco - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -


...





LEXIKONlexicon
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
LEXIKON
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● A-Z [0-9] A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z


LIGAR DOIS PCS – ver TAGUS DATA TRANSFER USB2 CABLE


LIBRAlibra
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
LIBRA (£)
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (caracter)- Ver 'TERCEIRO CARACTER'


LIGAÇÃOligação
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
LIGAÇÃO

●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (tecnologia) – Forma reduzida de “hiperligação”, é uma função existente numa página da Web onde pode clicar para ter acesso a uma outra página da Web (ou a uma outra parte da mesma página.


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
LIGAÇÃO DECOMPOSTA
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●

(gíria) Processo pelo qual as ligações de um determinado site Web deixam de funcionar, durante um certo período de tempo, devido aio facto de os sites estarem em manutenção. Pode evitar passar por este processo se fizer actualização regular do seu site.


LIGARligar
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
LIGAR DOIS PCs
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●● ● –
●– ver TAGUS DATA TRANSFER USB2 CABLE


LIGHTlight
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
LIGHT PEN
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● dispositivo de introdução de dados que utiliza um detector óptico para seleccionar objectos no ecrã. É semelhante a um rato com a diferença de que com uma ligt pen pode mover o ponteiro e seleccionar objectos no ecrã aberto apontando directamente para os objecto com a caneta


LIMPARlimpar
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
LIMPAR HISTÓRICO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Como eliminar – Aponte a seta do rato para Internet Explorer; Carregue no lado direito do rato; Clique em propriedades; clique em limpar histórico.


LINUXlinux
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
LINUX
T

●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (software) – Uma espécie de cópia gratuita do Sistems Operacional Unix, inicialmente para PCs com processadores Intel, o Linux foi desenvolvido por Linus Torvalds, mas posteriormente outros acrescentaram-lhe muitas outras ferramentas.
Se quiser obter informações técnicas ou outro tipo de informações , visite o site na internet (ww.linux.org).


LISTlist
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
LIST SERVER
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (tecnologia) – Um sistema que automatiza a tarefa de gerir listas de correio da Internet, incluindo tarefas como acrescentar ou retirar subscritores e enviar as listas propriamente ditas.


LOGOlogo
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
LOGO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
Logótipo, Símbolo comercial, símbolo impresso ou imprimido ou cunhado em algum material LOGOTIPO ou logótipo - refere-se à forma particular como o nome da marca é representado graficamente, pela escolha ou desenho de uma tipografia específica. É um dos elementos gráficos de composição de uma marca, algumas vezes é o único, tornando-se a principal representação gráfica da mesma. Exemplo -


LYCOSlycos
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
LYCOS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (organização) – O Lycos é também um site de procura na Internet. Ao contrário do que acontece com o Yahoo, o Lycos procura a maior parte dos sites e não apenas um directório.


LYNXlynx
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
LYNXS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
●. Um browser Web unicamente de texto


LZDlzd
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
LZD
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
●. (técnica) – LZD (Lempel-Ziv-Welch) é um métodoo de compressão de dados que resultou de técnicas desenvolvidas por Jacob Ziv e Abraham Lempel e que foram posteriormente aperfeiçoadas por Terry Welch. A técnica LZV é utilizada em arquivos GIF e modems que implementam a compressão V.42bis (o que, na verdade, acontece com a maioria).


MMMMM



MACROMÉDIA
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MACROMÉDIA
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (organização) – Constituída em 1992, a Macromedia especializou-se em apresentações multimídia e software da Internet, como Director, Shockwave e Flash. Para obter mais informações consulte www.macromedia.com.


MAILTOmailto
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MAILTO

●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (Ligação Mailto) Uma ligação numa página Web cuja URL começa por “mailto”. A maior parte das frases do tipo “Clique aqui para enviar uma mensagem” são baseadas em ligações “mailto”. Se estiver criando manualmente a sua página, a sintaxe HTML necessária é a seguinte:
Envieme uma mensagem!


MAILBOTmailbot
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MAILBOT

●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (técnica) –Um termo alternativo para um dispositivo de resposta automática.


MAPImapi
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MAPI

●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (norma/formato) – MAPI (Mail Applications Programming Interface) é uma norma Microsoft Windows que permite às aplicações que a suportem, interagir com os sistemas de correio electrónico. Por exemplo, em aplicações MAPI-ware, como o Word, é possível envir uma cópia de um documento a alguém, como um anexo a yuma mensagem de correio electrónico, seleccionando o comando Enviar do menu Arquivo (File>Send).


MEGABYTEmegabyte
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MEGABYTE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Um megabyte tem cerca de mil kilobytes (1048 576 bytes)


MEMÓRIAmemória
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MEMÓRIA RAM
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●● ● –
● É usada pelo processador para armazenar os dados em processamento, funcionando como uma espécie de mesa de trabalho. A quantidade de memória RAM disponível, determina quais as actividades que o micro PC poderá ou não executar.
Os chips de memória são vendidos na forma de pentes ou módulos de memória. Existem pentes de várias capacidades e quantidade de módulos a instalar, tem a ver com a quantidade de memória pretendida para execução dos programas instalados ou a instalar e com o número de bancos de bancos disponíveis na motherboard onde irão ser instalados. - ver tb RAM. justify">







MENSAGENSmensagens
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MENSAGENS INSTANTÂNEAS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (tecnologia) – Uma espécie de correio electrónico instantâneo que utiliza a mesma tecnologia que as salas de conversação e os grupos de notícias para permitir a troca de mensagens breves de uma forma rápida e directa com amigos online.


MENSAGEMmensagem
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MENSAGEM
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Informação de registro, uma corrente de dados expressados em uma linguagem aberta ou encriptada (notação) e preparada em um formato especificado para a transmissão pretendida por um sistema de telecomunicações.
v. tb mensagem do actualizador


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MENSAGEM DO ACTUALIZADOR
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● mensagem informativa "instantânea" atualizadas com freqüência. Em diversos sites informativos.
pode-se chamar também de "mensagem do ticker", o termo ticker já é utilizado normalmente no Brasil


MENSAGEIROmensageiro
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MENSAGEIRO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (Ing: ORB : Object Request Brocker). - Sub-sistema distribuído, que permite a um objecto cliente enviar uma mensagem a um objecto servidor distante e de recuperar a resposta, sem conhecer a localização do objecto servidor.


MACmac
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MAC
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (Ing: Media Access Control) Parte do modelo de dados IEE duma rede. A MAC implementa o protocolo que controla o acesso à rede. Um MAC Ethernet utiliza um método de acesso CSMA/CD. Un MAC Token Ring utiliza um método de acesso Token.


MALWAREmalware
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●● MALWARE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Software desenvolvido com a finalidade de causar danos num computador.


MEGABYTE
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MEGABYTE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
●1024 Kb formam um Mb


MEMÓRIA RAM
●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MEMÓRIA RAM
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● É usada pelo processador para armazenar os dados em processamento, funcionando como uma espécie de mesa de trabalho. A quantidade de memória RAM disponível, determina quais as actividades que o micro PC poderá ou não executar. Os chips de memória são vendidos na forma de pentes ou módulos de memória. Existem pentes de várias capacidades e quantidade de módulos a instalar, tem a ver com a quantidade de memória pretendida para execução dos programas instalados ou a instalar e com o número de bancos de bancos disponíveis na motherboard onde irão ser instalados. - ver tb RAM.


MENUmenu
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MENU
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Lista de opções utilizadas principalmente em programas.


MENUSmenus
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MENUS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●● ● ● ●●●●
● ver → Trabalhar Com Menus


METACRAWLERmetacrawler
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
METACRAWLERL
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (tecnologia) –À semelhança de um motor de metapesquisa, vagueia em busca de motores de pesquisa e sites da Web.


MICROSOFTmicrosoft
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MICROSOFT
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (organização) – Durante muito tempo, o gigante de software não prestou grande atenção à Internet, mas, depois, apercebeu-se do erro. Hoje possui um browser da Internet incorporado no Windows chamado de Internet Explorer.


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MICROSOFT INTERNET EXPLORER
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (software) – Este é o browser da Internet, da Microsoft. É considerado o melhor até o momento, que concorre com o Netscape.


MIDImidi
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MIDI
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (norma/formato) – MIDI significa “Musical Instrument Digital Interface”. Os usurários da Internet deparam-se frequentemente com arquivos MIDI como música de “fundo” de alguns sites da Web. Os arquivos MIDI são bastante populares para esta finalidade, por serem muito pequenos. Contrariamente ao que acontece com a maioria dos formatos de arquivo que contém gravações digitais de música ou som, os arquivos MIDI assemelham-se mais a uma pauta de música com instruções sobre como tocar. A placa de som toca o arquivo utilizando os documentos que têm disponíveis, de acordo com as instruções do arquivo. Em Windows, os arquivos MIDI podem ser tocados normalmente utilizando o Media Player (MPLAYER.EXE).


MIMEmime
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MIME
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● MIME (Multipurpose Internet Mail Extensions) é um método normalizado de transmissões de arquivos binários por correio electrónico. MIME define as formas como os arquivos podem ser codificados e, em seguida, descodificados e descarregados pelo programa de correio.


MINIATURAminiatura
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MINIATURA
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (técnica)

Mesmo fazendo uso de formatos de compressão inteligentes, como o JPEG, os arquivos de imagens de qualidade são normalmente grandes e demoram bastante tempo para transferir. Uma solução comum adaptada por muitos sites que contém colecções de fotografias consiste em apresentar uma colecção de versões das imagens originais em formato reduzido. A uma versão reduzida convencionou-se chamar-lhe “miniatura (thumbnail)” . Estas miniaturas permitem que as pessoas que as veja, decida qual a fotografia que realmente pretende ver em alta resolução.


MINIMIZARminimizar
●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MINIMIZAR UMA JANELA
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●● ● ● ●●●●
● ver OCULTAR UMA JANELA


MODEMmodem
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MODEM
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (hardware) – Dispositivo modelador/desmontador concebido par converter sinais digitais em sons analógicos apropriados para serem transmitidos através de uma linha telefónica e para descodificar Sinais analógicos convertendo-os de novo em informação digital. O padrão actual para modems de 56 K designa-se por “V.90.
Para obter informações sobre modems na Internet, experimente modemhelp.com.”


MODEMmodem
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MODEM EXTERNO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (hardware) – Um modem integrado numa pequena caixa, que não está incluído dentro do PC e que normalmente se liga a ele através um cabo


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MODEM POR CABO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (hardware) – As vantagens das empresas de telecomunicações por cabo não se limitam ao facto de lhe darem acesso a canais televisivos, sem o incómodo de ter de colocar uma antena parabólica no exterior de sua casa. Muitas delas fornecem igualmente acesso à Internet e, uma vez que as ligações por cabo têm uma qualidade muito superior à das linhas telefónicas, a velocidade de ligação é consideravelmente superior.


MODOmodo
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MODO KIOSK
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (gíria) – No Netscape Navigator, é a única forma integrada de visualizar a Internet em tela inteira. Ainda que de uma maneira um tanto desajeitada, é necessário actvar o modo colocando um parâmetro na linha de comandos.


MONITORmonitor
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MONITOR
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●● ● –
● Unidade do equipamento informático munida de um ecrã no qual é visível a informação introduzida ou outras indicações.


Um monitor de vídeo, ou simplesmente monitor, é o dispositivo de saída do computador que serve de interface visual para o usuário, na medida em que permite a visualização dos dados e sua interacção com eles. Os monitores são classificados de acordo com a tecnologia de amostragem de vídeo utilizada na formação da imagem. Actualmente, essas tecnologias são duas: CRT (ver) e LCD (ver). À superfície do monitor sobre a qual se projecta a imagem chamamos tela, ecrã ou ecrã.


MOSTRARmostrar
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MOSTRAR OU OCULTAR RÉGUAS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● A. Mostrar ou ocultar a régua horizontal

Para visualizar a régua horizontal ao longo da parte superior do documento do Word, tem de estar na vista de esquema de impressão (vista do esquema de impressão: vista de um documento ou de outro objecto que mostra qual será o aspecto do mesmo quando for impresso. Por exemplo, os itens como cabeçalhos, notas de rodapé, colunas e caixas de texto aparecem nas suas posições actuais.), na vista normal (vista normal: vista que mostra a formatação do texto e um esquema de página simplificado. A vista normal é conveniente para a maior parte das tarefas de edição e de formatação.) ou na vista de esquema Web (vista de esquema Web: vista de um documento que mostra como este será apresentado num browser. Por exemplo, o documento é apresentado como uma longa página (sem quebras de página) e o texto e as tabelas são moldados para se ajustarem à janela.).
No menu Ver, clique em Régua.

B. Definir a localização da régua vertical

1. No menu Ferramentas, clique em Opções e, em seguida, clique no separador Ver.
2. Em Opções de impressão e de esquema Web, seleccione a caixa de verificação Régua vertical (apenas na vista de impressão).
3. Seleccione ou desmarque a caixa de verificação Régua direita (apenas na vista de impressão).

C. Experimente (para uma visão total) seleccionar cabeçalho e rodapé.


MOTEHRBOARDmotherboard
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MOTEHRBOARD (placa-mãe)
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
É a placa principal do computador com circuitos impressos onde são introduzidos os chips e placas do computador para utilizar programas que são demasiado grandes para um sistema de memória. Também chamada "placa sistema," é o principal circuito num dispositivo electrónico que contém encaixes que possibilitam placas adicionais. Num computador de secetária, a motherboard contém o CPU, o chipset as ranhuras do bus do PCI, ranhura do AGP, ranhuras para memória e circuitos de controle para o teclado, rato, discos e impressora. Pode ainda ter incorporados controladores para modem, som, visualizção e network, obviando a necessidade de ligar a uma placa. Um computador típico de secretária tem todos os controladores periféricos incorporados.


MOTORmotor
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MOTOR DE PESQUISA

●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (gíria) – Na Internet existem milhões de páginas. Muitas dessa páginas mudam frequentemente, são acrescentadas novas páginas, há muitas páginas antigas que acabam ou mudam de enderço. Como é que se consegue acompanhar tudo isto? Com um motor de pesquisa, uma base de dados gigantesca que contém informações sobre a maior parte das páginas da Internet, a que pode recorrer para procurar palavras-chave relacionadas com o assunto que lhe interessa.
De entre os melhores motores de pesquisa, experimente os seguintes: www.google.com; www.altavista.digital.com; www.excite.com; www.hotbot.com; www.infoseek.com; www.lycos.com


MOUSEmouse
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MOUSE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Ver Rato


MOVERmover
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MOVER UMA JANELA
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Para mover uma janela, aponte para a respectiva barra de título com o ponteiro do rato . Em seguida, arraste a janela para a localização pretendida. (Arrastar significa apontar para um item, premir o botão do rato, mover o item com o ponteiro e, em seguida, soltar o botão do rato.)














MOZILLAmozilla
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MOZILLA
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (gíria) – Desenho animado utilizado como mascote do Netscape Navigator. Aparentemente, o nome deriva da contracção de “Mosaic Killwer” (Mosaic era o browser mais conhecido quando o Navigator ainda estava sendo desenvolvido). Fique a par das suas actividades visitando o Museu Mozilla em home.snafu.de/tilman/mozilla.
Designa também o nome do projecto de desenvolvimento de outro browser da Nescape, o Nescape 6. Para obter mais informações, visite www.mozillzine.org.


MP3mp3
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MP3
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (norma/formato)

Extensão de arquivo atribuída aos arquivos de musica MPEG comprimidos utilizando um esquema designado por “áudio layer 3”. O resultado final é excelente, permitindo criar arquivos com faixas completas suficientemente pequenos para transferir rapidamente. Descubra por si mesmo em www.mp3.cm, partindo do princípio, claro, de que possui um leitor MP3. Não tem? Então é melhor carregar um gratuito em www.winamp.com.


MP3mp3
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MP3
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● (Ing Motion Picture Experts Group, Audio Layer - Formato de compressão de dados audio nascido em 1992 fundamentando-se em bases psicoacústicas como o Mini-Disc, por exemplo com uma taxa de compressão de 1 a 10 sem perda audível de qualidade sonora.

MS-DOSms-dos
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MS-DOS
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● Sistema Operacional de Disco para Microcomputadores

ms-dos

MS-DOS é uma acrossemia de MicroSoft Disk Operating System (sistema operacional em disco da Microsoft); é um nome genérico do sistema operacional licenciado pela Microsoft Corporation para uso em vários microcomputadores de diferentes de fabricantes. Alguns destes fabricantes alteram o MS-DOS para melhor adaptá-lo a seus computadores dando-lhe novos nomes, como PC-DOS ou Z-DOS. Baseando-se no nome disk-operating system (sistema operacional em disco, ou DOS), pode-se imaginar que tudo o que o MS-DOS é gerenciar seus discos. Entretanto, o MS-DOS faz muito mais que isto: ele proporciona um modo de se dizer ao computador qual o programa ou comando que se deseja executar, onde ele encontrará este programa ou comando e o que ele deve fazer com ele. Por exemplo, ele pode enviar informações à tela de vídeo, a uma impressora ou a uma porta de comunicações, para que elas sejam enviadas a outro sistema. O sistema operacional pode ser considerado como operacionalizável em dois níveis: O primeiro nível é um sistema de gerenciamento de hardware: o MS-DOS coordena a unidade central de processamento do computador (a CPU, que é o chip microprocessador que atua como o "cérebro" do computador) com o resto do hardware. Nesta capacidade, o MS-DOS capta o caractere digitado no teclado, codifica-o de forma que a CPU possa entender e, então, exibe-o no monitor de uma forma que o usuário possa entender. Ou seja, o MS-DOS atua como intermediário, convertendo os sinais eletrônicos gerados pelo teclados em códigos de controle que os programas de aplicação possam utilizar. Ele também executa pequenas tarefas relacionadas com a utilização dos programas , como a formatação de um disco, ou informando-lhe sobre os arquivos que se encontram em um determinado disco.

O segundo nível no qual o MS-DOS opera é a função utilitária. Nesta capacidade, o MS-DOS executa comandos, o que lhe permite interagir diretamente com o computador. Estes comandos executam funções como renomear arquivos no disco ou copiar arquivos de um lugar para o outro. O MS-DOS trata de seus próprios comandos exatamente como os programas de aplicação. Estes comandos, entretanto, são mais limitadors que a maioria dos programas de aplicação. Eles não executam tarefas como o processamento de palavras ou a contabilidade; em vez disso, são usados para a manutenção geral de seu computador. Cada comando possui um nome, que é geralmente de fácil memorização. Este trabalho se aterá apenas ao primeiro nível de operacionalização do MS-DOS. Comunicando-se com o Hardware A CPU do computador não pode funcionar bem sem um sistema operacional. O MS-DOS coordena o hardware e permite que a CPU comunique-se com quase todas as partes de seu computador. Após carregar o sistema operacional (geralmente logo após o computador ter sido ligado), ele é mantido na memória de acesso aleatório do computador (RAM). A memória RAM é temporária, isto é, ela só é mantida pela força elétrica do computador. Quando este é desligado ou a energia é cortada mesmo que por alguns segundos, todas as informações guardadas em RAM são perdidas. O processo de colocação em RAM dos dados vindos de foontes como o teclado e, alternativamente , a captação de informações da RAM e o seu envio para um dispositivo de hardware diferente, como a tela de vídeo, é chamado de E/S, ou entrada/saída. Cada vez que forem "lidas" informações advindas de algum dispositivo de hardware, como um acionador de disco, ou "gravadas" em um dispositivo de hardware, como uma impressora, o MS-DOS executa uma operação de E/S.

Um dispositivo é simplesmente uma peça de hardware que utiliza E/S. Por exemplo, uma impressora, um monitor, um acionador de disco, etc. Os dispositivos são conectados ao computador por meio de portas seriais ou paralelas. Quando a CPU precisa se comunicar com outro hardware, ela utiliza a parte do sistema operacional que conhece esse hardware. Executando Programas de Aplicação Em seu papel de intermediário entr e a CPU e um programa de aplicação, o MS-DOS executa tarefas importantes. Ele obtém o programa que você deseja executar e coloca-o em RAM, além de ajudar o programa a executar E/S. Quando o usuário comunica ao MS-DOS que deseja executar determinado programa, ele encontra o programa no disco, carrega-o em RAM e mostra à CPU o local do início do programa. Nota: Há programas de aplicação desenvolvidos para sistemas operacionais diferentes do DOS, como o OS/2 ou Windows NT, por exemplo. O Windows 3.1, que é utilizado em muitos micros, geralmente é confundido com um sistema operacional, porém é apenas uma plataforma. Ele se utiliza do DOS para fazer as entradas e saídas, como qualquer outro programa de aplicação, porém fornece recursos como os de um sistema operacional para os programas de aplicação que o utilizam. Discos e Arquivos Quando dados são guardados em disco, eles são gravados em arquivos. As informações em arquivos podem consistir em texto, dados, programas, etc. O arquivo pode ter qualquer tamanho, limitado apenas pelo espaço disponível em disco.

Os arquivos são armazenados em discos ou disquetes. Um disco (ou disco rígido, ou ainda "Winchester"), é uma peça circular de material rígido coberto por um material magnético (podem ser várias peças como essa agrupadas em um único "Winchester"); um disquete (ou disco floppy) é uma versão flexível do disco, com capacidade menor.

Para recuperar arquivos do disco, o cabeçote percorre o mesmo até o local onde está armazenado o arquivo. O cabeçote lê primeiramente o diretório, onde estão informações sobre o arquivo. A partir daí e da File Allocation Table, o DOS descobre em que local do disco o arquivo se encontra, o que é determinado por trilhas e setores, como se fosse os eixos X e Y do disco. As trilhas são círculos concêntricos e os setores são como fatias do disco, como mostra a figura ao lado. Uma cluster, em linguagem técnica, é a intersecção de um setor com uma trilha. Um cluster possui um número fixo de bytes e um arquivo pode ocupar um ou mais clusters, sequencialmente ou não. É esse o papel da File Allocation Table, ou simplesmente FAT: mostrar ao DOS onde se encontram as diversas partes do arquivo espalhadas pelo disco.


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MS-DOS, ACTIVAR A LINHA DE COMANDOS DO MS-DOS
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● v. ACTIVAR A LINHA DE COMANDOS DO MS-DOS no WINDOWS

MUDARmudar
●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MUDAR DE LINHA
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● quando o cursor do RATO não se encontra no fim da linha – Suponha que tem o cursor do RATO, aquele tracinho vertical (|) que pulsa como um ponteiro de segundos de um relógio electrónico, no meio de um a linha (1) e quer passar para a linha seguinte. Como faz? (1) – tal tal tal tal tal tal tal tal tal tal tal … | … tal tal tal tal tal [faça de contas que o cursor do rato é aquele tracinho vertical entre as reticências (…)] Resposta Procura a tecla END e pressiona para pôr o cursor do rato (|) no fim da linha. Depois carrega no Enter e passa à linha seguinte. Por cada vez que carregar no ENTER avança mais uma linha.


MSIEmsie
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MSIE

●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●
(norma/formato) A sigla MSIE, é ocasionalmente utilizada como abreviatura DE Microsoft Internet Explorer.
te


MTUmtu
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MTU

●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●
(gíria) Sempre que enviar ou receber dados através da Internet, são divididos em grupos de bytes, designados por “pacotes”, e enviados separadamente. A unidade de transferência máxima (Maximum Transfer Unit), define o tamanho máximo possível para um pacote individual. Porrque é que isso lhe interessa? Porque no Windows 95, por predefinição, esta unidade está aparentemente optimizada para funcionar numa rede normal e não na Internet e algumas pessoas argumentam que alterar o valor da unidade de transferência máxima pode melhorar o desempenho da ligação de rede.
Os usurários do Windows 98 podem tentar esta artimanha manualmente. Abra o ícone Rede no Painel de Controle , clique em Adaptador de marcação e seleccione Propriedades . Clique no separador Avançadas e defina o Tamanho do Pacote Ip para Grande .Clique em OK para fechar todas as caixas de diálogo abertas.
Isto ajuda? Não podemos garantir – até pode reduzir o desempenho, por isso anote a definição original antes de mudá-la. Contudo, vale a pena tentar, e se não funcionar, é só repor a definição original.


MUDmud
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MUD

●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (gíria) Abreviatura de Multi-use Dungeon. Um jogo simples que existe on-line e permite aos jogadores interagir uns com os outros com as próprias personagens do jogo. Originalmente
composto apenas de texto, o conceito evoluiu para grandes universos gráficos, como Ultima online e Asheron’s Call.


MULTImulti
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MULTI READ
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● MultiRead - Norma que permite a um leitor de CD ler os CD-RW (CDs regraváveis)


MYNOTEminote
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MYNOTE PREMIUM
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● ver BLOCO NOTAS MYNOTE


MYOBmyob
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
MYOB

●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●
(conversação)Abreviatura de “Mind Your Own Business” o equivalente em português “Meta-se na sua vida”


NNNNN



NANOTECNOLOGIAnanotecnologia
●●●●●●●●●●●●●●●●●
NANOTECNOLOGIA
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● MICROTECNOLOGIA

NNNNN


NAVEGARnavegar
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
NAVEGAR
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (gíra)
Um termo às vezes utilizado para descrever a experiência que é explorar a Internet, que se baseia na forma como “salta” de uma página para outra através de ligações e que… de facto, muito pouco têm que ver com a forma como se navega, não é verdade?


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
NAVEGAR SEM MOUSE
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Como navegar na Internet sem o mouse
Este é um pequeno mas muito útil tutorial que ensina a operar algumas das principais funções do Internet Explorer sem a necessidade do mouse, ou seja, somente por meio do teclado. Confira:
Control + N: abre uma nova janela de navegação;

Alt + Home: abre a página inicial (home page) do Internet Explorer;

Home: leva para o começo da página exibida no Internet Explorer;

End: leva para o fim da página exibida no Internet Explorer;

Alt + flecha para esquerda: equivale ao botão Voltar;

Alt + flecha para a direita: equivale ao botão Avançar;

Esc: equivale ao botão Parar. Interrompe o descarregamento de uma página;

Control + F: abre a opção Buscar, por meio da qual é possível encontrar palavras e frases na página;

Control + H: mostra o menu Históricos;

Control + B: permite organizar os Favoritos;

Control + D: adiciona a página aos Favoritos;

ALT + D: seleciona a barra de endereços para posterior preenchimento;

Control + Enter: acrescenta "www." e ".com" ao texto na barra de endereços;

Control + O: abre uma caixa para preenchimento de um endereço;

Control + P: imprime a página;

Control + R: equivale ao botão Atualizar;

F1: abre a Ajuda do Internet Explorer;

F3: abre a ferramenta de busca do Internet Explorer;

F4: "abre" a barra de endereços;

F5: equivale ao botão Atualizar;

F6: seleciona a barra de endereços para posterior preenchimento;

Tab: avança o cursor/seleção entre os elementos de uma página, incluindo barra de endereços, links, espaços de formulário etc;

Tab + mayúsculas: retrocede o cursor/seleção entre os elementos de uma página, incluindo barra de endereços, links, espaços de formulário etc;

Control + W: Fecha o Internet Explorer.


NAVIGATOR
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
NCSA
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● Nome do browser desenvolvido pela Netscape


NCSAncsa
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
NCSA
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (software) National Center for Supercomputing Applications (Centro Nacional para Aplicaçãos de Superinformática). Centro onde foi desenvolvido o primeiro browser gráfico, o Mosaic, pr uma equipa da qual Marc Andreesen fazia parte.


NETIQUETAnetiqueta
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
NETIQUETA
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (norma/formato) Regras gerais para envio de mensagens; a netiqueta é a versão online das regras de etiqueta\ e boas maneiras, e inclui conselhos como os seguintes:
1. Não redija mensagens em letras maiúsculas, pois isso é encarado como se estivessem GRITANDO.
2. Não reenvie uma mensagem em sua totalidade só para adicionar um comentário do tipo “concordo” no final.
3. Não redija as mensagens em forma de tópico.


NETMEETINGnetmeeting
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
NETMEETING
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (software) - Uma excelente ferramenta fornecida gratuitamente com o Microsoft Internet Explorer, o NetMeeting inclui várias funções úteis de comunicação e colaboração. Pode utilizá-lo para “ligar” a outras pessoas através da Internet e falar com elas directamente, como se fosse um telefone da Internet (desde que todos tenham placas de som, colunas e um microfone). E se tiverem câmaras Web (webcams), podem ver-se uns aos outros.
Dentre as inúmeras características, destaque para o compartilhamento de aplicações, considerada a melhor de todas por algumas pessoas. Se estiver com problemas, executando uma determinada função numa das suas aplicações, apresente fazer uma ligação NetMeeting a um dos seus amigos especialistas. Ele conseguirá ver exactamente o que o que está a fazer para poder aconselhá-lo devidamente.


NETNANNYnetnanny
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
NETNANNY
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (software) - Net Nanny é um modo de software que pode ser instalado sobre o browser para filtrar determinado material. Estes programas são essencialmente utilizados pelos pais para controlar o acesso dos filhos à Internet, filtrando referências e imagens de sexo.


NETSCAPEnetscape
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
NETSCAPE

●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (organização) Quando era líder do mercado de browsers, com o Navigator e o Communicater, a Netscape perdeu grande fatia do mercado quando a Microsoft lançou e decidiu oferecer o seu concorrente, o Internet Exploer. Depois de perder receitas durante algum tempo, a Netscape foi atingida pela AOL em 1998


NOÇÕESnoções
●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●
NOÇÕES BÁSICAS DO WINDOWS
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
http://windowshelp.microsoft.com/Windows/pt-PT/Help/f8392c5b-a46d-4b0b-bcd8-eb0ef0fd09402070.mspx


NETIQUETAnetiqueta
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
NETIQUETA
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (norma/formato) Regras gerais para envio de mensagens; a netiqueta é a versão online das regras de etiqueta\ e boas maneiras, e inclui conselhos como os seguintes:
1. Não redija mensagens em letras maiúsculas, pois isso é encarado como se estivessem GRITANDO.
2. Não reenvie uma mensagem em sua totalidade só para adicionar um comentário do tipo “concordo” no final.
3. Não redija as mensagens em forma de tópico.


NNTPnntp
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
NNTP

●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (norma/formato) – O protocolo NNTP (Network News Transport Protocol) define o modo como novos programas, como o Outlook Express ou o Nescape Navigator, comunicam com novos servidores, de forma a acessar a grupos de notícias.


NORMASnormas
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
NORMAS

●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (gíria) – Não existem normas na Internet. Ou existem poucas. É por isso que o Net Nanny (ver) é muito útil.


NOTEnote
●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●
NOTE PAD
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● ver Bloco Notas


NOVATOnovato
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
NOVATO

●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (conversação) – Termo utilizado para designar os usurários que estão a dar os primeiros passos na Internet, ou numa determinado, a área da Internet, por exemplo, na Usenet. Muitas vezes (embora nem sempre) é utilizado com um sentido pejorativo.


NYOBnyob
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
NYOB

●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (conversação) – O equivalente a “None of Your Business”a que significa “Não é da sua conta”.


NUMERAÇÃOnumeração
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●
NUMERAÇÃO AUTOMÁTICA
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● ver ÍNDICES NO WORD - 2)


OOOOO



OCULTARocultar
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
OCULTAR UMA JANELA
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● A acção de ocultar uma janela é denominada minimizar. Se pretende afastar temporariamente uma janela sem a fechar, minimize-a. Para minimizar uma janela, clique no respectivo botão Minimizar . A janela desaparece do ambiente de trabalho e fica visível apenas sob a forma de um botão na barra de tarefas, a longa barra horizontal existente na parte inferior do ecrã. Para fazer com que uma janela minimizada seja novamente apresentada no ambiente de trabalho, clique no respectivo botão na barra de tarefas. A janela é apresentada exactamente tal como estava antes de ser minimizada. Para obter mais informações sobre a barra de tarefas, consulte A barra de tarefas (descrição geral).

OFFoff
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
OFF CAMPUS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Quando Estamos no campus da universidade (p. e.) conectamos a Internet e acedemos à rede (network) da universidade, o que permite conectarmo-nos à conta de usurário (user). Em contrapartida quando se conecta a Internet a partir de outro servidor, deve ingressar na página da universidade para se conectar à rede. Parece que esta página difere da que se usaria para se conectar usando o servidor da universidade que opera dentro do campus. Assim, poderíamos dizer que devemos dirigir-nos à “página para aceder/conectar-se à rede da universidade.



OFFLINEoffline
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
OFFLINE
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (gíria) – Significa não estar ligado, u seja o contrário de online


OICoic
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
OIC
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (conversação) – abreviatura de “Oh I see”, o Equivalente em portuguesa “Ah! estou a ver”.


OLRolr
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
OLR
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (software) – Programa de leitura off-line (Off-line reader), que recolhe mensagens de grupos de notícias ou serviços, como o compuserve, envia novas mensagens e, em seguida, desliga o mais rapidamente possível (tentando economizar na ligação telefónica).. OVirtual Access é um bom exemplo e pode encontrar mais informações sobre ele no site www.atlantic.coast.com/va/.


ONION
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ONION
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (gíria) - Paródia divertida e satírica sobre as notícias e os meios de comunicação em geral. É tipicamente americano. Encontre-o em www.onion.com.


ONLINE
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ONLINE
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (gíria) – Estar “online”significa normalmente que está a utilizar um computador ou outro dispositivo ligado à Internet. Pode também ser utilizado num sentido mais amplo; se alguém lhe perguntar “Está online?” pode querer apenas saber se tem acesso à Internet em casa ou no escritório um ISP
Bancos online (tecnologia) – os bncos convencionais têm custos. E muitos. Aqueles edifícios enormes com o chão coberto de mármore situados no centro da cidade, não são de graça.
Com os novos bancos online evitam-se esses problemas, porque não precisam de filiais, não têm de lidar com dinheiro, não precisam de muito pessoal e, consequentemente, conseguem uma redução de custos substancial. Essa redução de custos traduz-se em vantagens para nós. sob a forma de taxas de juro mais competitivas, facilidade de empréstimo, disponibilidade de cartões de crédito, etc.
Jogos online (gíria) – São jogos do tipo Multiplayers no qual os participantes competem entre si na Internet.


OPERA
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
OPERA
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (software) – Neste caso não tem nada a ver com aqueles senhores gordos que cantam nos teatros. Opera é um browser muito apreciado por ser pequeno e rápido. apesar disso, conquistou uma fatia de mercado muito pequena, provavelmente porque os dois principais browsers (Microsoft Internet Explorer e Netscape Communicator) são fornecidos gratuitamente, enquanto o Opera não o é.
Mesmo assim, se quiser um browser simples e mais leve, por exemplo, ou ter um computador não muito potente para trabalhar com líderes do mercado, então vale a pena da uma olhadela no Opera.. Encontre mais informações em www.operasoftware.com.


OSCILAÇÕESoscilações
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
OSCILAÇÕES DA CORRENTE ELÉCTRICA
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● ver PROTECÇÃO DO PC DA CORRENTE ELÉCTRICA


OSP
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
OSP
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (gíria) – Abreviatura de Online ServiceProvider.


OTOH
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
OTOH
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (conversação) – Abreviatura de “On the other hand” que significa “Por outro lado”


OUTLOOK EXPRESS
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
OUTLOOK EXPRESS
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (software) – Uma versão menor do Outlook, o poderoso programa de correio e agenda da Microsoft. o Outlook Express continua a ser um programa útil e popular para gerir correio electrónico de grupos de notícias. Está disponível como opção de instalação com o Microsoft Internet Explorer.


OTOH
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
OTOH
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (conversação) – Abreviatura de “On the other hand” que significa “Por outro lado”



OUTPUToutput
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
OUTPUT

●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● 1. Transferir ou transmitir de um computador para um dispositivo (device) periférico ou linha de comunicação.

2. Qualquer informação gerada no computador exibida no ecrã, impress em papelr ou em processo de leitura mecanica, como por exemplo um dico ou fita magnética.


OVERLEYoverlay
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
OVERLEY
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● é uma técnica usada para utilizar programas que são demasiado grandes para um sistema de memória: Uma parte do programa é executada e, a seguir, serão trazidas para execução rotinas habituais tomando o lugar do programa que já foi utilizado e, portanto já não é necessário sair.


PPPPP


●PACKAGEpackage
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●
PACKAGE SOFTWARE
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●
● É A MESMA COISA QUE canned software – «canned software» será um programa ou série de programas para usar sem terem de ser alterados. Muitos destes programas incluem instruções codificadas para prevenir cópias (copyng) , portanto alterações são extremamente difíceis de executar, senão impossíveis


PÁGINApágina
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
Página Inicial da Ajuda do Windows
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● Após haver activado a ajuda do Windows abre-se a janela Ajuda e suporte. Na inscrição Em que tópico pretende obter ajuda? encontrará uma linguagem temática das funções do Windows. sobre as quais deseja informar.
1. Verificar com cliques únicos – Escolha um destes tópicos de um clique com o rato e o menu do tópico será activado, oferecendo novos links para informações específicas sobre o tópico anteriormente seleccionado. Efectue cliques sucessivos na hierarquia de tópicos da ajuda, até obter as informações da ajuda. De forma padrão, os textos de ajuda disponíveis aparecem na parte direita da janela. Caso contrário, outras janelas da ajuda serão activadas.
2. Registo Bemvindo à ajuda – Após haver iniciado a ajuda receberá, na parte direita da janela, uma pequena lista com tópicos importantes, tais como, sobre o ambiente de trabalho, áudio e vídeo ou impressoras. Se efectuar um clique com o rato sobre um destes links, a lista de tópicos da parte esquerda da janela será actualizada.
3. Organização hierárquica - Trataremos agora da organização hierárquica dos registos na parte esquerda da janela. A ajuda do Windows assemelha-se a uma estrutura de árvore ramificada, onde poderá efectuar cliques para se deslocar entre os tópicos. a cada clique do rato, a lista de tópicos será actualizada e aprersentará informações mais detalhadas.



4. Hiperligações como na Internet - A princípio, o manuseio da ajuda do Windows assemelha-se ao de um site da web na Ingternet. Através das hiperligações sublinhadas em azul poderá surfar nos termos de ajuda.





Os links sublinhados a verde contém um registo de glossário. Ao efectuar clique sobre um destes links, aparecerá uma descrição sobre o conceito em caso, na forma de sugestão do ecrã do ponteiro do rato.


O Microsoft não utiliza a forma de representação análoga à de pastas, com livros abertos e fechados que o utilizador provavelmente já conhece do Windows 95/98. Obterá contudo uma vista, se observar a linha de texto logo abaixo da barra de cabeçalhos. No que se refere a temas separados por símbolos maiores/menores, mantenha o método que utilizou até agora através de hiperligações. naturalmente que estas descrições de títulos são por sua vez hiperligações. Através de um clique único sobre a descrição, deslocar-se-á para o sítio correspondente da hierarquia.



Também os botões de comando Avançar e Anterior já lhe são conhecidos da Worl Wide Web. Através de Anterior deslocará sempre um passo anterior da hiperligação.

O botão Avançar só será sentido, se acabou de retroceder mas deseja receber a próxima página de tópicos de lista ou de informação da ajuda.

5. Trabalhar com o tópico da ajuda - Caso haja encontrado um tópico apropriado na parte direita da janela, terá duas possibilidades de trabalhar com as informações. O utilizador não necessita memorizar as descrições passo a passo.

6. Imprimir – Temas mais complexos poderão ser, por exemplo, impressos. Este não é um método nem económico, nem ecológico, mas às vezes necessário, se prefere ter as instruções à mão, ou se pretende transmitir estas informações para colegas de trabalho.
Efectue clique sobre o botão de comando Imprimir no canto superior da janela de informações. A caixa de diálogo Imprimir assemelha-se ao do Internet Explorer e de outros programas. Determine a impressora predefinida, limite o intervalo de impressão e defina o número de exemplares a serem impressos. O processo de impressão será iniciado logo que efectue um clique sobre o botão de comandos OK .




7. Activar janela de ajuda – A segunda possibilidade para trabalhar com os textos da ajuda é a permanente activação das informações relevantes, enquanto está a executar os passos de trabalho descritos. Neste caso, uma pequena janela de ajuda permanecerá activada para mostrar somente o texto real de ajuda.

Para activar a janela da ajuda efectue clique sobre o botão do comando Alterar a vista
no canto superior da área onde o texto da ajuda está a ser mostrado.



Para retornar ao modo de visualização normal da janela Ajuda e suporte , efectue clique sobre Alterar a vista. Somente através do modo normal de janela poderá procurar informações. A janela minimizada serve apenas para mostrar informações encontradas.

8. Informações adicionais – As hiperligações nas quais poderá efectuar cliques, não se encontram somente disponíveis no lado esquerdo da janela. Também na parte direita poderá encontrar links sublinhados em azul que indicam, na maior parte dos casos, a existência de informações adicionais. Alguns links abrem automaticamente janelas de sistema do Windows (por exemplo, o painel de controle) ou indicam textos de ajuda com temas semelhantes.



9. Resolução de problemas – Uma janela de texto da ajuda terá uma outra configuração como active a resolução de problemas.



Na ajuda do Windows a resolução de problemas é relativamente limitada, se bem que oferece um caminho interessante e interactivo para que possa resolver problemas. na caixa de texto Procurar, digite o conceito resolução de problemas para receber uma lista de todos os assistentes disponíveis.
Responda inicialmente à questão proposta por meio de um clique sobre o botão

e posteriormente efectue clique sobre Seguinte.



Proceda desta maneira até que a solução do problema haja sido encontrada.

10. Link para iniciar programa – Em vários tópicos da ajuda poderá iniciar imediatramente o programa através de um clique sobre o link clique aqui. a ajuda poderá ser encerrada a todo o momento, através do botão de comando Fechar




10. Link para a Internet – Algumas hiperligações conduzem também à Internet, por exemplo, à página de suporte do Mkicrosoft. Para que possa aceder a estas informações deverá dispor de uma ligação corrwectamente instalada à Internet. nesse caso terá acesso a funções online actualizadas.


PACOTEpacote
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PACOTE
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (norma/formato) Um “pacote” é um pequeno conjunto de dados. O protocolo TCP/IP, por exemplo, divide as mensagens em “pacotes” e envia cada um separadamente para o destinatário. O protocolo garante que todas as mensagens cheguem pela ordem correcta.


PAINTpaint
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PaintrsHOP
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (software) – Quando criar uma página da Web, precia de um programa de imagens, por várias razões: para converter arquivos, em diferentes formatos, optimizar o tamanho dos arquivos JPG de forma a transferi-los o mais rapidamente possível, criar arquivos GIF animados, criar arquivos GIF transparentes, organizar as suas imagens correctamente de forma a poder visualizá-las e seleccioná-las utilizando miniaturas de imagens.
O programa PaintShop Prp pode ser a solução para todas as suas necessidades. Para obter informações completas sobre o programa em www.jasc.com ou até obter uma versão de demonstração (é um arquivo grande, por isso talvez prefira procurar uma cópia oferecida com uma revista, como a Hardware CD nº. 4 desta mesma editora) .


PAPpap
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PAP
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (norma/formato) – Este protocolo de autenticação de palavras-passe (Password Autentication Protocol define um método através do qual o ID do usurário e a palavra passe serão comunicados ao fornecedor de serviços da Internet (ISP) quando inicia a sessão, sem que precise introduzir manualmente esta informações e sem a necessidade de um guia (script).


PARÁGRAFOparágrafo
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PARÁGRAFO
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
●(caracter) - Ver 'TERCEIRO CARACTER'


PARENTparent
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PARENT PROGRAM
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
●(programa primário) - ver PRIMÁRIO-SECUNDÁRIO


PCpc
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PC
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (hardware)- O seu computador pessoal


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PC
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (Computador Pessoal) (Ing PersonnalComputer) Computador Pessoal - Nome dado a uma geração de computadores concebidos de início para serem utilisados individualmente Na Fig. - Um antigo computador pessoal da IBM

● PDFpdf
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PDF
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● (Ing : Portable Document Format) Formato de ficheiro criado pela Adobe que permite visualizar e imprimir um ficheiro em qualquer plataforma via Acrobat Reader. Na criação das páginas da Web, por exemplo, completa utilmente a lingagem HTML, que não restitui integralmente formatos e estilos que porventura possa ponderar necessário utilizar.
É o mais utilizado na interrnet para distribuição de mídia electrónica.


PENpen
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PEN-COMPUTER 2
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● ver COMPUTADOR de CANETA


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PEN-DRIVE
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
Dispositivo de transporte de dados regravável que liga a uma tomada USB. Iguala um CD e permite a transferência fácil de dados de um computador para outro.


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PEN-DRIVE 1
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● Não se trata de substituir um portátil por uma pen drive, nem tal é possível por enquanto apesar de um dia vir a acontecer com a nanotecnologia, os ecrãs desdobráveis, os teclados virtuais, etc., mas acaba de aparecer uma tecnologia que dá às pen drives uma nova dimensão. Chama – se U3 e é este logo que está impresso nessa Pen. Além de crescer em armazenagem sendo já hoje vulgar as de 1,2,4 e até 8 gigas, acabam de crescer noutro vertente dando um enorme salto noutra capacidade. Naquela pequena drive onde até aqui transportávamos os nossos diversos ficheiros de um lado para o outro, substituindo o que se fazia noutros tempos com disquetes, teremos o desktop ou ambiente de trabalho do nosso PC ao introduzir o pen noutro computador, utilizando as nossas aplicações preferidas. A tecnologia U3 está numa partição da Pen drive. No Windows aparecerão duas letras: uma correspondente à partição livre da pen drive e a outra tem indicação U3 System e funciona como CD-ROM virtual donde instalamos automaticamente os programas U3 tal como se fosse de um CD. Compatíveis Windows 2000 ou XP, trazem já algumas aplicações instaladas ou podemos fazer o download de outras através do programa U3 Launchpad, uma espécie de Start Menu que aparece na barra do sistema quando ligamos a Pen drive. Trabalhamos com o nosso software preferido, edição de imagens, ver emails, etc., tudo segundo a configuração do nosso PC. O nosso ambiente de trabalho está ali. Quanto à protecção dos nossos dados nada de receios. Quando tivermos terminado o trabalho nesse computador, retiramos o Pen drive USB e todos os ficheiros pessoais são também retirados, seguindo connosco. A Pen drive não deixa quaisquer vestígios das nossas preferências no computador usado. Ao clicar no ícone U3 na barra de tarefas aparece um novo desktop com a lista das aplicações já disponíveis, ferramentas e utilitários que usaremos para navegar na Pen. Existem vários sites na NET (procure no google “U3”). A Sandisk por exemplo já tem várias dezenas de programas disponíveis mas as suas Pen trazem programas de antivírus, possibilidade de Voip como o Skype, o software de sincronização com o nosso e-mail e outros mas ao correr o Launchpad para download do site da U23 existem já programas de áudio e vídeo, manipulação de imagem, jogos e muitos utilitário, sincronização com as aplicações, o Office, etc. – ajuda@gil.com.pt … ◄Voc► … CPU – Central Processing Unit – Unidade Central de Processamento – é o chip central do computador. O CPU processa instruções , executa cálculos e gere o fluxo da informação dentro do sistema do computador. O CPU executa milhões de cálculos por segundo. O CPU também é designado por processador ou microprocessador. Download – [Ing. down = baixo + load = carregar] (Descarregar). Ato de transferir cópias de um arquivo ou programa de um site ou de uma página da Web do servidor para o computador do usuário. O mesmo que baixar. Cf. Upload. Drive – Ing.] (Accionador) Unidade periférica eletromagnética, geralmente instalada na CPU, que permite a gravação e leitura de dados em disquetes ou em CDs e CD-ROMs. Para cada um desses suportes de armazenamento de dados há um drive distinto. Logo – Logótipo, Símbolo comercial, símbolo impresso ou imprimido ou cunhado em algum material Nanotecnologia – micro tecnologia


●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PEN-DRIVE DUCATI
●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● Ducati é a vencedora do Campeonato Nacional de MotoGp. A Sandisk é considerada entre as melhores marcas de Pens USB de 4 gigas com o formato do depósito de combustível das motas de competição, e uma rápida velocidade de transferência de 20 MB por segundo, de acordo com o nome que usa.

● PENTApenta
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PENTABYTE
●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● 01024 Tb

● PERIFÉRICOperiférico
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PERIFÉRICOS
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● Os periféricos têm como função fazer a ligação do computador com o exterior. Dentro deste grande grupo podemos definir os periféricos de entrada, de saída e de armazenamento de dados.


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PERIFÉRICOS DE DADOS
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● Os periféricos de dados são aqueles que podem ser usados como entrada ou saída, isto é, podem ser usados para ir buscar ou guardar informação (Ex. drive de disquetes, drive de CD, Drive, DVD – RW, Modem))



●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PERIFÉRICOS DE ENTRADA
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● Os periféricos de entrada vão permitir ao utilizador comunicar com a máquina, isto é, fornecer as instruções necessárias para a execução de determinada tarefa.


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PERIFÉRICOS DE SAÍDA
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● Os periféricos de saída vão permitir a transferência de informação que foi processada pelo computador para o exterior. (Ex. Monitor, Impressora, Colunas de Som)


PERLperl
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PERL
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
●(norma/formato) – Perl (Practical Extraction and Report Langage) é uma linguagem de scripts, inventada em 1986 por Larry Wall. Começou a ser implantada em Unix, mas agora é muito utilizada no desenvolvimento de aplicações Web ligadas a servidores, como, por exemplo, um contador de acesso a páginas. A sua principal vantagem, além de ser gratuita e de estar disponível em inúmeras plataformas, reside nas suas poderosas funções de processamento de texto.
Para obter mais informações sobre esta linguagem, visite www.perl.org ou www.activestate.com


PICSpics
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PICS
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
(norma/formato) – a tecnologia PICS (Platform for Internet Content Selection) permite atribuir aos sites da Internet, uma classificação baseada em diferentes parâmetros (violência, nudez, sexo, linguagem). Os browsers que permitem esta selecção de conteúdo podem depois ser configurados de forma a mostrar apenas os sites que obedecem aos parâmetros que previamente definiu. Um dos objectivos desta tecnologia é permitir, por exemplo, que os pais deixem os filhos acessar à Internet porque conseguem deter algum controle sobre o que eles podem ver.
No Microsoft Internet Explorer, pode definir níveis através do assistente de classificação de conteúdo, em Ferramentas>opções da Internet>Conteúdo. Para exploraras mesmas possibilidades no Netscape, ligue-se e seleccione Help>NetWatch.


PINGping
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PING
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (software – os programas PING (Packer Internet Groper) são utilizados para enviar uma mensagem para um servido Web. a mensagem requer uma resposta. Os programas PING aguardam um determinado período de tempo predefinido e apresentam os resultados – a resposta do servidor, uma mensagem de erro ou o fm do tempo de espera.
Se não tiver a certeza de que a sua ligação está a funcionar, pode utilizar o PING er essa informação (se utilizar o PING em vários sites diferentes e nunca funcionar, provavelmente algo está errado).
Para experimentar, ligue-se à Internet utilizando o Acesso telefónico à Rede (Dial-Up Networking) e, em seguida, aba uma janela o DOS, escreva:

ping www.microsoft.com e pressione

Os erros são frequentes, mesmo numa ligação que está a funcionar, por isso tente várias vezes se não obtiver uma resposta e utilize-o também em outros sites.



PIRATApirata

● PIRATEARpiratear
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PIRATEAR COMPUTADORES
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● ver tb Hacker PIRATEAR COMPUTADORES Escola de informática Ficha ténica Setor da Economia: Serviço Ramo de Atividade: Ensino e treinamento Tipo de Negócio: Curso de informática Histórico A abertura de mercado e a expansão comercial impostas pela globalização aceleraram o uso da tecnologia da informação. A conseqüência desses movimentos foi a expansão do uso de computadores em domicílios ou empresas. O resultado foi a crescente necessidade de conhecer e aperfeiçoar as formas de utilização dos equipamentos (hardwares) e programas (softwares). Mercado O mercado é bastante promissor e está em expansão. O empreendedor deve observar as deficiências das escolas atuantes para poder atrair os clientes. Existem dois nichos principais para cursos de informática: - Cursos básicos: indicados para aqueles que necessitam das primeiras noções referentes aos aplicativos mais usados - Cursos especializados: indicados para o público que já possui conhecimento dos aplicativos básicos e necessitam se aperfeiçoar na utilização de softwares mais específicos e sofisticados Os cursos básicos sofrem maior concorrência, já que são oferecidos por praticamente todas as escolas. O que fará o diferencial nesse caso será a localização e o preço. No caso dos cursos específicos, o público é bem definido e o diferencial está concentrado na qualidade do curso. O leque de cursos oferecidos deverá ser bastante amplo, com linguagens mais avançadas e com as versões mais recentes dos softwares. A leitura de algumas revistas especializadas em informática poderá ajudar a definir o segmento de atuação (Exame Informática, Byte, PC Magazine, CAD Design e Publisher). Localização Uma escola deve estar localizada, preferencialmente, num local de fácil acesso com estacionamento e segurança. Estrutura Estima-se ser necessário uma área de 300 metros quadrados. Essa área poderá variar de acordo com a disponibilidade financeira do empreendedor e também conforme a dimensão do empreendimento. Os ambientes devem ser divididos em salas de aula, um escritório, uma recepção e banheiros (masculino e feminino). As salas devem ser confortáveis, com boa iluminação e ausência de ruídos. O empreendedor deverá fazer adaptações nas instalações elétricas de modo a proporcionar a perfeita adequação aos equipamentos de informática. Equipamentos Os equipamentos básicos são - Móveis e materiais de escritório - Telefones, aparelho de fax, computadores, impressoras, além de softwares adequados aos cursos Outros equipamentos podem ser dispostos de acordo com o curso que a escola se propõe a oferecer Investimento A estimativa de investimento inicial é de R$ 80 mil. Pessoal Varia de acordo com a estrutura do empreendimento. O quadro funcional necessita de: - Recepcionistas - Técnico em informática para cuidar da manutenção dos equipamentos - Instrutores que irão ministrar os cursos Cabe ao empreendedor a parte administrativa e a coordenação pedagógica e técnica. Programa de funcionamento Através da combinação de três salas de aula, três turnos diários, durante seis dias na semana, pode-se montar 54 turmas com dez alunos. Propaganda A melhor forma de divulgação ainda é a "boca-a-boca" e a melhor maneira de diferenciação é fazer o trabalho com absoluta seriedade. Lembrete Alguns fatores devem ser lembrados para proporcionar o sucesso do empreendimento, tais como: - É essencial que o empreendedor detenha um amplo conhecimento de informática ou que esteja disposto a contratar um profissional da área com esses conhecimentos - Segundo um empresário do ramo, “o grande segredo do negócio é o investimento em equipamentos e a atualização dos cursos de informática”. – Fazer parcerias com empresas, escolas, órgãos públicos e etc., inclusive ministrando os cursos nas próprias entidades Legislação Específica Para abrir o empreendimento é necessário tomar providências como: - Registro na Junta Comercial - Registro na Secretária da Fazenda - Registro na Prefeitura do Município - Registro no INSS - Registro no Sindicato Patronal O novo empresário deve procurar a prefeitura da cidade onde pretende montar sua Escola de Informática para obter informações relativas às instalações físicas da empresa e ao Alvará de Funcionamento. Além disso, deve consultar o Procon para adequar seus produtos às especificações do Código de Defesa do Consumidor (LEI Nº 8.078 DE 11.09.1990). Outro fator importante é o conhecimento de algumas legislações deste setor: - Lei de Programa de computador n. 9.609/98. Promulgada em 19/02/98, substitui a Lei 7646/87, entrou em vigor na data de sua publicação, dando liberdade de produção e comercialização de softwares de fabricação nacional ou estrangeira. - Lei de direitos autorais n. 9.610/98. Substitui a Lei 5988/73, entra em vigor 120 dias após sua publicação; foi promulgada em 19 de fevereiro de 1998. Assegurou a integral proteção dos direitos dos seus autores e estabeleceu penas rigorosas a quem viole esses direitos. Assim, piratear programas de computador se tornou crime, passível de pena de seis meses a dois anos de prisão. - Lei de Informática nº 10.176/2001. Altera a Lei no 8.248, de 23 de outubro de 1991, a Lei no 8.387, de 30 de dezembro de 1991, e o Decreto-Lei no 288, de 28 de fevereiro de 1967, dispondo sobre a capacitação e competitividade do setor de tecnologia da informação. Observações importantes: - Comete crime o comerciante que importar, expor ou manter em estoque programas estrangeiros que não tenham sido registrados na SEPIN - Secretaria de Política de Informática e Automação, órgão ligado ao Ministério da Ciência e Tecnologia. Para eles, a lei prevê pena de detenção de até quatro anos, além de multa. - Certifique-se de que os produtos e equipamentos importados adquiridos pelo empreendimento entraram no país legalmente. Caso contrário, o empreendedor pode ser enquadrado como cúmplice em crime de contrabando. - O Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), autarquia federal vinculada ao Ministério da Indústria, Comércio e Turismo é o órgão responsável pelos registros dos programas de computador. Para que possa garantir a exclusividade na produção uso e comercialização de um programa de computador, o interessado deve comprovar a autoria do mesmo. Por isso, é fundamental o registro no INPI. Entidades ASSESPRO - Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia de Informação Av. Treze de Maio, 33 - Bl A - Sl.509 - Centro - Rio de Janeiro - (RJ) 20031-000 Tel. (21) 532 5267 ABES – Associação Brasileira das Empresas de Software Av. Brigadeiro Faria Lima, 1713 - 3º andar – cj.33/34 – São Paulo - (SP) 01452-001 Tel. (11) 3816 1185 Ministério da Ciência e Tecnologia Esplanada Dos Ministérios - Bloco "E" - Brasília - (DF) 70067-900 Tel. (61) 317 7500 Bibliografia Revista Pequenas Empresas Grandes Negócios - abril/1999 Como Montar um Curso de Informática – SEBRAE/SP - 1996 SEBRAE/BR. Escola de Informática. Brasília, 1996, 27p. SEBRAE/AM. Escola de Informática. Manaus,1995, 42p. Endereços na internet: Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Revista de Informática Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia de Informação Associação Brasileira das Empresas de Software (ABES) Ministério Ciência e Tecnologia (MCT) Ficha ténica Setor da Economia: Serviço Ramo de Atividade: Ensino e treinamento Tipo de Negócio: Curso de informática Histórico A abertura de mercado e a expansão comercial impostas pela globalização aceleraram o uso da tecnologia da informação. A conseqüência desses movimentos foi a expansão do uso de computadores em domicílios ou empresas. O resultado foi a crescente necessidade de conhecer e aperfeiçoar as formas de utilização dos equipamentos (hardwares) e programas (softwares). Mercado O mercado é bastante promissor e está em expansão. O empreendedor deve observar as deficiências das escolas atuantes para poder atrair os clientes. Existem dois nichos principais para cursos de informática: - Cursos básicos: indicados para aqueles que necessitam das primeiras noções referentes aos aplicativos mais usados - Cursos especializados: indicados para o público que já possui conhecimento dos aplicativos básicos e necessitam se aperfeiçoar na utilização de softwares mais específicos e sofisticados Os cursos básicos sofrem maior concorrência, já que são oferecidos por praticamente todas as escolas. O que fará o diferencial nesse caso será a localização e o preço. No caso dos cursos específicos, o público é bem definido e o diferencial está concentrado na qualidade do curso. O leque de cursos oferecidos deverá ser bastante amplo, com linguagens mais avançadas e com as versões mais recentes dos softwares. A leitura de algumas revistas especializadas em informática poderá ajudar a definir o segmento de atuação (Exame Informática, Byte, PC Magazine, CAD Design e Publisher). Localização Uma escola deve estar localizada, preferencialmente, num local de fácil acesso com estacionamento e segurança. Estrutura Estima-se ser necessário uma área de 300 metros quadrados. Essa área poderá variar de acordo com a disponibilidade financeira do empreendedor e também conforme a dimensão do empreendimento. Os ambientes devem ser divididos em salas de aula, um escritório, uma recepção e banheiros (masculino e feminino). As salas devem ser confortáveis, com boa iluminação e ausência de ruídos. O empreendedor deverá fazer adaptações nas instalações elétricas de modo a proporcionar a perfeita adequação aos equipamentos de informática. Equipamentos Os equipamentos básicos são - Móveis e materiais de escritório - Telefones, aparelho de fax, computadores, impressoras, além de softwares adequados aos cursos Outros equipamentos podem ser dispostos de acordo com o curso que a escola se propõe a oferecer Investimento A estimativa de investimento inicial é de R$ 80 mil. Pessoal Varia de acordo com a estrutura do empreendimento. O quadro funcional necessita de: - Recepcionistas - Técnico em informática para cuidar da manutenção dos equipamentos - Instrutores que irão ministrar os cursos Cabe ao empreendedor a parte administrativa e a coordenação pedagógica e técnica. Programa de funcionamento Através da combinação de três salas de aula, três turnos diários, durante seis dias na semana, pode-se montar 54 turmas com dez alunos. Propaganda A melhor forma de divulgação ainda é a "boca-a-boca" e a melhor maneira de diferenciação é fazer o trabalho com absoluta seriedade. Lembrete Alguns fatores devem ser lembrados para proporcionar o sucesso do empreendimento, tais como: - É essencial que o empreendedor detenha um amplo conhecimento de informática ou que esteja disposto a contratar um profissional da área com esses conhecimentos - Segundo um empresário do ramo, “o grande segredo do negócio é o investimento em equipamentos e a atualização dos cursos de informática”. – Fazer parcerias com empresas, escolas, órgãos públicos e etc., inclusive ministrando os cursos nas próprias entidades Legislação Específica Para abrir o empreendimento é necessário tomar providências como: - Registro na Junta Comercial - Registro na Secretária da Fazenda - Registro na Prefeitura do Município - Registro no INSS - Registro no Sindicato Patronal O novo empresário deve procurar a prefeitura da cidade onde pretende montar sua Escola de Informática para obter informações relativas às instalações físicas da empresa e ao Alvará de Funcionamento. Além disso, deve consultar o Procon para adequar seus produtos às especificações do Código de Defesa do Consumidor (LEI Nº 8.078 DE 11.09.1990). Outro fator importante é o conhecimento de algumas legislações deste setor: - Lei de Programa de computador n. 9.609/98. Promulgada em 19/02/98, substitui a Lei 7646/87, entrou em vigor na data de sua publicação, dando liberdade de produção e comercialização de softwares de fabricação nacional ou estrangeira. - Lei de direitos autorais n. 9.610/98. Substitui a Lei 5988/73, entra em vigor 120 dias após sua publicação; foi promulgada em 19 de fevereiro de 1998. Assegurou a integral proteção dos direitos dos seus autores e estabeleceu penas rigorosas a quem viole esses direitos. Assim, piratear programas de computador se tornou crime, passível de pena de seis meses a dois anos de prisão. - Lei de Informática nº 10.176/2001. Altera a Lei no 8.248, de 23 de outubro de 1991, a Lei no 8.387, de 30 de dezembro de 1991, e o Decreto-Lei no 288, de 28 de fevereiro de 1967, dispondo sobre a capacitação e competitividade do setor de tecnologia da informação. Observações importantes: - Comete crime o comerciante que importar, expor ou manter em estoque programas estrangeiros que não tenham sido registrados na SEPIN - Secretaria de Política de Informática e Automação, órgão ligado ao Ministério da Ciência e Tecnologia. Para eles, a lei prevê pena de detenção de até quatro anos, além de multa. - Certifique-se de que os produtos e equipamentos importados adquiridos pelo empreendimento entraram no país legalmente. Caso contrário, o empreendedor pode ser enquadrado como cúmplice em crime de contrabando. - O Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), autarquia federal vinculada ao Ministério da Indústria, Comércio e Turismo é o órgão responsável pelos registros dos programas de computador. Para que possa garantir a exclusividade na produção uso e comercialização de um programa de computador, o interessado deve comprovar a autoria do mesmo. Por isso, é fundamental o registro no INPI. Entidades ASSESPRO - Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia de Informação Av. Treze de Maio, 33 - Bl A - Sl.509 - Centro - Rio de Janeiro - (RJ) 20031-000 Tel. (21) 532 5267 ABES – Associação Brasileira das Empresas de Software Av. Brigadeiro Faria Lima, 1713 - 3º andar – cj.33/34 – São Paulo - (SP) 01452-001 Tel. (11) 3816 1185 Ministério da Ciência e Tecnologia Esplanada Dos Ministérios - Bloco "E" - Brasília - (DF) 70067-900 Tel. (61) 317 7500 Bibliografia Revista Pequenas Empresas Grandes Negócios - abril/1999 Como Montar um Curso de Informática – SEBRAE/SP - 1996 SEBRAE/BR. Escola de Informática. Brasília, 1996, 27p. SEBRAE/AM. Escola de Informática. Manaus,1995, 42p. Endereços na internet: Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Revista de Informática Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia de Informação Associação Brasileira das Empresas de Software (ABES) Ministério Ciência e Tecnologia (MCT) Home > Defina seu negócio > Idéias de negócios - ver Hacker

● PÍXELpíxel
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PÍXEL - Ponto luminoso afixado pelo computador. [v. tb RESOLUÇÃO]
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● Pixel (aglutinação de Picture e Element, ou seja, elemento da imagem, sendo Pix a abreviatura em inglês para Picture) é o menor elemento num dispositivo de exibição (como por exemplo um monitor), ao qual é possivel atribuir-se uma cor. De uma forma mais simples, um pixel é o menor ponto que forma uma imagem digital, sendo que o conjunto de milhares de pixels formam a imagem inteira. O computador é formado por pontos minúsculos – os pixels – . Num monitor colorido cada Pixel é composto por um conjunto de 3 pontos: verde, vermelho e azul. Cada um destes pontos é capaz de exibir 256 tonalidades diferentes (o equivalente a 8 bits) e combinando tonalidades dos três pontos é possível exibir em torno de 16 milhões de cores diferentes. Em resolução de 640 x 480 temos 307 mil pixels, a 800 x 600 temos 480 mil, a 1024 x 768 temos 786 mil e assim por diante. Resumindo: O Pixel é a menor unidade de uma Imagem, e quanto maior for o número de pixeis, melhor a resolução que a imagem terá. em caso de Imagens de Satélites, temos na maioria das vezes imagens não coloridas, elas são colhidas e mostradas em tons de cinza, a quantidade desses tons de cinza de cada imagem é denominada de BITS, sempre demonstrados em potência de 2, ou seja, uma imagem com oito bits, por exemplo, refere-se a 2 na potência 8, ou seja, 256 tons de cinza, e estes tons de cinza variam entre o branco e o preto.


PLACAplaca
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PLACA-MÃE
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (Ing Motherboard) (Italien : Scheda madre) É a placa principal do micro-computador que recebe o microprocessador, as placas de memória, o bus, que recebe o microprocessador, os Bancos de Memória RAM, os cartões de memória específicos e os conectores de extensões (pra a inserção daes placas adicionais : placa gráfica, modem, etc..).


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PLACA DE CIRCUITO INTEGRADO
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
Ing integrated circuit card) - v. PLACA DE MEMÓRIA RAM


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PLACA DE FAX MODEM
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
Esta placa permite a transmissão e recepção de dados via telefone. O modem interno é instalado dentro do micro e é tambem conhecido como fax modem, pois permite receber e transmitir faxes . Ao adquirir uma placa de fax modem, você deve procurar saber a velocidade e a existência ou não de correção de erros e compactação de dados por hardware. Os modems para Internet banda larga também podem ser internos ou externos. No caso dos modems externos, eles normalmente são ligados ao micro através de uma placa de rede. Se você está pensando em instalar Internet banda larga em seu micro, veja com a operadora escolhida se você precisará ou não comprar uma placa de rede.


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PLACA DE MEMÓRIA RAM
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (Ing Chip card) Placa constituída por um circuito electrónico inventado por Roland Moreno


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PLACA DE SOM
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●

É uma placa que tem por função processar e amplificar o som proviniente de diversas fontes como microfones, CD de áudio, programas, arquivos de som e de qualquer outra fonte que emita um sinal na sua entrada de áudio padrão. Atualmente, para reduzir o custo do micro, utilizam-se placas de som on-board. Essa placa apesar de ser simples, fornece o suporte básico ao processamento de som estéreo no PC.


PoPpop
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PoP
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●● (software) Abreviatura de Point Of Presence. Termo utilizado para designer o equipamento que se encontra na outra extremidade de um número de telefone quando estabelece ligação telefónica com a Internet (ISP). Também conhecido como VPop (Virtual Point Of Presence)


POP3pop3
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
POP3
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (norma /formato)
Um dos protocolos de correio electrónico mais conhecidos, o POP3 (Post Office Protocol, versãp 3) define a linguagem utilizada pelos programas de correio electrónico e pelos servidores de correio electrónico para transferir as mensagens. Os programas de correio electrónico que utilizam este protocolo são conhecidos por clientes POP3.


PORTAporta
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PORTA
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●● (gíria) – Em termos de hardware, designa um conector de computador onde pode ligar determinados diapositivos. Pode ser uma porta de mouse, uma porta serial, uma porta paralela, uma porta USB ou muitos outros tipos de porta.
No domínio da Internet, uma mensagem TCP/IP é sempre encaminhada para uma determinada “porta” num computador; as páginas Web, por exemplo, utilizam a porta 80 por predefinição (não se trata de uma porta física mas de uma coisa lógica).
Às vezes, em URL também especifica uma determinada porta a ser usada. Isto é feito acrescentando um sinal de dois pontos e o número da porta depois do nome domínio, conforme pode ver no exemplo seguinte:

www.bigcompany.com:21564/download/


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PORTA VASOS
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Pergunta – Estou a traduzir um documento onde se fala na forma de “queimar” um DVD ou um CD com uma tecnologia moderna muito avançada. A frase é a seguinte “Esta tecnologia permite aos utilizadores «queimar» dispondo outras aplicações enquanto se formata um DVD ou CD com um mínimo de riscos de criar «coasters»” Agradecia que me ajudassem com a palavra “coasters” dentro deste contexto. Resposta - . "Coasters" refere – se a porta – vasos. Acontece que quando a gravação sai mal o uso do disco limita – se a servir como porta – vasos. Daí o nome já que “coaster” em inglês significa “porta – vasos” estando na origem do nome em Informática. Wikipédia – Um disco óptico (optical disc) regravável (CD-R, DVD-R) que não foi devidamente gravado (recorded) fica, por essa razão inutilizado como armazenador de dados (data storage); Por consequência um dos seus usos é de porta – vasos (drinks coaster) ●


PORTALportal
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PORTAL
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●● (gíria) – Um site Web que oferece uma selecção de serviços, como notícias, motores de pesquisa, etc., na tentativa de convencer os usurários a visitarem-no regularmente (e de preferência fazer com que seja a primeira página que se visita sempre que se liga à Internet). Quanto mais visitantes tiver um portal, maiores serão as possibilidades de as pessoas utilizarem as ligações a sites de vendas aí existentes e, eventualmente, efectuarem compras, o que permite ao portal aumentar as receitas de publicidade. Só que às vezes, alguns destes portais, preocupam-se apenas com o dinheiro e perdem verdadeiramente o foco, enchendo-os de publicidade.


PORTÃOportão
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PORTÃO
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (hardware) – No contexto da Internet, o termo portão (gateway é utilizado para designar o ponto em que uma rede se liga directamente à Internet, através de uma linha dedicada capaz de suportar transmissões a alta velocidade. Quando acessa à Internet através de um ISP, todas as informações do portão ((às vezes também designado por (encaminhador – router IP – )


POSTpost
●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
POSTSCRIPT
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ● (PostScript) Linguagem criada pela Adobe pra descrever uma imagem bitmap (imagem desenhada ponto por ponto) ou vectorial (imagem feita de linhas, curvas, círculos, quadrados e desenhada a partir da descrição matemática não gerando efeito em degraus como em bitmap). Muito expandido no sector das artes gráficas.


POTSpots
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
POTS
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●● (conversação/netiqueta) – Abreviatura de Plain Old Telephone Service utilizada para distinguir uma linha telefónica analógica normal de uma ligação digital especial, como, por exemplo, uma ligação RDIS (ISDN).


PPPppp
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PPP
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (norma/formato) - Sucessor do SLIP, o protocolo PPP (Point to Point Protocol) define um meio de ligação à Internet através de linhas série (linhas telefónicas normais, linhas RDIS (ISDN) etc.)


POWERPOINpowerpoint
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
POWERPOINT
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
Captura de ecran do software PowerPoint PowerPoint Software de apresentação assistida por computdor editada pela Microsoft e fazendo partede do célebre pacote de escritório Office. A abreviatura é PPT.


PPSpps
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PPS
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● (Ing PowerPoint Slide show) Ficheiro de formato PowerPoint. Variante do formato PPT.


PPTppt
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PPT
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● ppt - Abreviatura dos ficheiro PowerPoint da Microsoft.


PRIMÁRIOprimário
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PRIMÁRIO-SECUNDÁRIO
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● Programa Primário (Ing Parent program)e Programa Secundário (Ing Child program) - (Ing parent-child) Num programa de base de dados, relacionamento entre dois ficheiros. O ficheiro primário contém os dados necessários a um determinado assunto, tal como empregados e clientes. O ficheiro secundário é a progénie; por exemplo uma norma é o secundário em relação ao cliente ●


PROBLEMASproblemas
●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PROBLEMAS DE ARRANQUE
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● ver RESOLVER PROBLEMAS DE ARRANQUE


PROCESSADORprocessador
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PROCESSADOR
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
Circuito integrado que, constituindo o órgão central do computador, tem a faculdade de levar a efeito qualquer operação sobre dados. Controla as funções de cálculos e tomadas de decisões de um computador, por isso é considerado o cérebro do mesmo. Ele faz parte de um importante elemento do computador, a Unidade Central de Processamento (em inglês CPU: Central Processing Unit). Hoje todos os circuitos e chips dispostos em diversas placas que compunham a Unidade Central de Processamento estão integrados no microprocessador. Os processadores trabalham apenas com linguagem de máquina (lógica booleana). E realizam as seguintes tarefas: - Busca e execução de instruções existentes na memória. Os programas e os dados que ficam gravados no disco (disco rígido ou disquetes), são transferidos para a memória. Uma vez estando na memória, o processador pode executar os programas e processar os dados; - Controle de todos os chips do computador.


PROCESSAMENTOprocessamento
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PROCESSAMENTO
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● ver PROCESSADOR


PROCURARprocurar

●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
Procurar A Partir De Uma Palavra-Chave
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● Após haver activado a ajuda do Windows receberá sempre a caixa de diálogo Ajuda e suporte. A forma mais simples de obter ajuda é comparável ao dispositivo de localização da Internet. No canto superior direito da janela encontra-se o campo de texto Procurar.
1. Procurar texto - desta forma serão verificados todos os tópicos de ajuda referente ao texto contido neste campo. Os items semelhantes encontrados poderão ser limitados através de critérios de procura. Como resultado, receberá todos os registros, conselhos e, até mesmo, a ajuda online que contém o conceito de procura e se refere ao tema procurado
2. Fornecedor conceito – Active inicialmente a ajuda do Windows através de Iniciar/Ajuda. No campo superior direito da caixa de texto Procurar digite o conceito de procura desejado ou uma expressão que defina o item procurado.


3. Palavra-chave – Quando usamos o termo palavra-chave, estamos a referir-nos a dois ou mais termos independentes. Digite estes termos um após o outro e separados por meio de um espaço em branco. Em seguida prima a tecla Enter ou efectue clique sobre o botão de comando Ir para.
4. Lista de tópicos - - Receberá uma lista de tópicos na parte esquerda da janela, logo que a procura tenha sido concluída. Tente mais uma vez utilizando o conceito Impressora.
5. Escolha De Um Tópico - Verifique, então, a lista de resultados e localize o registo que contém a informação desejada. Para experimentar, seleccione o registo Imprimir um documento. Efectue um clique para mostrar o tópico, da mesma firma como uma hiperligação na Word Wide Web.

6. Mostrar na parte direita da janela – O tópico de ajuda correspondente será mostrado na parte direita da janela. Também as oposições seleccionadas na resolução de problemas (na parte inferior da janela de resultados) serão apresentadas. Já as introduções serão, ao contrário, apresentadas numa janela separada.
7. Os links – Todos os conceitos de procura semelhantes ao conceito ou palavra-passe fornecidos serão representados no tópico encontrado de forma seleccionada. Através dos links oferecidos na forma de passagens de texto sublinhadas a azul, poderá obter informações mais detalhadas ou deslocar-se para um site da Web. Caso elementos do Windows sejam destacados desta forma, poderá, por exemplo, abrir uma janela do painel de controlo para que possa aplicar imediatamente as noções adquiridas.


No final da maior parte dos textos encontrará um link que o levará a outros temas semelhantes na página da ajuda. Neste caso, seleccione o registo do menu através de um clique com o rato.
parada.


8.


PROGRAMAprograma
●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PROGRAMA PRIMÁRIO
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● ver PRIMÁRIO-SECUNDÁRIO


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PROGRAMA SECUNDÁRIO
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● ver PRIMÁRIO-SECUNDÁRIO


PROGRAMASprogramas
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PROGRAMAS
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● Apliações ou apenas Software, são ferramentas (não físicas) que possibiltam a elaboração ou execução específica de trabalhos feitos em computador. Ex.: Word, Excel, Power Point, Access, Corel, AutoCad, etc., etc., etcHardware e Software são os dois componentes básicos do sistema do computador. O software é um conjunto de instruções electrónicas que «dizem» ao computador o que fazer. Embora o software não seja visível nem possa ser tocado, já o pacote em que o software é fornecido pode ser visto ou tocado Portanto, o usuário não precisa conhecer a linguagem do computador para executar determinados comandos, basta clicar sobre o comando escolhido, na forma de uma palavra ou de uma figura, ou digitar uma combinação específica de teclas para que o programa envie uma mensagem para o processador causando a execução de uma certa tarefa.


●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PROGRAMAS E DOCUMENTOS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● 3. PROGRAMAS E DOCUMENTOS

Neste quadro ocupar-nos-emos dotrabalho com os programas e seus ficheiros, os documentos. Tomará conhecimento das diversas disponíveis para activar e encerrar as aplicações do Windows. E para finalizar trataremos da gravação, carregamento e da organização de documentos.
A SEGUIR: INICIAR PROGRAMAS


PROTECÇÃOprotecção
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PROTECÇÃO DO PC DA CORRENTE ELÉCTRICA
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●

Os computadores são actualmente a mais importante ferramenta de trabalho para qualquer pessoa que trabalhe num escritório ou empresa, razão pela qual é essencial preservar o bom funcionamento deste. Podemos adicionar antivírus, anti-spyware, aumentar memória para melhorar a produtividade, mas muitas vezes esquecemo-nos do mais essencial, prevenir cortes ou oscilações da corrente eléctrica.
Independentemente de se viver na cidade ou no campo, é muito provável que a instalação eléctrica da sua casa, do seu prédio ou da sua rua seja bastante antiga e deficiente, o que poderá dar origem aos famosos picos de tensão ou simples quebra de tensão. Estes são os maiores inimigos das fontes de alimentação as quais, graças à introdução de sistemas como o PFC, impedem que os picos de tensão afectem os componentes do sistema, como a motherborg e discos rígidos, uma das maiores vítimas das fontes de alimentação de má qualidade.
Para evitar estas situações, existem diversas soluções no mercado. Para além de filtrarem a corrente eléctrica, consegue garantir que durante um certo período de tempo o computador fique a funcionar correctamente, de forma a conseguir salvar os seus dados e trabalhos a tempo de o computador se desligar por falta de correente. Estres sistema são designados por UPS (Uninterruptible power supply – sistema de alimentação ininterrupta).

APC

Fundada em 1981 por três engenheiros electrotécnicos provenientes do MIT, a APC (American Power Conversion) foi criada para oferecer soluções para protecção de sistemas eléctricos dos perigosos picos de tensão. Actualmente a APC é uma das principais empresas no mercado das TI e é provavelmente o especialista máximo no desenvolvimento de soluções de protecção e alimentação auxiliar de computadores e sistemas computorizados
De entre as suas vastas linhas de produtos, há uma, a família Back-UPS ES, desenvolvida especialmente para consumidores domésticos e pequenas empresas. Estes dispositivos permitem – para além da simples filtração de ruído, e picos de tensão da corrente – manter os computadores a funcionar durante um determinado período de tempo de forma a salvaguardar os seus dados quanto antes. Isso é possível graças à inclusão de uma de duas baterias.

BACK-UPS ES 550VA

Esta Back.UPS com o formato de uma régua de alimentação dupla, possui um conjunto de funcionalidades bastante atraente e equilibrada para a maioria dos utilizadores de computadores.


Ligando-se à corrente por uma simples ficha, possui oito saídas para poder ligar o seu computador, monitor, coluna, teclado e rato (caso sejam sem fios e necessitem de um transformador para o receptor), impressora, etc.
Dessas oito saídas, quatro possuem uma protecção contra picos de tensão, filtrando a alimentação de todos os ruídos. As restantes quatro saídas – para além de terem a mesma protecção das outras – possuem autonomia graças à utilização de uma bateria de chumbo e ácido (vulgarmente encontrada em pequenas motorizadas e carros eléctricos de crianças).
Esta bateria aumenta o peso da UPS para os 6, 9 Kg. Mss permite oferecer uma autonomia de 14 minutos para um computador que consuma em média 165 Watts de energia, e de 3, 4 minutos para um que necessite de 330 Watts de potência.
Para além disso, esta Back UPS consegue filtrar ligações do tipo RJ-45, as vulgarmente encontradas em linhas telefónicas RDIS, ou ligações de rede (entre router, modem, etc.)
No fundo, esta Back-UPS ES 550VA consegue oferecer uma protecção total do seu computador e periféricos caso a energia de sua casa vá abaixo ou sofra de um pico de tensão.

TESTES

Para comprovarmos a eficácia desta UPS, experimentámos simular uma falha de corrente no nosso computador de teste, constituído por uma motherboard Asus P%B Deluxe (1965P), Intel Core 2 Quad Q6600, 2x”GB DDR2-800, placa gráfica ATI Radeon HD 3850 512MB e 4 discos rígidos de 80GB em Raid 0 e um gravador de DVD SA-TA. Este sistema encontra-se alimentado por uma fonte de alimentação com protecção de picos de tensão, de 600W, (uma OCZ Powerstream), que deverá consumir (em média) cerca de 350W em utilização normal. Torna-se assim num exemplo perfeito para monitorizar qual o tempo de autonomia da bateria desta UPS.
Após a instalação do software de monitorização da APC, dos cabos ligados à UPS e de aguardarmos que a bateria desta atingisse o valor máximo (100%, naturalmente), simulámos uma falha de corrente a um método científico muito rigoroso: removendo a tomada da UPS da corrente.
Antes deste procedimento, registámos no software da APC que a bateria possuía uma autonomia de 45 minutos, mas assim que retirámos a tomada, a autonomia desceu imediatamente para os quatro minutos, descendo 1 por cento da sua capacidade de 10 em 10n segundos.

CONCLUSÃO

Com um valor estimado de € 110 (Jun08) (com IVA), esta Back UPS 550VA poderá ser a sua melhor amiga, especialmente se viver ou trabalhar num local propício a falhas na alimentação das instalações.
Apesar de no nosso computador de teste ter aguentado apenas 4 minutos, esta cumpriu exactamente a sua função, que é permitir que o utilizador consiga salvar os seus trabalhos a tempo de desligar o computador de forma correcta, evitando assim a perda de dados e trabalhos, ao mesmo tempo que evita uma possível corrupção da sua instalação do Windows, algo que poderá acontecer numa situação destas.
Utilizando esta pequena ferramenta, garantirá que os seus trabalhos estarão a salvo, mesmo que a corrente falhe em sua casa

UPS – (Uninterruptible power supply – sistema de alimentação ininterrupta)
para evitar estas situações de falta de corrente nos computadores, existem diversas soluções no mercado. Para além de filtrarem a corrente eléctrica, consegue garantir que durante um certo período de tempo o computador fique a funcionar correctamente, de forma a conseguir salvar os seus dados e trabalhos a tempo de o computador se desligar por falta de corrente. Estres sistema são designados por UPS (Uninterruptible power supply – sistema de alimentação ininterrupta)


PROTOCOLOprotocolo
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PROTOCOLO
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (tecnologia) – Um protocolo define um método de comunicação entre o cliente e o servidor. Por exemplo o protocolo POP3 determina quais os comandos que um cliente POP3 tem de enviar a um servidor POP3 para iniciar uma sessão, verificar e transferir o correio electrónico, assim como os eventuais comandos que o servidor pode enviar ao cliente.


PROTOCOLOprotocolo
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PROTOCOLO DE TRANSFERÊNCIA DE FICHEIROS
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● (Ing File Transfer Protocol) - ver FTP


PROVOCAÇÃOprovocação
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
PROVOCAÇÃO
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● Uma provocação (flame) é uma mensagem exclusiva, inflamada ou antagónica, normalmente colocada num grupo de notícias.


QQQQQ



●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
Q ONLINE
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● Esta famosa revista de música inglesa deu um passo importante marcando a sua presença na Internet (www.qonline.co.uk). Mesmo que não esteja muito interessado nasa revista, ter aceso completo aos seus arquivos, que incluem opiniões sobre mais de 18.000 álbuns, não deixa de ser motivo interessante.


QUAKEquake
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
QUAKE
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (software) – Se gostava de jogar uma versão de Quake no seu ambiente de trabalho, experimente um dos muitos jogos multi-usurário (Multiplayer) disponível na Internet. O QuakeWord é um bom local para encontrar o que se precisa e saber o que se pode fazer para o conseguir (www.idsoftware.com)


QUANTEXquantex
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
QUANTEX
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (organização) – Um nome grande na América, agora a Quantex está a tentar penetrar no mercado de PCs doReino Unido.


QUICKquick
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
QUICK TIME
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (organização) – Software multimédia da Apple, disponível para Windows, capaz de gerir diferentes variedades de informações de som e vídeo. Particularmente reconhecido pela função “Quick Time VR”
Que apresenta uma perspectiva de um local que depois pode rodar até 360 graus. Depois de transmitir o QuickTime a partir do site www.apple.com/quicktime (se ainda não o tiver), veja alguns exemplos em www.apple.com/quicktime/qtvr ou www.thatguy.com/qtvr


QUICKFINDDLTquickfinddlt
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
QUICKFINDDLT
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (software) Este motor de pesquisa pouco conhecido permite-lhe introduzir os termos de pesquisa apenas uma vez para depois serem submetidos a 26 outros motores de pesquisa apenas uma vez para depois serem submetidos a 26 outros motores de pesquisa em simultâneo (e podem também escolher os motores de pesquisa que deseja utilizar). www.quickfindit.com


QUYLOBYTEquylobyte
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
QUYLOBYTE
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
●QUYLOBYTE/Kb (gíria) - Mil bytes de dados. Um documento de texto normal mede cerca de 6 ou 7 Kb, enquanto que uma imagem JPEG ronda os 150 Kb, e um arquivo de vídeo ou de áudio pode ter vários megabytes (um megabyte corresponde a um milhão de bytes de dados).


RRRRR



RAMram
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
RAM
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● (Random Access Memory - Memória de acesso aleatório) - Armazena temporariamente informação dentro do computador. Esta informação perde – se quando se desliga o computador. Portanto a memória RAM funciona como um quadro preto que está constantemente a ser preenchido com nova informação. Um computador portátil deve ter pelo menos 32 Mb de memória para garantir que os programas corram sem problemas. - Ver tb Memória RAM


RASras
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
RAS
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (norma/formato) - O protocolo de acesso remoto do Windows NT é um meio de ligação a outros sistemas, via modem ou ligação de rede.


RATIOratio
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
RATIO
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● razão, proporção, relação

RATOrato
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
RATO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
Um rato ou mouse contemporâneo, com as características mais comuns - dois botões e um botão de rolagem.
O rato (termo utilizado em Portugal) ou mouse (termo em inglês e utilizado no Brasil) é um periférico de entrada que historicamente se juntou ao teclado como auxiliar no processo de entrada de dados, especialmente em programas com interface gráfica.

O Rato de computador inventado por Engelbarth fez recentemente 40 anos. Aliás, esse engenheiro apresentou-o em 1968 mas já o tinha construído em madeira, com aquele fio que lembra a cauda do tal homónimo, 4 anos antes. Ninguém se interessou por um esquisito dispositivo que assinalava posições num monitor e vendeu a patente por uma insignificância.
O mouse tem como função movimentar o cursor (apontador) pela tela do computador. O formato mais comum do cursor é uma seta, contudo, existem opções no sistema operacional e softwares que permitem personalizarmos o cursor do rato. O rato funciona como um apontador sobre o ecrã (tela, em português do Brasil) do computador e disponibiliza normalmente quatro tipos operações: movimento, click (clique), duplo click e drag and drop (arrastar e largar). Existem modelos com um, dois, três ou mais botões cuja funcionalidade depende do ambiente de trabalho e do programa que está a ser utilizado. Claramente, o botão esquerdo é o mais utilizado. Interior de um rato. Legenda: 1. A bola, que faz girar a roldana; 2. Roldana que irá alterar a passagem de luz entre o LED e o sensor; 3. Sensor fotoeléctrico 4. Botão de clique (esquerdo); 5. LED (v.). O rato (mouse) é normalmente ligado ao computador através de fichas (portas): serial, PS2 ou, mais recentemente, USB (Universal Serial Bus). Também existem conexões sem fio, as mais antigas em infra-vermelho, as atuais em Bluetooth. Outros dispositivos de entrada competem com o mouse: Touchpads (usados basicamente em notebooks) e Trackballs. Também é possível ver o joystick como um concorrente, mas não são comuns em computadores. É interessante notar que uma trackball pode ser vista como um mouse (de bola) de cabeça para baixo. Um mouse óptico actual usa um LED vermelho para projetar luz na superfície de tração. ver tb: RATO MX AIR; RATO MX1100; FUNÇÕES DO RATO.







●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
RATO, APRENDER A TRABALAHR COM O
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
http://windowshelp.microsoft.com/Windows/pt-PT/Help/cb8832d2-3cb8-44a5-9636-eef74a92a3c02070.mspx


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
RATO, UTILIZAR O
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
http://windowshelp.microsoft.com/Windows/pt-PT/Help/e725b43f-94e4-4410-98e7-cc87ab2739aa2070.mspx


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
RATO MX1100 da Logitech
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●

Possui dimensões e formato que o encaixam confortavelmente nas nossas mãos. Os dedos ficam exactamente nos locais onde estão os botões mais utilizados mas alcançando os restantes que são mais do que o habitual até agora, sujeitos a serem programados para várias funções e aquela rodinha habitual que permite um rápido movimento em muitas páginas da net ou longos documentos. Acrescentemos a possibilidade de definir o grau de precisão e a grande duração da carga de energia com botão de desligar e indicação por led.


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
RATO MX AIR da Logitech
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Este rato tanto funciona na secretária como no ar. Os movimentos da mão determinam a posição do cursor e nem é necessário apontá-lo para o monitor. Os comandos e os botões também lá estão. Tecnologia de movimento Freespace, comandos por estes e sem fios, com bateria recarregável numa base. O utilizador pode navegar, consultar, abrir ficheiros, aceder a conteúdos multimédia, tudo à distância, sentado num sofá, como se estivesse a ver televisão. Os sensores distinguem mesmo os movimentos acidentais e involuntários da mão. Se a rodar para a direita, tocando no botão do volume, aumenta o som. Não existe rodinha mas um sensor táctil deslizante.


RDISrdis
●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
RDIS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (Rede Digital Integrada de Serviços ou Rede Digital com Integração de Serviços) ou RDSI (Rede Digital de Serviços Integrados), traduções alternativas do inglês ISDN (Integrated Service Digital Network) (conhecida popularmente como Linha Dedicada), é uma tecnologia que usa o sistema telefónico comum. O ISDN já existe há algum tempo, sendo consolidado nos anos de 1984 e 1986, sendo umas das pioneiras na tecnologia xDSL.

Há dois tipos de acesso baseados em RDSI: BRI (Basic Rate Interface) e PRI (Primary Rate Interface).

O acesso Básico (BRI) possui dois canais B para trasmissão de voz ou dados de 64 Kbps cada um e um canal D utilizado para sinalização de 16 Kbps.

A conexão BRI pode ser realizada até uma taxa de transmissão efetiva de 128Kbps, através de duas linhas de até 64 Kbps, que são usadas tanto para conexão com a Internet quanto para chamadas telefónicas de voz normais. É possível efetuar a conexão em apenas 64Kbps e deixando a outra linha disponível para chamadas de voz. Caso esteja conectado a 128 Kbps, ou seja, usando as duas linhas, não será possível realizar ou receber chamadas telefónicas. É possível também fazer duas chamadas telefónicas simultâneas, cada uma usando uma linha de 64 Kbps.

Esta taxa 128 Kbps ocorre pelo fato da comunicação com a central telefônica ocorrer de forma digital em todo o percurso, ao invés de forma analógica. Isto é explicado da seguinte forma: a largura de banda de uma linha analógica comum é de 4KHz, e numa linha ISDN este valor é de 128Kbps, fazendo com que os 4KHz de sinal não existam mais, pois a linha conectada com a central de telefonia não trabalha com sinais analógicos.

O acesso Primário (PRI) utiliza 30 canais B e um canal D.

Geralmente é utilizado para interligação entre uma central telefônica e PABX. O protocolo DSS1 é um exemplo de sinalização utilizado nesse acesso.



Figuras:
Esq - Telefone RDIS
Dir - Visão frontal do RDIS Eumex 220PC






REALPLAYER
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
REALPLAYER
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (software)

Tecnologias de envio de dados áudio e vídeo em tempo real através da Internet, disponível através da empresa americana RealNetworks em www.real.com. Os browsers que têm um acessório Real Player permitem-lhe ver vídeos ou ouvir todo o tipo de transmissão através da Internet (www.atlascomm.net)


RECUPERAÇÃOrecuperação
●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
RECUPERAÇÃO DE DADOS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Existe um programa freeware chamado Zero Assumption Digital Image Recovery que faz exatamente isso. Este programa pode ser baixado em http://www.z-a-recovery.com/setup_ir.exe Ligue Grátis - 0800 771 7242 (24 horas - 7 dias por semana) Recuperação de Dados | Clube do Hardware V. tb. PLACA DE RECUPERAÇÃO DE DADOS: http://www.clubedohardware.com.br/duvidas/30 http://emaildicdeinfcomplementosutilitarioco.blogspot.com/http://www.recoverylab.com.br/origem.htm



REDErede
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
REDE
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● Um conjunto de computadores ligados entre si para permitir o compartilhamento de informações e de recursos de sistema.


RFCrfc
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
RFC
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (software) Quando uma nova norma é proposta na comunidade da Internet, isso é feito através da publicação de um documento, conhecido como RFC (Request For Comment). Se precisa realmente conhecer aa fundo os pormenores técnicos do POP3, do IMAP4 ou de qualquer outro padrão, consultar o respectivo RFC pode ajudar (No entanto, preste atenção no que estamos falando de documento detalhados, nos quais não há qualquer preocupação em explicar as coisas a principiantes).
Pode encontrar uma base de dados de RFCs pesquisável, juntamente com outras informações úteis, em www.faqs.org/rfcs.


REGISTERregister
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
REGISTER.COM
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● Um site onde pode procurar e adquirir um nome domínio próprio. Útil para registar o seu site ou apenas para ciberoportunismo.


REGISTOregisto
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
REGISTO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
(Ing TRACK) - Um círculo num disco onde a informação (data) pode ser gravada. Uma disquete típica tem 80 (dupla) ou 160 (capacidade ainda maior) registos parciais. O disco rígido tem cada disco concêntrico dividido em registos parciais e um registo parcial (cilindro) correspondente a cada registo de cada lado. Os discos rígidos têm muitos milhares de cilindros.
Cada registo parcial está dividido em sectores: o sistema operativo e o drive de disco memorizam os locais de armazenamento, anotando os registos parciais e o número dos sectores.
A densidade dos registos (a sua capacicidade) mede-se em registos (parciais) por polegada (Ing inch)


RÉGUArégua
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
RÉGUA HORIZONTAL
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Ver MOSTRAR OU OCULTAR RÉGUAS


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
RÉGUA VERTICAL
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Ver MOSTRAR OU OCULTAR RÉGUAS


REMARQremarq
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
REMARQ
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (ORGANIZAÇÃO) Se quiser experimentar os grupos de notícias, mas não lhe agradar a ideia de ter de aprender a utilizá-los, então experimente uma solução baseada na Web. Sites como o RemarQ (www.remarq.com) permite-lhe explorar o mundo da Usenet totalmente a partir do seu seu browser. Experimente.


RSrs
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
RS-232g
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● “Recommended Standard 232” é a definição original de como uma porta serial deveria funcionar. Actualmente designa-se por “TIA/EIA-232-E”, mas este nome não se popularizou.


RSArsa
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
RSA
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (organização/norma) Padrão de criptografia, utilizado para codificar páginas Web e correio electrónico. O seu nome deriva de Rivest, Sharrir e Adelman, os inventores desta técnica. Actualmente, continuam trabalhando nesta área através da sua empresa RSA Security Inc (www.rasecurity.com) e a tecnologia por eles desenvolvida eestá incorporada tanto no Netscape Navigator (seleccione Help About Communicator para ver o logotipo) como Microsoft Internet Explorer.


RESOLUÇÃOresolução
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
RESOLUÇÃO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● A R. determina a quantidade de informação que o monitor pode mostrar. A R. mede – se pelo número de píxeis (v.) na horizontal e na vertical. Um «pixel» é o elemento mais pequeno do ecrã. O termo pixel deriva de picture element (elementos da imagem). ●
RESOLVERresolver
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
RESOLVER PROBLEMAS DE ARRANQUE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● Resolva problemas de arranque ∙ Dentro Do Registry Se o registo parecer estar danificado, arregace as mangas e comece a corrigir o problema ∙ Publicidade Após ter eliminado todas as causas de problemas de arranque baseados no disco, está na altura de aceitar a probabilidade de o Windows ter problemas. Há três causas prováveis para uma instalação de Windows presumivelmente “saudável” se recusar a arrancar: danos do Registry, choques entre aplicações ou drivers e corrupção física ou danos à instalação do Windows. O Windows carrega os ficheiros do Registry de cada vez que arranca e não pode funcionar sem eles para operação normal.. ∙ Problemas Do Registo Ainda bem que o Windows tem uma ferramenta para restaurar um Registry danificado. Este programa corre à medida que o Windows arranca, e grava uma cópia de segurança completa de toda a informação do Registry uma vez por dia, por isso tem sempre mais do que uma cópia a que recorrer. Esta ferramenta pode restaurar cópias do Registry em boas condições e pode tentar um procedimento de reparação se não tiver nenhuma cópia funcional – veja o passo a passo para ver como a usar. O System Configuration Utility é útil para ajudar a diagnosticar problemas de arranque causados por aplicações ou drivers Se o Registry não for o problema, faça um teste de choques de aplicações ou de drivers. Antes de começar, pergunte-se se instalou software ou hardware novo mesmo antes do problema se ter manifestado. Se não, então provavelmente isto não é a causa, embora valha sempre a pena verificar. Para começar, veja se o Windows arranca como deve ser em modo se segurança. Reinicie a sua máquina e mantenha premido [Ctrl] antes do Windows começar a carregar – verá o Windows Startup Menu. Seleccione o modo de segurança, ultrapassando os drivers e definições normais das aplicações. Se o modo de segurança chegar ao ambiente de trabalho, é pouco provável que seja o próprio Windows a estar danificado. Fig. O System Configuration Utility é útil para ajudar a diagnosticar problemas de arranque causados por aplicações ou drivers ∙ Modo De segurança Enquanto o modo de segurança estiver a correr, remova quaisquer drivers de hardware ou software que tenham sido instalados imediatamente antes dos problemas começarem, e depois reinicie normalmente. O Windows deverá agora funcionar normalmente. Muitas aplicações O Windows 98 oferece este menu de arranque textual, permitindo-llhe arrancar em modo de segurança sem carregar o Windows correm porções delas próprias como partes do Windows, e vale a pena desligá-las uma de cada vez para localizar choques potenciais. Clique em Start, Run, e escreva MSCONFIG para correr o System Configuration Utility, depois desligue todas as entradas de autorun. Se o Windows carregar bem, ligue-as uma a uma até localizar o culpado. Fig. O Windows 98 oferece este menu de arranque textual, permitindo-lhe arrancar em modo de segurança sem carregar o Windows Finalmente, o Windows pode ficar danificado por muitas razões – desde utilizadores descuidados a erros de disco ou ficheiros apagados por vírus. Veja a página seguinte para saber o que fazer nesse caso. ∙ Restaure Ficheiros Perdidos Se suspeita que a instalação original do Windows se danificou, siga estes passos para resolver o problema Se o problema está no próprio Windows, nem tudo está perdido. Se consegue arrancar em modo de segurança, então há boas hipóteses de poder reparar os ficheiros danificados ou em falta da sua instalação do Windows. O busílis é que o modo de segurança não dá acesso ao seu CD, por isso precisa de copiar primeiro os ficheiros CAB para o disco rígido. Usando uma disquete, arranque para DOS com suporte a CD-ROM, depois escreva os seguintes comandos: cd windows md cabs copy d:\win98\*.* c:\windows\data ∙ Restaure Ou Repare O Registry 1 - Inicie o seu sistema a partir de uma disquete de arranque de Windows 98. Na prompt de comando escreva SCANREG /RESTORE. Seleccione uma cópia da Registry a restaurar – não vá muito atrás no tempo, ou pode perder informações vitais às definições das aplicações ou dos drivers. 2 - Assim que o programa tiver terminado, verá este ecrã se tudo tiver corrido bem. Remova a disquete de arranque de Windows 98 da drive A e reinicie a sua máquina – o Windows deverá carregar agora sem problemas de Registry. 3 - Se não tem cópias do Registry que possa usar, arranque da disquete e escreva SCANREG /FIX. O programa irá examinar e tentar reparar quaisquer secções corruptas da Registry que encontrar, muitas vezes com muito sucesso ∙ Danos No Windows Arranque em modo de segurança e assegure-se que o seu CD de instalação do Windows original está inserido na drive. Clique em Start, Run e escreva SFC. Assim, irá executar o System File Checker, que é parte do próprio Windows. Clique no botão Settings e ligue a opção marcada Check for Changed Files e Check for Altered Files e clique Start. Isto pode levar algum tempo, mas tenha paciência. Como ultimo recurso, deve reinstalar o Windows 98 Se o SFC avisar que houve ficheiros alterados, verifique os números das versões: se forem os mesmos, pode deixá-los em paz. Se um ficheiro tiver sido substituído por uma versão mais antiga então escolha restaurar o original, mas já que o CD não está presente use o botão Browse para apontar o SFC para a pasta que contém os ficheiros CAB que criou anteriormente. Quaisquer ficheiros em falta devem também ser substituídos. Fig. Como último recurso, deve reinstalar o Windows 98 Se o Windows ainda se recusar a carregar, reinicie para o Startup Menu e seleccione Option 2 para arrancar o Windows normalmente enquanto cria um ficheiro bootlog. Volte a arrancar em modo de segurança e leia o ficheiro BOOTLOG.TXT – a última entrada dará a pista sobre onde estará a falha. ∙ Recuperar Ficheiros Se tudo o resto falhar, tem duas opções. A primeira é criar outra partição capaz de arrancar e instalar o Windows 98, depois usar um utilitário especializado para recuperar os seus ficheiros da partição danificada. A PCGuia está, nestes números, a cobrir o tema de arranque duplo, por isso não falaremos nisso nesta rubrica. Quando tiver uma instalação do Windows funcional noutra drive ou partição, siga os passos nesta página para usar o Freeware Drive Rescue de www.pcinspector.de/file_recovery/UK/welcome.htm para ter os seus dados de volta. O passo final é a reinstalação completa do próprio Windows. Note que é possível instalar o Windows por cima dele próprio, corrigindo assim muitos problemas que podem estar a impedir o Windows de carregar. Isto chama-se overlay install e é tão simples como arrancar de uma disquete e correr SETUP do CD do Windows 98. Dê tempo para o Windows se reinstalar e deverá ter corrigido quaisquer problemas de maior com ficheiros apagados ou danificados que o SFC não conseguiu recuperar. Se isto falhar, deve formatar a drive de arranque e fazer uma instalação completa e limpa do Windows. Recupere dados apagados ou danificados 1 - Corra Drive Rescue e seleccione a opção apropriada para a situação – se a sua drive ainda aparece em My Computer, seleccione Find Lost Data. Se a drive não estiver lá, escolha Find Lost Drive para continuar. 2 - Seleccione a sua drive de arranque primária na secção Physycal Drive, e depois clique seja em Preview para ver algumas informações, seja em OK para dizer ao Drive Rescue para começar a procurar a partição de drive problemática. 3 - Navegue através da estrutura de ficheiros e de pastas até localizar os dados que quer recuperar. Seleccione hierarquias de pastas completas ou ficheiros, depois faça clique com o botão direito do rato e seleccione Save as. Escolha uma drive para os gravar lá e clique em OK. Embora seja o sistema operativo mais estável que a Microsoft construiu até agora, isso não quer dizer que vá ter uma “Xperiência” livre de problemas. Os PCs são imprevisíveis, particularmente com a vasta gama de aplicações de software e componentes de hardware que lhes pode ser instalado. É inevitável que haja algum tipo de conflito ou avaria pelo caminho, resultando em ataques de nervos e aumento de níveis de stress. Mas não precisa de ser assim. ∙ Mensagens De Erro Não é um cenário fora do comum. O leitor prime o botão de ligar e espera enquanto o seu computador arranca. No entanto, o processo corre bem até certa altura e depois pára, ou recebe um tipo qualquer de mensagem de erro misteriosa a que não consegue dar a volta. Os porquês terão de esperar – agora só precisa algum tipo de reacção para que saiba que os seus dados ainda lá estão e ainda estão a salvo. Tal como em versões anteriores, o modo de segurança dar-lhe-á acesso a uma versão “básica” do Windows, correndo com um número mínimo de drivers. Carregar em [F8] na altura certa torna esta opção disponível. No entanto, em vez de reiniciar o seu PC e tentar premir o botão na altura certa, há uma maneira mais fácil de chegar ao modo de segurança. Pode acrescentar o modo de segurança à lista de opções de arranque que normalmente mostra outros sistemas operativos. ∙ Prevenção De Crashes O Disk Cleanup automatiza o processo de limpeza localizando os ficheiros que podem ser apagados e identificando possibilidades de poupança de espaço Manter o seu disco rígido em boas condições é uma maneira de prevenir os problemas de arranque. Pode evitar os desastres potenciais fazendo tarefas de manutenção regularmente. Fig. O Disk Cleanup automatiza o processo de limpeza localizando os ficheiros que podem ser apagados e identificando possibilidades de poupança de espaço Os conflitos de software podem causar problemas e uma maneira de os evitar é usar o Add or Remove Program, ver-se livre de aplicações que já não usa. Para o ajudar, clique na caixa drop-down Sort by - no topo do diálogo Add or Remove Programs. Há mais ferramentas disponíveis de dentro de My Computer. Clique com o botão direito do rato no seu disco rígido e escolha Properties para ter acesso ao Disk Cleanup. Com o seu disco rígido livre de tralha, seleccione Tools e use Error Checking First para fazer uma busca ao seu disco por erros físicos. Depois faça uma desfragmentação para colocar os blocos de dados no seu disco em ordem contígua. A manutenção básica é um must para ajudar a prevenção de crashes de sistema ∙ Acrescentar O Modo De Segurança Há várias maneiras de fazer isto. Pode ir até System Properties, seleccionar Advanced e clicar em Settings abaixo de Startup and Recovery. Clique em Edit e uma cópia do seu ficheiro boot.ini aparece no bloco de notas. Vá mais abaixo até Operating Systems e copie a linha que contém detalhes sobre a sua escolha normal de SO e cole-a por baixo. Na nova linha altere a descrição entre aspas para ler Windows XP Safe Mode. Fig. A manutenção básica é um must para ajudar a prevenção de crashes de sistema No fim da nova linha acrescente o seguinte: /safeboot:minimal /sos /bootlog. Se preferir, pode alterar a palavra minimal para network e o Windows XP arrancará em modo de segurança com rede. Limpar a tralha do seu disco rígido ajuda... use Add or Remove Programs Assim que estiver no modo de segurança, pode usar o Windows XP muito como o normal, embora tenha de se desenrascar com a baixa resolução de 640 x 480. Se o seu PC começou subitamente a comportar-se de modo estranho, pense quando foi a última vez que fez uma alteração de monta ao seu PC. Talvez um novo componente de hardware tenha sido instalado, ou uma aplicação. Ou talvez tenha havido uma alteração a um ficheiro de sistema ou mesmo ao Registry. O facto de agora ter acesso ao modo de segurança vai dar-lhe a oportunidade de inverter qualquer destas alterações. Fig. Limpar a tralha do seu disco rígido ajuda... use Add or Remove Programs ∙ Recorra Ao XP O seu sistema operativo tem algumas ferramentas úteis que o podem ajudar Alguns problemas são tão graves que não é nem sequer possível chegar ao modo de segurança. Aqui está uma opção que pode ajudar. De cada vez que arranca o Windows XP, faz-se um registo do Registry em HKEY_LOCAL_MACHINE\SYSTEM\CurrentControlSet. Todos os detalhes dos sistemas que funcionavam ficam guardados aqui e podem ser chamados em alturas de dificuldades para pôr o seu PC a funcionar outra vez. Com um ponto de restauro será capaz de fazer o seu PC voltar atrás mesmo a tempo para o pôr a funcionar Reinicie o PC outra vez, premindo [F8] para aceder ao menu Windows Advanced Options. Seleccione Last Known Good Configuration e prima [Return]. O Windows XP lerá as informações armazenadas na chave do Registry mencionada anteriormente e usá-la-á quando arrancar. Lembre-se que depois de arrancar o seu PC usando Last Known Good Configuration, quaisquer alterações que tenham sido feitas ao seu sistema podem perder-se. Fig. Com um ponto de restauro será capaz de fazer o seu PC voltar atrás mesmo a tempo para o pôr a funcionar Se os seus problemas são de uma natureza mais intermitente e tem acesso ao Windows XP, então poderá recorrer à ferramenta System Restore. Esta tira uma “fotografia” do seu sistema num ponto em que tudo está a funcionar bem. Por definição, um novo ponto de restauro é criado a cada 24 horas se o seu computador for deixado ligado. Em alternativa, se fecha a sua máquina, um novo ponto de restauro será criado se o anterior tiver mais de 24 horas. Pode também criar pontos de restauro manualmente. É útil fazê-lo antes de instalar hardware novo ou fazer outras alterações ao seu sistema. Se subsequentemente encontrar instabilidade ou fizer um erro com a configuração, então terá uma maneira de voltar para trás. Atribua mais espaço de disco ao System Restore para criar um número maior de pontos de restauro Para se assegurar de que esta ferramenta está activa, abra System Properties e seleccione System Restore. Seleccione o seu disco rígido e clique Settings, depois use o slider para aumentar a quantidade de espaço de disco rígido atribuído ao System Restore. Quanto mais espaço de disco, mais pontos de restauro será capaz de criar. Fig. Atribua mais espaço de disco ao System Restore para criar um número maior de pontos de restauro ∙ Intervalos Nos Pontos De Restauro Pode alterar o intervalo ao qual os pontos de restauro são automaticamente criados fazendo um ligeiro ajustamento no Registry. Abra o editor de Registry e localize HKEY_LOCAL_MACHINE\SOFTWARE\Microsoft\Windows NT\Current Version\System Restore. No painel da direita verá um valor DWORD chamado RPGlobalInterval. Se não existir, terá de o criar. O valor é o intervalo entre pontos de restauro em segundos. Por exemplo, o intervalo predefinido é de 24 horas ou 86 400 segundos. Altere este número e será capaz de alterar a frequência da criação automática de pontos de restauro. Por exemplo, divida por dois para um intervalo de 12 horas, por quatro para seis horas, e assim por diante. ∙ Restaure O Seu Sistema 1 - Ao usar o System Restore, não desinstala programas, mas move os ficheiros de sistema. Uma área onde não mexe é na pasta My Documents, por isso qualquer coisa que o preocupe pode ser movida para lá. 2 - Assegure-se que todos os programas estão fechados e todos os utilizadores desligados. Corra o System Restore e escolha Restore my Computer to an Earlier Time. Os dias a negrito têm pontos de restauro que pode usar. 3 - O System Restore tentará então usar os dados que arquivou. Se vir que as alterações não são o que estava à espera, corra o System Restore outra vez e seleccione Undo My Last Restoration. ∙ Outra Forma De Iniciar O PC Se não consegue arrancar com o Windows XP da primeira vez, utilize o disco de instalação Às vezes, nem sequer a última boa configuração conhecida o vai ajudar. Não importa quantas vezes reinicie o sistema, o seu PC não “regressará à vida”. Assim, o System Restore deixa de ser uma opção. Felizmente, o seu CD do Windows XP faz as vezes de disco de arranque que também contém ferramentas e utilitários que pode usar para reparar a sua instalação e corrigir problemas. Se isto se torna na sua única opção, então a primeira coisa que precisa de fazer é assegurar-se que o seu sistema está configurado de modo a que possa arrancar da sua drive de CD-ROM. Reinicie o seu PC. Quando lhe for pedido, prima a tecla apropriada para entrar no setup, (normalmente, é a tecla [Del] ou uma tecla de função). Procure a secção que tem os pormenores acerca da sua sequência de arranque e use as teclas de cursor e [+] e [-] para definir o leitor de CDROM como primeiro dispositivo de arranque. Grave as alterações e o seu PC reiniciará automaticamente: assegure-se que o seu CD do Windows está na drive. Prima qualquer tecla para arrancar a partir da drive de CD quando lhe for pedido e pouco depois o menu de Setup aparece. Prima [R] e terá acesso à consola de recuperação. ∙ Não Tem CD? Não Há Problema Pode criar disquetes de arranque no site da Microsof Ao contrário das versões anteriores do Windows, não há opção no sistema operativo para criar uma disquete de arranque. Para a grande maioria das pessoas isto não será problema já que poderão arrancar do CD. No entanto, podem haver ocasiões em que não há drive de CD-ROM disponível ou estar danificada. Felizmente, pode criar disquetes de arranque a partir do site da Microsoft: assegure-se é que dispõe de seis disquetes primeiro. Os leitores que utilizem o Windows XP Home Edition deverão visitar www.microsoft.com/downloads/release.asp?ReleaseID=33290, enquanto quem usa a Professional Edition deverá ir até www.microdoft.com/downloads/release.asp? ReleaseID=33291 Fig. Pode criar disquetes de arranque no site da Microsof ∙ Use A Consola De Recuperação A consola de recuperação dá-lhe acesso a uma prompt de comando que colocará uma série de ferramentas diferentes à sua disposição. Cada uma destas ajudá-lo-á a diagnosticar e a corrigir quaisquer problemas que possa ter. Escreva help na prompt para revelar uma lista completa de todas as ferramentas disponíveis. Dependendo dos problemas que está a verificar, pode querer correr o chkdsk c: na prompt. Isto desempenhará uma busca do seu disco rígido e localizar e corrigir quaisquer áreas de dados danificados ou corruptos. Em alternativa, pode usar coisas como Fixboot e Fixmbr para escrever uma nova partição de arranque ou reparar o Master Boot Record. ∙ Último Recurso Pode ser de opinião de que um problema não pode ser arranjado e o melhor que há a fazer é formatar a drive e reinstalar o Windows XP. Antes de dar um passo assim tão drástico, tente uma reparação. Quando arranca do CD e chega ao ecrã Welcome to Setup, prima Return duaz vezes para instalar o Windows XP. Prima F8 para confirmar o acordo de licença, seleccione a instalação que está a usar, geralmente c:\WINDOWS. Introduza a palavra passe que quiser e depois R para reparar. A opção de reparação deixa a grande maioria do seu disco rígido e definições intactos. A sua função principal é reparar ficheiros de sistema.


RICHrich
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
RICH TEXT
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●● ●
● Texto no formato RTF Microsoft's format. Ver RTF.


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
RICH TEXT FORMAT
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●● ●
● Formato de um documento da Microsoft para codificar texto e gráficos. Foi adapatado do formato DCA da IBM e suportes ANSI, IBM PC e caracteres da Macintosh O formato RTF é utilizado como um documento base para os ficheiros (files) da Ajuda do Windows (Windows Help) e de outros productos da Microsoft.


SSSSS

SANDISKsandisk
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
SANDISK
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●● ●
● V. PEN DIVE DUCACI

SCHEDULERscheduler
●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
SCHEDULER
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● 1) Software destinado a ajudar um grupo a organizar encontros. O programa possibilita aos membros do grupo visualizar os calendários uns dos outros de modo a coordenarem reciprocamente a calendarização de horários. Uma vez o horário seleccionado, o agendador pode enviar automaticamente avisos através de e-mail e pode mesmo reservar recursos tais como salas de conferência e projectores suspensos. (2) Num sistema operativo, o scheduler é um programa que coordena o uso de recursos partilhados tais como uma impressora, por exemplo.

SCROLLscroll
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
SCROLL
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Para visionar linhas consecutivas de data num ecrã - O termo scroll significa que, logo que o ecrã esteja cheio, cada nova linha vai aparecer na base do ecrã e que todas as outras se movem para cima.





Por exemplo, quando accionamos o scroll, cada nova linha irá aparecer na base do ecrã e as outras linhas mover-se-ão para cima, uma linha, de tal modo que desaparece no topo a linha que aí se encontrava.
O termo vertical scrolling refere-se à aptidão para mover a linha (scroll) para cima ou para baixo. Horizontal scrolling significa que a imagem se move para os lados.

Em teoria, o quadro exposto mover-se-á suavemente, como se fora uma folha de papel a ser movida para baixo e para cima, ou para os lados. Na prática, contudo, scrolling não se processa sempre tão suavemente.

O método de scrolling, de visualizar documentos, não reconhece o limite das folhas. Uma vantagem de scrolling, todavia, é que se pode olhar para o fim da página e para o início da página seguinte ao mesmo tempo.

Outro método de visionar chama-se paging, em que uma página inteira é logo visionada. Cada página que se segue irá substituir a anterior no ecrã.


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
SCROLL LOCK
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
Scroll lock é uma tecla (relacionado a um led que representa o seu estado ligado/desligado) presente na maioria dos teclados dos computadores modernos. O seu comportamento depende do software que está em uso. A tecla foi criada pela IBM, e seu propósito era modificar a função das teclas direcionais. Quando o scroll lock estava ligado, as teclas direcionais rolavam os conteúdos de uma tela em modo texto sem mover o cursor, como o usual. Desta forma, Scroll lock tem uma função similar às teclas Num Lock e Caps Lock, isto é, habilita uma função secundária para um grupo de teclas.

Actualmente, apenas alguns programas modernos ainda utilizam o Scroll Lock, como o Microsoft Excel, que rola a tela sem modificar a célula activa quando o Scroll Lock está ligado.


SEAMONKEYseamonkey
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
SEAMONKEY
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (software ) SeaMonkey - Nome de código do browser Mozilla


SEMsem
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
SEM MEDIÇÃO
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (gíria) – Esta expressão está geralmente associada aos custos telefónicos de acesso à Internet. “Sem medição” NÃO significa gratuito, mas tão somente uma “taxa fixa” ou um sistema de cobrança que nada tem a ver com a quantidade real de tempo que gasta na Internet. Em alguns países, as taxas de companhias telefónicas baseiam-se no sistema de medição (por exemplo, durante o fim-de-semana paga-se um determinado valor por minuto, numa chamada local). Num esquema sem medição, irá pagar um montante fixo à sua companhia telefónica, mas poderá fazer as chamadas que quiser, sem que isso implique em mais custos.


SENSÍVELsensível
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
SENSÍVEL A MAIÚSCULAS E A MINÚSCULAS
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (gíria) Alguns sites da Internet exigem que se inicie a sessão com um nome de usurário e uma palavra –passe. Se estes forem “sensíveis a maiúsculas e a minúsculas”, isso signiofica que terá de prestar atenção à forma como o escreve (e ao que introduz como “palavra-passe”), porque “Caça-Palavras”, e “CAÇA-PALAVRAS” recebem um tratamento diferente. Terá de introduzir os dados com exactidão para poder iniciar sessão.


SEPARADORseparador
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
SEPARADOR
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● Se clicar no menu Iniciar



e reparar nos ícones que tem verá que existe um ponto de interrogação (Ajuda e suporte).



Se clicar nele surgir-lhe-á o centro de ajuda e suporte. Ao cimo, na barra de tarefas estão os separadores em que clicará sempre que necessite: Índice, favoritos, etc.








●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
SEPARADOR ÍNDICE
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● 1. Alargar com clique único – Os registos do campo de lista no separador Índice poderão ser alargados através de um clique sobre o tópico


na janela esquerda ou através de um clique sobre o registo de ajuda


O texto de ajuda disponível aparece normalmente na metade direita da janela. Caso contrário serão activadas outras janelas de ajuda.
Para alargar a estrutura efectue clique, por exemplo, sobre o tópico Trabalhar com documentos do Word Pad. Receberá somente as páginas referentes a este tópico.
2. Organização hierárquica – Analisemos a organização hierárquica na parte esquerda da janela do separador Índice. A ajuda encontra-se organizada em forma de livros, simbolizados por


O campo da lista à esquerda representa a estante onde os livros se encontram. Um livro pode ser aberto através de um clique único.


3. Livro – Desta forma receberá o conteúdo do livro activado


na forma de capítulos, que também serão simbolizados através do ícone de um livro


4. Registo da ajuda – Um livro aberto


poderá contudo também já apresentar os primeiros registos de ajuda que serão simbolizados por


Veja a ajuda do WordPad. Poderá acessar aos capítulos de um livro aberto por meio de um clique.
5. Técnica da Internet – Basicamente, esta técnica assemelha-se à técnica com pastas do Explorador´. Aqui, entretanto, são utilizados símbolos de livros ao invés de símbolos de pastas de documento e o clique único ao invés do clique duplo.





6. Livro Aberto – Os livros abertos


podem ser novamente fechados através de um clique, para reduzir a visualização no campo de lista à esquerda. Utilize a barra de deslocamento para aceder aos registos de ajuda e livros que não aparecem. Um tópico seleccionado precedido pelo símbolo


poderá ser mostrado na janela à direita através de um clique.
7. Informações apresentadas – Leia atentamente as informações apresentadas. Uma barra de ferramentas com botões de comando será activada para que possa locomover-se dentro dos tópicos da ajuda.
Para se deslocar de um tópico apresentado para o tópico que se encontra à esquerda deste, efectue clique sobre o livro à esquerda



ou sobre um outro registo da ajuda


Através dos botões de comando Avançar


e Retroceder


poderá deslocar-se, nas páginas da ajuda, para a frente ou para trás.



8. Botão de opções – Através do botão de comando Opções poderá influenciar a forma de representação da janela da ajuda. Poderá deslocar-se para a ajuda da Web, caso disponha de um modem ou de um RDIS para aceder à Internet, bem como deslocar-se para a frente ou para trás. Através do comando Imprimir… poderá obter as cópias impressas das informações sobre tópicos da ajuda, caso disponha de uma impressora instalada e ligada.



9. Informações adicionais – Para obter informações adicionais, efectue clique sobre a passagem de texto sublinhada, o link, na parte direita da janela. Já conhece provavelmente este links ou ligações da ajuda do Windows ou da Internet.

A SEGUIR:
SEPARADOR ÍNDICE REMISSIVO


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
SEPARADOR ÍNDICE REMISSIVO
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● Nesta secção ocupar-nos-emos do separador da ajuda organizado por ordem alfabética que poderá ser activado através do registo Índice remissivo.

1. Separador Índice remissivo – Active inicialmente a ajuda de uma aplicação específica através da tecla F1 ou através do menu Ajuda/Tópicos de Ajuda . Verifique se a janela do programa em causa se encontra activada. Caso contrário, a ajuda do Windows será activada.
2. Palavra-chave – A parte esquerda da janela do separador Índice remissivo divide-se em duas partes: acima, encontra-se um campo de texto para o fornecimento da palavra-chave a ser localizada: na lista abaixo, encontram-se todos os registos disponíveis no índice remissivo em ordem alfabética.

3. Digitar palavra-chave – Digite a palavra a ser localizada no campo de texto. Muitas vezes será suficiente o fornecimento das prmeiras letras da palavra-chave.
4. Fornecer letras – O conteúdo da lista abaixo adequar-se-á à palavra-chave fornecida. Se fornecer apenas uma letra alfabética receberá o nome do primeiro registo do índice remissivo que inicia a letra em questão. Digite, por exemplo, a letra “d” e acompanhe as alterações que se processam na parte inferior da janela. Complete a palavra e digite “documentos”.
5. Seleccionar registo – Será apresentado o primeiro registo semelhante. Seleccione o registo
Documentos/imprimir da lista do índice remissivo e active o botão de comando Mostrar. As informações correspondentes serão mostradas na parte direita da janela.



A SEGUIR:
SEPARADOR PROCURAR


●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
SEPARADOR PROCURAR
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● No separador Índice encontram-se os tópicos da ajuda organizados hierarquicamente em livros. Através do separador Índice remissivo receberá os registos classificados por ordem alfabética. Caso não haja podido encontrar o registo desejado da ajuda através destes dois métodos, terá uma outra possibilidade de localizá-lo a partir do registo Procurar .

1. Procurar texto – Desta forma poderá localizar todos os tópicos da ajuda a partir de um texto. As semelhanças encontradas poderão ser limitadas através de critérios de procura. Como resultado, receberá todos os registos que contêm a palavra-chave e que possuem afinidade temática com o tópico procurado.
2. Palavra-chave –
Criar uma lista de palavras – Esta função de ajuda funciona como um banco de dados, que analisa os textos disponíveis da ajuda de uma forma inteligente, a partir da palavra-chave.



3. Palavra-chave – Uma palavra-chave é composta por dois conceitos independentes. Neste caso, digite os dois registos, um após o outro, separados por um espaço em branco. Em seguida efectue clique sobre o botão de comando Top. da lista
4. Top. Da lista – Receberá uma lista de tópicos na parte inferior da caixa de texto da parte esquerda da janela somente após haver efectuado clique no botão de comando Top. da lista . Teste este método através do conceito guardar .

Na janela de ajuda do WordPad seleccione o registo Guardar alterações a um documento . Para obter as informações referentes ao tópico seleccionado, efectue clique sobre o botão Mostrar .



Na parte direita da janela serão apresentados os tópicos correspondentes.


Para receber um tópico de ajuda poderá efectuar duplo clique sobre o tópico desejado, na parte esquerda da janela.





5. Deslocar através dos links – Todas as semelhanças ao conceito ou à palavra-chave fornecidos serão apresentados de forma seleccionada. Através dos links existentes na forma de passagens de texto sublinhadas em azul poderá detalhar as informações obtidas. Os links que já foram lidos, ou seja, activados por um clique do rato, seão representados na cor cinzenta. Esta técnica aqui utilizada corresponde à da World Wide Web, um serviço de informações da Internet. Entretanto, cerre a janela de ajuda do Windows através de



A SEGUIR: O SEPARADOR FAVORITOS


SERVIDORservidor
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
SERVIDOR
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (hardware) - Um computador na Internet que hospeda grupos de notícias.
Computador central numa rede, responsável pela administração e fornecimento de programas e importação para os demais computadores a ele conectados. O mesmo que host.
Gere o acesso aos recursos e aos periféricos, bem como às conexões dos diferentes utilizadores. É equipado com um software de gestão da rede: um servidor de ficheiros prepara o espaço de memória para os ficheiros, um servidor de impressão gere e executa as saídas para as impressoras da rede; enfim um servidor de aplicações disponibiliza os programas no disco rígido, podendo estes ser chamados atrvés da rede.


SETAseta
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
SETA
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Ver CURSOR

SHAREWAREshareware
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
SHAREWARE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● software gratuito apenas por determinado período de tempo.


SHIFTshift
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
SHIFT
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● tecla de função inerte –
Tecla inerte ou shift é uma tecla auxiliar que serve para escrever as letras maiúsculas e os acentos ou outros caracteres que se encontram na parte superior de algumas teclas.
Pressiona primeiro a tecla shift e, sem largar, a tecla da letra que quer escrever em maiúscula ou a tecla que escreve o acento ou caractere que se encontra na sua parte superior.


Ver tb. TECLAS GERAIS DO WINDOWS

SISTEMAsistema
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
SISTEMA
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Tudo o que é indispensável à execução de uma tarefa completa com a utilização de um computador: Hardware e Software e pessoas responsáveis pelo funcionamento correcto dos aparelhos.
●●●●●●●●●●●●●●●●●●
SISTEMA DE EXPLORAÇÃO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Programa que assegura a gestão do computador e dos seus periféricos

●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
SISTEMA OPERATIVO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● é o responsável pelo funcionamento do PC é ele que permite a ligação (interface) entre a máquina (hardware[1]) e o software [2] e o programa É também a ele que se deve, p.e., o envio de imagens para o monitor através da Placa de Vídeo; o envio e recepção de dados através da placa de rede Encontramos assim o responsável entre as aplicações existentes e o PC [1] – Parte física do computador, ou seja, o equipamento (Ex: CPU, Monitor, Teclado, Rato, Impressora, Scanner, etc.) [2] – Parte lógica do computador, ou seja as aplicações (Ex: Sistema operativo, Microsoft Office, Internet, Jogos, Anti – vírus, etc.)

●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
SISTEMAS OPERATIVOS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Existem vários sistemas operativos: A Microsoft Windows é o mais conhecido e amplamente utilizado em qualquer PC (cerca de 95% a nível mundial) SISTEMA OPERATIVO é o responsável pelo funcionamento do PCé ele que permite a ligação (interface) entre a máquina(hardware[1]) e o software [2] e o programa. É também a ele que se deve, p.e., o envio de imagens para o monitor através da Placa de Vídeo; o envio e recepção de dados através da placa de rede. Encontramos assim o responsável entre as aplicações existentes e o PC[1] – Parte física do computador, ou seja, o equipamento (Ex: CPU, Monitor, Teclado, Rato, Impressora, Scanner, etc.)[2] – Parte lógica do computador, ou seja as aplicações (Ex: Sistema operativo, Microsoft Office, Internet, Jogos, Anti – vírus, etc.) Existem vários sistemas operativos: A Microsoft Windows é o mais conhecido e amplamente utilizado em qualquer PC (cerca de 95% a nível mundial) O LINUX, ao contrário do Windows é um sistema livre, o que significa que não é desenvolvido por uma única empresa ou organização; é a soma dos esforços de uma comunidade mundial que inclui tanto empresas como programadores autónomos e particulares. ...

SOFTWAREsoftware
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
SOFTWARE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● é um conjunto de instruções electrónicas que dizem ao computador o que deve fazer.

Uma séries de instruções que executa uma tarefa particular chama-se "programa." As duas categorias principais de software são "software básico" e "software aplicativo." Software básico é composto de programas de controle como o sistema operacional e sistema de administração de banco de dados (DBMS). Software aplicativo é qualquer programa que processa dados para o usuário (inventário, folha de pagamento, planilha electrónica, processador de textos, etc.).


SSHssh
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
SSH
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●● ●
●(Secure SHell - Segurança total) Prtocolo de segurança para acederl a um servidor. SSH proporciona uma cessão de encriptamento para transferir ficheiros e executar programs de servidores.
Servem também de segurança na conecção cliente/servidor connection para aplicações tais como de um acesso e e-mail.
SSH dá apoio a uma multiplicidade de autenticação de métodos.


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
SOFTWARE COMO COMUNICAÇÃO COM O EXTERIOR
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Ver - Comunicação com o exterior


SPAMspam
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
SPAM
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Mensagem indesejada contendo propaganda de um determinado assunto. Normalmente usada para vender e divulgar para pessoas sem que essas pessoas tenham solicitado esse tipo de mensagem.


SPOTspot
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
SPOT BEAM
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Tecnologia de feixe estreito para a transmissão por satélite. Cartilha de Acessibilidade Página inicial Avaliadores Ir para conteúdo| | | | Atalhos do Windows 98 As teclas abaixo foram retiradas do Guia do Teclado do Windows 98 remoto. Utilizando qualquer dos monitores basta arrastar pastas para o local que pretendemos na outra janela. Rápido em USB 2.0. Pode ligar o Vista inclusivamente ao Windows 98. É igualmente compatível com MAC. Para o W 98 fazer o download da aplicação em www.targus.com/uk.– Rápido e eficiente tem a aplicação incluída no cabo que é de imediato instalada logo que ligue as extremidades aos computadores a ligar. Aparece uma nova letra em cada PC e, clicando nela, abrem-se duas janelas de um Explorer, o do próprio e o do


SSIssi
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
SSI
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (norma/formato) Um comentário de HTML, o SSI (Server Side Include) faz com que o servidor Web gere dinamicamente um determinado elemento da página na qual está contido. As páginas Web que contém SSIs podem ter a extensão SHTML, mas não forçosamente.

●SSLssl●
SSL (norma/formato) – O SSL (Secure Sockets Layer) é um método que permite tornar a utilização da Internet mais segura em relação à transmissão de informações confidenciais, como, por exemplo, números de cartões de crédito. A informação enviada entre o browser e o servidor é codificada para evitar que seja lida facilmente, no caso de ser interceptada.
Na prática, é possível descobrir a codificação padrão de 40 bits utilizada, mas só alguém com um equipamento suficientemente potente, conhecimentos e intenção criminosa o poderia fazer. É, contudo, muito pouco oprovável que uma pessoa com este perfil dedique tempo a pequenas fraudes relacionadas com cartões de crédito.


SUPORTEsuporte
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
SUPORTE ASSISTIDO DA AJUDA DO WINDOWS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Se dispõe de uma ligação à Internet poderá obter apoio online através das funções instaladas da ajuda do Windows. Através da hiperligação . Suporte assistido nana barra de cabeçalhos da janela Ajuda e suporte , deslocar-se-à directamente para o suporte da Microsoft Support ou para os fóruns, onde utilizadores do Windows trocam informações e se ajudam mutuamente na resolução de problemas.

1. Suporte Microsoft - Efectue clique sobre o Suporte assistido
na barra de cabeçalhos. Para ser conectado directamente com o suporte da Microsoft, efectue clique em Contactar o suporte no link Microsoft Corporation. . A página web do Microsoft será activada e o utilizador poderá aceder à área de suporte online da Microsoft.



2 . Suporte MSN - Por meio de um clique em fóruns ou no Message Boards da MSN Computing Central , o Internet Explorer será automaticamente aberto para receber o site de suporte.



Aqui encontrará novidades interessantes do cenário do Windows, apoio na forma de fóruns e Chats e, até mesmo, links para download (descarregar) para programas úteis e tools (ferramentas). Para que possa trabalhar com estas opções é indispensável algum conhecimento da língua inglesa.



- A área de dowload da MSN Computing Center é uma zona central para transferir programas essenciais da Windows. Encontrará aqui os programas mais importantes de shareware e freeware, que facilitam o trabalho diário com o Windows.



A SEGUIR:
INTRODUÇÕES & INICIAÇÕES DA AJUDA DO WINDOWS


TTTTT



●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
TAG
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Meta Tag
Uma construção colocada no cabeçalho html da sua página Web, fornecendo informações que não são visíveis pelos navegadores. Os meta-tags mais correntes (e mais úteis para os motores de pesquisa) são DESCRIPTION e KEYWORDS (palavras-chave).
O meta-tag KEYWORD permite ao autor sublinhar a importância de certas palavras utilizadas na sua página. Certos Motores de Pesquisa levarão em conta esta informação – outros ignoram-na.
O meta-tag DESCRIPTION permite ao autor controlar o texto afixado quando a página aparece ao nível dos resultados duma pesquisa. Alguns Motores de Pesquisa podem ignorar esta informação.
O meta-tag HTTP-EQUIV utiliza-se para emitir comandos HTTP e é frequentemente empregado com o tag REFRESH para repor o conteúdo da página após um determinado número segundos.
Existem outros meta-tags tais como GENERATOR (para criar páginas) e AUTHOR (utilizado par creditar o autor da página que contém frequentemente o seu endereço.



TAGUStagus
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
TAGUS DATA TRANSFER USB2 CABLE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● Rápido e eficiente tem a aplicação incluída no cabo que é de imediato instalada logo que ligue as extremidades aos computadores a ligar. Aparece uma nova letra em cada PC e, clicando nela, abrem-se duas janelas de um Explorer, o do próprio e o do remoto. Utilizando qualquer dos monitores basta arrastar pastas para o local que pretendemos na outra janela. Rápido em USB 2.0. Pode ligar o Vista inclusivamente ao Windows 98. É igualmente compatível com MAC. Para o W 98 fazer o download da aplicação em www.targus.com/uk.


TECLAtecla
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
TECLA DE FUNÇÃO INERTE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● v. SHIFT



TECLADOteclado
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
TECLADO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Um teclado é um periférico ou dispositivo que consiste num sistema de teclas, como as de una máquina de escrever, que permite introduzir dados num computador ou dispositivo digital.
Quando se pressiona um caractere, envia-se uma entrada cifrada para o computador, que mostra o carácter no ecrã. O termo teclado numérico refere-se ao conjunto de teclas com números que existem do lado direito de alguns teclados (e não aos números da fila superior, sobre as letras). Os teclados numéricos também se referem aos números (e às letras correspondentes) dos telefones móveis.
As teclas dos teclados de computador classificam-se normalmente em:
1. As alfanuméricas: letras e números.
2. Teclas de pontuação: vírgula, ponto, ponto e vírgula, …
3. Teclas especiais: teclas de funções, teclas de controle, teclas de flecha, tecla de maiúsculas, entre outras.
Deve escrever-se com os dedos todos das mãos, pressionando cada dedo a tecla que se encontra mais próxima.
As teclas de um teclado estão dispostas por uma ordem segundo a frequência com que as letras utilizadas, para serem econtradas com maior facilidade. Como as línguas não são todas iguais, os teclados diferem de país para país.


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
TECLADO NUMÉRICO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● O termo teclado numérico refere-se ao conjunto de teclas com números que existem do lado direito de alguns teclados (e não aos números da fila superior, sobre as letras). Os teclados numéricos também se referem aos números (e às letras correspondentes) dos telefones móveis.
Ver tb teclado


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
TECLADO, UTILIZAR O
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
http://windowshelp.microsoft.com/Windows/pt-PT/Help/d33de1a1-42db-420c-8579-5299b82ccddd2070.mspx


TECLASteclas
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
TECLAS GERAIS DO WINDOWS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● F1 Exibe informações de Ajuda para o objeto ativo ou da janela como um todo.
TECLA LOGOTIPO DO WINDOWS ou CTRL + ESC - Abre o Menu Iniciar localizado na barra de tarefas.
CTRL + ALT + DELETE - No Microsoft Windows, abre a janela de diálogo para fechar programas, que contém uma lista das aplicações a serem fechadas e os botões de comando Finalizar Tarefas, Desligar e Cancelar.
DELETE Apaga o(s) item(s) selecionado. Se os itens forem arquivos, serão movidos para lixeira.
SHIFT + DELETE Apaga o(s) item(s) selecionado. Se os itens forem arquivos, serão destruídos imediatamente sem ser encaminhado para lixeira.
CTRL + N Abre uma nova janela de diálogo. (Você pode selecionar também o comando Novo no menu Arquivo.)
CTRL + O Abre a janela de diálogo Abrir. (Você pode também escolher o comando Abrir no menu Arquivos.)
CTRL + P Abre a janela de diálogo Imprimir. (Você pode também escolher o comando Imprimir no menu Arquivos.)
CTRL + S Abre a janela de diálogo Salvar. (Você pode também escolher o comando Salvar no menu Arquivos.)
CTRL + X Apaga transferindo, recorta, o(s) iten(s) selecionados para área de transferência (Clipboard) do Windows. (Você pode também escolher o comando Recortar do menu Editar).
CTRL + INSERT ou CTRL + C Copia o(s) iten(s) selecionado para área de transferência. (Você pode também escolher o comando Copiar do menu Editar).
SHIFT + INSERT ou CTRL + V Cola o(s) iten(s) copiados da area de transferência para posição do cursor. (Você pode também escolher o comando Colar do menu Editar). ALT + BACKSPACE ou CTRL + Z Desfaz a última ação. Perceba que nem todas as ações, assim como, desligar o micro, podem ser desfeitas. (Você pode também escolher o comando Desfazer do menu Editar).
ALT + SHFT + BACKSPACE Refaz a ação anteriormente desfeita. (Você pode também escolher o comando refazer do menu Editar).
TECLA LOGOTIPO DO WINDOWS + M Minimiza todas as janelas abertas do windows. O foco do teclado vai para o último ícone mais recentemente selecionado. Adicione a tecla shift para expandir a última mais recente janela do windows e retornar o foco para aplicação mais recentemente usada.
TECLA LOGOTIPO DO WINDOWS + E Abre o Windows Explorer. (Você também pode escolher o comando Windows Explorer no menu Programa do menu iniciar.)
TECLA LOGOTIPO DO WINDOWS + F Abre a janela de diálogo Localizar todos os arquivos. (Você também pode escolher o comando localizar Arquivos ou Pastas no item Localizar no menu Iniciar).
TECLA LOGOTIPO DO WINDOWS + R Abrir a janela de diálogo Executar. (Você também pode escolher o comando Executar do menu iniciar).
TECLA LOGOTIPO DO WINDOWS + BREAK Abre a janela de diálogo Propriedades do Sistema. (Você também pode escolher o item Sistemas no Painel de Controle).
TECLA LOGOTIPO DO WINDOWS + CTRL + F Abre a janela de diálogo Localizar Computador. (Você também pode escolher o comando Computador no item localizar do menu iniciar).
TECLA LOGOTIPO DO WINDOWS + NÚMERO Reservado para uso de fabricantes de computador. SHIFT + F10 ou TECLA DA APLICAÇÃO (também o botão direito do mouse) Abre o menu de atalho para o item ativo. O item ativo pode ser um texto selecionado, um botão da régua de ferramentas (toolbar), um botão da barra de tarefas (taskbar), ou outro item. SHIFT Pressione a tecla shift e mantenha pressionada enquanto insere o CD-ROM para não rodar ou iniciá-lo automaticamente (AutoPlay) . Pressione a tecla shift enquanto está carregando o Microsoft Word para não executar a macro AutoExec.
TECLAS DE NAVEGAÇÃO DA ÁREA DE TRABALHO(Desktop) E DA BARRA DE TAREFAS(Taskbar) TECLA LOGOTIPO DO WINDOWS + M Minimiza todas as janelas abertas do . O foco do teclado vai para o item mais recentemente selecionado na área de trabalho. Adicione shift para expandir a janela mais recentemente aberta e retornar o foco para a aplicação mais recentemente utilizada.
TECLAS DE SETA Seleciona o item mais próximo ou na barra de tarefas o botão na direção da seta.
QUALQUER CARACTER IMPRIMÍVEL Seleciona o próximo ícone com o nome especificado ou a letra inicial.
TECLA LOGOTIPO DO WINDOWS ou CTRL + ESC Abre o menu iniciar da barra de tarefas. Quando você usa o ctrl + esc, você pode pressionar esc novamente para posicionar o foco do teclado no botão iniciar. Quando você usa a tecla logotipo do windows, pressionando esc novamente fecha o menu iniciar. TAB Move entre o último ícone selecionado na area de trabalho, o botão iniciar da barra de tarefas, e na barra de tarefas como um todo. Existe uma indicação visual do foco na barra de tarefas, mas você pode usar as teclas de setas para mover entre os botões da barra de tarefas. Você também pode usar shift + f10 para trazer o menu de atalho da barra de tarefas. TECLA LOGOTIPO DO WINDOWS + TAB Circula entre os botões da barra de tarefas. F2 Renomear um item selecionado. Um retângulo em negrito aparece em torno do título criando uma caixa de teste. Digite o novo nome e pressione enter. Pressione esc para cancelar. Alguns ícones na área de trabalho não podem ser renomeados. F3 Abre a janela de diálogo Localizar todos.
TECLAS DE MANIPULAÇÃO DE JANELAS EM APLICATIVOS ALT + F4 Fecha a janela da aplicação ativa. (Você também pode escolher o comando Fechar através do menu Programa da aplicação ativa). ALT + SPACEBAR Abrir o menu Programa através do ícone mais à esquerda na barra de título da janela ativa O menu Programa tipicamente contém os seguintes comandos: Restaurar, Move, Tamanho, Minimizar, Maximizar e fechar. ALT + TAB Trocar para janela mais recente de aplicação. Para selecionar a aplicação de uma lista, continue pressionando a tecla alt e pressione tab mais de uma vez para mover através da lista. Adicione shift para inverter a direção através da lista. ALT + ESC Trocar o foco do teclado para janela da próxima aplicação, incluindo janelas minimizadas na barra de tarefas. Pressione esc mais de uma vez para trocar por janelas sucessivas e adicione shift para inverter a ordem da direção.
ALT + ENTER Troca uma aplicação baseada em MS DOS entre janela cheia e modo windows. PRINT SCREEN Copia uma imagem da tela para área de transferência (Clipboard) do windows.
ALT + PRINT SCREEN Copia uma imagem da janela ativa para area de transferência (Clipboard) do windows.
TECLA DE MANIPULAÇÃO DE JANELAS EM DOCUMENTOS CTRL + F4 Fecha a janela ativa do documento CTRL + F6 Troca para a próxima janela de documento na aplicação ativa. Adicione shift para trocar para janela de documento anterior. ALT + HYPHEN Abre o menu do Documento através do icon mais a esquerda da barra de título da janela do documento ativo. O menu Documento tipicamente contêm os seguintes comandos: Restaurar, Mover, Tamanho, Minimizar, Maximizar e Fechar.
TECLAS DE COMANDOS DO MENU TECLA LOGOTIPO DO WINDOWS ou CTRL +ESC Abre o menu iniciar na barra de tarefas. F10 ou ALT Ativa a barra de menu da janela ativa. O nome do menu mais a esquerda é selecionado. (Em uma janela maximizada do documento, o menu mais a esquerda tem um ícone ao invés de um nome e não tem indicação visual que está selecionado.) Pressione f10 ou alt novamente para voltar o foco onde estava previamente.
SETA ESQUERDA ou SETA A DIREITA Move o foco entre os menus na barra de menu na direção da seta. Se o menu original estava aberto, o menu destino também será aberto e o primeiro item receberá o foco.
SETA ACIMA ou SETA ABAIXO Abre o menu selecionado. Seta abaixo seleciona o próximo comando na lista. Up arrow seleciona o comando anterior da lista.
ENTER Abre o menu selecionado quando o foco estiver no título do menu, mas ativa um item do menu quando o foco estiver no item do menu. Se o menu selecionado não estiver disponível, enter fechará o menu.
ALT + BARRA DE ESPAÇO Abrir o menu Programa através do ícone mais à esquerda na barra de título da janela ativa O menu Programa tipicamente contém os seguintes comandos: Restaurar, Mover, Tamanho, Minimizar, Maximizar e fechar.
TECLA DE MANIPULAÇÃO DE JANELAS EM DOCUMENTOS CTRL + F4 Fecha a janela ativa do documento CTRL + F6 Troca para a próxima janela de documento na aplicação ativa. Adicione shift para trocar para janela de documento anterior. ALT + HYPHEN Abre o menu do Documento através do ícone mais à esquerda da barra de título da janela do documento ativo. O menu Documento tipicamente contém os seguintes comandos: Restaurar, Mover, Tamanho, Minimizar, Maximizar e Fechar. ESC Fecha um menu aberto e move o foco para trás para um menu no mesmo nível se existir um. De qualquer forma isto retorna o foco para o título do menu. Se o foco já estiver no título do menu, move o foco para trás para qualquer lugar onde estava antes da ativação da barra de menu.
ALT + QUALQUER CARACTER QUE POSSA SER IMPRESSO Escolhe o menu com o caractere sublinhado (tecla de acesso) na barra de menu principal.
QUALQUER CARACTER QUE POSSA SER IMPRESSO Escolhe o comando com o caractere sublinhado (tecla de acesso) no menu aberto.
SHIFT + F10 ou TECLA DA APLICAÇÃO (também o botão direito do mouse) Abre o menu de atalho para o item ativo. Este pode ser um texto selecionável, um botão da barra de ferramentas, um botão da barra de tarefas, ou outro item.
WINDOWS EXPLORER - TECLAS DE CONTROLE DE VISUALIZAÇÃO TECLAS DE SETA Seleciona o próximo item na direção indicada. Adicione shift para selecionar ou anular itens adicionais. Adicione ctrl para mover para o item sem selecioná-lo. No modo Detalhes do menu Visualizar, será exibido apenas uma coluna, então seta a direita e seta a esquerda rolará a janela um pouco para direita ou esquerda. No modo Lista do menu visualizar as teclas seta para cima e para baixo alternará entre colunas. PAGE UP ou PAGE DOWN Move para o item inferior ou superior na tela. Use uma segunda vez para selecionar o item uma tela abaixo ou acima. Adicione shift para selecionar itens. Adicione ctrl para mover para o item sem selecioná-lo. HOME ou END Seleciona o primeiro ou último item a lista. Adicione Shift para selecionar ou anular itens adicionais. Adicione ctrl para mover para o item sem selecioná-lo.
QUALQUER CARACTER QUE POSSA SER IMPRESSO Selecione o próximo ícone com o nome específico ou letra inicial.
ENTER Abre o item selecionado. Isto pode abrir uma nova janela, dependendo da opção que você selecionou. (Você também pode escolher Abrir do menu Arquivo).
BACKSPACE Exibe o conteúdo de um diretório do mesmo nível. Isto pode abrir uma nova janela, dependendo da opção que você selecionou.
SPACE Quando digitado sozinho seleciona o item corrente se este ainda não estiver selecionado. Use após mover com a tecla CTRL para selecionar grupos de itens separados.
CTRL + SPACE Seleciona ou anula o item corrente. Use após mover com a tecla CTRL para selecionar grupos de itens separados.
SHIFT + SPACE Expande a seleção para o item corrente. Caso você já tenha selecionado mais de um item, isto seleciona apenas o item do primeiro item que você selecionou para o item corrente.
CTRL + Z Desfaz a última ação. Algumas ações não podem ser desfeitas. (Você também pode selecionar Desfazer no menu Editar).
CTRL + X Recorta o item selecionado para area de transferência (Clipboard). (Você também pode escolher Recortar no menu editar).
CTRL + C Copia o item selecionado para area de transferência (Clipboard). (Você também pode escolher Copiar no menu editar).
CTRL + V Cola o(s) item(s) copiados da area de transferência(Clipboard). (Você também pode escolher Colar no menu editar).
CTRL + A Seleciona todos os itens na janela corrente (Você também pode escolher Selecionar Todos no menu Editar). CTRL + G Abre a pasta de diálogo Ir Para. (Você pode escolher Ir Para no menu Ferramentas).
CTRL + F ou F3 Abre a janela de diálogo Localizar todos os Arquivos. (Você poderá escolher Localizar no menu ferramentas e então Arquivos ou Pastas). DELETE Apaga o item selecionado e envia para lixeira. (Você também pode escolher Apagar no menu Arquivo).
SHIFT + DELETE Apaga o item selecionado imediatamente sem movê-lo para lixeira.
ALT + ENTER Exibe as propriedades de um item selecionado (Você pode escolher a Propriedades no menu Arquivo). F2 Renomeia o item selecionado. Um retângulo escuro aparecerá em torno do item. Digite o novo nome e pressione enter. Pressione esc para cancelar. (Você pode escolher Renomear no menu Arquivo). F4 Abre a caixa de listagem drop-down na barra de ferramentas. Pressionado f4 novamente move o foco do teclado para o último item utilizado. F5 Renova a janela corrente. (Você também pode selecionar Renovar no menu Visualizar). F6 ou TAB Alterna entre painéis e barra de Ferramentas.
WINDOWS EXPLORER - TECLAS DE ÁRVORE DE DIRETÓRIOS SETA A DIRETA Abre um nível da árvore de diretório, ou seleciona o primeiro item do mesmo.
SETA A ESQUERDA Fecha um nível da árvore do diretório, ou seleciona um diretório do mesmo nível do item corrente.
ASTERISCO (do teclado numérico) Expande tudo abaixo da seleção corrente.
SINAL DE MENOS (do teclado numérico) Fecha tudo abaixo da seleção corrente.
SINAL DE MAIS (do teclado numérico) Expande tudo abaixo da seleção corrente e volta previamente ao estado de aberto, ou abre apenas um nível se previamente não estava aberto.
SETA ACIMA ou SETA ABAIXO Seleciona o próximo objeto visível abaixo ou acima. PAGE UP ou PAGE DOWN Move para o primeiro ou último item na tela. Use uma Segunda vez para move para baixo ou para cima na tela. HOME ou END Seleciona o primeiro ou último item na árvore de diretório.
QUALQUER CARACTER QUE POSSA SER IMPRESSO Seleciona o próximo ícone com o nome especificado ou letra inicial. Repetindo o caractere seleciona sucessivamente o item iniciando com o mesmo caractere.
BACKSPACE Escolhe um diretório no mesmo nível
TECLAS PARA CAIXA DE DIÁLOGO CTRL + PAGE DOWN ou CTRL + TAB Troca para o próximo tab e exibe a página.
CTRL + PAGE UP ou CTRL + SHIFT + TAB Troca para o tab anterior e exibe a página. SETA A DIREITA OU SETA A ESQUERDA Quando o foco está num tab, escolhe o próximo tab ou anterior na linha corrente e exibe a página. ~
SETA ABAIXO ou SETA ACIMA Escolhe o tab na próxima linha ou anterior e exibe a página.
TECLAS DE NAVEGAÇÃO DE TEXTOS E EDIÇÃO INSERT Troca entre modo de alteração ou inserção. (Caixa de texto suporta apenas modo de inserção). TECLAS DE SETA Move o ponteiro um caractere na direção da tecla de seta. Se o texto é selecionado, move o ponteiro para o final da seleção e anula a seleção do texto HOME ou END Move o cursou para o início ou fim da linha corrente. PAGE UP e PAGE DOWN Move o cursou para cima ou para baixo uma tela ou para primeira ou última linha. CTRL + RIGHT ou CTRL + LEFT Move o cursou para o início da próxima palavra ou anterior. CTRL + UP ou CTRL + DOWN Move o cursou para o início do parágrafo anterior ou próximo. (Não suportado em caixa de texto).
CTRL + HOME ou CTRL + END Move o cursou para o início ou fim do documento. (Não suportado em caixa de texto).
DELETE Apaga o próximo caractere ou texto selecionado.
BACKSPACE Apaga o caractere anterior ou texto selecionado.
ALT + BACKSPACE ou CTRL + Z Desfaz a última ação.
CTRL + INSERT ou CTRL + C Copia o texto selecionado para área de transferência(Clipboard)
SHIFT + DELETE ou CTRL + X Recorta o texto selecionado e envia para area de transferência.
SHIFT + INSERT ou CTRL + V Cola o texto da area de transferência. TECLAS DO INTERNET EXPLORER E DO AJUDA (HELP) TAB Move para o próximo controle, link, ou página. Adicione shift para inverter. F6 Move entre painéis na Ajuda (Help).
ALT + SETA A DIREITA Exibe a próxima página.
ALT + SETA A ESQUERDA Exibe a página anterior.
SHIFT + F10 Exibe um menu de atalho para um link.
CTRL + TAB Move para frente entre frames. SHIFT + CTRL + TAB Move para trás entre frames.
SETA ACIMA Rola em direção ao início do documento.
SETA ABAIXO Rola em direção ao final do documento.
PAGE UP Rola em direção ao início do documento em incremento de uma tela.
PAGE DOWN Rola em direção ao final do documento em incremento de uma tela. HOME Move para o início do documento. END Move para o fim do documento. F5 Atualiza a página corrente. ESC Para de capturar a página ou animação.
CTRL + O Exibe a caixa de diálogo Abrir, Que você pode usar para ir para um novo endereço da Internet.
CTRL + N Abre uma nova janela.
CTRL + S Grava a página corrente.
CTRL + P Imprime a página corrente ou frame ativo.
ENTER Ativa o link selecionado. Última Atualização ( 14 de September de 2007 ) Cartilha de Acessibilidade Página inicial Avaliadores Ir para conteúdo| | | | Teclas do Virtual Vision Algumas teclas possuem teclas alternativas. Para que as teclas alternativas funcionem a opção "Usar teclas alternativas" no Painel de Controle do Virtual Vision deverá estar ligada (você pode preferir usar as teclas alternativas se estiver trabalhando em um notebook, por exemplo, onde o teclado numérico é de difícil acesso). Estas teclas aparecem após a tecla de uso normal após o ou. Exemplo:
0 ou CTRL F9 TECLAS DE ATALHO CONTROL F3 Alterna a função do teclado numérico entre controle do mouse e controle das funções do Virtual Vision. Mais tarde você terá uma descrição do que cada tecla do teclado numérico (e as respectivas teclas alternativas) representa para o controle do mouse. É preciso que a opção "Utilizar Teclas do Mouse" esteja marcada, para que o sistema de teclas do mouse possa ser acionado pressionando Control F3. A opção "Utilizar Teclas do Mouse", que pode ser acessada no painel de controle, funciona como uma espécie de travamento, caso você queira impedir que o sistema de teclas do mouse seja ativado acidentalmente. PAUSE Interrompe ou continua a pronúncia de um texto ou mensagem sendo falada pelo sintetizador de voz.
PRINT SCREEN Se você estiver no DOS, dentro do Windows, pressionando esta tecla uma vez, será falada a linha de comando atual do DOS. Se você pressionar esta tecla duas vezes em um intervalo de menos de meio segundo, será falada a tela inteira. Pressionando esta tecla enquanto alguma coisa está sendo falada, interromperá a leitura. Este comando só funciona se você estiver usando o DOS em tela cheia. Se você estiver em uma janela do Windows, ele não funcionará.
SCROLLLOCK Faz a leitura linha a linha de um texto. Na primeira vez em que você pressionar esta tecla, será lida a linha atual de um texto. Continuando a pressionar esta tecla consecutivamente, serão lidas então as próximas linhas.
SHIFT SCROLLLOCK Faz a leitura da linha anterior de um texto. Por motivos técnicos, você não poderá manter a tecla shift pressionada e continuar apertando a tecla ScrollLock várias vezes para ler diversas linhas. É preciso que, após pressionar Shift ScrollLock uma vez, você solte a tecla shift antes de pressionar o ScrollLock novamente. / ou ALT F3 O sinal de divisão do teclado numérico liga ou desliga o modo de navegação. Quando o modo de navegação estiver ativado, você poderá utilizar as teclas menos e + do teclado numérico para retroceder ou avançar um controle da janela atual. Dessa forma, você poderá conhecer todos os controles que compõem a janela ativa, bem como as outras janelas que estiverem sendo mostradas na tela. Quando você estiver usando o modo de navegação, você poderá selecionar o controle sobre o qual você está posicionado pressionando a tecla Control 5, ou executar a ação default deste controle pressionando a tecla 5 do teclado numérico, o que equivale a clicar sobre este controle.
CTRL / ou CTRL ALT F3 Dirá a data e hora atuais. Este é apenas mais um recurso útil que o Virtual Vision lhe trás * ou F3 Ao pressionar o sinal de multiplicação no teclado numérico você ligará ou desligará o modo de rastreamento do mouse, cuja função já foi explicada anteriormente.
CTRL * ou CTRL SHIFTF4 Posiciona o cursor do mouse no centro do controle atualmente focado no Windows. É útil especialmente quando você deseja realizar alguma operação com mouse no controle atualmente ativo.
SHIFT * ou CTRL ALT F4 Posiciona o cursor do mouse no canto superior esquerdo do controle focado 0 ou CTRL F9 Fala o nome da janela que está ativa
CTRL 0 ou CTRL F9 Ativa o painel de controle do Virtual Vision.
ALT 0 ou SHIFT F4 Posiciona o mouse no canto superior esquerdo da janela atual. CTRL ALT 0 ou CTRL ALT F8 Verificar as mensagens existentes na janela atual. Acionando este comando, o virtual vision tentará identificar mensagens existentes na janela atual. Normalmente, quando uma janela que só contém textos surge com um botão contendo o foco de entrada, o Virtual Vision automaticamente identificará o texto existente nesta janela e o dirá. Porém, com alguns tipos especiais de janela o Virtual Vision não poderá agir desta forma, logo, acionando este comando você poderá saber se existe alguma mensagem na janela.
PONTO ou Shift F2 Falar texto selecionado. Quando você estiver em uma janela que contém um texto selecionado, este comando falará o texto que estiver selecionado. CTRL PONTO ou CTRL ALT F2 Falar texto todo. Quando você estiver em uma área de texto ou em uma página de Internet, este comando falará todo o texto atual. Após executar este comando, o cursor será posicionado no início do texto. 1 ou F6 Volta uma posição no texto. Equivale a pressionar a tecla seta para esquerda. Porém, este comando também falará o caractere que ficou na posição atual do texto. CTRL 1: ou CTRL F6 Falar desde o início do texto. Quando você estiver em uma área de texto, este comando falará o texto desde seu início até a posição atual onde você se encontra. Após executar este comando, o cursor será posicionado no início do texto. 2 ou F4 Apaga o caractere anterior de um texto, exatamente como se você tivesse pressionado a tecla backspace, porém, este comando também falará o caractere que foi apagado. 3 ou F7 Avança uma posição no texto, exatamente como se você tivesse pressionado a tecla seta para direita, porém, este comando também falará o caractere que ficou na posição atual do texto.
CTRL 3 ou CTRL F7 Falar até o final do texto. Quando você estiver em uma área de texto, este comando falará o texto desde a posição onde você se encontra até o seu final. Após executar este comando, o cursor será posicionado no final do texto. 4 ou F5 Falar a palavra anterior. Se você estiver em um editor de textos, esta opção falará a palavra anterior do texto onde você está. Após este comando, o cursor será posicionado no início da palavra falada.
CTRL 4 ou CTRL F5 Falar desde o início da linha atual. Se você estiver em um editor de textos, esta opção falará desde o início da linha até a posição atual do cursor. Após este comando, o cursor será posicionado no início da linha atual. ALT 4 ou F2 Falar desde o início do parágrafo atual. Se você estiver em um editor de textos, esta opção falará desde o início do parágrafo até a posição atual do cursor. Após este comando, o cursor permanecerá na mesma posição onde estava anteriormente. 5 Falar palavra atual. Se você estiver em uma área de texto, esta opção falará à palavra que estiver sob o cursor. Após este comando, o cursor será posicionado no início da palavra falada. Se você estiver em modo de navegação e pressionar esta tecla, o último controle identificado executará a sua ação default (como se você tivesse clicado nele com o mouse).
CTRL 5 ou CTRL F2 Falar linha atual. Se você estiver em uma área de texto, esta opção falará a linha atual. Após este comando, o cursor será posicionado no início da linha. Se você estiver em modo de navegação, esta tecla fará com que o último controle identificado na navegação receba o foco de entrada. Cuidado, se você acionar este comando com um controle que não pode receber foco de entrada (como textos estáticos), poderá ocorrer uma falha geral de proteção no Windows. ALT 5 ou ALT F2 Falar parágrafo atual. Se você estiver em um editor de textos, esta opção falará todo o parágrafo atual. Após este comando, o cursor permanecerá na mesma posição onde estava anteriormente. 6 ou F8 Falar a próxima palavra. Se você estiver em uma área de texto, esta opção falará a próxima palavra do texto onde você estiver. Após este comando, o cursor será posicionado no início da palavra falada. Note que se você estiver no início de um texto, a palavra atual é a primeira palavra do texto, e a próxima palavra será interpretada como a segunda palavra. CTRL 6 ou CTRL F8 Falar até o final da linha atual. Se você estiver em uma área de texto, esta opção falará desde a posição atual no texto até o final da linha. Após este comando, o cursor será posicionado no final da linha.
ALT 6 ou ALT F8 Falar até o final do parágrafo atual. Se você estiver em um editor de textos, esta opção falará desde a posição atual no texto até o final do parágrafo. Após este comando, o cursor permanecerá na mesma posição onde estava anteriormente. 7 ou F11 Repetir a última mensagem falada. Este comando repetirá a última mensagem que foi falada pelo Virtual Vision. Apenas para o caso de você não tê-la entendido.
CTRL 7 ou Shift F11 Repetir a última mensagem falada, mas em modo soletrado. Este comando repetirá a última mensagem que foi falada pelo Virtual Vision, porém, falará as palavras letra a letra e pausadamente. Útil especialmente quando uma abreviação ou seqüência incomum de letras foi falada.
ALT 7 ou CTRL F11 Repetir a última mensagem falada, mas em modo verbose, onde os sinais de pontuação serão falados, e letras maiúsculas e minúsculas serão identificadas caso a opção correspondente esteja ligada no painel de controle do Virtual Vision.
CTRL ALT 7 ou ALT F11 Repetir a última mensagem falada, mas em modo soletrado extenso. Este comando repetirá a última mensagem que foi falada pelo Virtual Vision, porém, falará uma palavra correspondente a cada letra da mensagem (a = alfa, d = delta, h = hotel, etc). 8 ou F9 Apaga o caractere na posição atual de um texto, exatamente como se você tivesse pressionado a tecla delete, porém, este comando também falará o caractere que foi apagado.
9 ou ALT F9 Falar linha e coluna atuais. Se você estiver em uma área de edição de texto comum ou no Microsoft Word ou no Wordpad, este comando lhe dirá a linha e coluna atual do texto em que você está. No caso do Word, você também saberá o número da página. Se você estiver no Microsoft Excel, este comando lhe dirá a linha e coluna atual e o conteúdo da célula atual. Se houver células selecionadas dentro da planilha, será dito a linha e coluna inicial e final da seleção. Note que este comando pode não funcionar com áreas de textos com características particulares, que possam existir em outros aplicativos do Windows. Se você acionar este comando em um aplicativo que não contém um texto editável, mas possui uma barra de status padrão do Windows, será falada a mensagem contida nesta barra de Status. Isto é particularmente útil se você estiver usando a Internet. Se você acionar este comando quando estiver no Internet Explorer ou no Netscape Navigator, será dito se a página terminou de ser carregada, o que está sendo carregado, a porcentagem já carregada ou qualquer outra informação que esteja sendo mostrada na barra de status desses aplicativos. Observação: este comando não funcionará em áreas de texto quando um texto estiver selecionado.
CTRL 9 ou CTRL ALT F9 Falar estilo de texto. Este comando lhe dirá atributos da fonte que está sendo usada em um texto, como nome da fonte, tamanho do caractere, cor, se está ou não em negrito, itálico ou sublinhado. Para que este comando funcione, é necessário que exista pelo menos um caractere após a posição atual do texto. + ou Control ALT F5 Falar características do controle focado no Windows. Este comando falará com todos os detalhes as características do controle atualmente selecionado no Windows. Se você estiver no Windows Explorer e pressionar esta tecla quando um arquivo estiver selecionado, você obterá as características deste arquivo, como tamanho, data e hora, tipo, etc. Se você estiver no Internet Explorer e pressionar esta tecla quando um hipertexto estiver selecionado, você ouvirá o endereço para o qual este hipertexto aponta.
CTRL + ou CTRL ALT F6 Falar posição do cursor do mouse. Este comando lhe dirá em que região da tela o cursor do mouse se encontra.
ALT + ou CTRL ALT F7 Falar posição do controle focado. Este comando lhe dirá em que região da janela actual, o controle actualmente focado se encontra.
MENOS ou F10 Cancela a locução em andamento. Pressione esta tecla para fazer o sintetizador de voz parar de falar à mensagem que ele está falando.
CTRL ALT menos ou CTRL ALT F10 Liga ou Desliga o modo mudo. Quando o modo mudo estiver acionado, o Virtual Vision parará de falar e só voltará a falar quando esta mesma tecla for pressionada novamente.
ALT menos ou CTRL Shift F10 Aumenta em 5% o volume da voz.
Control menos ou CTRL F10 Diminui em 5% o volume da voz. Note que as funções para navegação através de textos só funcionam em áreas de texto editável. Em uma planilha como o Excel, elas não funcionarão. Se você quiser ouvir o conteúdo de uma célula de uma planilha, por exemplo, basta pressionar a tecla ponto do teclado numérico. Mesmo sem você selecionar nada, a célula atual será lida. Não existem recursos para ler uma linha inteira da planilha, a planilha inteira, etc. Para fazer este tipo de coisa você será obrigado a selecionar as células que deseja que sejam lidas e pressionar a tecla ponto do teclado numérico para que a leitura ocorra. A seguir você terá um resumo das funções das teclas do teclado numérico, quando ele estiver sendo utilizado para controlar o Mouse (você alterna a função do teclado numérico entre controle do virtual vision e controle do mouse, pressionando a tecla CTRL F3). CONTROLE DO MOUSE PELAS SETAS DO TECLADO É preciso que o NUM LOCK esteja ligado para estas teclas funcionarem. 8 ou seta para cima para cima 2 ou seta para baixo para baixo 4 ou seta para esquerda para esquerda 6 ou seta para direita para direita 3 para baixo e para dir eita 1 para baixo e para esquerda 9 para cima e para direita 7 para cima e para esquerda 5 ou END equivale a pressionar o botão do mouse. Pressionar rapidamente duas vezes esta tecla corresponde a um duplo clique com o mouse. + ou HOME corresponde a um duplo clique com o mouse. 0 ou PAGE DOWN faz com que o botão do mouse seja mantido pressionado. PONTO ou PAGE UP faz com que o botão do mouse seja levantado. / ou INSERT faz com que o botão do mouse ativo seja o esquerdo. * ou DELETE faz com que o botão do mouse ativo seja o direito. Observação: Pressionando a tecla CTRL junto com as teclas de movimentação, a movimentação será mais rápida. Pressionando a tecla Alt junto com as teclas de movimentação, a movimentação será mais lenta. Última Atualização ( 14 de September de 2007 ) Cartilha de Acessibilidade Página inicial Avaliadores Ir para conteúdo| | | | Dicas Virtual Vision - Teclas práticas Esta página foi criada para facilitar os novatos em Virtual Vision a utilizarem de forma rápida o Navegador Internet Explorer. Foi utilizado o recurso de hiperlink nulo para que toda página seja navegável pela tecla TAB. As teclas estão apresentadas em uma tabela com duas colunas, na primeira coluna a tecla, na segunda sua função.
TECLAS PARA NAVEGAR NA INTERNET - INTERNET EXPLORER TAB Navegar para frente entre os hiperlinks da página SHIFT+TAB Navegar para trás entre os hiperlinks da página ALT+seta para esquerda Voltar para página anterior ALT+seta para direita Ir para próxima página ENTER Ativa o hiperlink corrente 7 do teclado numérico Repete última frase lida pelo Virtual Vision 9 do teclado numérico Fala posição da barra de status da página. Muito utilizado para saber se a página já foi totalmente carregada. CTRL+ponto do teclado numérico Seleciona todo texto da página e inicia a leitura automaticamente. CTRL+A e ALT+ponto Mesma função das teclas anteriores, ou seja, seleciona todo texto da página e inicia a leitura automaticamente. Esta combinação é utilizada quando o Virtual Vision não consegue ler apenas utilizando as teclas CTRL+ponto. 0 do teclado numérico Fala o título da janela corrente CTRL+7 do teclado numérico Repete a última mensagem falada, só que em modo solutrado. + do teclado numérico Fala características do controle selecionado. Deve ser utilizado quando em um formulário o Virtual Vision não ler alguma informação sobre o controle. - do teclado numérico Faz o Virtual Vison parar de falar o texto corrente. F11 Maximiza a janela corrente ALT+F4 Fecha a janela corrente F5 Carrega a página atual novamente CTRL+TAB ou F6 Alternar antre os frames do site. Caso a página não possua frame, o foco irá alternar entre a página e o campo endereço.
TIPOS DE CONTROLES ENCONTRADOS EM FORMULÁRIOS TEXTO EDITÁVEL São locais onde um determinado texto ou palavra deve ser digitada, como por exemplo, em um formulário de cadastramento, onde é solicitado seu nome, endereço, etc. Normalmente, no final existe um botão que ao ser pressionado a tecla ENTER irá enviar os dados preenchidos. Exemplo: Nome Endereço Fim do exemplo CAIXA DE VERIFICAÇÃO São objetos onde um ou mais itens podem ser marcados ou desmarcados. Para marcar ou desmarcar uma opção, pressione a barra de espaço. A navegação entre as opções é feita com a tecla TAB. Exemplo: Selecione um ou mais dos esportes de seu interesse: Futebol Volei HandBall Natação Pesca Hipismo Fim do exemplo CAIXA DE OPÇÃO São objetos onde apenas um dos itens pode estar marcado. Para selecionar o item desejado, você deve usar as setas (para direita ou esquerda). Sempre a última opção falada será aquela que ficou marcada. Exemplo: Informe qual o seu time do coração: Flamengo Fluminense Botafogo Vasco Fim do exemplo CAIXA COMBINADA É uma lista de opções onde, normalmente, somente uma opção pode estar selecionada. Para ativar uma caixa combinada, pressione Alt e seta para baixo simultaneamente para ter acesso às opções dessa lista. Pressione setas para baixo ou para cima para navegar entre as opções. Para ativar uma opção, pressione TAB. Exemplo: Selecione um dos estados abaixo: Estado São Paulo Rio de Janeiro Minas gerais Ceará Fim do exemplo Última Atualização ( 14 de September de 2007 ) Cartilha de Acessibilidade Página inicial Avaliadores Ir para conteúdo| | | | Outras páginas sobre Acessibilidade Bengala Legal Prodam São Paulo CAST - Bobby PROJETO DOSVOX Micropower - Fabricante do Leitor de telas Virtual Vision Syntha-voice Computer Inc - Fabribante do Leitor de Telas SLIMWARE WINDOW BRIDGE Henter Joyce, uma divisão da Freedom Scientific- Fabricante do Leitor de Telas JAWS FOR WINDOWS Microsoft Accessibility HOME Macromedia - Accessibility Resource Center Federal Computer Week DISTEC Lista de Discapacidad y Tecnología de la Rehabilitación NCAM-Web Access Project Home Web Accessibility Initiative (WAI) Home Page Acessibilidade à Internet- a igualdade de oportunidade em todas as esferas da sociedade IBM Acessibility Center Amigos do virtual vision. Clube do Jaws - Grupos de Discussão National Library for the Blind (UK) Braillenet page d'accueil Text to Mp3 - Speech Recognition and Telephony Components and Utilities Section 508 of the Rehabilitation Act as amended in 1998 AIA / Access Board Accessibility Guidelines Education Course Artificial Vision for the Totally Blind - Ver com som para cegos Centros de Acessibilidade IBM Acessibility Center - Site sobre acessibilidade da IBM Irish Accessibility - Irish National Disability Authority IT Accessibility Guidelines Macromedia Accessibility Resource Center - Site sobre acessibilidade da Macromedia Java Accessibility - Sun Microsystems Accessibility Program. Microsoft Accessibility HOME - Site sobre acessibilidade da Microsoft Diretriz Section 508 - Diretrizes e Lei Federal Americana sobre Acessibilidade em sites do governo. WAI - Web Accessibility Initiative Home Page WCAG 2.0 - Web Content Accessibility Guidelines 2.0 E-MAG - Modelo de Acessibilidade do Governo Eltronico Lista de Discussão Lista DV-DELPHI - Lista para Deficientes Visuais sobre a linguagem de programação Delphi.
LISTA VIRTUAL VISION - Para você trocar experiências com outros usuários do Virtual Vision, inscreva-se na lista. Clique aqui e envie um e-mail para vv-l-subscribe@yahoogrupos.com.brEste endereço de e-mail está sendo protegido de spam, você precisa de Javascript habilitado para vê-lo Última Atualização ( 15 de September de 2007 ) Leis e Decretos Lei de Acessibilidade - DECRETO Nº 5.296 DE 2 DE DEZEMBRO DE 2004. Regulamenta as Leis nos 10.048, de 8 de novembro de 2000, que dá prioridade de atendimento às pessoas que especifica, e 10.098, de 19 de dezembro de 2000, que estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providências. Última Atualização ( 08 de September de 2007 )


TEMPOtempo
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
TEMPO BIT
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● Ver bit time (Al Bitzeit)


TERABYTEterabyte
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
TERABYTE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● Tb ou 1024 Gb


TERCEIROterceiro
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
TERRCEIRO CARACTERE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● Há teclas que têm três caracteres, como por exemplo, nalguns teclados, o @ (arroba), A £ (libra), o § (parágrafo), o € (euro), aparecem como terceiro caractere
Para que ele apareça dactilografado terá de pressionar a tecla Alt Gr e, sem largar, pressionar (ing hold on)a tecla que contém esse caractere.
Se pressionar, ao mesmo tempo, as teclas Ctrl e Alt, sem largar, pressionando a seguir a tecla que contém o 3º. caractere, obtém o mesmo resultado.
Ver tb acentos e terceiro caractere




TIPOtipo
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
TIPO MIME
●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●●
● (norma/formato) – Quando visita um site Web, o seu browser começa a transferir vários elementos que compões a página – gráficos, texto, talvez arquivos de áudio ou outros arquivos incorporados. De uma forma totalmente invisível ao usurário, o browser recebe também um “tipo MIME” a partir do servidor Web para cada arquivo individual. Um arquivo MIDI convencional possui o Tipo MIME “áudio/mid”, por exemplo; ao receber esta informação, o browser fica sabendo qual a aplicação que escolheu para executar os arquivos MIDI.
Tudo isto poderia funcionar muito bem, mas na prática não funciona. Os servidores Web não devolvem o tipo MIME correcto.
É necessário configurá-los para o fazerem e, às vezes, eles ainda se enganam. Isto não interessa muito aos usurários do Internet Explorer, porque o browser utiliza a extensão de um arquivo para o identificar.
Qualquer pessoa que utilza Io Netscape Communicator pode, no entanto, ter problemas de tipo MIME incorrectos. Um sintoma comum é descobrir que os arquivos MIDI não tocam em determinados sites, embora já os tenha ouvido em outro lugar qualquer. Para verificar os tipos MIME, deixe que a página seja totalmente carregada e, em seguida, utilize a Página de Informações do menu Ver (View>Page Inf). Se houver erros, não pode resolvê-los, por isso reporte o problema a quem estiver a administrar o site Web que está a visitar.


TRABALHARtrabalhar
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
TRABALHAR COM MENUS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● No Windows os comandos encontram – se agrupados em MENUS. As pastas e as janelas de aplicação dispõem de uma BARRA DE MENUS na parte inferior da barra de título, onde aparecem os nomes dos menus. Cada menu contém uma lista de COMANDOS classificados por temas, através dos quais as tarefas específicas poderão ser executadas.
1. Menu de sistema - Um menu especial contendo comandos para a alteração de tamanho e posição de janelas é o MENU DE SISTEMA. Para pastas e programas poderá ser identificado através de um ícone de aplicação ou pasta


no campo superior esquerdo da barra de título.


2. Menus - Todas as janelas de documentos nas quais conteúdos de pastas são criados, bem como as janelas de grupos de programas do menu INICIAR, são constituídas da mesma forma. Encontrará dentro delas os menus FICEIRO, EDITAR, VER, IR PARA, FAVORITOS E AJUDA (?). O número e o significado dos comandos de menu que podem ser activados estará na dependência do tipo de objecto seleccionado e da acção actual.


3. Barra de Menus - A barra de menus de aplicações já contém programas específicos de menus com comandos respectivos de aplicação. Independente do tipo de menu ou dos comandos que ele contém, os elementos de execuçõ serão servidos em sua individualidade. Isto aplica – se também à escolha dos comandos.
ACTIVAR MENUS ATRAVÉS DO RATO
Para abrir um menu, aponte para o nome do menu com o cursor do rato e efectue clique sobre ele. O menu abrir-se-á e mostrará vários registos dispostos verticalmente, um abaixo do outro. Uma vez aberto um menu, necessitará apenas apontar para um outro nome de menu vizinho para abri-lo.
1. Menus sobrepostos – Caso se encontrem disponíveis para comandos de menu, menus sobrepostos, será suficiente que aponte para o comando desejado para abrir o sub-menu. Os menus sobrepostos estarão sempre disponíveis quando um pequeno triângulo ►
é mostrado.
2. Seleccionar comando - Para seleccionar um dos comandos num menu, efectue clique sobre o registo desejado. Se o comando for correctamente executado ou se o Windows ou um programa for abrir outros elementos do controle para a configuração do comando, é um processo que poderá ser identificado através das convenções do menu. Trataremos mais adiante desta questão.

3. Campo do menu de sistema – As janelas de documento e aplicações dispõem adicionalmente de um menu de sistema. Este menu de sistema poderá ser aberto através de um clique sobre o campo do menu sistema, na parte superior esquerda da barra de título. Ele será representado através do ícone de aplicação ou de pasta


ou como um grupo de programas.
4. Alteração de tamanho – Os seis comandos do menu de sistema (Fig 1.17)


são idênticos e servem exclusivamente a alterações de tamanho ou deslocamento de janelas de documentos e de programas.

5. Comando fechar – Através do comando Fechar , uma janela de documento será fechada ou uma aplicação será encerrada.

Um menu aberto por descuido poderá ser fechado novamente através de um clique sobre o nome do menu. Comandos executados por descuido poderão ser anulados quase sempre, através de Editar/Anular
ACTIVAR MENUS ATRAVÉS DO TECLADO
No Windows os menus e comandos poderão ser activados não somente através do rato, mesmo que este seja o procedimento preferido. Tal preferência encontra – se associada ao facto de se estar a trabalhar numa superfície gráfica. Mostraremos nessa secção como poderá executar menus e comandos através do teclado. Através do teclado, active a barra de menus através das teclas Alt ou F10. O Windows simboliza que u m menu foi activado através de uma representação tridimensional do nome do primeiro menu Ficheiro. Para O Próximo Menu Prima simplesmente a tecla → para se deslocar de cada vez para a direita para os próximos menus. Através da tecla ← retornará de cada vez para um nome de menu à esquerda. Para abrir um menu activado prima a tecla Enter ou a tecla . Posteriormente dirija – se ao comando desejado através das teclas , e prima Enter. De Vota Ao Menu Principal Caso menus sobrepostos se encontrem disponíveis, utilize a tecla de cursor e para se deslocar para o sub – menu ou retornar para o menu principal. Combinação De Teclas Letra alfabéticas sublinhadas nos nomes de menus com uma combinação de teclas para abrir o menu. Prima a tecla Alt e mantenha – a premida. Em seguida digite no teclado a letra alfabética sublinhada no nome de menu. Para abrir o menu Editar de uma janela de documento, +prima, por exemplo, a combinação de atalho Alt + E. Para activar outros menus, prima novamente a tecla Alt e +posteriormente a letra alfabética sublinhada no nome de menu. Para fechar um menu através do teclado prima a tecla Alt ou F10. Poderá também premir a tecla Esc. Desta forma o menu será encerrado mas a barra do menu permanece activada. Poderá então seleccionar outro menu. O menu seleccionado por último na barra de menus será destacado através de uma apresentação tridimensional do seu nome.
SIGIFICADO DAS CONVENÇÕES DE MENU
Cada janela de documento e de aplicação dispõe de uma barra de menus. O número e o tipo de menus lá contidos será dependente do tipo de janela ou do programa. Na maior parte dos casos, os registros apresentados são comandos. Pode tratar – se contudo também de estilos do tipo de letra que deverá ser aplicada a um texto ou a uma tabela como, por exemplo, Negrito ou Centrado .
1. Apresentação Dos Registros De Menu - Nem todo o registro de menu possibilita a execução imediata do comando nele descrito. Alguns possibilitam que o menu seja fechado sem alterações, outros abrem sub – menus ou activam uma caixa de diálogo. O que realmente ocorrerá após a selecção de um comando de menu, poderá ser pré - visualizado na forma de apresentação dos seus registros.
2. Menu Sobreposto - Receberá, por exemplo, para todos os comandos recebidos por um pequeno triângulo preto ► um outro menu denominado sobreposto ou sub-menu, onde estarão listados outros comandos.
3. Marca - Várias acções de menu poderão ser identificadas através da forma de apresentação do registo de menu. Uma marca a preceder um registro de menu significa, por exemplo, que tal função se encontra activada. Estas marcas precedem comandos que se encontram em grupos de comandos independentes que podem ser activados concomitantemente como, por exemplo, os registros de Barra de estado e os registros do menu sobreposto de barras de ferramentas do menu Ver .
4. Ponto Em caso contrário, em que apenas uma das opções possa ser activada, este registo será destacado através de um ponto ● (Exemplo. O menu Ver com o comando do modo de ver activado Ícones grandes ).
5. Três Pontos - Se após o registro de menu se encontram três pontos (…) significa que o comando activa uma caixa de diálogo, onde o utilizador deverá fornecer dados adicionais necessários à execução do comando (por exemplo, Ficheiro/Imprimir…). Independente da convenção de menu, poderá seleccionar um comando de forma mais rápida através de um clique do rato. Se apontar para um comando de menu, ele será seleccionado através de um rectângulo sombreado.
6. Alternativas - Para seleccionar registros de menu através d teclado, prima Alt e utilize tecla □, □ ou □, até haver alcançado o registro desejado e prima em seguida Enter. Poderá também premir a tecla, cuja letra alfabética se encontra sublinhada no comando desejado.
7. Resumo - A seguir apresentamos as convenções de menu mais importantes de forma resumida.
8. Convenções de menu - significado -

(triânguo): Menu sobreposto com comandos adicionais.

Três pontos (…): aciva uma caixa de diálogo com opções.

Combinação de teclas: teclas de atalho para um comando.

Negrito: comando padrão, que será executado na área do documento através de duplo clique sobre o objecto.

Marca: mostra uma opção activa. Várias selecções serão possíveis.

Ponto: activo, porém opções que se anulam

(menos carregado) - Desactivado ou não disponível: comandos inactivos e não podem ser accionados.


TRACKtrack
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
TRACK
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● Ver REGISTO


TRAÇOtraço
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
TRAÇO VERTICAL QUE PULSA
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● Ver cursor


TREMAtrema
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
TREMA
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● (colocação) Para colocar o trema em cima da vogal pressione a tecla Alt Gr e em seguidda, sem largar, a tecla que contém este sinal gráfico.
Também pode utilizar o código ASCII:
Em primeiro lugar deve assegurar-se que o Num Lock se encontra ligado. Pressione a tecla ALT e, sem largar, marque os seguintes números, para cada caracter, respecivamente. Após marcar o número respectivo, deixe de pressionar. O caracter aparece então:
132 - ä - trema no a
137 - ë - trema no e
139 - ï - trema no i
148 - ö - trema no o
129 - ü - trema no u
152 - ÿ - trema no y
142 - Ä - trema no A
211 - Ë - trema no E
216 - Ï - trema no I
153 - Ö - trema no O
154 - Ü - trema no U
376 - Ÿ - trema no Y


TRADUÇÕEStraduções
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
TRADUÇÕES DE INFORMÁTICA
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
http://www.freetranslation.com/

TUBOtubo
● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
TUBO DE RAIOS CÁTODO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● (cathode - ray - tube (CRT) – tubo de raios cátodo - É um tubo de vácuo usado para reproduzir uma imagem num receptor de televisão, num aparelho de radar ou no terminal de televisão.


TUTORIALtutorial
● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
TUTORIAL
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● Um tutorial é um programa ou texto, contendo ou não imagens, que ensina passo a passo, didaticamente, como algo funciona.

A palavra tutorial é derivada da palavra tutor visto que o seu objectivo é ensinar. Tutoriais são muito comuns na informática, onde são usados para ensinar como programas funcionam, e como podem ser operados por usuários iniciantes.


UUUUU

UNIDADEunidade
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
UNIDADE DE ALIMENTAÇÃO (UA)
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● Sem energia, tal como tudo, o computador não funciona. Portanto a UA faz parte do hardware, é uma das componentes do computador e serve precisamente para lhe fornecer a energia de que precisa.A Unidade de Alimentação tem normalmente entre 130 e 300 Watts. É de ter em conta que todas as placas ou componentes que se vão incorporando ao computador consomem energia.

UNIDADESunidades
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
UNIDADES DE MEDIDA PARA A QUANTIDADE DE INFORMAÇÃO
QUE UM DETERMINADO SUPORTE PODE ARMAZENAR

●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● BIT Cada1 ou o que é processado e armazenado chama-se bit, contra cão de binary digit ou “dígito binário”. BYTE Um conjunto de oito bits forma um byte KYLOBYTEE um conjunto de 1024bytes forma um kilobyte ou Kbyte MEGABYTE 1024 Kb formam um Mb GIGABYTE e um conjunto de 1024 Mb forma um Gigabyte Os próximos múltiplos são o TERABYTE Tb ou 1024 Gb E o PENTABYTE Ou 1024 Tb Utilizam-se ainda e também os termos Kbite, Megabite, Gigabite para representar conjuntos de 1024 bits 1 byte – 8 bits 1 Myte – 8 Mbits 1 Gyte – 8 Mbits…………………. Por exemplo, uma placa de rede de 100 Megabyts é na verdade uma placa que transmite 12,5 Megabytes por segundo (12,5 Mb/s) pois cada byte tem 8 bits

UPLOADupload
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
UPLOAD
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
● Transferência de um ficheiro do seu computador para um servidor( http://pt.wikipedia.org/wiki/Servidor). Não confundir com download.

URLurl
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●
URL
●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●
●(Ing : Uniform Resource Locator). Endereço Internet explorado pelos navegadores (Internet Explorer ou Navigator, por exemplo). É o endereço standard de qualquer documento em qualquer computador num local ou na Internet. Estrutura de base de um URL : protocolo://servidor/reportório/Documento, extensão http://www.yahoo.fr

UPSups
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
UPS
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (Uninterruptible Power Supply – Fonte de Alimentação Ininterrupta)
- ver FONTE DE ALIMENTAÇÃO ININTERRUPTA


USBusb
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
USB
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (Ing : Universal serial bus) Uma norma, destinada a conectar o teclado, scanners, e outros periféricos inertes. O interface USB 1.1 permite conectar a um microcomputador até 127 periféricos para um débito máximo de 12 Mbits/s, isto é 1.5 Mo/s (1), o todo num bus série, tal como o nome indica. Principalmente destinado aos periféricos inertes, o interface foi desenvolvido pela Compaq, Hewlett-Packard, Intel, Lucent, Microsoft, NEC e Philips desde 1994 para chegar ao mercado do grande público em 1998.

Existem dois tipes de conectores (tipo A e B) cujas regras de base são as seguintes :
Partimos sempre do computador, de uma tomada de tipo A
Se o cabo estiver integrado no periférico (teclado, rato, joystick, etc...), le conector na ponta é sempre de tipo A.
Quando o cabo não estiver integrado no periférico, a tomada no periférico é sempre de Tipo B. Utilizamos então um cabo de tipo A B (impressora, scanner, etc...)
(1)a) Mega-octet : unidade de medida igual a 1 048 576 octets.
b) Octet – conjunto de 8 bits

TIPO A, RECTANGULAR
CHATO - MACHO



TIPO A, RECTANGULAR
CHATO - FÊMEA



TIPO B, QUADRADO
MACHO



TIPO B, QUADRADO
FÊMEA




UTILIZARutilizar
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
UTILIZAR O RATO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
http://windowshelp.microsoft.com/Windows/pt-PT/Help/e725b43f-94e4-4410-98e7-cc87ab2739aa2070.mspx


●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
UTILIZAR O TECLADO
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
http://windowshelp.microsoft.com/Windows/pt-PT/Help/d33de1a1-42db-420c-8579-5299b82ccddd2070.mspx


VVVVV




VDUvdu
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
VDU
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (Ing: Visual Display Unit)- unidade de visualização

VLBvlb
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
VLB
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (Ing VESA Local bus). Standard de bus local definido pelo consorcio VESA (agrupamento de vários construtores de PCs e de periféricos). Este standard autoriza a troca directa de dados com o computador.

VERMEverme
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
VERME
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
●(Ing. : worm) Programa autónomo e parasita, capaz de se reproduzir por ele mesmo, em perpétua deslocação na memória do computador que sobrecarrega e mina progressivamente, consumindo, até à paralisia, os recursos do sistema informático. O verme e o virus são ambos capazes de se reproduzir, mas, ao contrário do virus, o verme não tem necessidade de um programa hospedeiro para o fazer. É completamente autónomo.


WWWWW



WIDGETwidget
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
WIDGET
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● O widget é um termo sem tradução que designa componentes de interface gráfica com o usuário (GUI). Qualquer item de uma interface gráfica é chamada de widget, por exemplo: janelas, botões, menus e itens de menus, ícones, barras de rolagem, etc. Outro ponto que pode ser colocado como Widgets são pequenas janelas que ficam no desktop. Essas Janelas têm como intuito ajudar, informar e divertir o Usuario. Em poucas palavras widget pode ser definido como sendo um componente de software que viabiliza a interação com o usuário, ex: botão "OK". Alguns widgets tem por objetivo receber dados do usuário e com isso gerar algum tipo de registro. Os controles de formulário são muito úteis nesses casos. Componentes como entrada de texto (input text), checkbox, combobox, radiobutton e outros são capazes de definir a natureza dos dados a serem coletados, e dessa forma enumerar todas as possibilidades de dados a serem apresentados pelo usuário. Entradas de texto melhor representam dados totalmente aleatórios, ao passo que comboboxes e grupos de radiobuttons determinam um conjunto finito de possibilidades para o usuário.

●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
WIDGET
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● É um acessórios que dispensa fios e carregadores para toda aquela série de dispositivos que deles necessitavam até agora, telemóveis, leitores de MP3 (v.), Câmaras digitais e até para alimentar um Portátil. Basta colocá-los em cima de uma espécie de tapete com faixas metálicas, ligado à corrente, afim de recarregar as baterias. É necessário um pequeno módulo nas baterias para receber energia por indução electromagnética.


WLDCHARGEwildcharge
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
WILDCHARGE
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● O Wildcharge é uma badeja que, uma vez energizada, transfere a eletricidade para os equipamentos nela colocados, sem a necessidade do cabo do aparelho.


WINDOWSwindows
**********************************************************************************
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
WINDOWS - O GUIA INDIPENSÁVEL PARA PC
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● VER

1. INICIAR O WINDOWS

********************- Iniciar O Windows
. Ligar o computador BIOS
. Processo de carregamento
. Rede do Windows
********************- Encerrar O Windows
. Encerrar o Windows
. Documentos não gravados
. A sessão é encerrada
********************- Funções Do Rato No Windows
*****. A acção do rato: apontar
*****. A acção do rato: efectuar clique
*****. A acção do rato: arrastar
. Campos de texto
*****. A acção do rato: duplo clique
. Intervalo muito longo
********************- Funções Do Botão Direito Do Rato
. Menu de atalho
. Botão direito
. O caminho mais rápido
********************- Trabalhar Com Menus
. Menus de Sistemas
. Menus
. Barra de Menus
*****. Activar menus através do rato
. Menus sobrepostos
. Seleccionar comando
. Campos do menu de sistema
. Alteração de tamanho
. Comando fechar
*****. Activar menus através do teclado
. Tecla Alt ou F10
. Para o próximo menu
. De volta ao menu principal
. Combinação de teclas
. Alternativa
*****. Significado das convenções de menu
. Apresentação dos registos de menu
. Menu sobreposto
. Marca
. Ponto
. Três pontos
. Alternativas
. Resumo
. Convenções de menu
. Convenções de menu
********************- Trabalhar Com Caixas De Diálogo
. Caixas de diálogo
. Três pontos
. Caixa de verificação
. Botões de Comando
. Três pontos
. Botões de comando opcionais
. Caixas de verificação
. Campo de texto
. Valores pré-fornecidos
. Campos de lista com linha única
. Campo de lista com várias linhas
. Barra de deslocamento
. Botão do rato premido
********************- Aumentar E Diminuir As Janelas Do Windows
. Activar janela de documentos e programas
*****. Botões para alteração de tamanho
. Botão fechar
. Botão maximizar
. Botão restaurar
. Botão minimizar
*****. Alteração de tamanho de janelas através de moldura
. Moldura e cantos
. "Tocar" moldura da janela
. Alteração da altura
. Alterar altura e largura
********************- Fechar As Janelas Do Windows
. Fechar pastas
. Fechar janelas de documentos
********************- Alterar Posição De Tabelas E Ordená-las No Ambiente De Trabalho
. Mover uma janela
. Menu de sistema
. Dispor automaticamente
********************- Interromper o Iniciar Automático do Windows
. Interromper a sessão no Windows
. Menu de arranque
. Activar opção
. Modo normal
. Ficheiro BOOTLOG. TXT
********************- Iniciar O Windows No Modo De Segurança
. Causas de problemas
. Modo de segurança
. Menu de arranque
. Modo de segurança
. Ajuda e suporte
. Tecla F5
********************- Activar A Linha De Comandos Do MS-DOS No Windows
. Iniciar programa
. Linha de comandos
. Modo de janela
********************- Definir Propriedades Para A Linha De Comandos No MS-DOS
. Várias sessões do DOS
. Dificuldade em iniciar
*****. Configurar a linha de comandos e o directório de trabalho
. Combinação de teclas
. Linha de comandos
. Representação
. Ficheiro de comando
*****. definir o tipo de letra para a linha de comandos do MS-DOS
. Separador Tipo de Letra
. Campos de lista Tipo de Letra
. Mpas de bits e TrueType
. Registo Auto
*****. Alterar propriedades da linha de comandos para aplicação individual do DOS
. Não detectar o Windows
. Alteração sem problemas
. Iniciar no modo MS-DOS
********************- Copiar Conteúdos Da Linha De Comandos Do MS-DOS
. Copiar textos
. Selecção
. Utilizar teclado
. Mostrar barra de ferramentas
. Activar Edição rápida

2. A AJUDA DO WINDOWS

********************- Activar Ajuda E Suporte
. Ajuda do Windows
. Iniciar/Ajuda
. Tecla de atalho
. Menu ajuda
*****. Procurar A Partir De Uma Palavra-Chave
. Procurar texto
. Palavra-chave
. Lista de tópicos
. Escolha De Um Tópico
.


*****. Página Inicial Da Ajuda Do Windows
. Verificar com cliques únicos
. Registo Bemvindo à ajuda
. Organização hierárquica
. Hiperligações como na Internet
. Imprimir
. Activar janela de ajuda
. Informações adicionais
. Resolução de problemas sido encontrada.
. Link para iniciar programa
. Link para a Internet
*****. Índice Remissivo Do Windows
. Fornecer conceito de procura
. Fornecer palavra-chave
. Fornecer letra
. Seleccionar registo
. Mostrar registo
*****. Suporte Assistido Da Ajuda Do Windows
. Suporte Microsoft
. Suporte MSN
*****. Introduções & Iniciações Da Ajuda Do Windows
. Lista de Introduções Disponíveis
. Introdução ao Windows
. Sair da Introdução
********************- Activar A Ajuda Para Elementos Do Windows
. Abrir a caixa de diálogo
. Botão ?
. Sugestão de ecrã
. O que é isto?
******************** Activar E Utilizar A Ajuda Para As Aplicações Do Windows
. Ajuda Online
. Iniciar Programa
. Janela activa de programa
. Menu Ajuda
. Ajuda ao programa
*********************. Separador Índice
. Alargar com clique único
. Organização hierárquica
. Livro
. Registo da ajuda
. Técnica da Internet
. Livro Aberto
. Informações apresentadas
. Botão de opções
. Informações adicionais

********************. Separador índice remissivo
. Separador Índice remissivo
. Palavra-chave
. Digitar palavra-chave
. Fornecer letras
. Seleccionar registo

********************. Separador procurar
. Procurar texto
. Palavra-chave – Criar uma lista de palavras
. Palavra-chave
. Top. Da lista
. Deslocar através dos links
********************. Separador Favoritos
. Adicionar Favoritos
. Activar Favoritos
Remover Favoritos


3. PROGRAMAS E DOCUMENTOS

********************. Iniciar programas
***** Activar programas através do menu Iniciar
. Por ordem alfabética
***** Accionar programas através da pasta sistema O meu computador
. Pasta que contém o ficheiro
***** Activar programas através do Explorador do Windows
. Clique duplo
. Estrutura do menu Iniciar

***** Accionar programas através do comando Executar
. Fornecer o atalho Linha de comandos
.Seleccionar ficheiro de programa

********************. Activar programas e documentos no Windows
.Pasta arranque
2. Só aplicações importantes

********************. Encerrar programas
********************. Alterar ícones de programas
. Ícones de atalhos
********************. Abrir documentos
***** Abrir documentos através do menu Iniciar
. Os 15 últimos documentos
. Alternativa
. Organização e gestão
***** Abrir documentos através da pasta de sistema O meu computador

. Pasta Os meus documentos
. Clique duplo
***** Abrir documentos através do Explorador do Windows
. Iniciar o Exploador do Windows
. Abrir um documento
. Clique duplo
********************. Abrir documentos directamente nos programas
. Um nível acima
. Botão Menu "Ver"
. Vista
********************. Gravar documentos com a aplicação
. Pasta Um nível acima
. Criar nova pasta
. Ficheiro do tipo predefinido
********************. Criar um documento novo no Windows
. Comando novo
. Seleccionar tipo de ficheiro
. Novo [ficheiro do tipo]
********************. Criar atalhos no ambiente de trabalho
. Criar atalho
. Ícone de atalho
. Botão direito
********************. Ícones de documentos das aplicações do Windows
. Extensões de ficheiro interna
. Vista
***** Ícones de documentos de outras aplicações registadas
. Ícone de outro documento
. Informações sobre o tipo de ficheiro
********************. Abrir documentos não registados
. Documentos registados
. Tipos de ficheiros não registados
********************. Aceder a tipos de documentos sem o programa de aplicação
***** Pré-visualização de documentos na pasta e no Explorer
. Miniaturas
. Pré-visualização
********************. Utilizar a calculadora
. Acessórios do Windows
. Programas/Acessórios/Calculadora
. Vista/Científica
. Teclado

4. AMBIENTE DE TRABALHO, BARA DE TAREFAS E MENU INICIAR

**********************************************************************************

●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
WINDOWS VISTA
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Chegou o novo sistema operativo da Microsoft que vem substituir o XP (Mar2007). Tem um número muito maior de capacidades estruturais que foram estudadas para aumentar e aproveitar a capacidade dos computadores. O conselho que podemos dar aos nossos leitores é procurar na Internet, saber se o seu computador aceita o Windows Vista. Faça o download do “Windows Vista Upgrade Advisor” e siga as instruções. Gratuito no site da Microsoft. Também podem conhecer melhor o novo S.O. lendo o Guia Prático do Windows Vista da Centro Atlântico escrito pelo jornalista António Eduardo Marques. O Windows Vista é uma nova fase no processo de trabalhar com computadores. A partir do momento em que o utilizador comece a compreender tudo aquilo que o Windows Vista oferece (e levará um certo tempo a usufruir da maior parte dos melhoramentos que, para além do impressionante aspecto visual quando aparece o ambiente visual a 3D, não são de imediato visíveis). A Microsoft aposta na segurança, clareza e conectividade. Mas a segurança obriga a protecção. O utilizador pode escolher entre várias versões a que mais se adapta ás suas necessidades. São muitas as publicações para nos orientarem a escolha e com ela trabalhar. Windows Vista Revista Oficial da Microsoft, o suplemento oficial da PC – Guia de Abril. O livro Guia Prático do Windows Vista de António Eduardo Marques, Windows Vista para Totós da Porto Editora (não se preocupem com o termo pois o livro é uma ajuda de consulta rápida muito eficiente) Até ao Introduction to Windows Vista da Microsoft Press, a escolha é vasta e rica em pormenores. Mas a Microsoft tem no seu site um programa gratuito, o Windows Vista Upgrade Advisor, que corre no XP informa se o PC cumpre os mínimos de hardware, se existem controladores para todos os dispositivos ou qual a versão mais indicada. Difícil dizer aqui o que há de melhor: Melhor desempenho, mais velocidade, Internet Explorer mais seguro, anti-phishing com defesa contra roubo de códigos e informações pessoais, controlo parental para segurança das crianças no acesso a sites perniciosos, criação de sistemas de rede mais intuitiva e a grande aposta em Multimédia: Visualização, edição, gestão. Um Windows Media Player que pela primeira vez permite ripar CDs para WAVE e criar Áudio a partir de Wave. O dispositivo CONNECT da Creative, estabelece a ligação entre um computador, através da porta USB, e um sistema hi-fi. Converte os discos e cassetes que estamos a correr no gira-discos ou leitor de cassetes para MP3 e portanto para um CD. Passa o analógico para digital remove mesmo a sibilação e crepitação, melhorando imenso a qualidade graças ao software incluído e aos conectores analógicos banhado em ouro. ajuda@gil.com.pt

WMAwma
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
WMA
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● (Ing: Windows Media Audio). Formato de compressão audio derivado do MPEG 4 da Microsoft oferecendo uma taxa de compressão mais importante do que a do MP3


WORDword
●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
WORD
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Software de tratamento de texto editado pel Microsoft.

O Word existe igualmente para a Macintosh e Unix

●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
WORD, iniciar o
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Ver → INICIAR o Word

●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
WORD PAD
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●


O Microsoft WordPad é um processador de texto simples que acompanha o Windows e é muito útil quando usado junto ao seu programa de FTP (ver) para fazer rápidas alterações em páginás HTML ou em scripts CGI sem perder a formatação do arquivo.

Para usar o Wordpad em conjunto com o FTP basta configurar seu programa de FTP para editar os arquivos com o Wordpad e não com o Notepad que perde a formatação de alguns arquivos.

O Cetus Word Pad é um programa que possibilita a edição de textos, com mais recursos que o Bloco de notas (Notepad) e muito menor que o Word da Microsoft, tendo as suas funções principais.

Esse programa é capaz de ler e gravar arquivos com os formatos txt, wri, rtf e doc, especialmente os formatados no Office97.
Características do arquivo instalador
Arquivo: cwrdpd.zip Tamanho: 1043 KB Tipo: gratuito


Descrição geral do WordPad

Com o WordPad, é possível criar e editar documentos de texto simples ou documentos com formatação complexa e gráficos. É possível ligar ou incorporar informações de outros documentos num documento do WordPad.

É possível guardar o ficheiro do WordPad como um ficheiro de texto, ficheiro de rich text, ficheiro de texto para MS-DOS ou Unicode. Estes formatos proporcionam uma maior flexibilidade quando trabalha com outros programas. Os documentos que utilizam vários idiomas devem ser guardados como ficheiros de rich text.


WORMworm
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
WORM ver - VERME (Ing. : worm)
●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ● ●●●●● ●●●●●● ●●●●



XXXXX



xDSLxDSL
●●●●●●●●●●●●●●●●●●
xDSL
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Ver DSL


XMODEMxmodem
●●●●●●●●●●●●●●●●●●
Xmodem
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Protocolo de comunicação interada nas aplicações de comunicação para transferir dos ficheirros utilisando uma linha telefónica e um modem.


ZZZZZ



ZOOMzoom
●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●●●●●●●●●●●●●●
ZOOM
●●●●●●●●●●●●●●●●●● ●●●●●● ●●●●●● ●●●●●
● Função que permite ampliar uma imagem ou texto visualizado no ecrã afim de lhe observar os pormenores. ***************************************************************************************************************************************************************************************************************************************************************●
FIM DO DICIONÁRIO *************************************************************************************



↕↕

CLICAR NA IMAGEM PARA A AUMENTAR

↕↕
MAIS NOTÍCIAS:
http://apaidrsilveirasemfinslucrativosmovhum.blogspot.com/


↕↕

MOVIMENTO HUMANISTA

http://movimentohumanistacorrespondencianata.blogspot.com

No comments: